RetroReview Especial de 3º Aniversário #04 – SONIC THE HEDGEHOG 2 (Mega Drive)


Vinte Anos! Parece que foi ontem que eu estava com meus oito ou nove anos de idade, alugando hora na finada locadora Look Game para jogar Sonic The Hedgehog 2 no Mega Drive. Sim, caros amigos retro-aventurianos… O tempo passa, o tempo voa… Mas as memórias ficam, e a nostalgia também… E é por isso que todos vocês curtirão neste momento um review super clássico de alguém que viveu essa época com muita alegria e diversão!

Quando se cria um jogo de sucesso, qual a fórmula para lançar uma continuação de maior sucesso ainda? Aumentar o número de fases? Adicionar novos movimentos? Criar um parceiro para o personagem principal? E acima de tudo manter a jogabilidade, dificuldade e diversão de seu antecessor? Sim, amigos! A resposta é sim para todas elas e quem sabe algumas coisas a mais! Lançado em 24 de Novembro de 1992 (1 mês após a versão 8-Bit para Master System e Game Gear), Sonic The Hedgehog 2 é o jogo mais vendido do Mega Drive, contando com mais ou menos 6 milhões de cópias negociadas.

A história começa com Sonic fazendo um pouso forçado com seu avião Tornado em West Side Island. Após alguns dias, ele percebe estar sendo seguido por uma raposa de duas caudas. Sonic tenta fugir, mas a raposinha gira rapidamente as caudas como a hélice de um helicóptero até alcançá-lo. Sonic, impressionado com essa habilidade permite que a raposa se junte a ele. Personagem carismático esse, que foi criado em um concurso interno por Yasushi Yamaguchi. Seu criador quis batizar o personagem de Miles, mas o restante da equipe de desenvolvimento o batizou de Tails. Insatisfeito, Yamaguchi lançou o nome Miles Prower, que é um trocadilho com Miles per hour (Milhas Por Hora), mas a raposa foi, por fim, batizada de Miles “Tails” Prower, fazendo Tails se transformar em um apelido, como se pode confirmar no início do jogo. Após alguns dias, eles ouvem uma explosão no centro da ilha. A floresta fora destruída e robôs estavam cercando a área. Sonic já imaginava que o Dr. Robotnik tinha voltado, e estava em busca do poder das Esmeraldas do Chaos para propulsionar o Ovo da Morte (Death EGG). Tails fez muito sucesso, sendo possível controlá-lo por um segundo jogador (player 2), que apesar de ser esmagado, esmurrado pelos inimigos, ou sentando com gosto nos vários espinhos presentes no jogo, ele não morre de jeito algum, tornando-se um personagem invencível e muito útil para ajudar Sonic quando ele está sem nenhum anel. Assim a jogatina single se torna um modo cooperativo em dupla. O carisma da raposa Tails foi tanto, que sua aparição nesse jogo demonstrou o sucesso por meio de outras mídias, como o desenho animado, o OVA, comerciais japoneses e outros.

Esse jogo não foi desenvolvido pelo Sonic Team, mas sim por uma divisão norte-americana da Sega, o Sega Technical Institute. Porém, Yuji Naka e Hirozaku Yasuhara (os programadores de Sonic The Hedgehog) foram aos Estados Unidos para trabalharem em Sonic The Hedgehog 2.

E foi suficiente: ao contrário do que o mais pessimista dos fãs poderia pensar, o jogo foi desenvolvido com maestria, e se tornou rapidamente um dos títulos mais cobiçados e adorados do console. Sonic 2 chegava para mostrar que a franquia poderia evoluir muito, e ele era só o primeiro passo desta evolução.

A jogabilidade se manteve igual ao Sonic 1, com adição de um movimento que acabou se tornando marca registrada nos personagens e também nos jogos seguintes da franquia, o Spin Dash. Bastava segurar para baixo e apertar o botão de pulo para que o ouriço se transformasse em uma bolinha que girava absurdamente rápido, e depois era  só soltar o direcional para ver o personagem sair em disparada na direção em que ele estivesse virado. Além de ser um golpe poderoso que destrói inimigos e abre passagens secretas com facilidade no decorrer das fases (no Sonic 1 era preciso correr e apertar para baixo, e nem sempre o espaço era suficiente, lembra?), o spin dash é muito útil também para se pegar velocidade rapidamente, o que facilita muito na hora e passar por um looping ou subir uma rampa.

Outra coisa legal da jogabilidade de Sonic 2 é que o jogador pode escolher no Options do jogo para jogar somente com o Sonic ou somente com o Tails como o player 1, e deixar o player 2 desabilitado da jogatina cooperativa. Apesar dos ganhos e perdas que isso proporciona, é muito útil jogar com um personagem apenas principalmente se o jogador estiver jogando sozinho, e mais pra frente eu explicarei o motivo.

Há também um modo competitivo 2 players, onde Sonic e Tails percorrem os estágios Emerald Hill, Casino Night e Mystic Cave para terminá-los em menor tempo possível, fazendo a maior pontuação possível, coletando o maior número possível de Rings e monitores quebrados, e o estágio especial, que vence quem coletar mais Rings

Os gráficos não sofreram grandes mudanças, e continuam com cenários pra lá de bonitos e coloridos, assim como o primeiro Sonic do Mega. É claro que houve uma evolução natural das coisas, o nível de detalhamento é obviamente maior, as cores são mais vivas, os cenários estão mais animados e cheios de efeitos, mas tudo dentro dos conformes de uma continuação bem feita. Já as etapas do jogo sofreram uma alteração drástica em sua contagem: em Sonic 1 as zonas vão até o Ato 3, em Sonic 2 vão apenas até o Ato 2, só que mesmo assim o jogo não ficou menor, muito pelo contrário: o número de zonas diferentes é realmente enorme, e essa diminuição no total de atos foi realizada em prol dessa enorme variedade de cenários distintos. Não se lembra de quais são estas zonas, caro amigo retro-aventuriano? Eu refrescarei sua memória então, pois de ZONA eu entendo! São elas: Emerald Hill, Chemical Plant, Aquatic Ruin, Casino Night, Hill Top, Oil Ocean, Metropolis, Sky Chase, Wing Fortress, e finalmente Dead Egg. Uma das zonas mais legais do jogo é a Metropolis, a única que possui 3 Atos. Já a Sky Chase e a Wing Fortress são fases de Ato único, e a Sky Chase não tem chefe.

Falando em Chefe, nosso querido e divertido vilão Dr. Ivo Robotnik (ou Dr. Eggman, sei lá XD) está de volta, e com invenções cada vez mais engraçadas a lá Silvio Santos. A maioria delas são fáceis de derrotar, algumas outras dão um trabalhinho a mais, principalmente na última fase, onde o jogador precisará de muita habilidade para enfrentar os dois últimos chefes sem nenhum Ring. Mas como disse anteriormente de modo geral, a dificuldade não é muito diferente de seu antecessor, sendo que neste é preciso usar e abusar do Spin Dash, seja em alguns locais das fases, ou em batalhas contra os chefes.

Chegamos naquele ponto que pra mim é crucial: a trilha sonora! Emerald Hill já começa com um som bem animado, estilo início de aventura mesmo. A agitação é nostálgica e emocionalmente empolgante. Seguindo para Chemical Plant, temos então um dos temas mais memoráveis de todos os tempos, com aquela sensação de “a aventura continua, siga em frente!” Em Aquatic Ruin, outra música super agradável que dá boa vida ao tema desta etapa arcaica e esquecida, sem falar no quanto essa música representa algo tranqüilo, como o vento e a natureza. Na Casino Night, assim como na fase, a música também lembra um pouco a Spring Yard de Sonic 1, sendo essa versão um pouco mais agitada. É uma musica que realmente deve ser muito boa de ouvir dentro de um Cassino de verdade! Em Hill Top estamos caminhando para a metade do jogo, onde a música também é animada porém não muito agitada, mas garante boa diversão sonora. Seguindo para Mystic Cave, a coisa começa a ficar tensa nessa música que indica uma etapa de pouco amigos. Oil Ocean creio que seja a única música que não agradou não só a mim como também a maioria dos jogadores… musiquinha sem sal. Chegando em Metropolis curtimos um som tão bom quanto a Chemical Plant. Ficou demais para a única zona de 3 Atos, empolgante e emocionante! Sky Chase te dá uma sensação infinita de tranqüilidade. Wing Fortress agita um pouco e te prepara para a fase final, com clima tenso e curioso, e Death Egg finaliza com um som misterioso, fazendo um bom papel para o que virá em seguida. Além dessas fases comuns do modo normal de jogo, temos os Temas Exclusivos para o modo Competitivo 2 Players de Mystic Cave, Casino Night e Emerald Hill, todas em versões agitadas e animadas para que os jogadores possam desfrutar a máxima diversão de ganhar (ou perder) para um amigo.

Dr. Robotnik também tem seu tema, desta vez um som Agitado e Incrivelmente Fantástico, que cria uma determinação de vencer na mente do jogador, diferente do tema do Dr. Robotnik de Sonic 1, onde a música é Tensa e menos Agitada.

A banda japonesa Dreams Come True fez a fantástica música de final do jogo, Sweet Sweet Sweet, que possui versão cantada.

Finalizando a parte da música, (que eu adoro, como se vocês não soubessem disso ^^) aproveito para falar de um dos sons mais empolgantes de todo o jogo, o tema do Estágio Especial. A Agitação é total, a emoção também! O Clima esquenta com Sonic percorrendo as fases especiais coletando Rings em três etapas consecutivas, até chegar a Esmeralda do Chaos. Para entrar nessas fases, Sonic deve atingir uma placa de Check Point com pelo menos 50 Rings. Mas esse estágio especial é odiado por muitos que acham o mesmo tão difícil quanto chato. Essas pessoas podem não ter percebido, mas o problema principal está no Tails.

Como eu disse lá em cima, jogar com Sonic e Tails só é bom quando o Tails for controlado por um segundo jogador, e nas fases especiais é onde mora o maior perigo, já que a raposa, quando controlada pelo computador, segue os movimentos de Sonic pouco tempo após o player 1 executá-los. Ou seja, se Sonic pular desviando de um inimigo bem de perto, Tails pulará atrasado, errando o pulo, tomando o dano, e perdendo preciosos Rings. Isso sempre acontecerá e não só na hora dos pulos, mas também desviando para os lados. Se você é uma dessas pessoas, curta o jogo somente com Sonic ou somente com Tails e tente passar os Estágios Especiais para coletar as Esmeraldas do Chaos, que nesse jogo curiosamente são sete, já que em Sonic 1 eram apenas seis.

Esse fato das Esmeraldas serem em sete gerou uma curiosidade ligada ao anime Dragon Ball Z e seus Super Sayajins: a criação do poder Super Sonic. Ao coletar as Sete Esferas do Dragão… Digo… Ao coletar as sete Esmeraldas do Chaos, se você tiver pelo menos 50 Rings e der um pulo, Sonic se transforma em Super Sonic, adquire um tom Amarelo Dourado assim como os Super Sayajins, e se torna virtualmente imortal. No Japão, a primeira vez em que Goku se transformou foi no capítulo 95, que foi ao ar em 12/06/1991. A curiosidade aumenta sabendo que Sonic The Hedgehog para Mega Drive foi lançado em 23/06/1991. Por pouco o primeiro jogo da série para mega poderia ter o Super Sonic, já que Yuji Naka sempre foi um grande fã de Dragon Ball Z e se inspirou totalmente nos Super Sayajins para criar o ouriço dourado. Isso talvez explique o fato das Esmeraldas do Chaos aumentarem de Seis para Sete, e este número ter se mantido nos seguintes jogos da série. Enfim, Super Sonic é imortal até que um esmagamento, um afogamento ou um buraco sem fundo lhe mostre o contrário, e a cada segundo que se passa, é gasto um Ring do total que o ouriço carrega. Este é o tempo que dura a transformação: quando eles zeram, Sonic volta ao normal. É possível sempre colher mais rings para manter a transformação ativa, mas uma hora eles acabam… Ou eles ou a etapa!

Em 2010, dois grupos entitulados Sonic Retro e S2hd anunciaram na internet uma versão refeita em HD do game do ouriço, uma inspiração que eles tiveram ao ver o game Super Street Fighter II Turbo HD Remix da Capcom. Dois anos depois eles disponibilizaram uma versão demo que estava ficando realmente bem promissora, mas em abril o projeto infelizmente foi cancelado: mensagens maliciosas apareceram no sistema Direct Input, e também houve a demissão de dois membros que refizeram os personagens e os cenários.

Ainda neste campo do informal, pra quem não sabe, existe um jogo que foi batizado de Sonic 2 Beta, um protótipo que, segundo alguns rumores, dizem que foi uma versão convertida por um Chinês e lançada ilegalmente por empresas piratas, antes mesmo do lançamento do jogo original, e segundo outros rumores, dizem que foi um arquivo beta de dados que vazou inexplicavelmente da Sega para um fórum, onde hackers fizeram o favor de pegar estes arquivos e adicioná-los a uma rom do game Sonic 2 de modo tornar o game maior. Lembro de ter alugado esse jogo!! Essa versão vinha com as seguintes fases a mais, retiradas na versão final que chegou às lojas: Wood, Genocide City, Hidden Palace e Dust Hill, além da Death Egg ser a fase 1 da Chemical Plant. Das 4 primeiras que citei, 3 delas teriam as músicas que foram utilizadas no modo competitivo 2 players do jogo, e a fase Hidden Palace tem uma música exclusiva que é o som número 10 do Sound Test do jogo original, que provavelmente por descuido, não foi retirado. Olhem só como essas fases são legais:

O mais legal de tudo é saber que algumas dessas fases podem ser acessadas no jogo original por meio de um código de Game Genie, mas é mais fácil jogar a rom modificada que já inclui todas elas né? Que tal se o Retroplayers desse um jeitinho de você conseguir essa rom para rodar no seu emulador predileto, heim?

E você deve estar se perguntando, amigo retro-aventuriano, qual foi o motivo que fez  a Sega não manter essas fases na versão final do jogo… Provavelmente seus executivos acharam que o jogo estava ficando longo demais, e isso poderia prejudicar o game play, mas também há quem diga que estas zonas estavam destinadas a uma versão incrementada do game que deveria ter saído para Mega CD e que, além de outras coisas, conteria viagens no tempo e uma explicação para o surgimento das Chaos Emeralds. Obviamente este jogo nunca saiu, e o game Sonic CD acabou herdando as viagens atemporais.

Eu tenho 300% de certeza de que você já jogou Sonic The Hedgehog 2. Se não o fez, a única explicação seria não ser fã de um dos mascotes mais clássicos e queridos de todos os tempos. Eu mesmo, que sou um colecionador fanático de Famicom, adoro esse jogo, e tive o prazer de desbravá-lo inúmeras vezes, ou seja, qualquer um pode jogar e se divertir muito com esse game, uma enorme pérola em meio ao mar de jogos que o Mega Drive possui. Não perca tempo, retro-aventuriano, e vá já detonar essa grande aventura do porco espinho mais querido do universo!

Dicas e curiosidades:

  • Código de Seleção de fases: No Options, toque as músicas na seguinte ordem: 19, 65, 09 e 17 (que significa a data de nascimento de Yuji Naka, programador principal do jogo “17/09/1965”), se ouvir o som de um RING, segure o botão A e aperte START. Mantenha o botão A segurado na tela de título e aperte START novamente. Ao invés de começar o jogo, você entrará na tela de seleção de fases.
  • Código para virar Super Sonic: Na tela se Seleção de Fases, toque os sons na seguinte ordem: 4,1,2 e 6. Se ouvir o som de uma Esmeralda do Chaos, o código deu certo, basta escolher uma fase, coletar pelo menos 50 Rings e pular para se transformar.
  • Código para o Truque das Mil Faces: Na tela de Seleção de Fases, toque os sons na seguinte ordem: 1,9,9,2,1,1,2 e 4 (data de lançamento do jogo, “24/11/1992”). Se ouvir o som de um Ring, o código deu certo. Escolha uma fase segurando os botões A e B, e aperte START.

Todos os códigos funcionam em conjunto, e se você executar todos, basta se transformar em Ring e colocar vários Rings na fase. Daí pegue os Rings e pule para se transformar em Super Sonic. Curiosamente esse Truque das Mil Faces virou até quadro da Revista Ação games, com as caretas mais bizarras e engraçadas!

  • Tails ou Miles? Curiosidade: Jogando o game num Mega Drive japonês, o nome do Tails virá como “Miles”. Na versão americana ou européia do Mega Drive, o nome do personagem vem como Tails. É possível mudar o nome, usando a seguinte dica: na tela-título, faça cima, cima, cima, baixo, baixo, baixo, cima. Um som de anel confirma a dica.

Fim


Sobre Rokuman Senpai

Fã assíduo de Rockman / Megaman e também confiante do sucesso futuro de Mighty9. Defensor do Famicom / Nes com todas as armas inimagináveis. Mendorato + Skoll + Jogos Clássicos + Rokuman Senpai = Diversão Garantida! ^^
Adicionar a favoritos link permanente.