RetroReview – Especial Dia Dos Namorados – Mickey & Minnie: The Great Circus Mystery


Estou de volta pessoal e hoje é dia dos namorados, então o “amor está no ar“. Está na hora de tornar o ambiente um pouco mais meigo aqui no Retroplayers. E claro que os machões estão olhando “ressabiados” para este tópico, mas abram esse coração e deixem a jogatina “mais meiga” dominar vocês. Dia dos namorados é um dia clássico em nosso calendário e independente se você tem, teve ou ainda nunca teve um amor… já deve ter passado na sua cabeça você jogando algum game de dois players com a namorada ou namorado!

É claro que a maioria da galera aqui do Retroplayers é formada por homens, mas vocês já pensaram na participação feminina em nossas vidas de gamer? Como ela é importante? Em como elas fazem parte desse mundo? E pensando nisso eu resolvi mudar um pouquinho o especial de hoje e vou falar previamente sobre a participação feminina nos games em geral, tanto como jogadoras ou como profissionais dessa área (quem sabe gere um especial somente com esse assunto no futuro). Por fim teremos uma “participação especial” feminina comentando sobre o jogo de hoje. Tudo explicadinho logo abaixo. Bora lá =).

As mulheres sempre foram presentes no mundo dos games na criação de jogos e de trilhas sonoras, como editoras de revistas, heroínas em jogos e como nossas companheiras de jogatina. E quem não se lembra da Marjorie Bros? Apesar de ela seguir um biótipo de mulher bonita para os homens ficarem “babando”, ela dava dicas de lançamentos voltados ao público feminino. E não se esqueça da Regina Gianetti, que foi a editora da famosa revista Ação Games e muito poucos sabem disso.

Ao contrário do que muitos dizem, no passado era comum sim mulheres que jogavam videogames, se interessavam, opinavam e detonavam games clássicos como Mickey, Donkey Kong, Top Gear e Cia. Infelizmente naquela época a imagem de videogame era mais vinculada aos homens e isso acabava de algum modo diminuindo o conhecimento de mulheres que jogavam videogames, mas elas existiam e existem firmemente até hoje. Um ponto interessante é que algumas delas não necessariamente começaram em consoles como Snes, Mega Drive, Atari ou Nintendo. Veja como exemplo a minha namorada, a Cristiane (nossa convidada de hoje), que jogava aqueles mini games clássicos de mão, com joguinhos de corrida, vôlei e cia. Alguém se lembra deles? E isso acabou levando-a a conhecer os consoles, mesmo não tendo contato muito frequente com eles.

Atrair mulheres para jogar alguns games atuais como Call Of Duty, Gears Of War, Battlefield, Halo etc, é uma tarefa muito difícil, apesar de sabermos que existem jogadoras desse naipe por aí. Infelizmente a dificuldade nos controles e a temática de tiros e sangue acabam não fazendo muito o gosto delas e as afastando, mas isso não quer dizer que as mulheres não jogam, pelo contrário, elas têm jogado cada vez mais videogame. E isso se deve às novas temáticas de jogos (muito variadas por sinal) e aos sensores de movimentos como o Kinect ou Wii com seus jogos de dança, esportes, aventura ou portáteis como o Nintendo DS, que trazem uma variedade incrível de jogos para esse público.

Isso abriu o interesse delas novamente e das produtoras também. E cada vez mais jogos da live arcade, indies e principalmente RETROGAMES estão sendo lembrados e o melhor de tudo – sendo jogados em CASAL. Exemplos clássicos como Castle Crashers (Live Arcade), Wii Sports (Do Wii), Kinect Sports (Do Kinect) e retrôs como Castle Of Illusion (que vai sair em breve com gráficos atuais) e Mickey & Minnie – The Great Circus Mystery, que é um ótimo game para se jogar em CASAL e que escolhi para fazer este especial de Dia dos Namorados. É o típico game para você passar esse dia do ladinho do seu AMOR jogando, comendo aqueles bombons e no intervalo de cada fase… comemorando e dando uns beijinhos. Então está aberto o RetroReview Especial Dia Dos Namorados – Mickey & Minnie – The Great Circus Mystery.

Obs: Se você não tem namorado/namorada ainda, não se preocupe, o jogo é legal também para jogar sozinho, chamando aquele seu amigo “carrancudo” (seria engraçado se eu jogasse esse game com o Sabat, imaginem?!), ou mesmo aquela sua amiga que “ainda” não curte videogames. E uma dica aqui – guarde esse jogo para jogar com a sua futura namorada ou seu futuro namorado e assim passar uma tarde bem divertida… E claro que depois que você se casar, não pode deixar de dar os créditos para os “Cupidos do Retroplayers“.

Obs 2: E não venha com aquele “papo-machão” de que videogame é SÓ coisa de “homem” porque isso está mais furado que aquela “opinião formada sobre tudo” e sem dúvida você vai ouvir de toda galera do Retroplayers em coro: “Seu Bobãooooo!”

banner3

A Cris (minha namorada) terá uma “participação especial” para comentar sobre o jogo (ela jogou comigo do começo ao fim). A intenção é abrir o diálogo com as jogadoras interessadas em games, e trazer uma visão diferente e feminina sobre jogos, tanto os retrogames como os atuais, e abrir as portas para as mulheres participarem aqui no Retroplayers. Afinal, aqui é um lugar para todos os amantes de games. E a opinião feminina é sempre bem-vinda e respeitada aqui.

The Great Circus Mystery Starring Mickey & Minnie é um jogo que faz parte da sequência de jogos de plataforma conhecida como Magical Quest. O primeiro título foi lançado em 1992 para Super Nintendo e se chama “The Magical Quest Starring Mickey Mouse”,  em 1994 foi lançado uma nova história chamada: “The Great Circus Mystery Starring Mickey & Minnie para Mega Drive e Super Nintendo, e por último foi lançado “Disney’s Magical Quest 3 Starring Mickey & Donald” em 1995 para Game Boy Advance. Neste mesmo ano foi também lançada uma versão do primeiro jogo da franquia no para o portátil.

Mickey e Minnie resolvem passear juntos (dias dos namorados?) e ir ao circo local, mas acabam se atrasando e logo que chegam encontram o Pateta saindo do circo com uma cara super desanimada. Ele informa para os dois que o circo tinha acabado e todas as pessoas desapareceram. Diz que está tudo “topsy-turvy”, de cabeça para baixo. Desconfiados dos acontecimentos, Mickey e Minnie vão até o circo ver o ocorrido com os próprios olhos e descobrem que Donald e Pluto também desapareceram. Com isso resolvem descobrir o que está por trás dos desaparecimentos e do fim do circo.

Olá retroaventureiros! Eu (Cris) fiquei muito feliz em poder dar a minha humilde opinião aqui, principalmente nesse RetroReview especial de Dia dos Namorados. Como o Ivo já falou antes, eu sempre gostei de jogar, seja nos minigames, seja no computador. Não tive nenhum console na minha infância, acredito que principalmente pelo fato de que os videogames eram considerados mais como divertimento para meninos e porque em casa só nasceram mulheres, hahaha. Só tive algumas poucas oportunidades de jogar Super Mario no console do irmão da minha vizinha. Era viciante, mas como não era o meu console, não dava para ficar horas e horas jogando como gostaria né… Em compensação eu pirava nos minigames de corrida, basquete, vôlei, naves espaciais, brick game, etc quando tinha os meus dez anos de idade.

E desde que conheci o Ivo ele me apresenta vários retrogames legais que queria ter jogado quando criança. Mas nunca é tarde demais para começar a jogar não é mesmo? Eu me divirto muito com esses jogos antigos, gosto muito dos gráficos, da história que vai surgindo na tela como se alguém a estivesse digitando, do sonzinho característico deles, das musiquinhas! ^^ Bom, agora vamos à minha opinião sobre o jogo e como foi jogá-lo de casal, modo cooperativo.

The Great Circus Mistery pode ser jogado com um ou dois players e nos dois modos a aventura é exatamente a mesma, mas jogando de dois é muito mais divertido e você e sua namorada ou seu namorado podem entrar cada um no papel de um dos camundongos que formam o casal mais famoso da Disney para desvendar o mistério que aconteceu no circo e salvar seus amigos. É um jogo perfeito para jogar de casal neste dia dos namorados ou mesmo em qualquer ocasião. Além de ser mais divertido jogar a dois, é muito melhor enfrentar o jogo com alguém, pois no meio do caminho vão surgindo um número considerável de inimigos que irão tentar atingir você e ir tirando as suas vidas, como os peixinhos com cara de bravos que ficam dentro do lago e cospem água insistentemente em cima dos personagens. Além dos subchefes e chefes, é claro.

Apesar do nome – The Great Circus Mistery -, o jogo no geral não tem muito a ver com circo exceto a primeira fase, pois os personagens irão passar por vários outros cenários como a floresta, uma casa mal-assombrada, cavernas alagadas, planícies congeladas… Cada um desses cenários em uma determinada fase. O circo serve mais como algo de base para se ter uma história para o jogo. Mas também, acredito que se o jogo ficasse somente no circo, ele não teria cenários tão legais e desafiantes. Uma dica para a quarta fase (diferente da quinta, que têm alguns bolsões de ar dentro da água para eles respirarem) é que o Mickey e a Minnie não conseguem ficar muito tempo mergulhados na água como o Mario, então você tem que ir pegando os itens e subindo rapidinho para não perder vidas. E aqui vai uma breve explicação das fases:

E aqui vai uma breve explicação das fases:

  1. The Haunted Circus (O circo mal-assombrado) – A fase mais colorida de todas. Balões (que podem ser estourados p/ ganhar pontos), toda aquela decoração colorida de circo, caixas, palhaços etc… E dentro deste cenário estão inimigos como um bicho redondo com chapeuzinho de palhaço, macaquinhos, peixes cuspidores, o Bafo de Onça e outros que irão dificultar o seu caminho e/ou tirar suas vidas se forem atingidos por eles.
  2. The Jungle (A floresta) – Muito mato, árvores e bichos nesta fase dominada por inimigos como “monstrinhos-planta”, novamente o Bafo de Onça e os peixinhos que cospem, cobras, caramujos, uma espécie de esquilos voadores… E a partir desta fase há portinhas que irão te levar a outras partes do cenário para serem exploradas (geralmente com algum item importante) ou mesmo para as lojinhas.
  3. The Haunted House (A Casa mal-assombrada) – Um cenário obviamente mais escuro com algumas partes destruídas (as madeiras pontudas tiram vidas se você pular nelas), espinhos, muitos fantasminhas, caveiras, Bafo de onça etc. Há também as velas que, se você apagar o fogo delas, poderá utilizar como auxílio para subir nelas e pegar itens.
  4. The Caves (Cavernas) – Essa caverna vai alagando e, conforme isso vai acontecendo, pegue rapidamente os itens e suba, pois os camundongos não aguentam ficar muito tempo debaixo da água. Pelo caminho há cristais pendurados que tremem e caem com o objetivo de atingir os personagens. Muitas estalactites e estalagmites! As estalactites que quebram e caem em cima do caminho cheio de estalagmites pontudas vão te ajudar a atravessar. Você irá encontrar também formigas verdes, caramujos que dão aquela agulhada, dentre outros.
  5. Frozen Plains (Planícies congeladas) – Tem esse nome, mas parece mais uma caverna congelada. Um lugar frio, muito frio, com muitos cristais de gelo pontudos por todos os lados, monstrinhos de cristal de gelo, monstrinhos de cristal rosa cheio de pontas e umas espécies de água- viva também.
  6. Baron Pete’s Castle (Castelo do Barão Pete) – Aqui temos um castelo meio sombrio, com obstáculos como fogo, bolas enormes cheias de pontas que ficam indo de um lado p/ o outro dificultando o avanço dos personagens. Surgem novamente as velas e os fantasminhas que apareceram na terceira fase e também um “fantasma do Bafo de Onça”. Há vários blocos com uma seta que, quando você subir nelas, irão se movimentar na direção da seta.

Uma característica que achei muito legal é que os personagens adquirem roupas especiais em determinadas fases, e que irão te ajudar muito no jogo, tanto para destruir os vários inimigos quanto para avançar pelo caminho e seus obstáculos (pular, escalar árvores etc.). E essas roupas você não precisa comprar, basta chegar a um determinado momento do jogo que irão surgir alguns personagens com os quais o Mickey e a Minnie irão conversar e ganhar as roupas que serão muito úteis em todas as fases. A primeira roupa possui um aspirador de pó que te ajuda a destruir os inimigos sugando-os, o que nos garante algumas moedas para comprar itens nas lojinhas. Com ele também é possível arrastar blocos para conseguir acesso a áreas secretas para ganhar itens. A segunda roupa tem o maior “estilo safári” e um gancho muito útil para escalar e ultrapassar obstáculos em determinadas fases. E a terceira e última roupa é a de Cowboy com um cavalo de pau. Com ela você tem uma arma que atira rolhas a longo alcance nos inimigos e também um pulo maior (quando carregado o botão A), que irá te ajudar a ultrapassar determinadas áreas maiores.

E quais são os outros personagens que aparecem no jogo? Quais são as suas funções? Aqui vão os principais:

Pateta: Ele aparece logo no início da primeira fase (The Haunted Circus), antes do início do jogo propriamente dito. Mickey e Minnie chegam ao circo e logo surge Pateta com uma cara desanimada, dizendo que está tudo bagunçado e o circo está perdido

Pato Donald: Aparece também na primeira fase do jogo mexendo em algumas caixas e é dentro de uma delas que está a primeira roupa, a roupa-aspirador.

Fantasmas: No início da segunda fase (The Jungle), dois fantasminhas simpáticos aparecem e dizem para Mickey e Minnie que estavam cuidando de Pluto, mas que ele sumiu assustado com algo que aconteceu no circo, e dão aos dois uma roupa safári para que os ajudem a procurá-lo. Na terceira fase (The Haunted House) eles aparecem novamente e lhes dão a roupa de cowboy, a mais legal em minha opinião.

É nesta terceira fase, aliás, que se descobre que o circo foi atacado por um tal de Baron Pete por alguma razão desconhecida que os personagens terão de descobrir.

No decorrer do jogo, você pode juntar dinheiro para comprar itens na lojinha, e o meio para ganhá-lo é destruir inimigos em certas fases (mas a maioria dão pontos somente) e pegar as moedas prateadas e douradas com o rosto do Mickey que caem deles. As prateadas valem uma moeda e as douradas cinco. Os blocos amarelos e vermelhos podem ser agarrados e jogados contra os inimigos ou simplesmente destruídos, e dentro de alguns deles você pode eventualmente encontrar moedas e também frutas para aumentar os pontos. O bloco-relógio, quando destruído, congela o tempo por alguns segundos, ou seja, você pode ir avançando enquanto todos os inimigos estão paralisados. Já as bolas amarelas servem como arma para agarrar e jogar nos inimigos. O jogo começa com três vidas para os personagens e você pode ir aumentando conforme for encontrando corações. Com o coração pequeno se adquire mais uma vida e o coração maior preenche toda a energia e garante mais um ponto de life; encontrando um objeto com o rosto de um personagem dentro de uma das caixas douradas grandes você ganha 1 UP. No modo cooperativo, mesmo se um de vocês morrer quando estiverem enfrentando o subchefe, por exemplo, logo depois que ele é derrotado o player falecido poderá entrar novamente no jogo, não é preciso esperar terminar a fase toda. Outros itens importantes são as baterias para recarregar o nível de energia da roupa-aspirador e uma arma para a energia da roupa de cowboy.

O jogo não tem diferentes níveis de dificuldade e, pelo que pude ver na internet, há a possibilidade de salvar o jogo com um “password back-up”, permitindo ao jogador continuar de onde parou. Mas como eu e o Ivo jogamos tudo de uma tacada só, não reparamos nesse detalhe na hora. Fomos jogando, jogando… e quando vimos já estávamos na última fase, u-hu! Os controles são fáceis e é um jogo relativamente curto se comparado com outros que joguei… Nós fomos até o fim bem rápido! Mas é claro que, como todo bom jogo que se preza, sempre surgem alguns desafios mais cabeludos em todas as fases, principalmente nas últimas…

De todos os jogos de aventura no modo cooperativo que joguei, The Great Circus Mistery é o que achei mais fácil, tanto no quesito obstáculos e inimigos que vão surgindo pelo caminho quanto pelos geralmente temidos ‘chefões’. É um jogo que mesmo alguém que não tenha muita experiência em avançar facilmente pelos cenários como eu nunca ficará perdido, sem saber para onde ir em determinados momentos do jogo como já aconteceu algumas vezes comigo, principalmente nos jogos atuais em terceira pessoa. Um dos momentos em que eu e o Ivo demoramos só um pouquinho para seguir foi na fase The Haunted House, na parte em que os personagens entram em um lugar escuro, como se fosse um labirinto móvel. Mas não vou dar a dica aqui de como sair senão não tem graça.

A trilha sonora também está muito bem relacionada a cada fase. Na fase do circo e da floresta, por exemplo, as músicas são mais agitadas e alegres, na fase da casa mal assombrada uma música mais tensa e dramática etc., o que ajuda a criar o clima perfeito.

The Great Circus Mistery é um jogo curto e simples em que o objetivo é passar de fase para descobrir o mistério e resolver o problema que ronda o circo, não é necessária muita exploração pelos cenários para poder seguir em frente. Mas você pode explorar bastante para procurar itens. O nível de dificuldade não é grande neste jogo de aventura, como acontece em muitos jogos deste tipo em fases mais avançadas, e o ponto-chave disso são as vidas extras que vai se ganhando e a inexistência de tempo limite para terminar cada fase. É um jogo que tem tudo para agradar a sua namorada (me agradou muito), pela temática Mickey e Minnie, pela história, pela jogabilidade, controles etc. e que recomendamos especialmente neste Dia dos Namorados para vocês se divertirem bastante!

Bom pessoal, vou terminando por aqui. Gostaria MUITO ⁀‿⁀ de agradecer a super-participação especial da Cris, em nome de todos aqui do Retroplayers. Obrigado pela participação e pela ajuda no texto, que foi fantástico por sinal. E desejar a todos os leitores um feliz dia dos namorados. E mulheres leitoras, não deixem de comentar sobre esse review e suas histórias, assim com os leitores masculinos também!

^_____~ . Grande Abraço. Ivo.

Fim


Sobre Ivo da Locadora

"Amante de Mario Kart, retrogamer assumido, contador de histórias gamers e sonha ter uma lojinha de Games e Retrogames."
Adicionar a favoritos link permanente.