RetroReview Especial: Chuva de Tiros no Mega Drive #6 – Arrow Flash

Joguei muito shmup de Mega Drive na minha adolescência. Grande parte da culpa disso foi da antiga game locadora aqui do bairro, que possuía um arsenal completo de games de navinha em suas prateleiras. E estes eram títulos que mais cedo ou mais tarde, acabavam encaixados no meu console, pois as opções iam aos poucos se esgotando e uma hora a gente acabava dando chance para aqueles games menos alugados! Dois deles, ainda nos primórdios do console negro da Sega no Brasil, me trazem lembranças marcantes de muitas horas em dias repetidos de jogatina, dois jogos que eu terminava vezes seguidas sem enjoar, e é sobre o primeiro destes que eu falarei agora.

Vocês já devem ter me visto dizer alguma vezes que a SEGA tem um cemitério de franquias no quintal de sua casa. Não é pra menos, durante a época dos 8 e 16 bits ela gerou e deixou morrer dezenas delas, algumas tão promissoras e cheias de possibilidades futuras quanto as outras muitas que a empresa elegeu como sendo suas favoritas. Alguém pensou em Shadow Dancer ou Kid Chamelleon? Pois é…

Mesmo tendo seus muitos méritos, Arrow Flash não era tãããão promissora quanto essas duas ai em cima não, mas figura na história como mais uma destas franquias zumbis da gigante nipônica, um shmup curto, bonito, de trilha sonora razoável, relativamente fácil, e divertido na medida certa, tão certa que fica difícil entender quais foram os motivos que levaram a empresa a se esquecer tão sumariamente deste joguete. Mas primeiro vamos lembrar do jogo, depois eu arrisco o milagre que é tentar entender a SEGA.

No jogo, pra variar, uma raça alienígena está destruindo o universo e a Terra está no meio do fogo cruzado. Zana Keene é a heroína terrestre, uma piloto super habilidosa que, no comando do protótipo pseudo-transformer Arrow Flash, tentará impedir o avanço das aberrações estelares. É bem verdade que a história do jogo não foge ao clichê “herói solitário da Terra contra a frota alienígena” de sempre, mas vale lembrar que este game é um dos primeiros shmups a pintar no console, em uma época em que os clichês ainda não possuíam a força medonha de hoje em dia. Tem até algumas cutcenes em animê aqui e acolá para mostrar as ações da heroína durante a aventura, coisa chique para meados de 1990.

O grande trunfo de Arrow Flash está em sua jogabilidade. Poucos games possuem opções de customização como este: é possível, além da básica (mas ausente em muito jogo) configuração de botões e de dificuldade, escolher se queremos jogar com o rapid fire ligado ou não, e definir se o comando Flash será realizado por carregamento ou por estoque de vezes (jajá eu explico isso). Primeiramente, caro amigo retroaventureiro, quantas vezes em sua longa carreira gamística, neste pequeno planeta azul perdido na imensidão do universo, você xingou, esperneou e esbravejou para os deuses (que não te ouviram pois estavam ocupados jogando baralho no outro lado do universo) tentando fazer com que eles percebessem a fúria que dilacerava suas entranhas por causa daquele maldito jogo de tiro que não tinha Rapid Fire? Muitas, não é mesmo? Naquele mundaréu de jogos de apertos rápidos e consecutivos onde o dedão desmorona antes de se chagar ao chefe da fase, o uso de um rapid fire seria uma dádiva, tanto por que na próxima etapa, o que desmoronaria seria o braço inteiro, pois o controlpad estaria desconfortavelmente posicionado em cima do joelho da pessoa para que com o dedo indicador, esta pudesse continuar apertando freneticamente os botões. A próxima etapa ocorreria no ortopedista.

Só pela presença do rapid fire já se percebe que a Sega possuía boas idéias em se tratando de shmups, e talvez isso tenha sido influência da convivência com o pessoal da Telenet/Wolftean e seus belos games do segmento, quem sabe? Verdade é que nosso mecha se movimenta suavemente pela tela a uma velocidade inicial muito satisfatória, possível ainda de ser controlada com a coleta de itens de speed up liberados por cápsulas que aparecem aos montes pelas fases. Estas mesmas cápsulas carregam os itens de Power Up que devemos recolher para aumentar o poder de fogo do nosso mecha.

Até o momento, nada fora do comum: aquela montoeira de naves inimigas entopem a tela para impedir o seu avanço como em qualquer outro game do segmento, e é aí que vem a diferença na jogabilidade de Arrow Flash: o comando FLASH. Um botão atira, o outro alterna o mecha de sua forma robô para nave onde a jogabilidade básica pouco varia (em suma, os drones recolhidos te “seguem” quando em forma de nave assim como acontece em Gradius e Salamander, e ficam fixos em cima e em baixo quando em forma mecha), e o terceiro botão inicia uma ação especial devastadora chamada Flash, onde em forma de nave, o mecha libera uma saraivada enorme de lasers que limpam a tela instantaneamente, e em forma robótica, cria uma barreira de energia que deixa nosso veículo indestrutível e mortal enquanto ela durar. Sabe o Goku quando usa o Kaioken? Pois é.

O comando Flash é a essência de Arrow Flash, e quando bem utilizado, deixa o jogo até fácil! Como eu já disse anteriormente, o menu de opções do game permite escolher se vamos jogar com o Flash em quantidades estocáveis (quantidade pré-estabelecida de vezes para se usar o comando que pode ser aumentada recolhendo-se itens), ou em charge (seguramos o botão até o golpe carregar e depois soltamos), e isso modifica inteiramente a estratégia a ser utilizada. Dosar o uso dessa habilidade e saber carregá-la no momento certo é essencial, e a Sega acertou em cheio quando criou esse sistema. Tudo estaria completo se existisse uma variedade maior de tiros e fases mais longas, pois graficamente e sonoricamente, o game até que não faz feio.

Logo de início já é possível perceber um monte de camadas diferentes de profundidade no cenário, efeito que se repete à exaustão no game inteiro e que o Mega Drive fazia com a mão nas costas e o pé amputado. Os cenários são bem variados e coloridos, um belo trabalho em se tratando de um game de 1990, e a trilha sonora estava longe de ser ruim… Um pouco estridente, mas nunca ruim! A reclamação maior fica por conta da dificuldade: as fases não são  lá muito desafiadoras e a quantidade de projéteis que vem na direção da sua nave é baixa, então em suma, use Flash em modo Mecha e destrua os chefes, pronto! Ainda é possível aumentar o total inicial de vidas para 7, um número bem generoso se formos levar em conta que os continues são infinitos, e a dificuldade vai por água a baixo.

E se tudo é bom, se tudo em Arrow Flash é no mínimo aceitável, então por que diabos a Sega não insistiu no gênero? Sabemos que Shmups horizontais nunca foram a casa da produtora (ela sempre investiu em Rail Shooters, gênero que explicaremos mais adiante no especial), mas a sua entrada no segmento com um game que se mostrava no mínimo cheio de boas idéias, era mais do que promissora. Na pior das hipóteses, seria o laboratório para a criação de outros games de qualidade muito superior, mas não foi o que aconteceu. Arrow Flash chegou à américa por intermédio da Renovation, e foi só, as aventuras estelares de Zana morreram por ai. A franquia se tornou mais uma no enorme cemitério de games da Sega, e lá jaz esquecida para todo o sempre. Eu particularmente não esqueço desse jogo… O que eu esqueci mesmo foi de onde veio aquele cartucho japoneis que eu tanto joguei… Caramba… De onde?? São Longuinho, São Longuinho…

Confira todas as partes deste especial:

#1 – Thunder Force II 

#2 – Gley Lancer

#3 – Musha

#4 – Elemental Master

#5 – Battle Mania

#6 – Arrow Flash (este review)

#7 – Battle Mania Daiginjou

#8 – Thunder Force III

#9 – Eliminate Down

#10 – Air Buster

#11 – Burning Force

#12 – The Steel Empire

#13 – Gaiares

#14 – Sol-Deace/Feace

#15 – Truxton

#16 – Hellfire

#17 – Gadget Twins

#18 – Gynoug

DDD.

Continua…

Sobre Sabat

Editor Chefe do RetroPlayers, Redator e Editor nos Livros e Revistas WarpZone, Podcaster e editor de áudio, Saudosista, e Analista de Informática porque algo tem que dar dinheiro né!
Adicionar a favoritos link permanente.
  • Tenho ele aqui no pc me esperando hehe.Talvez depois que eu finalizar Contra:Hard Corps eu tente finalizar =D

    • Nossa, terminar Contra Hard Corps é tarefa de ninja perto de terminar arrow flash kkk tente sim que vai ser fácil XD

  • Luiz Trindade

    DEMAIS! Adoro esse jogo. Foi o 1o jogo de nave q joguei no mega. Le,bro-me vividamente da abertura em “anime” do jogo. Parabéns por mais um excelentre trabalho.

    • Esse foi um dos primeiros de muita gente mesmo no Mega XD praticamente inaugurou a parada no console kk  O outro que eu falarei em breve não fica atrás viu ^^

  • Esse n conhecia mais é impresionante ver como a sega investia em alguns games e depois os abandonava uma pena poderia ter sido uma franquia de respeito fazer o q parabens pelo otimo review aguardando o proximo.

    • Pois é Ricardo, mais uma personagem com um futuro potencialmente promissor abandonada pela Sega… É algo inexplicável o descaso da Sega para com muitas de suas franquias!

  • De mais!!!
    Se na época pudéssemos optar pelo box do cartucho, eu ficaria na dúvida sobre qual das duas levar, pois ambas são lindas!!!
    Parabéns pelo review Boss!!!

    • É RAPAZ, as vezes os gringos acertavam a mão né XD essa capinha ocidental ficou bem bonita, mas ela é européia mano! A capinha americana tem cara daquelas capas de caderno universitário dos anos 90 sabe? kkk é bem legal tb mas nem tano quanto essas duas. Olha: http://www.sega-mag.com/jeux/cover/Megadrive/Arrow-Flash-Megadrive-EUR.jpg

      • kkkkkkkkkkkkk! Sua explicação da capinha americana foi Phoda!!! Caderno Universitário… Pior que é verdade!!!

      • Tiger Robocop

        Eu penso a mesmo coisa quando vejo as capas americanas. No Phantasy Star II parece até um poster de filme dos anos 70 de ficção científica.

  • luiz felipe mitterofhe

    Como eu sou fã e totalmente viciado nesse gênero (Shoot ‘em up). Junto com plataformas (Side Scrolling) e RPGs, claro. Bons tempos de flipreramas, os dedos até doíam, na hora q acabava as fichas rsrs.  Pena q hoje 99 % dos jogos são fps, na minha humilde opinião os shmups jamais deveriam ter saído de cena, ainda mais com a potência dos video games atuais, onde as limitações técnicas quase não existem mais. Esse Arrow Flash eu só joguei via emulador depois de muito tempo do fim das locadoras de games, e olha q sempre tive Mega Drive. O jogo é muito bom e viciante. Mas em se tratando de shmups, ainda prefiro Gradius e R-Type (para consoles, nada se compara aos dois rsrs). Mas os top msm são os de fliperama da metade da década de 90, esses são os melhores e me deixam fascinados até hoje. Viva o MAME !!!! Pois descobri muitos flipermas q nem sonhava q existia. Flw Sabat !!!

    • A tá, vc é viciado só em shmups e no resto, entendi kkk
      Gradius e RType  são dois tipod de shmups que não se fazem mais né, aquela coisa mais técnica e lenta do que o de costume… eu ADORO Gradius II cara, é o meu shmup de NES preferido, e estou para jogar a versão PC Engine ^^

      Arcade a gente aqui não se aprofundou ainda, mas quem sabe ^^ PC Engine é certeza, logo a gente começa XD

  • aki é rock

    ai sim viu mais um bom jogo de nave Sabat cada um melhor que o outro fica meio difícil saber qual começar a jogar hehehehe .

    • Pode começar por este que é facinho e rápidinho de se terminar mano ^^

  • Gillian

    Esse jogo é muito bom, mas no mega eu ainda acho Gaiares e Zero Wing os supremos.

    •  Gaiares eu acho difícil demais mano, Zero Wing eu não me recordo… vou pesquisar XD

  • Tiger Robocop

    Por mais fácil que que aparenta ser, se jogar sem o rapid fire pode ficar mais interessante (se não se importar em ter câimbra no polegar, é claro). Este é mais um dos jogos que me interessou por ter uma protagonista mulher com line art de anime, eu gostei das músicas, e aquela cut scene da primeira fase com a estação espacial caindo no mar me impressionou na primeira vez que joguei. Enfim, sei que usou seus critérios de avaliação, mas em minha opinião fica com pelo menos 85%.

    •  Gostou mesmo do jogo né mano ^^ 85% pra mim é muito XD
      Olha mano, até agora eu falei de 2 jogos neste especial, e os 2 eram protagonizados por mulheres heim… o próxio também será, e o próximo TAMBÉM, É MOLE? AHUhauHAHua

  • já o terminei. é bem divertido e merecia uma continuação

    •  Merecia sim mano, sem dúvida. Mas a SEGA é a sega né… já conhecemos.

  • Kaco

    Ae sabat , não sei se vc lembra, mas  o apresentador GuGu  do Sbt hoje fez um progama em parceria com a TecToy , eu lembro que era  sempre exibido ,Domingo de meio dia, no ano de 1993,  um dos jogos que ele coloca os pirralhos Jogar era esse  Arrow Flash, cara eu ficava louco ,depois que ganhei o Mega passei anos procurando esse jogo , mas so tive acesso no emulador, a verdade que  o emulador trouxe varias perolas que eu nunca tinha visto.
    Mas esse jogo e muito bom, ainda não tive tempo para explorar ele mas com certeza ainda o farei !Falo Sabat !XD

    •  Eu lembro do programa, mas não lembro de Arrow Flash nele não XD caramba que legal cara kkkk será que é possível achar vídeos no youtube???

  • “quantas vezes em sua longa carreira gamística, neste pequeno planeta azul perdido na imensidão do universo, você xingou, esperneou e esbravejou para os deuses (que não te ouviram pois estavam ocupados jogando baralho no outro lado do universo) tentando fazer com que eles percebessem a fúria que dilacerava suas entranhas por causa daquele maldito jogo de tiro que não tinha Rapid Fire?”
    A resposta envolve palavreado sujo, melhor eu ficar quieto! huahuahuahuahuahuahua
    Pô, esse jogo parece muito bom, mais um que eu nunca joguei. Bom, “Jogos de Navinha” nunca foram meu forte, eu sempre perdi a paciência muito rapidamente neles. Esse lance do FLASH parece muito legal! O jogo não ser tão difícil também me anima a conhecer, já que eu poderia usar ele de treino para outros jogos do gênero e ver se consigo ficar um pouco mais paciente com eles. Muito embora seja difícil em tempos atuais, velho e caduco do jeito que estou, sem a habilidade de garoto (que já era bem meia boca! hahaha).
    E a SEGA, viu… tanta franquia foda que poderia retornar. Só se eles estiverem guardando pro Dreamcast 2… ok, ok, piada de mal gosto não, né? ahuhuahauhuauha
    Abs
     

    • Tenta sim mano, com pouco treino já da pra terminar, é só usar bem o Flash!
      E Dreamcast 2… é ruim viu kkkkkk

  • Elcioch

    caramba é verdade! deixou morrer varios games fodas! mesmo perdendo para nintendo com titulos inspirados em filmes e desenhos animados que foi boom! esta acho que foi a unica kakada da sega em não ter ja agora TMNT, simpsons  etc!
    quem ai ja jogou chakan, dahna, devil hunter hyoko e uma porrada de games super bons! viva os emuladores e a internet

    •  A Sega no MEGA tinha TMNT, Simpsons, etc, só no Master que não ^^ mas se ela tivesse dado melhor atenção para suas próprias franquias, ela nem precisaria dessas de outras fabricantes ^^

      • Elcioch

        é verdade! veio a surgir o games baseados em series e filmes, mas com um grande atraso!

  • Belo texto, só pra variar. O jogo parece muito legal.
    Sabendo que há emuladores de Mega Drive para PS2, acho que vocês deveriam fazer 1 coleção com os melhores para o pessoal baixar. Hehe, talvez não seja o melhor para os mais saudosistas, mas depois de jogar um bocado de MD e SNES no jovem adulto console da Sony, posso dizer que dá sim pra se divertir com os clássicos.

    • Opa Daniel, sempre dá pra se divertir com os clássicos! Na verdade, isso pode acontecer a qualquer momento, em qualquer emulador para qualquer plataforma XD

      Rapaz, é dificil listar os melhores viu, mas aos poucos vamos encher essa parada aqui de shmups ^^

  • Johnny

    Quem quiser adquirir o cartucho original desse jogo, ele está a venda no site da Retro Games BR em estado impecável e a um preço módico no link abaixo:

    http://www.retrogamesbr.com/index.php/mega-drive-genesis/games/arrow-flash-tec-toy-3-detail

    Ps. No site tem tanto a versão nacional como a americana.

  • William Mendes

    Gosto muito do estilo shmup, este jogo é muito legal. tenho esse cartucho na minha humilde coleção do Mega e realmente tem muita qualidade. Ainda não sei bem porque, mas os meus preferidos são os shmups verticais.

    • normal cara ^^ conheço muita gente que prefere os verticais, já eu te digo uma coisa: se é bom, tanto faz pra mim se é de lado ou pra cima, eu jogo XD