Retro Review: Kid Chameleon


BANNER

Olá marmanjos! Esta semana estive fuçando o “baú” aqui (entenda Roms) e me deparei com a imagem de um garoto de óculos escuros, metido a valentão, o que me fez lembrar com muito carinho de alguns dos melhores momentos de minha adolescência, no que diz respeito aos games. É claro que eu sabia muito bem do que se tratava o jogo. Não tive como fugir! A nostalgia bateu forte, convidando-me a ingressar novamente naquela aventura, o que de fato não recusei. Fazia um bom tempo que não o jogava e aproveitei o momento para escrever este review. O game é de 1992, e foi justamente no final do ano de seu lançamento que espetei pela primeira vez o cartucho de Kid Chameleon em meu console. Digo-vos com toda a certeza, meus amigos: juntamente com os clássicos das séries Sonic, Streets of RageShinobi e tantos outros, este foi um dos títulos que mais vezes joguei enquanto estive com o meu querido Mega Drive

Por várias vezes, entre os amigos ou pela internet, ouvi e li comentários a respeito do game. Alguns reclamam de sua dificuldade, outros elogiam o fator diversão… Mas a maioria das pessoas que o conhecem, comentam sobre o seu número de fases, considerado o terror para alguns e alegria para outros. E é por essas e outras que Kid Chameleon tornou-se um daqueles games que, ou você ama ou odeia. Eu procurei neste review, trazer à tona os destaques do título e também o que de fato incomoda tantos jogadores. Mas se você for o tipo de jogador fuçador vai descobrir que as coisas podem ser diferentes. Muitas das informações que você verá aqui, já são de conhecimento dos veteranos. Talvez o post tenha ficado um pouco inchado, perdoem-me por isso mas, devido a diversidade que o game traz, não poderia deixar de citar alguns detalhes importantes, seja para você que nunca o jogou ou para aqueles que não tiveram a oportunidade de ir muito longe em sua jornada. Espero que gostem da leitura pois o intuito é que vocês aproveitem melhor o que este clássico game tem a oferecer.

ESTÓRIA MALUCA

O game possui um enredo bem simples e até clichê para alguns Você é Max, um adolescente duro-na-queda que se prontificou a salvar a vida de algumas crianças supostamente desaparecidas. Elas ficaram presas no chamado Wild Side, um arcade recém chegado à cidade. Trata-se de uma máquina de realidade virtual, na qual você pode entrar para jogar. Devido a alguns “problemas técnicos” com o equipamento, Heady Metal, o chefão final do jogo, tomou para si o controle da máquina, aprisionando todas as crianças que não conseguiram vencê-lo (semelhança com algum filme da sessão da tarde?) É nesta estória meio sem pé nem cabeça que Max decide se meter e toda a aventura vivenciada por você, nada mais é do que o próprio game em que Max se envolveu.

 

Kid Chameleon é um divertido adventure side-scrolling, trazendo consigo elementos consagrados como “pular, atirar e correr“, presente em quase todos os games do gênero. Os temas de suas fases são bem variados, passando por desertos, cidades, montanhas, praias, florestas, entre outros. Seus cenários, ricos em detalhes, escondem diversos itens e passagens secretas. O desenrolar da ação ocorre, na maioria das vezes, da esquerda para direita da tela, podendo lhe obrigar a mudar de direção em várias situações. É um jogo que começa fácil e gradativamente vai exigindo habilidade e perseverança do jogador. Seja por seu som cativante, desafio ou por seus muitos e recheados cenários, Kid conquistou milhares de admiradores por todo o mundo, sendo considerado um dos títulos mais originais que o console já teve.

 

 

Ainda hoje, muitos são aqueles que se dedicam ao game e eu sou um destes apaixonados por esta ótima produção da SEGA. Há, contudo, pessoas que precocemente desistem de jogá-lo, considerando-o difícil de se terminar. Em parte isso é verdade e até posso citar mais adiante, alguns dos motivos para tal afirmação.

SANGUE de MARIO
Muitos são os games de 8 e 16 bits que permitem ao jogador explorar os cenários em busca de itens de sobrevivência e PowerUps. Cenários estes, cheios de blocos e plataformas flutuantes, além de inimigos que podem ser vencidos com alguns pulinhos em suas cabeças. Ao jogar Kid Chameleon, fica evidente a  inspiração vinda de games com o mascote da Nintendo.

Chameleon_Kid_2 

E se aqui você pode adquirir habilidades e formas diferentes, Mário já sabia fazer isso desde os anos 80. Assim, arrisco dizer que o sucesso de Kid se deve também a alguns dos elementos presentes em jogos do famoso encanador, algo que raramente ocorre em outros títulos de Mega Drive. Mas as semelhanças ficam só mesmo nos detalhes acima. Não há como negar que o game possui características próprias, e a possibilidade de se transformar em outros personagens durante o gameplay ocorre da melhor maneira possível. Outros detalhes, principalmente no tocante ao desafio, nos faz acreditar que Kid Chameleon não fora feito para “criancinhas“. O resultado está mais para hardcore do que você possa imaginar. De qualquer forma, trata-se de um game bem acima da média e que consegue roubar nossa atenção, ainda que venhamos a sofrer com vários momentos de morte.

O CAMALEÃO

Me digam, amigos retro-aventureiros: em que outro título você tem a possibilidade de “trocar” de personagem com a variedade e frequência existente em Kid Chameleon? Como sugere o nome do game, seu grande trunfo, está justamente nas transformações de Max, o que lhe proporciona habilidades diferentes para cada um dos 9 capacetes (ou máscaras para alguns) adquiridos em meio as fases. Além da aparência e habilidades recebidas, a movimentação e resistência de seu personagem também sofrem alterações: se você adquirir por exemplo, a forma Red Stealth (samurai), seu personagem se tornará mais ágil, super leve (um tanto sem freio), podendo pular mais alto e usar uma Katana como arma (hui-hui!). Isso quer dizer que tais transformações influenciarão diretamente na sobrevivência de Max dentro deste perigoso mundo virtual.

 

O legal é que você pode mudar de personagem várias vezes na maioria das fases, conforme encontra os capacetes escondidos. Desde que não seja obrigatório a “troca de roupa“, é possível permanecer com aquela que mais lhe agrada até não poder mais. As transformações são marcadas por um “sonzinho” diferente para cada uma delas.

BLOCOS, DIAMANTES e MAGIAS
Em meio aos cenários existem blocos de diferentes tipos, que podem estar visíveis ou ocultos. Juntamente com os capacetes, são eles os elementos responsáveis pela maior parte dos Puzzles presentes no game. Existem os que desaparecem e reaparecem, os escorregadios, os de borracha, os que podem ser destruídos, movidos ou multiplicados. Existem também aqueles que, ao serem tocados, atiram espinhos que podem ser usados a seu favor, liberando passagens ou, ferrando de vez com sua vida!

 

Os blocos “P” (de prize), escondem itens como diamantes, vidas extras, tempo extra e continues, além dos capacetes de transformação, claro! A cor destes itens (exceção dos capacetes) pode mudar de acordo ao cenário, mas são iguais em efeito. Itens de vidas extras e continues só poderão ser liberados uma vez de seus respectivos blocos. Portanto, se você reiniciar a fase ou passar pelo mesmo local pela segunda vez, ao abrir os blocos que antes continham estes itens, não encontrará nada além de um diamante. Os capacetes não desaparecem com o tempo após liberados, mas não é possível manter em tela mais de um deles ao mesmo tempo. Se dois forem liberados seguidamente, o primeiro desaparecerá, ficando o último a seu dispor. Se você coletar um capacete equivalente à sua atual forma, vai recuperar os pontos de life eventualmente perdidos.
Se Mario coleta moedas e Sonic, argolas, Max coleta diamantes, podendo acumular até 99 deles. Eles não lhe garantem vidas extras: são utilizados durante as magias, que podem variar pela quantidade de diamantes utilizada, sendo 20 ou 50 e é também modificada pela forma de seu personagem. Contudo, não é possível escolher qual das duas magias será liberada. Ao executar o especial com 55 diamantes, por exemplo, serão consumidos 50 deles, ficando  os 5 restantes em seu “inventório“. Assim, não espere ter mais de 49 destas jóias se quiser executar a magia com 20. Ao alcançar a quantidade necessária para liberar qualquer um dos poderes, um som característico poderá ser ouvido. Apesar de muito úteis em certos momentos, é perfeitamente possível se virar sem magias. Por não ser de uso obrigatório, muita gente nem sabia que Kid podia tal coisa. O comando para liberar o especial é: Corrida+Start

HEADY METAL

Os chefes de fases são variações de Heady Metal, esse cara com aparência de espetinho ai do lado. Ele te lembra algum lutador praticante de yoga? É um dos inimigos mais estranhos que você poderia enfrentar. São só cabeças espetadas numa flecha e por quatro vezes apenas, aparece no jogo. Heady Metal é imune a magias mas, na forma de Red Stealth com 20 diamantes você poderá torná-lo mais lento, facilitando um pouco as coisas. Seja com pulos, espadadas, machadadas bombas de caveiras ou chifradas, seus ataques comuns sim, tem efeito letal. Em suas primeiras aparições o vilão não dará muito trabalho, mas a coisa muda de figura durante a batalha final em Plethora. Aquí, ele só poderá ser vencido com mais de 30 pulos sobre sua cabeça, independente da forma de seu personagem. Desta vez, nem mesmo Red Stealth poderá ajudar com sua magia.

SEU GUARDA ROUPAS

Se lá no passado você não chegou muito longe no game, talvez não conheça todas as “roupinhas” de Max. Ou talvez não teve a oportunidade de vê-las em ação. Abaixo você tem a descrição de cada uma delas, bem como os diferentes efeitos de magia com 20 e 50 diamantes respectivamente:

  • Kid (Max) – Em sua forma normal, o baixinho cabeçudo não usa armas; pode destruir alguns inimigos com pulos em suas cabeças; pode subir e descer rampas com cautela; possui a habilidade de se agarrar na beirada das plataformas e blocos (subindo neles em seguida). Para isso, pressione o botão de pulo pela segunda vez, no exato momento em que estas plataformas/blocos estiverem na altura de seu peito. Magias: Proteção de diamantes (destroem inimigos que nela tocar) e serpente de diamantes (diamantes que buscam os inimigos).
  • Iron Knight – “O Pesadão”. De tão pesado pode quebrar blocos abaixo de si com pulos mais altos; não possui armas; escala paredes verticalmente (botão especial); desce e sobe rampas com cautela. Pular muito alto com ele pode ser um desastre, se não estiver em chão firme. Magias: anel de diamantes e um ponto de life extra (ao utilizar esta magia, poderá acumular até 4 pontos extra de life que permanecerão nas outras formas até que você morra).
  • Red Stealth – Samurai super ágil, leve e de difícil controle. Pode pular mais alto que as demais formas. Não sobe e nem tem freio nas rampas. Utiliza uma Katana de curto alcance; pode liberar itens ou quebrar blocos abaixo de si com espadadas durante a descida em um salto. Magias: Neblina samurai (deixa os inimigos mais lentos) e serpente de diamantes.
  • Berzerker – O “Chifrudinho”. Pode subir e descer rampas suavemente; ataca com chifradas durante a caminhada ou corrida; ofensivo contra a maioria dos inimigos; As chifradas na horizontal destroem os blocos P sem liberar itens, como faz também com os blocos de gelo e pedra; empurra os blocos de aço que percorrem a tela, destruindo os inimigos pelo caminho. Magias: invencibilidade temporária  de 9 segundos e parede de diamantes que percorre a tela, destruindo os inimigos.
  • Maniaxe – “O Sexta-feira 13”. Uma das formas preferidas de muita gente. Atira machados infinitos na horizontal que percorrem toda a extremidade da tela. Também sem freio nas rampas. Magias: Anel de diamantes e vida extra.
  • Juggernaut – O Tank. Atira bombas de caveiras que podem rebater nas paredes; não sobe rampas. Magias: Só possui uma. Dispara 5 diamantes em direção às extremidades da tela (pode executar a partir de 5 diamantes coletados).
  • Micromax – “A Mosquinha”. Não possui ataque; anda mais devagar; pode grudar em paredes verticais e escorregar lentamente por elas por alguns segundos. Enquando estiver agarrado à uma parede, seus pulos sempre serão na direção oposta da mesma, lhe obrigando a subir em zig-zag pelos corredores verticais. Por ser pequeno, pode alcançar locais de difícil acesso. Magias: mini serpente de diamantes e uma versão mais rápida da mesma.
  • Skycutter – “O Skatista do futuro”. Não possui ataques; a bordo de uma prancha a jato, é o personagem mais veloz do game, mas não é possível deixá-lo parado; pode entrar em gravidade zero, ficando de ponta-cabeça. Magias: invencibilidade temporária e serpente de diamantes teleguiada.
  • EyeClops – “O Cyclops”(?). Sua habilidade é revelar alguns blocos e pontes ocultas, por meio de um raio gigantesco não letal aos inimigos. É a forma mais rara de se ver, pois só existe em poucas e específicas partes do game. Poderia ser melhor aproveitado, uma pena! Magia: só possui o raio da morte, consumindo 2 diamantes.
  • Cyclone – “Redemoinho (?)”. Não possui ataque; pode voar (girando) pelo tempo que quiser, alcançando grandes alturas e distâncias. É o personagem mais apropriado para fugir dos inimigos e terminar uma fase mais facilmente. infelizmente não aparece com frequência. Durante o vôo pode interagir com os blocos de baixo para cima. Magias: chuva de diamantes que podem aleatoriamente atingir os inimigos e outra versão mais precisa desta mesma chuva.
.

LONGA JORNADA
Com toda sua diversidade, Kid Chameleon pode se tornar um prato cheio de diversão para os jogadores mais “bisbilhoteiros“. A possibilidade de mudar de personagem, a variedade e o desenho das fases com suas tantas surpresas e, as diferentes formas de inimigos, fazem dele uma aventura épica. Mas nem todos os jogadores conseguiam desfrutar de tudo isso. No passado, quando não existiam os emuladores, terminar este game podia se tornar uma tarefa cansativa. O tempo de gameplay não é curto e podia variar de pessoa para pessoa, já que nem todas as fases são obrigatórias. E são mais de 100, meus amigos. Isso mesmo, são mais de 100 fases!!  Estima-se que sejam 103 no total. Algumas são trechos diferentes de um mesmo cenário e outras, de tão curtas, são consideradas apenas pontes entre um nível e outro, como as Elsewhere, por exemplo. Alcançar certas fases pode ser questão de sorte. Isso porque existem vários tele portais espalhados entre os cenários. Alguns deles podem te levar para um ponto adiante ou atrás na fase em que você estiver ou, para alguma ou mais de uma fase adiante também. Até que você decore o destino de cada portal, já terá jogado horas e horas. 

A única forma de aproveitar melhor o conteúdo do game é evitar tais tele portais, preferindo alcançar as bandeirinhas, geralmente encontradas no final das fases maiores. Saiba que nem todas são fáceis de se achar, caros amigos. Dica: caso acredite ter ficado preso ou deseje reiniciar uma fase, pause o game e selecione Restart, mas isso vai lhe custar uma vida!Não existe um sistema de Password ou Save (ferrou!!). Esta talvez tenha sido uma das maiores mancadas da SEGA, e a única falha do game em minha opinião, já que é exigido algumas (talvez muitas) horas de jogatina até ser finalizado. Para aqueles que desejarem explorar bem os cenários, se torna obrigatório a coleta de vidas extras, tempo extra (relógio), bem como as moedas de continue. Boa parte destes itens está escondida em blocos ocultos. Isso obrigou muita gente a manter os seus consoles ligados por várias horas, afim de alcançar a última fase do game. Me lembro que no dia em que finalizei Kid Chameleon pela primeira vez, deixei a jogatina com dores nos olhos e cabeça…

GOSTA de DESAFIO?

Nenhum jogo perde seus méritos por conta da idade. Apesar de longo e um tanto exigente, Kid Chameleon é bem divertido. Para você que gosta de um bom adventure e está disposto a enviar algum chefe malvado para o limbo, saiba que não se decepcionará. Pra quem gosta de vasculhar bem os cenários, não deixe de procurar pelos relógios de tempo extra. Os únicos momentos em que você não terá muitas oportunidades de exploração, ocorrem quando estiver com a parede assassina lhe perseguindo. Ser tocado por essa coisa significa morte instantânea. Neste tipo de fase, uma geringonça feita de engrenagens e brocas avança em sua direção. Não pense muito, senão em correr e correr, tomando o devido cuidado para não se enfiar em algum beco sem saída. As magias de invencibilidade podem ajudar, mas não evitarão que a parede continue avançando, portanto, cuidado pra não escolher o caminho errado.

 

 

É fácil entender por que muitas pessoas desistiram de finalizar este clássico. Mas se você não se deixar vencer por qualquer obstáculo em prol de um bom desafio, Kid Chameleon é o game certo pra você. Com o auxílio dos recursos disponíveis em nossos queridos emuladores, jogá-lo pode se tornar uma experiência mais agradável e menos sacrificante que outrora. O game marca presença também nas plataformas da atual geração, disponível para o Virtual Console, PSNLive Arcade e PC, sem qualquer alteração. Assim como muitos outros títulos, Kid Chameleon carece de uma continuação, algo que infelizmente não aconteceu ainda. Existe contudo, a hipótese de vermos algo novo inspirado no game. Uma equipe de brasileiros está trabalhando num possível remake do jogo. Trata-se de algo feito por fãs, ainda em fase pré-alpha.  As poucas imagens divulgadas deixam-nos expectativas. Vamos torcer para que os desenvolvedores façam um bom trabalho com Kid. Particularmente, duvido que consigam criar algo no mesmo nível do original, mas de qualquer forma,  vamos esperar que o trabalho seja concluído e que a SEGA não seja novamente orgulhosa, atropelando mais esta criação.  Mais detalhes você pode conferir AQUI

Bem, amigos retrogamers, encerramos mais um post. Como podem ver, com um pouco de coragem, persistência e, talvez calos nos dedos,  Heady Metal pode ser alcançado por você, e sem cheats. Não se deixe abater por conta da quantidade de fases. E se você não teve ainda a oportunidade de jogar Kid Chameleon, invista, porque o game vale a pena sim!
Obrigado por sua leitura e paciência. Aguardo seu comentário e, boa jogatina Kid!

FIM


Sobre Jeff

O Jeff é veterano que começou a jogar games com um Bit System. Ele ama jogos 2D. Criterioso e saudosista, adora os jogos de Nintendinho. Atualmente sua plataforma principal é um PCgamer, Mas jogar é com ele, não importa se num console da Sega, Sony e assim vai!

Adicionar a favoritos link permanente.
  • finalmente falaram desse lendário game aqui.

    é um dos jogos que todo retrogamer tem que zerar antes de partir desse mundo. fases desafiadoras e inteligentes,músicas boas de ouvi(pelo menos, eu achei) e qual é o unico game onde um dos cenários imita Altered Beast? só em Kid Chamaleon.

    vou ver se nesse mês, arrumo tempo para ele. desde que comprei a OLD GAMER 5 ele vivia pedindo para ser detonado. o game tem mais de cem fases, nada para quem jogou Super Mario World zilhares de vezes. por falar nisso, Jeff, você tem alguma nova notícia sobre o remake que estão fazendo?

    espero que tudo corra bem, pois o remake promete.

    Hee-Hoo pra você,Jeff(cumprimento de Jack Frost,SMT)

    • Jeff

      E aí Leandro, beleza? Hee-Hoo for you! 
      Obrigado pelo seu comentário!Realmente, quem jogou Mario pode muito bem zerar esse aqui também. Se bem que Mario tem saves né? Fiquei curioso, qual cenário imita Altered Beast? Conta aí!Ainda não há informações novas sobre o andamento da versão Fan made de Kid, Leandro. Se há coisa nova, ainda não atualizaram o site.Valeu!!

  • Esse jogo é bem legal mesmo mas muito longo. Em emulador acho que passaei umas 40 ou mais fases, sofrendo com o “controle” do 360, depois parei!

    Qualquer dia tento finalizar a aventura do Johnny Cage dentro do arcade.

    • Jeff

      Opa! Tudo bem Renan?

      Cara, gostei do Johnny Cage (há há há!!). Um save aqui, outro ali pode ajudar a finalizar o game. Acho que o Sabat ou TH não iriam te martirizar por isso não…. Afinal, Mario World tem save né?Particularmente, me dou super bem com o gamepad do Xbox360, em qualquer tipo de game, mas para lutas, prefiro controle arcade mesmo…
      Obrigado pelo seu comentário Renan!!

      • Bem e tu? xD

        Cheguei numas fases tensas, se não me engano tipo cidade em prédios e tals. Se não me engano, parei numa fase que vira a “mosquinha” que fica escalado paredes meio roxas, enquanto umas caronas caem do céu. Só achei o chefe uma vez nesse período todo =

        • Jeff

          É isso aí Renan. De pouco a pouco dá pra encarar sim…

  • KanonClint

    Putz Jeff, meus parabens cara! Primeiro por conseguir terminar este épico game, e depois por mais um excelente review.
    Eu cheguei duas vezes ao ultimo chefe, mas nas duas ocasiões fui derrotado.
    Foram maratonas de cerca de 5 horas, sem desligar o console, e quando você citou o cansaço, eu me identifiquei na hora. Eu estava até meio tonto, e depois da sessão, fui direto dormir. A ausencia de saves, ou passwords talvez tenha sido algo até proposital, visto que isso contribuiu significativamente para a fama de ” game impossível”, coisa que o jogo carrega até hoje.
    Eu particularmente, não faço questão de jogar os games antigos nos consoles antigos, para sentir a nostalgia. Mas no caso de Kid,acho que o uso de emuladores, e o auxilio de savestate , o desafio ficaria descaracterizado .   

  • Jeff

    E aí Clint!!
    Obrigado pela visita, comentário e elogio!Cara, de propósito ou não, a Sega não deveria ter feito isso!!
    Kid merecia um sistema de save, nem que fosse a cada 1/4 do game. Não conheço um game tão longo que não tivesse ao menos passwords e, forçar o jogador a permanecer em frente a TV por várias horas não é tão legal assim (minha opinião). Quando eu terminei esse game primeira vez, sobraram uns 15 continues. Sinceramente, tem jogos que faço questão de usar saves justamente por acreditar que deixaram de inserir estes recursos por falta de vontade, custo ou sei lá…. Não me refiro a games difíceis e sim em casos como em Kid Chameleon, que é um game longo pakas…Acredito que mais pessoas teriam conhecido e jogado Kid com mais satisfação, se soubessem que podiam parar e continuar depois.Grande abraço Clint!

  • Femt

    Isso ai Jeff!
    Ótimo jogo, mas cansativo, eu juro pra você que quando eu li á história deste
    jogo falando do domínio do Heady Metal no mundo dos games eu me lembrei do Game
    Master do Yu Yu hakusho (Quem assistiu vai entender kkkkk) a história é boa
    cara não é maluca não.

     

    • Jeff

      E aí Leonardo Femt, boa TARRRRRDE!
      A estória do game é estranha, mas bem familiar aos nerds e admiradores de games. Depois me conta como é essa história doida aí do Yu Yu, ok?
      Grande abraço amigo! 

  • Guilherme

    Esperando a data certa pra jogar esse. Falar que zerou kid Chameleon não é pra qualquer retrogamer não, e eu espero alcançar essa façanha logo. Parabéns pelo post, bem completo e organizado!!

    • Jeff

      Olá Gilherme, tudo em paz?
      Cara, Kid é extenso, um pouco difícil, mas está longe de um game impossível. O que atrapalha é a quantidade de fases, mas eu acho é bom. Gosto muito do game e, quando se gosta de alguma coisa, é mais fácil se dedicar, certo.
      Obrigado pela visita e comentário!

  • Grande post Jeff (em ambos os sentidos he he). Me lembro bem desse jogo, mas nunca nem sequer o joguei, lembro que eu tinha uma revista que falava dele, e como eram necessárias horas e mais horas para avançar.

    Estranho que apesar de considerar sim esse jogo um dos classicos do Mega eu nunca senti muita vontade de joga-lo, e ate hoje nem ao menos o testei no emulador.

    Pretendo testa-lo pra sentir o gameplay, mas esse jogo trás a tona um tema interessante, seria ele um jogo dificil ou um jogo cansativo? (ou ambos)

    Eu não saberia dizer, como disse eu nunca o joguei, mas fica ai a reflexão para quem já jogou

    Obs: Jeff você não conhece a estória do gamemaster de YuYu ? Sera que isso quer dizer que você nunca assistiu YuYu por completo ? Cara de sorte você, vá correndo assistir. Quem me dera esquecer tudo pra assistir de novo de novo e de novo !!

    Um abraço galera Retrô

    • Jeff

      Fala Brunão, tudo certo?!
      Meus posts estão tentando superar seus comentários, kkkkkkkk!!
      Não tive como escrever pouco, afinal o game tem tanta coisa pra se discutir, certo?
      Cara, Kid não é tão difícil. Existe sim algumas partes muito difíceis, como as fases Alien Isle, por exemplo. E também se torna difícl se não forem encontrados os relógios de tempo extra.
      Vou dar um “bisoiada” nestes episódios novamente. Assiti Yu Yu, mas lembro quase nada da saga.
      Abração meu velho!

      • Po Jeff, justo agora que to tentando diminuir meus comentários você me lança esse desafio ? Agora danou-se, vou ocupar a internet inteira com letras kkkkkkkk

        Cara, queria que minha memoria fosse um memory card pra eu apagar só pra rever YuYu, se você não ta lembrando aproveita e veja toda a Saga de novo que vale muiiiiiiiito a pena !

        Um abraço

  • Kleber

    Muito bom esse post Jeff esse jogaço só vi nas casas de amigos nunca tive a oportunidade de jogar mas lendo agora percebo que ele é demais .Nunca tinha visto um jogo tão repleto de detalhes como esse e pelo seu enredo simples e cativante que parece levar o jogador a zerar de qualquer jeito.Um dia pegarei para joga lo no emulador pra ver onde vou chegar num clássico do Mega Drive que deveria ter tido uma continuação  viu .

    • Jeff

      Oi Kleber, obrigado pela visita e comentário!
      Amigo, como tempo de sobra não é tão comum na vida de muitos de nós, uma coisa eu estou fazendo: sempre que alguém recomenda ou vejo/leio matérias de algum ou outro game que nunca joguei e queria ter jogado, coloco a rom no emulador e mando bala assim que possível. Se agente deixar pra depois ás vezes esquecemos e aí já era… Tem games que, de dão bacana, acabo dando prioridade a ele, deixando a jogatina de outros para depois. Estou jogando Kid novamente e dando save a cada 30 minutos de jogo e sem sensação de culpa, he he he he !

  • Albatross

    Realmente… Um clássico ame ou odeie. O game tem vários elementos legais nele (fases variadas e transformações), mas peca no desenvolvimento das fases, com cenários grandes e difíceis de serem explorados totalmente, além da falta de linearidade das mesmas e um absurdo de mais de 100 fases, sem saves ou passwords!! (WTF!! I have a life, man!). O lado negativo do game é que, na minha opinião de merda, kid chameleon acaba se tornando um game non-sense, pois com o decorrer do jogo você até esquece que tem que salvar as crianças que foram capturadas pelo videogame acaba se concentrando em duas coisas: 1- onde é o final da fase; 2- quando é que vai aparecer o capacete do carinha que voa

    Abraços

    • Jeff

      Ha-ha-ha-ha-ha-hah!
      Albatross, desculpe! Não tive como não rir com seu comentário, muito engraçado! A roupa que faz o cara voar e a do cara que revela blocos invisíveis são mesmo raras, e eu sou bravo com isso também.
      Verdade também sobre a história. Deveriam ter colocado algum texto, cut-scene ou coisa do tipo para que não perdêssemos o foco na história. Realmente, o que você citou sobre ter vida lá fora faz sentido, e é um dos motivos de muitos terem desistido do game. Quanto ao layout das fases, não acho que seja ruim, eu gosto muito inclusive. Se são ou não linear, é apenas questão de gosto. O linear dominou por anos os 8 e 16 bits e, em Kid tentaram diminuir isso. O que estragou é o fato de terem colocado tempo. Nunca gostei de ser derrotado pelo relógio, NUNCA!!!
      E sobre a dificuldade do game, não acho que seja difícil em comparação como um tal Battletoads, por exemplo. A tensão acaba aumentando por conta do tempo que é curto muitas vezes…pelo menos comigo isso é assim.
      Obrigado pelo comentário Albatross. Apareça sempre!

  • TH

    Jeff, tá aí um jogo com um puta potencial, mas que na minha opinião foi mal implementado.

    Já tentei várias vezes jogar esse game, mas muitas vezes o game fica massante, repetitivo. É muito difícil por exemplo vc conseguir descrever para um amigo a parte que vc está preso pois é tudo muito parecido.

    Mas a idéia das roupas e suas habilidades são incríveis, uma penas que mal utilizadas.

    Gostei muito do seu texto, principalmente na hora de descrever as roupas e suas habilidades. E a roupa “Sexta-Feria 13” é a melhor mesmo! rs

    E antes de receber as pedradas vou repetir, é apenas a minha opinião, e realmente tentei jogar esse game, tanto naquela época no mega do meu primo quando hoje, ambas as vezes sem susseso em me divertir.

    E em pensar que são mais de 200 fases e sem password, aí é uma grande falha de design mesmo. Muito massante.

    Acho essa nota muito alta.

    Valeu pelo texto Jeff!

    • Jeff

      TH, meu velho… gosto é igual time de futebol: Tem sempre um time Ruim-kakakakaka! Brincadeiras a parte, respeito sua opinião.
      Eu pensei que o mito de game impossivel só existisse lá fora, mas vejo que muita gente aqui considera esse game ruim por ser difícil, o que também não é de todo.
      Eu quis exatamente mostrar esse lado ruim do game e expicar onde ele falha, mas pra quem curte muitas fases, é um ótimo game. Interessante é que tem gente que terminou Gauntlet do Nes, isso é que é massante (pelo menos pra mim)!!!
      Abração TH!

  • Caaaaaaaara, eu tentei por várias vezes levar esse jogo a sério, desde moleque. Mas eu tô no grupo dos que acham que o jogo tem fases demais e eu tenho tempo de menos pra finalizá-lo! hahahaha. Mas sempre achei um jogo bem bacana e continuo achando isso.
    Nunca o considerei difícil demais, sempre achei a dificuldade dele razoável, considero um jogo equilibrado.
    Não me lembro exatamente como era, mas tinha um esquema/truque que fazia vc cair na última fase do jogo. E assim foi que eu vi o final do jogo, apenas por curiosidade. E, é claro, não me lembro como era.
    Detalhe: tô no grupo dos que não sabiam do especial, fiquei sabendo justamente nesta semana, escutando um podcast da Comunidade do Mega Drive.
    E eu não sabia da existência dele na PSN, vou ver preço e detalhes mais tarde! =)
    Bem bacana o review, Jeff. Completão. Mais um texto que leio que me faz ter vontade de jogar um jogo mais uma vez… kkk

    • Jeff

      É Cadu, fases é o que não falta para Kid Chameleon. Mas nem todas são grandes. O danado do tempo é que atrapalha, impedindo de explorar melhor os cenários. Eu tenho certeza que dá pra encarar sim e não vai se arrepender. Um save até pode ajudar…Estou re-jogando o game com save a cada 30 minutos de jogatina. Acho que dá pra encarar assim sem crise e sem remorso..kakakaaa!

      No PS3, procure por  Sonic’s Ultimate Genesis Collection.O cheat pra levar ao último chefe pode ser feito sobre o último bloco acima da Bandeirinha no final da segunda fase, Blue Lake Woods II.
      Valeu pela presença Cadu. Abraço!

      • Ahhh é, no Collection, verdade. Faz um certo tempo que não coloco essa coletânia pra jogar, tinha me esquecido da presença do Kid Chameleon nela. Valeu por me lembrar, vou ver se pego um tempo e faço um esquema parecido, com saves a cada 20/30/40 minutos, dependendo de fatores externos… hehe!

  • Esse jogo marcou minha infância brevemente.

    Mas apanhei feito um condenado para jogá-lo. Até hoje ainda não o fechei.

    • Jeff

      Sybas, meu caro, corra pro emulador e jogue cara! Tenho certeza que vai se divertir. Terminar Kid pra mim foi questão de honra e não deixei queito até terminá-lo.
      Thanks por vir até aki!

  • Até que em fim eu consegui comentar aqui né cara? pqp

    Mano, ótimo texto XD acertei em cheio com você meu amigo!!!! Agora vamos às minhas impressões sobre Kid Camaleão é o bom é o bom é o bom kk
    Eu tenho uma opinião parecida em partes com a do TH sobre esse jogo: é meio bagunçado. Não considero o level design do jogo ruim, eu acho é bom pra caramba! Labiríntico, mas não tanto, bonito o suficiente, desafiador pra caramba. Só que é bagunçado!!

    Existem vários portais que nos levam pra frente, e depois pra trás, a gente corre o risco de se perder indo e voltando fases, na verdade a gente SE PERDE SEMPRE indo e voltando fases ahUHAUhau é uma bagunça dificil demais de ser entendida, e torna o jogo praticamente impossível de ser explorado em sua totalidade.

    Eu reconhço a falha que é este jogo não ter um sistema de salvar o progresso, mas reconheço também que password não seria legal não… o ideal seria uma bateria interna pra gravar o avanço, continuar da fase em questão, e me agradaria muito a idéia de um mapa mais aberto com as fazes distribuídas de modo que pudessem serem acessadas na ordem correta, algo que tornaria o jogo passível de ser explorado totalmente, e quando quiser, a gente salva e não perderia nada! Tipo Mario World, por que não?

    O game não é difícil por ter design de fases grotesco e inimigos apelões, e um monte de armadilhas sacanas, nada disso. É difícil por que é longo demais, se torna repetitivo demais, e ficar perdido no meio da imensidão daquele mundo virtual espanta a maioria dos jogadores dele.

    Meu limite foi matar o segundo ataque do pseudo-Dhalsin, desisti e nunca mais aluguei novamente ^^

    • Anônimo

      E Sabat, mais vc não comentou que não sabia o truque para usar os diamentes… hahaha. Antes da materia já tinha te falado sobre o corrida+start… hahaha. E parabéns Jeff!!! A materia ta linda de morrer, vc mostrou o melhor e o pior mais mesmo assim fazendo o jogo brilhar. De um MEGADRAIVIANO meus parabéns.

      • Jeff

        Grande Celso!! Obrigado pelo comentário!
        Verdade seja dita, Kid é um ótimo game, mas sacrificou boas horas da galera de outrora. Perserverança é a chave do sucesso. Quem o terminou no console sabe o quanto o bicho exige do jogador.
        Abração brother!!

  • Jeff

    há há há há !
    De novo com O BOM! Ainda dou risadas com isso!
    Sabat, apesar de defender o game como poucos, eu concordo com suas palavras. Esse lance de se perder na linha do tempo ingame é estranho e causa de fato a bagunça toda que você citou. Acho que até os produtores se perderam e parece que os portais estão todos fora do lugar, kakakaka!! 
    Se pudéssemos caminhar num mapa como em Super Mario, podendo escolher para onde ir, aí sim faria sentido tantas fases, e seria agradável permanecer no jogo. Daí a necessidade da bateria para o SAVE. Assim, com certeza muita gente teria jogado mais o BOM Kid. Uma pena mesmo!
    Thanks Boss!

  • Pelo menos você sabe para que serve os diamantes, tem gente de um tal Megacast – no qual eu faço parte – que não sabia para que servia aquilo!

    De toda forma, o que eu posso dizer que este jogo me “sodomizou” por alguns anos até eu conseguir finalizar por completo no Mega Drive, imagine pegar um game como este na época que energia eletrica no Brasil era um vai-e-vém dos infernos? XD

  • Jeff

    Puxa Daniel!
    Nem me fale de energia. Quantas vezes isso ocorria comigo cara!!! Que ódio daquilo!
    E parabéns pela façanha. Terminar Kid traz uma sensação muito boa, apesar do final ser bem pobre!
    Obrigado pela visita Daniel. Apareça sempre!

  • Rummenigge

    Jogaço! Amo demais!Fez parte da minha infãncia e é, sem dúvidas, um dos melhores games da história já lançados!

    • Jeff

      Rummenigge, meu caro, tudo bem? Obrigado pelo comentário!Kid é sim um excelente título, ignorado por muitos por conta de sua exaustiva peleja. Mas é bom demais, inegavelmente desafiador.
      Experimenta jogar novamente, não faz mal!
      Aparece mais vezes aí cara! 

  • LEMBRO COM MUITO CARINHO DESSA ÉPOCA NÃO É MESMO MANO, QUANDO A GENTE FICAVA NOITES E MAIS NOITES PRA TENTAR SALVAR ESSE GAME…. SHOW DE BOLA.. PARABENS PELO SITE.. ABRAÇO A TODOS

    • Jeff

      E aí Brother, tudo bem?
      Que legal ver seu comentário por aquí!
      Pois é, bateu uma saudade grande daqueles tempos, por isso o posta aí!
      Apareça sempre, mano!
      Grande abraço!

  • é nois

  • ISACK VICIOUS

    Otimo Review, Pra mim o melhor game do mega drive, e achei a nota baixinha pra esse jogaço.

    • Jeff

      Oi Isack, tudo bem?
      A nota é quase um 90%. Acho que tá bom hem?Eu até queria dar uma nota maior para o game, mas infelizmente sem um sistema de save fica um pouco difícil aumentá-la. É claro que isso não tira os méritos do game, mas o torna cansativo para aqueles que não gostam de save state. É justamente pela “obrigatoriedade” de se coletar vidas e continues que tivemos de diminuir alguns pontinhos.Valeu pelo comentário Isack. Apareça sempre!

  • Tô meio atrasado mas tô aqui!

    Eu sou um desses que se sentiu meio oprimido diante das cento e tantas fases do jogo. Desisti de terminar quase que instantaneamente quando soube, rs…

    Mas hoje tenho vontade de encarar o desafio. O lance de não ter save e password pode ter sido mancada mesmo, mas sei lá, de repente dá o charme do jogo: muita gente nunca terminou, fica um certo mistério…

    Muito legal o post!

    • Jeff

      Relaxa Gagá! Não precisa se justificar. Nessa sua idade agente pega leve com você (rsrsr!!).
      Realmente, saber que a jornada é longa só encoraja os realmente comprometidos. Acho que tentar salvar o game a cada 30 minutos de jogo não pesa tanto. Afinal, que m o joga no VC do Wii tem a oportunidade de salvar o game, não é?
      Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

  • Gabriel Passos

    virei esse jogo no mega drive em 6:30 sem perder vida meu record muito bom o jogo pegamos os secretos muito doido recomendo

    • Jeff

      Fala gabriel, tudo bem?
      Cara, Kid é realmente um belo game, mesmo sendo longo e às vezes complicado, Parabéns pela façanha, muito bom mesmo!!!

      • Gabriel Passos

         é o jogo é muito bom recomendo virar ele ,alias de ele ser muito difícil mais compensa cada segundo de jogo.

  • Igorfelipe11

    tenho 15 anos e mega drive desde os 6 e a fita desde os 8
    OU SEJA 7 ANOS E AINDA NÃO CONSEGUI VIRAR ESSE JOGO
    PERDI AS ESPERANÇAS QUANDO EU PENSAVA Q IA VIRAR (DEVO TER PASSADO UMAS 70 FASES) A LUZ CAIU
    ENTAO EU DESISTI GERAL mas qualquer dia desses vou tentar MAS NO EMULADOR PQ EU NUM SO BESTA LA PELO MENOS PODE SALVAR RSRSRS

    • Gabriel Passos

      lol  olha tanbem tem o emulador no pc mais no ps2 é bem mais facil por que comtrole é bem mais facil de mecher

    • Jeff

      Sim, o emulador é maneiro nessas horas né Igor.
      Valeu pela participação, meu caro!

  • Jogue os clássicos no PS2. Sabat, eu não sei se turma conhece, mas tem um tempo que foi lançado um emulador com MILHARES DE JOGOS dos consoles antigos – Atari 2.600, NES, SNES, Mega Drive e Master System, só pesquisar “7784 jogos super coleção ps2” no google, se puder põe a dica num próximo post. Vlw

    • Daniel, eu não sei quanto aos demais, eu curto jogar em emuladores separados no próprio PC, mas você acabou de deixar a dica pra galera!
      Valeu

  • Charledias

    melhor game do mega drive nunca zerei no mega mas vou baixar no meu psp para jogar, game inesquecivel para os donos de mega drive e esquecivel para a sega, merecia um kid chamaleon no play 3 ou xbox.

    • Charle, que Deus escute isso e a Sega tome juízo!

  • eu adoro este jogo kid chameleon jogo até hoje kkkk

    • Karlon, como vai você meu caro?
      Obrigado por comentar por aqui. Realmente, esse game é tudo de bom. Eu também jogo algumas fases de Kid de vez em quando.
      Abraço!

  • Cara eu tenho muito orgulho de ter detonado esse jogo, joguei o dia inteiro até pela madrugada, quado derrotei o último chefe o cartucho paralisou, meu irmão menor riu muito da minha cara, em seguida resetei e fiz a mãnha pra ir ao último chefe rsrs!
    Esse jogo merecia sim uma continuação para a geração atual, claro com jogabilidade 2D…parabéns pela ótima matéria ^^

    • Fala amigo Glauco, como vai?
      Orgulho também tenho eu, meu caro. Esse ótimo game merecia um remake ou um reboot épico, com toda certeza.
      E quem é que nunca viveu esses travamentos hem? No seu lugar teria feito o mesmo, já que, game longo, sem save ou passwords, não é justo né?

  • Walter Azevedo Souza

    ESTE JOGO ME FAZ SENTIR MUITAS SAUDADES DA MINHA ADOLESCÊNCIA… BONS TEMPOS!

    • Pode ter certeza que Kid Chamelleon causa isso em muita gente Walter XD

  • Giovani Ge

    nunca consegui terminar esse game, nem no meu mega driver nem no emulador 🙁 mais lembro de ter chegado no terceiro mestre, agradeço sempre a minha mãe, por que na época eu queria um ps1 mas felizmente minha mãe me trouxe um mega driver 3 e nele vinha 71 jogos na memoria, os melhores jogos da minha vida. valeu mano por nos proporcionar tanta nostalgia com esse retro.

    • E aí Gionvani, como vai?
      Cara, Esse é um dos meus games favoritos de todos os tempos e esse review foi escrito com muito carinho!
      Realmente o Mega Drive ainda fala alto nos dias de hoje, boa escolha a de sua mãe.
      Aparece aqui mais vezes, agente fica muito feliz com os comentários!
      Abração!

  • Djon Profeta dos Reis

    sei q o post é antigo… porém kid chameleon fez parte do meu aprendizado…mega drive III…então digo: nostalgia…Só que não…kkk porque sempre volto a jogar…..
    mas vamos lá…jogo difícil no meu aposentado e sem cartuchos MD… lembro de muitos dizerem que era impossível… porém eu tinha o orgulho de dizer que já tinha fechado…seleto grupo… inclusive por muitos anos com os mesmos comentários de dificuldade inclusive nos emuladores… histórias a parte…. vcs já viram um FDP q zera o kid chameleon em 12min47seg. varios warpzones e varias fases…
    uma modalidade chamada tas… que roda direto no emulador… e o melhor descobri uma forma q vc pausa o game, salva e continua jogando onde o cara estava fazendo o corre… muito massa… diversas fases q pulamos… ou warpzones que soh são alcançadas com certos requisitos como por exemplo velocidade, pontuação, não tomar porrada, não pegar item etc… extremamente viciante, muito tempo jogando fases desconhecidas… otimo…

    o video: https://www.youtube.com/watch?v=TA-6uFu-Mfw

    • E ai Djon, como vai gamer?
      Cara, Pedimos desculpas pelo layout do site está bagunçado. Estamos arrumando aos poucos, é muita coisa, mas vamos chegar lá!
      Saiba que aqui no Retroplayers os posts são sempre novidade, afinal somos Retrogamers, há há há!.
      Mano, nunca tinha visto esse video aí. O cara tem de ser muito dedicado pra chegar nesse nível, deve conhecer o game de cabo a rabo.
      Obrigado pela visita amigão. volte sempre!

      • Djon Profeta dos Reis

        conto nos dedos da mão do lula os blogs q eu comento recentemente…preguiça mesmo…kkk
        mas seu post foi otimo… diversas informações sobre um dos meus top 10 games… sobre esse caboco aih? ele não deve ter mulher filho cachorro nem vida… sabe até o tempo de inimigos…affffe…salvei o jogo dele e travei em um nivel com o skatista q é impossssivel de passar… e ele passa voaaaaannnnndoooooo…..afffe…. valeu….positive vibrations…