RetroReview: Sonic the Hedgehog – Master System e Game Gear


Eu ainda tinha um Master System quando o famoso Sonic the Hedgehog foi lançado para seu sucessor, o Mega Drive, e por mais que eu quisesse de qualquer jeito um console de 16 bits da SEGA, ainda ficaria mais algum tempo com o Master. E não demorou muito para eu saber da existência da versão de 8 bits do jogo do ouriço, vendo as revistas na época. Fiquei ouriçado Enlouqueci, queria o jogo de qualquer maneira!

Lembro que quase um ano após seu lançamento acabei ganhando de presente dos meus pais. Muita alegria na certa, eu finalmente poderia jogar Sonic em casa, sem ter que ficar visitando os amigos que tinham Mega Drive. Afinal de contas, na casa deles não dava pra terminar o jogo em paz.

Pois é, além de lançar para o seu principal console da época, o Mega Drive, a SEGA resolveu lançar também para seus aparelhos de 8 bits (Master e Game Gear) o primeiro jogo daquele que viria a se tornar seu principal mascote.

O videogame ainda fazia sucesso na Europa e em alguns outros países como, é claro, o Brasil. Para o desenvolvimento do jogo eles contrataram o serviço de uma empresa chamada Ancient, controlada pela família Koshiro. O nome soa familiar? Sim, a empresa era controlada pela família de Yuzo Koshiro, compositor de trilhas sonoras de muito sucesso no mundo dos games, como as da série Streets of Rage. Dispensa mais apresentações, não? Então vamos em frente. O game foi lançado no final de 1991, com dois meses de diferença entre a versão do console de mesa e a do portátil.

O desenvolvimento foi feito em paralelo com a versão do Mega Drive e acredito que isso deve ter feito com que a empresa tomasse a decisão de criar um jogo original, ao invés de um demake da versão de 16 bits. Por conta disso, temos um jogo quase completamente diferente, e eu digo quase porque temos três fases que possuem os mesmos nomes em ambas versões: Green Hill Zone, Labyrinth Zone e Scrap Brain Zone. Porém, o level design destas fases é totalmente diferente do que vemos no Mega. Além destas fases, três novas surgiram: Bridge Zone, Jungle Zone e Sky Base Zone.

02-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-TITLE-SCREEN 03-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-MAP

04-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-GREEN-HILL-ZONE 05-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-GREEN-HILL-ZONE

As diferenças não param por aí: na versão de 8 bits, as Chaos Emeralds não são obtidas através de Special Stages, mas sim devem ser localizadas ao longo das fases. Uma Esmeralda pra cada uma delas, escondida em um dos Acts. As fases bônus possuem outra finalidade, mas já falo sobre isso. Um ponto importante é que obter todas as Esmeraldas do Caos muda o final do jogo, como também acontece no Mega Drive.

14-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-GOOD-ENDING

Mais diferenças estão no gameplay. Este é o único jogo da franquia que possui uma fase em que a tela se movimenta sozinha, no caso o Act 2 da Bridge Zone. Além disso, há uma fase com progressão vertical ao invés de horizontal, que é a Jungle Zone Act 2. Lembro de ter visto uma desse jeito somente no ótimo Sonic & Knuckles, a Sky Sanctuary Zone, mas na Jungle Zone, meus caros, precisamos tomar um baita de um cuidado, porque encostou na parte de baixo da tela, mórreu perdeu uma vida. Fora isso tudo, os terceiros Acts das fases quase sempre são sem Rings (exceto a Scrap Brain Zone) e basicamente são compostas por um caminho que leva até a batalha contra o algoz do ouriço, Dr. Robotnik.

Outra diferença que pode ser notada desde o começo do jogo é que, ao ser atingido, Sonic não pode recuperar as argolas que perdeu. Quando isto acontece, apenas uma argola aparece caindo e ela não pode ser recuperada. Isso adiciona um pouco mais de dificuldade em relação à versão de 16 bits por razões óbvias. E por falar nas argolas, quando o jogador consegue 100 delas durante a fase, o contador é zerado e o jogador ganha uma vida, diferentemente do que vemos no Mega Drive (o contador continua somando Rings até 999). Acaba dando chance do jogador conseguir uma vida extra e perdê-la no segundo seguinte, o que quase sempre é engraçado (apesar de frustrante).

Os Special Stages, como já adiantei, são diferentes também. Eles são todos compostos apenas por molas e rebatedores. Além disso, são fases cheias de Rings. Servem mais para o jogador acumular vidas e encontrar o monitor que possui a palavra CONT, que dá um Continue ao jogador caso ele perca todas as vidas. É quase um Sonic Spinball, só que com boa física e divertido. Para acessar os estágios especiais, basta terminar as fases com o número de Rings entre 50 e 99. Um ponto de exclamação aparecerá na placa do final da fase após Sonic passar por ela.

12-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-BONUS-STAGE 13-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-BONUS-STAGE

Estes detalhes não tornam o jogo pior ou melhor que o lançado para o Mega Drive, apenas diferente. Cada versão tem seus prós e contras quando comparadas. Eu diria até que é uma sacanagem fazer este tipo de comparação. Gostar mais de uma ou de outra é algo que envolve muito do gosto pessoal de cada jogador.

Quanto às diferenças entre a versão para o Master System e o Game Gear, pude perceber algumas: o personagem parece pouca coisa mais rápido e os sprites utilizados tanto dele quanto do Dr. Robotnik (e alguns Badnicks) estão maiores na tela do que na versão do console de mesa, creio eu que tudo isso pelo fato da resolução do portátil ser menor. Isso acaba trazendo algumas diferenças na jogabilidade também, como por exemplo o primeiro chefe que pode ser atingido quando ainda está no alto, diferente da versão do Master. Ou algumas lanças da Labyrinth Zone que vc precisa esperar baixar completamente pra passar no Game Gear. No Master ela pode ser pulada até mesmo quando está pra cima, há espaço para isso.

Outro detalhe é que o jogo no Game Gear tem muitos slowdowns e isso atrapalha um bocado em alguns momentos. No Master também acontecem alguns, mas são poucos. Não interfere tanto na jogatina.

As duas versões de 8 bits possuem alguns problemas com a questão da velocidade, dependendo da fase. É possível sair da tela e aparecer em um lugar bem mais avançado do estágio, enquanto a câmera tenta localizar o Sonic. Mesmo assim, são pontos específicos (eu me lembro mais no primeiro Act da Green Hill Zone). No geral a física do jogo é muito boa e torna o gameplay bem agradável.

06-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-BRIDGE-ZONE 08-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-JUNGLE-ZONE

O level design das fases é muito bem feito. Localizar as Esmeraldas do Caos é algo bem divertido tanto para quem tá jogando o jogo pela primeira vez quanto para quem está tentando relembrar onde elas ficam escondidas. E algumas ficam em lugares não tão na cara assim, é preciso dar uma leve explorada.

A trilha sonora é sensacional! Como mencionei anteriormente, ela foi construída por ninguém menos que Yuzo Koshiro. Isso já basta para convencê-los de que as músicas são no mínimo excelentes, não é mesmo? Salvo as músicas da Green Hill Zone, da tela inicial e de invencibilidade, que possuem as mesmas melodias das lançadas para Mega Drive, todas as outras são completamente originais. A da Bridge Zone eu estufo o peito pra dizer que é uma das melhores músicas de toda franquia, considerando até Spin Offs! E olha que eu considero as trilhas sonoras de quase todos os jogos do Sonic espetaculares.

E graficamente não temos o que reclamar do game, ele usa muito bem o hardware dos consoles de 8 bits, tem um ótimo equilíbrio de cores e faz com que este seja um dos jogos mais bonitos tanto do Master quanto do Game Gear.

17-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-CHECKPOINT 10-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-DR-ROBOTNIK

Vou confessar algo para vocês: minha impressão inicial do jogo na época foi ruim. Não era pra menos, eu queria curtir aquela explosão de cores, aquela velocidade alucinante, argolas voando pra todo lado quando o “porco-espinho” era atingido, pular na argola gigante no final da fase pra conseguir esmeraldas, entre outras coisas. E cadê tudo isso? Cadê a velocidade do jogo? Foi uma grande decepção pra mim.

Felizmente eu não deixei que isso me afastasse do título e joguei mais vezes. É claro, é o que eu tinha para jogar naquela hora, não adiantava resmungar. E digo a vocês, meus caros amigos retroaventureiros, que foi paixão à segunda vista! Depois de começar a curtir o jogo, passei a terminá-lo incansavelmente, até trocar o console por um Mega Drive, mas essa é outra história. Mas saibam vocês que este foi o último jogo que eu tive pro velho e querido Master.

Depois de muitos anos fui perceber que gosto muito mais deste jogo do que do primeiro Sonic do Mega. Podem me chamar de maluco se quiserem, mas é a verdade. Se tem a ver com nostalgia? Com certeza tem, mas não podemos descartar a qualidade do jogo. Digo com toda certeza do mundo que este é o segundo melhor jogo lançado para Master System, perdendo apenas para Phantasy Star, que é um jogo fantástico!

retroscore-master-system-sonic

Sonic the Hedgehog em 8 bits é um jogaço, imperdível. Não a toa foi escolhido um dos melhores jogos da franquia aqui pela equipe do Retroplayers, todos que a jogaram relembraram ela com muito carinho quando foi mencionada. Não é pra menos, o jogo foi muito bem desenvolvido e proporciona uma baita experiência divertida e de certa forma desafiadora. Se é esse tipo de coisa que você busca em um jogo, já deve tê-lo jogado. Não? Tá esperando o que então? Vai lá estragar mais uma vez os planos do Dr. Robotnik, certamente será uma aventura muito bacana. Vocês não vão se arrepender.

Grande abraço a todos vocês e até o próximo post!

15-Sonic-the-Hegehog-Master-System-Game-Gear-Review-ENDING


Sobre Cadu

Velho caduco, fã de Sonic e seus jogos (menos o Boom, credo), viúvo da SEGA assumido e mestre absoluto das piadas ruins. Tem esperança de que algum dia surgirá um Final Fantasy Tactics novo tão bom quanto o primeiro.

Adicionar a favoritos link permanente.
  • Elielson Nascimento

    Não sei se é pela nostalgia, mas eu prefiro a versão do Master system do que a versão do Mega Drive. Realmente a perda de todas as argolas deixa o jogo mais difícil, e buscar as esmeraldas nos cenários dá um clima de exploração que não tem tanto na versão 16 bits. E as músicas parecem ser mais inspiradas, na minha opinião.

    Ótimo review, Cadu!

    • Ivo

      Comentando aqui tb! Eu sou da mesma opinião do Elielson, prefiro a versão de Master System que de Mega. Não conto Sonic 2 pq ele é fora de qualquer comparação (tenho que admitir).

      Mas esse negócio de exploração é algo muito legal mesmo!
      E isso não tinha no Sonic de Mega. Fiquei meio decepcionado quando via que não tinha isso.

      CADU! Ainda estou preparando meu comentário! Saí hoje de noite!

      • Se vc me ver jogando então, vc vai mudar de opinião! kkkkkkk Sabat’s Explorator Mode, o Senpai conhece XD

        Cara, eu conheço cada cantinho de Sonic 1, cada passagem secreta, cada parede falsa…. vishhhhh XD

        • Cadu

          Vou responder pro @disqus_7T1wxzwnA7:disqus e pro @sabat:disqus na mesma aqui.
          Entendi o ponto de vista do Ivo, até falei pro Elielson, as vezes o jogador quer um “motivo extra” pra explorar as fases, alguma recompensa qualquer que não seja mais vidas ou argolas que vc consegue aos montes no Sonic. Vc ter em mente que quer encontrar as Esmeraldas do Caos deixa algumas pessoas mais empolgadas a sair vasculhando ao invés de terminar a fase correndo que nem louco, eu no Sonic de Mega jogo assim, correndo e tentando bater meu próprio record de tempo. Agora no de Master eu vou totalmente cauteloso procurando coisas escondidas, a recompensa é um final diferente no fim do jogo.
          Agora jogadores que gostam de explorar naturalmente não precisam desse “fator motivacional”, né? Eles exploram pq acham legal. Seu caso, Sabat, a gente já sabe como é desde que o Retroplayers existe! hehehehe
          Valeu senhores!

          • ahuahuhuauuhau Sim pô, eu entendo essa parte XD Mas olha, no Sonic, você precisa terminar a etapa com um número mínimo de argolas para aparecer o argolão que te leva ao estagio bônus da esmeralda. E se você juntar todas as esmeraldas o final tb é diferente… bem, muda uns 4 segundos mas é diferente kkkkkk
            Isso não chega a ser um incentivo para que o jogador saia vasculhando o cenário, mas muitas vezes, quando vc toma aquela porrada surpresa perto do fim da fase, o cara se sente na obrigação de voltar e gastar seus 6 ou 7 minutos restantes para procurar mais argolas, e é nessa que ele acaba achando um monte de locais secretos que sem exploração, ele nunca acharia. mas é verdade que eu preciso jogar o de Master né XD

          • Cadu

            O do Master muda uns segundos a mais… kkkkkkk
            E essa de sair vasculhando atrás de argolas eu sempre fiz muito no Sonic 2, mas não no 1… eu preferia tomar cuidado pra não levar a porrada surpresa ou mesmo desperdiçar uma vida e chegar lá de novo cheio de argolas… uahhuahuahua
            Pelo menos pra mim no 2 fazia mais sentido pq vc pegava 50 e ficava lá procurando postes de luz pra tentar o Special Stage. Lembro que cheguei ao ponto de chegar na Chemical Plant Zone já com Super Sonic (ou consegui a última esmeralda nela, não me lembro tão bem assim), de tão viciado que estava… huauhahuahua
            E… peraí… como assim “preciso jogar o de Master”? Vc ainda não jogou? Caracoles, Sabat, vai lá recuperar o tempo perdido que esse vai te divertir, certeza. A hora que vc encontrar algumas das esmeraldas que estão melhor escondidas, vc vai ter aquela sensação gratificante de missão cumprida. Não vai esperando nada no nível de Metroid, hein? kkkkkkkk
            Valeu!

    • Cadu

      Elielson, entre os primeiros Sonics, como falei no post, sou muito mais o de Master. Difícil explicar o porque, de fato. Nostalgia explica sim, mas acho que tem mais.
      Buscar as Esmeraldas do Caos nas fases é muito mais interessante que em Special Stages, na minha humilde opinião. Muita gente prefere explorar fases quando tem algo que recompense isso, muito além de vidas ou anéis/argolas extras. Pelo menos eu funciono assim, tem quem goste de explorar de qualquer maneira (só olhar a resposta do Sabat já explica isso… hehe).
      Sobre as músicas, acho que aí deve entrar mais a questão de gosto: tanto as composições do Masato Nakamura (Mega) quanto do Yuzo Koshiro (Master) são geniais, os dois foram muito competentes. Impossível falar de Sonic e não lembrar da música da Green Hill Zone. Ao mesmo tempo, a música da Bridge Zone é incrível. Cara, que difícil escolher uma das trilhas como favorita… hehehe.
      Valeu Elielson!

  • Visionnaire

    Ótimo Cadu! Muito bom! Cara, que nostalgia ler esse artigo!
    A primeira vez que vi o Sonic foi na casa de um amigo meu, quando éramos crianças, com ele não conseguindo derrotar o ultimo chefe na fase final.
    Lembro de como eu achava esse jogo difícil na época e ainda cometi o pecado de só terminar (Zerar) o jogo depois de adulto, há poucos anos atras.
    Esse jogo também me traz um sentimento especial por ser o jogo preferido da minha esposa e, é claro, me apaixonei pela trilha sonora dele depois de ouvir tantas vezes.
    Eu não sabia que ele estava sendo desenvolvido juntamente com a versão 16bits, até pensava que era jogo de lançamento do console. Vivendo, lendo e aprendendo.
    Parabéns Cadu, até as piadas foram boas hahahaha

    • Cadu

      Fala Visio!
      O último chefe do jogo de Master é mais desafiador que o de Mega, bem lembrado. Esse na nossa infância deu um trabalhinho.
      Terminar depois de adulto não é um pecado, pecado é não terminar. Antes tarde do que nunca. Fez isso com todas esmeraldas pra ver o final bom?
      Caramba, que bacana que este é o jogo favorito da sua esposa! Entre tantos ótimos jogos em tantas plataformas, até mesmo da franquia Sonic, ela escolheu justo este. Mais um ponto a favor do jogo, não sei o quão ligada a games ela é, mas definitivamente este é um jogo para todos os tipos de jogadores. Vc devia seguir o exemplo dela e terminar o jogo anualmente, faz bem pra saúde… huauhahu
      E não, Sonic não foi jogo de lançamento… rs. Antes dele, lembre-se que o Opa-Opa e o Alex Kidd “reinavam” como mascotes da SEGA. Apesar de também serem carismáticos e terem jogos memoráveis, fica difícil competir com o ouriço depois deste jogo, não?
      Finalmente acertei nas piadas? UHU! o/ kkkkkk
      Valeu Visio!

  • ElfoGamer

    Ótimo review.
    Gosto muito desse jogo, é um dos meus preferidos do Sonic. Quando conheci esse jogo não tinha visto nada de Mega Drive ainda, pois todos no meu prédio estavam com Master System ainda e, por um bom tempo, esse foi o game mais jogado e comentado no prédio. Cheguei a ver imagens da versão do Mega em revistas, mas só fui jogar alguns anos depois.
    Terminei na época e jogo até hoje. Lembro que na época todos do prédio tinham muita raiva da cachoeira da Jungle Zone, tanto que chamávamos as plataformas de sabonete, porque muitas vidas eram perdidas por “escorregar” delas.
    Ainda lembro da localização de todas as vidas, mas as esmeraldas, hoje em dia, só lembro até a Labyrinth Zone…

    • Cadu

      Como era difícil encontrar alguém com Mega quando Sonic foi lançado, né? Como falei no texto, eu também não tinha. Por sorte um amigo meu tinha. Mas a maioria da molecada tinha o Master mesmo. Sorte a nossa, já pensou se o Sonic de 8 bits tivesse passado batido por nós?
      Muito bom o nome “plataformas de sabonete”, eu sempre acho um barato esses nomes que a gente sempre dava pras coisas na era de ouro dos games. Tudo é sempre memorável demais. Dá uma nostalgia tremenda lembrar dessas coisas. E essas plataformas eram chatinhas mesmo… hehehe.
      Sabe que recentemente eu fui jogar eu tive esse problema também? Lembrava das esmeraldas até a Labyrinth, sofri pra relembrar as outras duas. Foi bem divertido! hahaha
      Valeu ElfoGamer!

  • William Mendes

    O Master é meu console de infância, ainda tenho hoje o Master System e o Mega Drive. Era incrível a superioridade gráfica e sonora do Master em relação ao seu concorrente no Brasil, o Nes. Muuuito superior (lá vem as pedras). E Phantasy Star do Master é fantástico mesmo, terminei em uma semana, quase nem dormia. Abraço a todos do site!

    • Cadu

      William, cuidado que o pessoal fã de NES vai chegar atirando cascos de tartaruga em vc… kkkkk
      Brincadeiras a parte, em hardware do Master era mais poderoso que o do NES, mas em relação a jogos a briga é muito boa, não em quantidade, mas em qualidade dos melhores jogos. E independentemente de quem ganha a disputa, quem acabou se dando bem com isso fomos nós jogadores, com tanta coisa boa que tivemos e ainda temos pra jogar. Bons tempos que se criava mais e copiava menos, embora também acontecesse. Sei que o Master é o meu xodó, se não fosse por ele, hj eu não estaria aqui no blog discutindo jogos, não tenho dúvidas.
      Legal que vc ainda tem seus consoles até hj, meu Master acabou sendo trocado pelo Mega quando ainda era criança/adolescente. Pelo menos este eu mantive até os dias atuais com caixa e tudo.
      Phantasy Star em uma semana? De primeira? Caramba, vc virou noites, não? Sem sombra de dúvidas pra mim é o melhor jogo do Master, mas há quem discorde, coisas de gosto…
      Valeu William!
      Abraço

  • Ivo

    Cheguei Cadu! Excelente Review Cadu, esse jogo faz parte da minha vida! Eu fechei ele umas 400 vezes, Me lembro que todo dia quando voltava do colégio eu sentava e fechava ele, conhecia todos os lugares possíveis para achar vida.

    Eu não consigo me lembrar quando ganhei ele, me lembro só do 2 que vi em um folheto da Americanas e fui comprar!

    Esse jogo é fantástico, sem dúvida um dos melhores de Master e ainda digo mais… é melhor que Sonic 1 de Mega.

    Eu comprei Sonic 1 e Sonic 2 de Master System novinhas uns meses atrás, acho que te mostrei a foto. Ainda não joguei, nem sei porque estou esperando hahahaha!

    Agora esse bug que você falou de aparecer mais a frente eu nunca fiz! Hahahaha! Vou procurar depois fazer!

    Eu só sinto falta de 1 coisa nesse jogo. O Sonic dourado >..< Era Dr. IVO Robotnik! Hahahahhahahaa! Grande Abraço Cadu! Parabéns pelo Review.

    • Cadu

      Acho que encontrei alguém que jogou mais este jogo que eu! huauhahua! Todo santo dia voltar do colégio e jogar é bastante coisa, hein? Vc lembra da localização de todas as esmeraldas até hj, né?
      Sim, também acho ele melhor que o do Mega, tem uma “pegada” totalmente diferente da versão de 16 bits. É difícil explicar o que cativa tanto nele pra chegar a esse ponto.
      Respondendo o outro comentário, o Sonic 2 de Mega é incomparável. Muita gente gosta mais do Sonic 3 & Knuckles e eu entendo e respeito a opinião, mas tem uns pontos que me incomodam um pouco nele que me fazem pensar que ele não é tão marcante quanto o 2, mesmo sendo a fusão de dois cartuchos. Pensando em Dragon Ball Z, nem a fusão deu poder de luta suficiente pra eles superarem o 2…. huauhahua. Mas, aí entra também a questão do gosto pessoal.
      Por falar em DBZ, o Super “Saiya-jin” Sonic faz falta no Master mesmo. Mas fico pensando no que aconteceria se ele fosse colocado. O jogo já é mais lento, por natureza, tem o lance de ser mais explorativo do que velocidade, talvez a transformação pudesse “estragar” um pouco o jogo (entre aspas pq não deixaria o jogo ruim).
      Vc mostrou sim a foto dos jogos, eu fiquei com uma inveja braba pq nunca tive o 2 de Master (e continuo sem ter, tá fazendo uma falta lascada na minha coleção de Sonic… ahuhuahua). Inclusive ele joguei no Game Gear e tenho até hj, relaxa que eu ainda vou escrever sobre isso aqui.
      Tenta fazer o lance do bug, só rolar naquelas rampas que tem a curvinha no fim pra subir e segurar pra frente, ainda mais depois de estourar um monitor com o sapato do Sonic lá pra aumentar a velocidade. Chega a ser engraçado!
      E eu nunca esqueço o nome do vilão do jogo… se juntar seu nome com meu sobrenome chega perto de virar um cientista do mal… kkkkkkkkkkkkkk
      Valeu Ivo Robotnik!
      Abraço

      • Ivo

        Então, depois que postei eu fui jogar esse game! Cara, eu não passei da fase da cachoeira >..< eu tenho quase certeza que fica do lado esquerdo desta fase! Não quero olhar na NET onde ficam elas.
        Engraçado que enquanto estava jogando, minha mãe (que não entende nada de videogame) falou: – Nossa IVO, esse jogo é antigão! Eu lembro de você jogando ele! Ainda gosta? Hahahahahaha XD

        Foi engraçado ouvir isso dela! Ainda mais porque lembra a época do meu pai (ele é falecido e foi ele que comprou para mim).

        Mas vou jogar mais ele! Quero fechar novamente e ir para o 2.
        O 1 é inesquecível, mas o 2 em termos técnico é espetacular.

        E essa foi a revista que comprei na época e lia 200 vezes jogando o game. Você teve?

        http://files.datassette.org/revistas/img/acao_games_25_capa.jpeg

        • Cadu

          Caramba, morreu na fase da cachoeira? Esse jogo é menos fácil do que parece.

          Não vou falar onde fica a esmeralda da Jungle Zone, vou deixar vc se virar… kkkkkkk

          Agora olha que legal isso, o jogo realmente foi tão jogado por vc que deu efeito nostálgico até na sua mãe quando ela te viu jogando agora depois de velho… caramba, muito bacana isso! Toda vez que meus pais citam alguma coisa dessa época eu acho o máximo também, mas muito bom ver que ela soube reconhecer. Aposto que se vc jogar o do Mega ela vai saber que é diferente, não vai?

          Eu preciso encarar o 2 também, não lembro de muita coisa dele… quero jogar a versão de Master, sei que ela tem umas pequenas diferenças com a versão do Game Gear, acho que vai ser bacana sentir isso na prática. Com certeza em questões técnicas ele é mais evoluído e ele tem uns detalhes que outros jogos do ouriço não tem. Ainda vou escrever sobre o jogo, vc verá!

          Não tive a revista, eu era mais fã da Videogame e da Supergame quando era mais novo… e, vc sabe, não dava pra ter todas! hehehe

          Nem sabia que tinham feito um detonado de Sonic 2 de Master na Ação Games… vivendo e aprendendo!

          Valeu Ivo!

          • Ivo

            Pode deixar! Eu curto procurar hahahaha XD Mas tenho certeza que fica em algum ponto do lado esquerdo da cachoeira! Quando descobrir vou te contar!
            Eu joguei muito esse games mesmo, fique feliz em minha mãe lembrar dele! Foi uma fase muito feliz da minha vida =)

            Mas dúvido que ela lembre do jogo de Mega! Minha mãe é a pessoa mais longe de games de todo o planeta! Mas ela lembrar do Sonic fez eu me surpreender!

            Eu curtiu a Videogame também! Era uma BAITA revista! SuperGame eu já não curtiu, pulei ela para a Supergamepower!
            E era verdade, não dava mesmo! Eu que diga >.<

            Uma dia podemos fazer uma maratona SONIC de master! Que acha hein? Grande Abraço!

          • Cadu

            Mas a Game Power vc lia? Pq era bem dividido o público SEGA e Nintendo na época, tanto que quando rolou a fusão e virou Super Game Power eu meio que parei de ler com tanta frequência… eu era um pouco ista mesmo! O engraçado é que a Videogame falava de tudo! huahuahuahua
            Eu até topo a maratona de Sonic de Master, mas tem alguns jogos que precisa ter uma coragem enorme pra encarar viu… cada “pérola” que vou te falar… kkkkkkkkkkkkkkkk
            Valeu!

  • Diogo Farias

    Droga! Depois de ler essa análise vou ter que tirar meu Master System do armário!! Que aliás é o Master System 3 que já vinha com esse jogo na memória, igual o que tinha quando era pequeno xD (Infelizmente não é o mesmo de quando eu era pequeno pois aquele minha mãe vendeu ou doou) 🙁
    É o meu jogo favorito do Sonic! Claro, pela gigantesca sensação de nostaugia que ele me traz… É meu primeiro jogo (na verdade o único) do primeiro vídeo game que ganhei! Não é o primeiro vídeo game que joguei, até meus cinco anos jogava no Dynavision (Clone do Atari 2600) dos meus pais (Sim, meus pais jogavam vídeo game antes de mim ou do meu irmão nascer), então na minha cabeça ainda não existia tecnologia pra criar um jogo melhor que Pitfall. Quando ganhei o Master System passava a madrugada jogando! Aliás, o Sonic foi o único jogo que “tive” (“tive” entre aspas porque já vinha na memória do console xD) pro Master System, nunca tinha jogado nenhum outro jogo do console até pouco tempo atrás, por isso da pra ter ideia da sensação de nostalgia que o jogo me traz! xD
    Aliás, acho a música da Jungle Zone a melhor de todas as músicas! xD Como amo esse jogo!

    Pena que é muito fácil, a não ser que você queira coletar as esmeraldas do caos, aí é tarefa pra profissional xD

    • Cadu

      Se o review chegou ao ponto de te fazer ter vontade de tirar o Master do armário pra jogar, eu fico totalmente honrado! Sempre bom ver que o texto atingiu de maneira positiva as pessoas.
      Bacana sua história com o console e o jogo. Considerando que este é com certeza um dos melhores jogos do Master, acho que posso afirmar que é uma baita sorte ter sido este o único jogo que vc teve. Imagina se o único jogo fosse um dos piores jogos do console? Hj vc odiaria o Master. Ainda bem que acertaram em cheio em colocar o Sonic na memória do Master System 3.
      A música da Jungle Zone é uma das melhores sem sombra de dúvidas, eu que tenho mania de ficar escutando músicas de jogos enquanto trabalho fico sempre empolgado quando ela toca. Mas ainda tenho a da Bridge como minha favorita. A trilha toda desse jogo é espetacular. Aliás, o jogo todo. Caraca, também amo e muito o jogo!
      E vou te dizer que ele é muito fácil pra gente que debulhou o jogo inteiro, pra quem tá dando os primeiros passos jogando, da um pouquinho de trabalho. Nada muito relevante. Mas procurar as esmeraldas realmente torna as coisas mais interessantes. Mesmo assim, é um jogo bem gostoso de jogar, a gente até esquece que o desafio não é tão alto.
      Valeu Diogo!

      • Diogo Farias

        Com certeza! xD
        Hoje sou fã do console! E claro, tive que comprar outro Master igualzinho o que tinha quando era pequeno!
        E passei a colecionar os jogos também, depois do Sonic meu favorito é Rastan, que é definitivamente a melhor versão pra console do jogo! 😀

        • Cadu

          Eu acabei fazendo o mesmo, mas o meu era o primeiro com Hang On e Safari Hunt (além do Snail Maze escondido).
          Não cheguei a jogar outras versões de Rastan, mas a de Master era muito boa mesmo! o/
          Pena que não joguei tanto, na época era difícil achar o cartucho pra alugar.

  • Rummenigge

    Simplesmente estupendo, assim como a versão do Mega. Cad um tem seu brilho e ambos são complementares na minha opinião! Temas como da Jungle Zone e da Bridge Zone são verdadeiras jóias musicais dos videogames! Muito envolventes! Joguei quando criança e até hoje guardo com todo o carinho do mundo na minha memória! Vez ou outra faço uma revisita e digo: PUTZ, QUE ORGULHO DE TER VIVENCIADO TUDO ISSO DE PERTINHO!

    • Cadu

      Meu caro, temos que ter muito orgulho mesmo de termos vivenciado essas gerações! Ainda acho que as crianças de hoje deveriam começar pelos consoles dessa Era de Ouro antes de partir para a geração atual, único jeito delas terem uma “formação gamer”… hehehe.
      E gostei do que vc disse quanto às versões de Master e Mega: complementares! É isso mesmo, gostei muito desse ponto de vista! Definitivamente as duas possuem seus méritos. E as músicas temas das fases que vc mencionou são mesmo marcantes, impossível não pegar um carinho enorme tanto pelas músicas quanto pelas fases em si. Dá uma saudade dessa época, não dá? Caramba…
      Valeu Rummenigge!

  • Matheus Henrique Soares Lima

    Sonic the Hedgehog …… Ah …… Ohhhhh ……. incrivel como um jogo pode significar tanto a minha infância como o começo da minha adolescência, SEGA, obrigado.
    Eu já comentei nesse site, mas falarei de novo, esse jogo foi o primeiro jogo que zerei na vida, demorei 7 meses, mas zerei. Lembro até hoje do maldito chefe da fase das cordinhas ( cipos, o terceiro ), o meu velho amigo que tinha um clone do NES chegou a me oferecer 10 reais caso eu passasse daquele maldito, pois é, fiquei sem os 10 reais e vi aquela maldita tela preta com algumas letras brancas.
    Não consigo me lembrar da emoção que tive quando descobri o caminho secreto da penultima fase, claro, tive que perder dezenas de vidas indo pelo caminho visível, mas o que importa é que descobri e pode enfrentar o last boss.
    Last boss ….. lembro da minha mãe me vendo jogar e eu perdendo todas as minhas 26 vidas ( 🙁 choro buaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
    ) só fui passar na vez seguinte enquanto ajudava o meu irmão ( 3 anos mais novo ) a zerar. Zerei o meu primeiro jogo com o meu irmão, mas quem matou o ultimo chefe foi ieu.
    Só tenho uma reclamação a respeito desse jogo, o número de monitores de invensibilidade e de super velocidade, só existem miseros 2 e 1 respectivamente, eu tinha tanta raiva disso que acusava a SEGA de fazer propaganda enganosa, e de fato, se esse jogo fosse lançado hoje e o primeiro ato da primeira zona fosse a demo, os fãs iriam chingar e amaldiçoar a SEGA, não tanto quanto Alien colonial marines, mas iriam.
    E …… Sabat, como assim não zerou essa perola? E se diz retroplayer, que pecado,
    blasfemia, insulto ao Deus dos jogos, em breve será castigado com a perda definitiva da sua tv de tubo e na queima dos seus consoles ( a começar pelo Saturno que fizeste um trabalho a mais nele ). Brincadeiras a parte, mas eu que tenho 20 anos, que não vivi a época de ouro dos video games conheço esse jogo, e você não ……. ah, esqueça seu game cube e vá corrigir essa merda.
    Em relação aos novos gafanhotos começarem com os velhos consoles para conhecerem a história realmente acontece, mas não para conhece-la, e sim porque os consoles vei são baratim.
    PS: algum desgraçado já conseguiu pegar a vida extra no terceiro ato da zona aquática e sobreviveu para enfrentar o chefe? Eu só consegui pegar uma vez e …… morri no caminho de volta.
    Curiosidade: na contagem final de pontos que ocorre quando se termina o jogo, percebesse que é mais vantajoso ficar em todas as fases com 99 anéis do que ganhar uma vida, isso porque os 99 rendem quase o dobro da pontuação de uma vida.

    • Pode ter demorado 7 meses, mas tenho certeza que são memoráveis 7 meses no melhor sentido possível. É tenso enroscar num chefe ou numa fase, vc se sente provocado pelo jogo. irritado, frustrado, etc. Mas consigo imaginar o dia que vc derrotou o Robotnik na Jungle Zone, deve ter sido uma festa e tanto. E o dia que terminou também, acertei?
      Eu lembro que tive um pouco de dificuldade no terceiro chefe também, se vc jogar de qualquer jeito, é morte quase certa! Demais! Um dos motivos que me faz gostar mais do jogo de Master do que o de Mega é esse leve desafio a mais que a versão de 8 bits tem, seu comentário me comprova isso! Muito obrigado mesmo por compartilhar sua experiência! 😀
      A ausência de monitores que vc disse eu nunca senti, sabia? Agora que vc mencionou, tem total razão. Pô, SEGA, cadê os monitores? Pior que os de super velocidade eu até consigo entender que pode ter a ver com bugs gerados por conta da velocidade exagerada num console de processamento bem inferior ao do Mega Drive. Mas o da invencibilidade não tem muita justificativa. A não ser que a Ancient queria manter o jogo com mais desafio mesmo. Tá aí uma boa pergunta! hehehe
      Isso mesmo, Matheus, xinga o Sabat! Ele merece! Tem que jogar esse jogo, é obrigatório para qualquer jogador que se diz retrô. Isso é um pecado gamístico inafiançável! Mas queimar TV de tubo e videogame não, por favor. Isso é um castigo para a humanidade que já está sofrendo certa carência de “equipamentos retrô” em bom estado, vamos dizer desta forma… hehehehehe.
      Rapaz, eu não lembrava da vida extra do act 3 da Labyrinth, tive que recorrer à métodos sujos (leia-se Youtube) para relembrar e… digo que já consegui fazer isso sim! huahuahu! Foram anos jogando esse jogo, acabei pegando a prática. A ida é bem tranquila, o complicado é a volta com o espinho logo no degrau e o último espinho que vc precisa dar o pulo mais baixo. Mas até aí vc já pegou a vida extra, no máximo vc continua com o mesmo número de vidas que tinha antes de pegar, então vale a tentativa! o/
      Sobre a curiosidade, nunca tinha pensado dessa forma, vc tem total razão. Vc chegou a testar na prática também pra ver com que score termina o jogo?
      Valeu Matheus!

  • Ulisses Seventy Eight

    Excelente análise de um dos melhores de todos os tempos. Lembro que eu tinha feito uma troca de aparelho na época um top game vg 8000 pelo master sem fonte de um amigo de época meu.
    Veio junto este cartucho memorável, joguei tanto que terminava ele jogando com uma mão somente. era muito viciado nesse jogo. só de ler deu vontade de jogar só para comtemplar a beleza da música da ultima fase que é uma obra prima. Toda a trilha é espetacular.
    Hoje os games atuais estão carecendo de desafios e trilha sonora, salvo raras exceções.
    Valeu pela matéria e excelente lembrança.

    • Fala Ulisses!
      Com certeza este é um dos melhores jogos de todos os tempos e a trilha sonora é de fato espetacular! Tipo de jogo que dá vontade de jogar sempre e a gente sempre faz isso com um baita sorriso no rosto, não é mesmo?
      Olha, tá bem difícil encontrar games desafiadores nos dias atuais, mas um ou outro vc encontra. Já trilha sonora bacana/marcante é mais raro. Triste pensar que cada vez mais eles querem deixar como algo só pra background mesmo, pra não ficar totalmente silencioso, tipo fazem nos filmes. Não são músicas marcantes como eram em outras gerações. Tanto é que até no menu a música já vem por padrão mais baixa que os sound effects. Pra quê, né? Falta de trilha sonora marcante pra mim estraga um bocado a experiência, mas… é a vida! Saudades de outros tempos. Saudades de jogos com trilhas como a desse jogo do Sonic… Yuzo Koshiro é o cara! Ou foi um dia…
      Valeu pelo comentário e pelo elogio! o/

  • Diogo Farias

    Pois é, tirei meu Master System do armário e joguei esse jogo, joguei Rastan, Bonanza Bros., Castle of Illusion…!
    Mas aí, essa semana voltei do serviço e estava lá de boa jogando Sonic, minha mãe passou pela sala, ouviu a música, veio atrás de mim e falou “já zerei esse jogo!” kkkk, momento memorável xD

    • Poxa, não foi só a vontade então, vc realmente colocou o Master pra funfar! Ainda só jogou jogaço!
      E no seu lugar eu cederia o controle pra deixar sua mãe jogar um pouco e demonstrar que não perdeu as habilidades no jogo, com certeza seria épico! Ainda mais se lembrar da localização das Esmeraldas! hahaha! Muito bom, momento memorável mesmo, eu com certeza surtaria se passasse por isso! hehehe
      Valeu Diogo!

  • Rayman Macedo

    Caranba pode parecer piada mais eu tenho 13 anos, e quando eu era pequeno eu tive Master System, Master System Evolution e Master System 3…

    • Pô, parecendo piada? Que nada! Se vc começou pelo Master System em época em que as pessoas querem jogar no tablet ou videogames de última geração, digo que vc é que é o verdadeiro felizardo! Começou super bem a carreira gamística!
      Ainda mais se começou jogando Sonic no Master. Um baita jogo!
      Continua jogando as gerações mais antigas que tem muita coisa bacana pra vc curtir, NES, Master, Mega, SNES, e por aí vai.
      Valeu Rayman!

      • Rayman Macedo

        Hehe, valeu cara 🙂

  • Sonic Macedo

    alguem sabe me dizer se tem emulador desse jogo?

    • Caramba Macedo tem sim e funciona bem pra caramba. Procure pelo Gens, ou Kaga Fusion.

    • Tem sim! E além dos citados pelo Jeff, tem o Meka e SMS Plus, que são outros dois ótimos emuladores pra Master System!

  • Tonho Dc

    Primeiro sempre sera nostalgico pra mim

    • Pra mim também e acredito que para muitos brasileiros. Jogão!
      Valeu Tonho Dc!