RetroReview Especial: Chuva de Tiros no Mega Drive #15 – Truxton


Sabe quando as vezes a gente resolve jogar novamente aquele game do passado ao qual nossas lembranças estão vagas e fragmentadas pelo tempo, e a gente joga e de repente percebe que avançar naquilo é difícil demais, só que quanto mais a gente se esforça e avança, mais lembranças vão vindo e a vontade de continuar resgatando esses fragmentos do passado só fazem aumentar a vontade de saber até onde a gente havia conseguido avançar naquele game? Este foi eu tentando não morrer enquanto jogava novamente Truxton, o shmup da bomba-caveira!

1990 e qualquer coisa, eu e meu Mega Drive éramos parceiros inseparáveis, e a busca pelo próximo jogo a ser detonado era algo corriqueiro nos finais de semana. E a regra era mesmo detonar os jogos, nem que levássemos para isso alguns suados dias a mais, que custavam caro no bolso do jovem cidadão não-assalariado.

Mas é claro que vira e mexe me apareciam algumas pedras no sapato, ou pedregulhos, ou um paralelepípedo vez ou outra, e quando esses últimos resolviam pintar, o joanete chorava de dor! Eram os casos em que eu precisava alugar o jogo várias vezes para conseguir um avanço significativo, e isso não quer dizer que eu conseguia terminar eles não… Muitos destes detonaram foi é com a minha paciência, como Gaiares, The Ooze (tranqueira maldita), e um tal de Truxton

E desse, caro amigo retroaventureiro, eu apanhei sem dó.

A caixinha não negava o estilo: Shmup clássico de tela vertical, o tipo de jogo que todo mundo gostava de jogar naquela época, mas que poucos conseguiam se dar bem, e eu definitivamente não estava incluído nessa turminha. Até conseguia terminar um shmup ou outro, mas quando os mais difíceis apareciam, era só na base da insistência que eu obtinha algum sucesso, e nem sempre o bolso me deixava insistir o suficiente… A saída do pobre era conseguir a fita emprestada com alguém, ou trocá-la nas barraquinhas da Lapa, e quando isso não era opção, o jeito era mesmo jogar a toalha, sair de mansinho da locadora, e fingir que aquele jogo desgraçado não existia para que o orgulho parecesse menos esmigalhado.

Quando aluguei Truxton pela primeira vez, eu mal sabia que estava entrando em um perigoso círculo vicioso que iria durar várias semanas: alugar, me estrepar, devolver a fita, e assim sucessivamente até que meu orgulho gamer (e a fome na hora do recreio) me obrigasse a tentar algumas das outras opções! Ele custou a ser vencido… O meu orgulho, não o maldito jogo!! Esse desgraçado se manteve firme e forte na lista de títulos que haviam me nocauteado, mas ainda faltava muita lenha pra queimar até a história ficar completa.

O paralelepípedo em questão foi criado pela lendária Taoplan, softhouse famosa pelos pelos seus vários e dificílimos shmups desenvolvidos durante o final dos anos 80 até a metade da década de 90, quando a empresa decretou falência (ou para ser mais exato, decidiu não pagar o dinheirão que devia) e fechou as portas. Ela é considerada uma das precursoras do estilo Bullet Hell, e na verdade nem é preciso muito esforço para se perceber isso! O game chegou primeiramente aos arcades em 1988, e no finalzinho do ano seguinte, foi portado para Mega Drive e Pc Engine em duas adaptações que surpreendentemente superavam o original, coisa rara de se ver!

Primeiramente, as músicas e efeitos sonoros são totalmente diferentes na versão para Mega Drive, em geral bem melhores que o original em qualidade de som, e a versão para o console da NEC é uma trilha remixada que pegava a original e a deixava muito mais completa, agradável e rítmica! O negócio é que estas músicas em suas versões originais de arcade são tecnicamente muito pobres, e independente das composições serem diferentes no Mega Drive, ainda assim o som é mais rico e gostoso de se ouvir no console da Sega. Já  quanto as composições no PC Engine, ai se torna questão de gosto, mas posso afirmar que após ouvir as trilhas originais na versão remixada do console, não tive como não achá-las bem mais agradáveis e bonitas que as criadas para o Mega Drive. Meu veredicto final será dado quando eu jogar a versão NEC deste game pra valer, pois os HU Cards terão a sua vez aqui no RP! Podem me cobrar!

Na parte gráfica, ambos ficaram mais bonitos e detalhados, com cores mais vivas e vibrantes, e se você só jogou a versão para o console da Sega, fique sabendo então que o nível de detalhamento aplicado a ela dá um banho nas demais, sem contar que ela foi a que teve mais passagens refeitas e redesenhadas de modo fazer uso do potencial gráfico que era comum ao console naquela época. Ainda assim, o game estava no limiar do aceitável: Truxton possuía gráficos medianos, bem comuns até, daqueles onde canhões e fileiras de tanques em movimento explodem e deixam aqueles buraquinhos no chão brilhando vermelho que nós já tínhamos visto centenas de vezes em outros shmups espalhados em bares e fliperamas por aí. Os efeitos especiais usados eram bem básicos, e nem o super comum Parallax em momento algum fora empregado para garantir aquela bem vinda melhoria na sensação de profundidade no cenário, e posso dizer que tecnicamente falando, a única coisa surpreendente é a rotina de rotação de sprites que um certo modelo bem comum de nave inimiga apresenta, se bem que eu não consigo identificar se é realmente rotação ou apenas vários sprites diferentes se revesando para causar o efeito, o que é bem mais provável se levarmos em consideração que ainda estávamos em 1989. Em compensação, isso deixava o game sempre muito leve, e não dá pra sentir a menor queda de framerate durante a jogatina toda, o que reflete positivamente na jogabilidade do título.

Controlar a nave é muito fácil, e a configuração de botões ajuda muito nisso: tiro, bomba, e rapid fire. Resumindo, soque o dedo no botão de tiro ininterrupto enquanto controla a nave pra cá e pra lá desviando de tiros inimigos, solte algumas bombas aqui e acolá, e a única coisa que você precisará se preocupar fora isso será com a coleta de itens e power-ups. Estes aparecem obviamente quando detonamos inimigos tanto aéreos quanto terrestres, e vão de vidas e bombas extras a armas e upgrades. São 3 tipos de armas: vermelha é o tiro normal, que tem alcance lateral e bom poder destrutivo; azul é o raio tele guiado que gruda em inimigos grandes, mas que obviamente, é o mais fraquinho; e verde é a rajada laser, que destrói mais que o Hulk, mas vai reto e não tem alcance algum nas laterais. Todos ficam mais fortes à medida que pegamos power-ups, o que inclusive faz aparecerem 2 droids de apoio que aumentam muito o poder e o alcance dos tiros, e um escudo que rodeia a nave e nos protege das irritantes trombadas em inimigos menores que aparecem principalente por trás, mas não de seus tiros. Um ponto interessante é que a troca de armas não reseta o poder corrente: podemos trocar de canhão recolhendo o item correspondente sem problemas que só vai mesmo trocar o tiro, o poder de fogo continua. Obviamente que ele vai pro vinagre se formos abatidos, isso é sem dó: morreu, perde tudo, inclusive a velocidade, que também é controlada por itens recolhidos e deve ser muito bem dosada para não deixar a nave incontrolável.

Truxton é um game contínuo. Quando vencemos algum chefe de fase, sempre gigantes por sinal, não ganhamos nenhuma mensagem de congratulação, e nem a tela escurece ou aparecem frases dizendo que passamos de fase: o negócio apenas continua em frente sem parar até o último chefe do game. Paralisações só acontecem quando morremos, onde assim como nos outros jogos da Taoplan (bando de sadomasoquistas) somos obrigados a voltar um belo pedaço do caminho, e se morrermos de novo, voltamos mais e mais até chegarmos ao início da fase. Sim, o negócio é apelativo, pois os estágios são enormes e cheios de sub chefes quase tão difíceis quanto os próprios inimigos finais, o sprite da nave é grande e a área de colisão dela é enorme, o que somados a inimigos que vem sempre aos montes desferindo tiros certeiros, rápidos e ininterruptos, transformam Truxton em um game que definitivamente não é para todo mundo. São precisos reflexos ninjas para se desviar da saraivada de tiros e uma memória muito boa para decorar todas as ocasiões onde o perigo de morte é iminente, e fora isso, a única  coisa que pode nos salvar nas horas mais apertadas é algo que, sem dúvida, é a grande marca registrada do game, e provavelmente a coisa mais legal dele: a devastadora Bomba Caveira!

Este item em especial foi a resposta para uma dúvida que eu tive quando comecei a jogar Truxton novamente depois de tanto tempo: a cada metro de terreno que eu avançava, sempre me vinha sensação de que eu já conhecia aquilo, o que se comprovava quando eu enfrentava algum sub-chefe ou chefe de fase e as memórias das surras do passado voltavam dolorosamente à minha cabeça. E por mais que eu avançasse, isso continuava, só que a dificuldade era tamanha que eu não conseguia entender como eu havia conseguido avançar tanto naquele game quando garoto! Tudo bem, eu aluguei bastante o bendito jogo, e não tenho recordação alguma de tê-lo finalizado, mas até onde eu havia chegado? E como eu fiz isso? A resposta era uma só: a Bomba. Ao se usar este item, uma enorme caveira de energia varre para o limbo tudo que está na tela, inclusive raios e projéteis inimigos, sobrando só os mais parrudos que ainda assim, sofrem um belo dano. A quantidade de bombas disponíveis é bem limitada, e é comum tentarmos ao máximo não acabar com elas no meio das fases em prol de usar todas nos dificílimos chefes, e era assim que eu estava jogando atualmente, tudo normal! A dificuldade era absurdamente alta, e eu não conseguia se quer chegar ao chefe da segunda fase do jogo, mas eu sabia que quando garoto, mesmo não tendo terminado o jogo, eu tinha ido bem mais longe que isso, e foi então que eu lembrei de algo…

A princípio, foi só uma vaga recordação de algo envolvendo a caveirona, mas assim que eu testei, a memória do dia em que eu sem querer acabei descobrindo aquilo transbordou no meu cérebro: eu estava jogando, sentado no carpete da sala com as pernas cruzadas e os olhos vidrados na TV, atenção total para o exato momento de soltar a bomba quando aquela nave gigante desgraçada aparecesse e… MINHA IRMÃ PASSA NA FRENTE DA TV. Eu já havia soltado a bomba, o dedão voou automaticamente para o botão de pause e ficou aquela caveirona estampada na tela! Me lembrei como se fosse hoje dela dizendo “credo, que caveira feia!” enquanto eu xingava a menina e ao mesmo tempo ouvia os berros de minha mãe na cozinha mandando a gente calar a boca, e depois que ela saiu e eu soltei o pausa, o inimigo explodiu… Não demorou 2 minutos para eu entender o singelo errinho de programação que existia ali: pausar o jogo renovava e amplificava o efeito da Bomba! Era como se a cada pausada, eu soutasse outra bomba nova, e agora estava claro para mim que foi devido a isso que eu havia conseguido avançar tanto naquele game! Era soltar a caveira e fuzilar o botão de pause o mais rápido possível que, se o inimigo não explodisse, no mínimo ficava bem detonado!

Caro amigo retroaventureiro, sim, é trapaça, mas e daí? Quem mandou o pessoal da Taoplan deixar passar? Problema deles: o importante é que relembrar isso foi emocionante, um sorriso enorme brotou em meu rosto, e foi graças a isso que eu finalmente consegui terminar este jogo, agora, tanto tempo depois. Não consegui definir exatamente até onde avancei quando garoto, mas não tem problema, pois a missão estava cumprida, e Truxton finalmente saiu daquela maldita lista de jogos que me destroçaram a moral.

Truxton é um game antiquado até mesmo para sua época, mas fez bastante sucesso no Mega principalmente devido a ser mais um port de arcade muito bem feito, o que era de praxe aparecer no console. Praticamente todo dono de Mega Drive daquela época  deve ter jogado esse game ao menos uma vez, o que nos leva à afirmação de que, se ele não é um dos melhores shmups do console, definitivamente é um dos mais famosos, o que já é muita coisa se levarmos em consideração o elevado número de jogos dessa linhagem no aparelho.

Infelizmente Truxton 2, o penúltimo trabalho da Taoplan antes de fechar as portas, não chegou a ser lançado para nenhuma plataforma caseira popular (só saiu no Japão para o super PC FM Towns), o que é uma pena, pois certamente ele teria feito um enorme sucesso no Megão, e teria aumentado significativamente a quantidade de fãs que a franquia já tem (ou teve) no console. Mas se você, assim como eu, foi ou é fã de Truxton, quer jogá-lo novamente, mas precisa de um incentivo a mais para voltar a passar nervoso com o game, fique sabendo então que eu descobri recentemente que a versão para Mega Drive possui nada mais que 5 finais diferentes! Pois é, caro amigo retroaventureiro, são cinco encerramentos, mostrados um a cada vez que você termina o game de maneira consecutiva, e o primeiro é o pior deles. Reparou que no canto direito da tela, acima da palavra STAGE, está escrito ROUND? Pois é, isso marca em qual JOGADA você está, e você só verá o grande e verdadeiro final do game quando terminá-lo 5 vezes seguidas!! Pelo menos não importa a dificuldade, o que vale é a maratona: pode jogar em qualquer um dos 3 níveis de dificuldade que os finais serão mostrados do mesmo jeito, e particularmente, a única diferença que notei do EASY para o NORMAL é que nesta primeira opção os continues são infinitos, e acredite: você vai precisar demais disso! Nem preciso dizer que eu passei longe do HARD né?

E você pensando que a Capcom era malvada por te fazer jogar GnG duas vezes seguidas… QUEIME NO INFERNO TAOPLAN!

 .

Confira todas as partes deste especial:

#1 – Thunder Force II 

#2 – Gley Lancer

#3 – Musha

#4 – Elemental Master

#5 – Battle Mania

#6 – Arrow Flash

#7 – Battle Mania Daiginjou

#8 – Thunder Force III

#9 – Eliminate Down

#10 – Air Buster

#11 – Burning Force

#12 – The Steel Empire

#13 – Gaiares

#14 – Sol-Deace/Feace

#15 – Truxton (este review)

#16 – Hellfire

#17 – Gadget Twins

#18 – Gynoug


Continua


Sobre Sabat

Editor Chefe do RetroPlayers, Redator e Editor nos Livros e Revistas WarpZone, Podcaster e editor de áudio, Saudosista, e Analista de Informática porque algo tem que dar dinheiro né!
Adicionar a favoritos link permanente.
  • Ulisses Seventy Eight

    Truxton jogão cara, eu sou fã real desses generos de jogos, sempre me senti um piloto quando jovem e até hoje recordo com alegria disso.
    Truxton II tem no MAME para jogar e é um lindo jogo.
    O FM Towns é mais dificil que um PC Engine, poruqe é raro e caro demais, além de não ter mais disquetes, apesar de ter tambem jogos em CD.

    Infelizmente eles não lançam mais jogos assim hoje, praticamente estão extintos.

    Valeu pela recordação.

    Abraços

    • Opa Ulisses, cara, hoje em dia é raridade demais achar shmups viu. Quando aparecem, é pra ser jogado por que nossa, demora para aparecer outro!!

      Eu ja vi um FM Towns! Ele tem jogos em CD e as caixas são enormes kkk lindas e trabalhadas, um baita cuidado com a embalagem maninho, coisa que antes era comum, e hoje é só edição de colecionador.

  • a galerinha lá na locadora achava q raiden trad era truxton 2 hehe

    • eita porra ahuhauUAhau se eles vissem então o verdadeiro truxton 2 eles babariam kkk

  • ganon,o destruidor

    e incrível como o mega tem tantos jogos de nave , nesse aspecto ele detona o snes ,assim como snes detona ele em rpgs , mais o que mais me impressiona e o fato de a grande maioria dos shumps serem bons .

    truxton não podia estar de fora e outro clássico shump do megao e alias foi o primeiro que joguei do mesmo ,e concordo com vc esse e o shump mais conhecido mesmo

    • Pois é Ganon, Truxton TODO MUNDO JÁ VIU, esse é celebridade kkk Merece estar na lista só por isso XD mesmo não sendo um dos melhores ^^

  • TH

    Ótimo texto Sabat!!

    Quando é contado cheio de lembranças e não só os aspectos técnicos, fica muito gostoso de ler.

    Essa da bomba é ótimo, realmente transporta a gente quando nós nos lembramos.

    E é muito legal o contraste, antigamente quando a gente achava glitches assim dava mesmo um sorriso no rosto, ainda mais por a gente mesmo descobrir. E a gente usava sem dó.

    Hoje em dia se fico sabendo de alguma glitches e algum jogo atual eu fico bem longe, pq os games de hoje já são fácil o bastante. E mesmo se eu descubro, não é sorriso que vem no meu rosto não, é um generoso tsc tsc, e me recuso a usar para poder jogar o game como foi feito para jogar.

    Hoje até nos jogos antigos eu corro dessas técnicas nos games mais clássicos e que são justos, por exemplo a clássica queimada no Yellow Devil no Mega Man 1, vou de Buster mesmo, rs.

    Mas com certeza os games que a gente descobria o glitche, é uma coisa toda especial. Pois faz parte da nostalgia, até hoje uso o glitche do game TMNT do Nes para estourar as barragens usando menos mísseis, como eu disse a gente se sente jogando exatamente como jogava naquela época.

    Nem preciso dizer que nunca joguei esse game, mas lembro muito bem dessa caixinha, tinha em todas as locadoras, muito clássica e bonita. Pura nostalgia essa caixinha, me lembra locadora!

    Parabéns mais uma vez pelo texto!

    • Opa mano XD

      Esses glitches, que a gente conhecia pelo simples nome de BUG, são velhos companheiros dos tempos áureos dos 8 e 16 bits cara kkkk naquele tempo realmente era legal achar um, pois os games eram tão difíceis que nós nos sentíamos presenteados quando achávamos um! Tipo Megaman 1: com ou sem glitch, o jogo continua tão difícil quanto qualquer jogo atual, onde pelo contrário, quando achamos um glitch, é algo feio e tosco…

      Eu lembro de mais glitches mano XD tinha o do Blaster Master que eu vi na revista Videogames como DICA cara kkkkkkkk brincadeira? Esse do Mega Man é clássico, e tem o de Sonic 1 na Scrap Brain Zone 3, que permite passar por dentro de uma parede e sair no fim da fase kkk isso eu vi como DICA também XD

      Se pá, vamos recolher os glitches e fazer uma matéria XD

      • TH

        Eu chamava de segredo mesmo, kkkkkkkkkk

        Bug é uma palavra que eu só passei a usar muito tempo depois quando comecei a fazer programa, digo, quando comecei a programar.

        Esse glicthes que nos beneficiam eu chamava de segredo, os que fazia mal eu chamava de defeito, e quando o game travava eu chamava de interferência, kkkkkkkkk. Como eu gostaria da minha inocência de volta, era tão mais divertido, kkkkkkkkk

        E sim, as revistas mostravam como dica mesmo, até aquele Glicth do Super Pitffal de atravessar a parede ele apresentavam como dica, kkkkkk

        E mano, uma ideia sensacional essa matéria sobre esse tema!!!!

        Valeu sabat!

  • aki é rock

    Cara eu me lembro desse jogo só pela capa na locadora onde jogava tinha mas nunca tentei joga lo achava demais a arte que tinha na caixa da fita.Muito interesante saber que um jogo desse nivel ter 5 finais ainda naquele tempo hein pelo que me lembro só vi um jogo desse jeito era o Darius de psx.
    Que tinha as rotas que você escolhia e depedendo do qual você ia enfrentava um boss diferente e via sempre um final novo bons tempos esses viu.Mas ai esse vai para a minha lista de jogos a jogar um dia desses e essa dica do pause é bem maneira vou usar bastante hehehehe.

    • Eu lembro do Darius, tinha no Mega também! as fases iam bifurcando e no final, dava pra fazer uns 6 caminhos diferentes né? XD Vou falar dele aqui tb mano XD acho que o de Mega era o Darius II = Sagaia no ocidente, mas essa franquia tem jogo pra cacete principalmente no PCEngine!

  • Hely Junqueira

    Ótimo texto Sabat:

    Truxton é muito especial para mim: foi o primeiro jogo de nave que joguei, o vi pela primeira vez no arcade e tenho quase certeza que tinha um Mega Drive dentro da máquina já que depois que se perdia a ficha aparecia que tinha alguns créditos restantes só que o Start não funcionava…não me lembro se aparecia o nível de dificuldade do lado direito…isso faz mais de 20 anos…heheheheh…..também nunca fui muito longe nele já que ficava empacado na segunda fase e se no Mega em casa já é dificil, imagina na base da ficha no arcade =C

    Concordo com você que Truxton também não é um primor tecnicamente, mas é um dos jogos de navinha que mais tenho carinho ao lado de Raiden e Sonic Wings…XD

    Esse macete da bomba eu já tinha lido em algum lugar, mas a gente descobrir meio que na “cagada” como você fez é muito mais da hora né? o

    Não sabia dessas parada do 5 finais, será que funciona também no arcade?

    • Vixe mano, nem eu lembrava, acho que ninguém lembrava na verdade kk tanto por que ninguém sabia dessa dos 5 finais e por isso não ligavam para esses detalhes na tela , o que importava era a quantidade de bombas e de naves extras XD

      E foi mano… na cagada kkkk como é legal quando acontece isso XD ai vc sai contando pros outros e ninguém acredita kkkkkkk

      Mano, os 5 finais são só na versão MEGA, no arcade é 1 só, assim como no PC Engine.

  • William

    Valeu pelo post Sabat! Estava esperando ansioso. Apesar de não ser um grande conhecedor do gênero, para mim Truxton é o melhor shmup do Mega. Apesar de ter sido lançado nos primórdios do 16 bits, ele tem gráficos muuuito bem acabados, sprits bem detalhados, muito coloridos e bonitos. é notável que os gráficos tem um padrão “arredondado” com efeito de brilho, para dar a impressão de que as construções são orgânicas, mas ao mesmo tempo metálicas, as naves, os chefes, etc. No quesito gráfico, para mim, o game é lindo. A jogabilidade é simples, mas perfeita, a movimentação da nave é fluida, sem travamentos nos movimentos. O som também é excelente. Dá pra notar que sou fã do jogo né? Não consegui parar de jogar até finalizar. Na minha humilde opinião é um jogo quase perfeito. Achei que 71 foi uma nota pequena, poderia ser um pouco mais. Valeu!

    • Opa Willian XD já tava no esquema ele ja XD iria sair mesmo que você não tivesse pedido kkkk foi coincidência ^^

      É rapaz, para a época dele, ele é muito bem feito, um grande port, mas analisando friamente, ele é graficamente e sonoramente bem simples! Não importa muito na hora da diversão, principalmente naquela época, mas mesmo assim, o maior trunfo dele é ter sido MUITO famoso e conhecido!!

  • Tenho essa fita até hoje mas só zerei essa budega no emulador, vai ser difícil assim la na China!

    • É difícil demais cara, não me vejo zerando isso no normal não, apelativo demais!!!!!

    • William

      Também tenho esse cartucho, é um dos meus favoritos! Hoje em dia consigo zerar, mas somente no modo easy, como diz o Sabat. Tem uma coisa interessante nesse jogo em relação aos níveis de dificuldade. A única coisa que muda de um nível de dificuldade para outro é o número de Continues. No “easy” eles são ilimitados, nos outros níveis eles acabam. No normal acho que são 5 continues.

      • No Normal são 6 continues, no Hard devem ser 3 XD Masoquista Mode kkkkkkkkk

  • mas um jogo de nave para eu terminar. e na capa, algo nela, o boss me lembra Anthrasax….

    • rapaz, que diabos é Anthrasax? kkkkkkkkkkk

  • elcioch

    pelo que li nos outros coments, tem fan aqui desse game!
    mas eu não! na epoca eu achava fodão a bomba caveira, aquela imagem ficou estampada na memoria! devia ser um puta game!

    mas só fui jogar no emu! e descobri (na minha opinião) que o game era muito repetitivo! terminei round 1 2 3…. percebi que talvez terminando os 5 eu finalmente chegava no fim dessa bagaça, mas eu ja tava super enjoado de ver tanto repeteco!
    desisti e por fim deletei! adeus truxton! a unica coisa que tu me chamou atenção foi a bomba caveira! he he!

    • É sim mano, bem repetitivo, mas assim são todos os shmups da época né XD Mas não negue, A BOMBA CAVEIRA É LEGAL PAVAS KKKKKKKKKKKKK

  • sergio trajano

    Fala Sabat!!!

    Cara, mais um excelente e inspirador post com a sua assinatura. Ri muito quando escreveu: “Ele custou a ser vencido… O meu orgulho, não o maldito jogo!!” hahahahahahahaha

    Só fiquei um pouco triste por saber que uma empresa que marcou nossa infância, que nos deu tanta alegria (e raiva!!) fechou as portas. Triste mesmo. : (

    Valeu Sabat.

    • Fala Sergio, beleza? XD
      Só pra constar: finalmente vou começar a jogar Saturn XD Shinobi no esquema o/ Chegou meu cabo A/V e a TV nova XD, agora é só começar ^^

      Infelizmente só tenho 2 jogos até o momento, mas vou TENTAR convencer o Senpai a me emprestar o Megaman 8 dele XD

      E velho, MUITAS empresas acabaram né… essa foi só uma delas. Qualquer dia faço um tópico só sobre isso ^^

  • Diogo Farias

    Já tinha visto a capa desse jogo!
    Mas nunca joguei porque nunca fui fã de Shmups…
    Nunca até esses dias! Pois agora é um dos meus estilos favoritos…
    Tenho um Turbografx 16 com Blazing Lazers e Soldier Blade (Meu shmup favorito! Jogasso!), e acho que foi esse console que me fez gostar tanto do estilo.
    Mas acho que Truxton não é de HuCard… Mas de CD 🙁
    Cláro que não poderia jogá-lo no meu Turbografx mesmo se fosse, já que é pra PC Engine e o jogo seria japonês…
    Mas pelo menos poderia jogar no meu PC, mas jogos em CD dão um trabalhão pra rodar no PC, e pra dar certeza de que não vou poder jogar, meu leitor de CD/DVD está quebrado…

    Mas muito legal o post! 😀
    Araços!

    • Rapaz, o PC Engine é o um dos melhores consoles pra shmups XD vou jogar muita coisa nele, só não estranhe: não consigo falar Turbo Grafix kkkk pra mim é como chamar o Mega de Genesis kkk

      O Truxton dele é Hu Card sim maninho, eu ja testei aqui XD Só existir alguma versão dele em cd, o que eu acho difícil ^^

  • CODY

    Opa Sabat. Jogão o truxton, na época jogava ele pouco no arcade porque a ficha não durava nem cinco minutos, quando o vi rodando pela primeira vez no mega, fiquei empolgado, pois estava acostumado a jogar os jogos de navinha no nes e a qualidade gráfica do truxton me fez ver a mudança de geração mais nitidamente. Sou fã de jogos de naves, principalmente os verticais, como a série 194?, raiden, axelay, etc… Legal que esse tipo de jogo hoje em dia não caiu na moda de ser acessivel para todos e ter a dificuldade reduzida, pelo contrário, depois da denominação bullet hell, ai é que o bicho pegou, pena que hoje o mercado desses jogos está mais restrito ao Japão, sempre que sai algo novo para meu 360 eu pego, mais é dificil ver um jogo bom e com carisma como os antigos de nave, na verdade os personagens dos jogos atuais nem são naves, a maioria são bruxas ou garotos alados. Mas quando acesso meu emulador de arcade me acabo nos classicos da época e esqueço as tranqueiras de hoje;

    • Opa Cody XD

      Eu também posso dizer a mesma coisa cara: Truxton foi um dos OU talvez o 1º jogo de navinha que eu joguei no Mega, e a ideia que eu tinha até então de um shmup vertical para console vinha de Tiger Heli e 194X XD, que por sinal, eu adoro, principalmente 1944, e Truxton me mostrou uma mudança de ares ENORME cara, pqp! Mas eu sempre preferi os horizontais né XD fazer o quê? kkk

      E tá difícil mesmo de achar novos jogos hoje em dia maninho… quando aparecem, temos que aproveitar ^^

    • William

      Eu também prefiro os verticais, não sei porque.

  • Cadu

    Engraçado, Sabat… eu lembro da capa do jogo, lembro das imagens, mas realmente não lembro do jogo, de ter jogado, sabe? Provavelmente devo tê-lo visto apenas em revistas. Ou vi alguém jogar, sei lá eu.
    Fico surpreso em ver que um game de Mega Drive superou no quesito musical um mesmo jogo lançado para Arcade. Fico mesmo. A gente sabe que o som do Megão não era aquela maravilha. Interessante saber disso, não me lembro de outros casos similares, vc lembra de algum?
    Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhh Sabat trapaceiro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Usufruindo de um bug pra se dar bem no jogo??????
    OK, quem nunca? ahuahuhuahuahuahua
    Que engraçado isso, me lembrou o barato do select com o raio no Mega Man contra o melecão amarelo. Nunca fiz isso, antes que me pergunte. Mas pq nunca cheguei no melecão mesmo, senão teria feito! kkkkkkkkk
    De qq forma, deve ter sido bem louco mesmo lembrar da ocasião!
    Chegou a terminar alguma vez no Easy pelo menos?
    Terminar 5x é palhaçada… ainda mais um jogo ultra complicado… aí eu concordo que tem que usar a bomba infinita com Start! huahuahuahua
    Os programadores e designers desse jogo não possuem mãe, na boa!
    Muito bom o texto, Sabat!

    • Opa Cadu XD beleza? Não é à toa que eu disse que Truxton é o shmup mais FAMOSO do console XD tenha jogado ou não, todo mundo conhece kkkk

      E usei sim mano, nem ligo ehuehuehue e claro que terminei po, como assim? só não fui 5 vezes por que ai é sado mazô né…

  • Na epoca Eu também terminei este jogo usando o truque de pausar a bomba hehehehe Realmente quando você pegava muito o “S” a nave ficava muito rápida e dava muito trabalho pra controlar.
    Uma fase que me dava muita raiva era aquela que tinha as lâmpadas, que quando você as destruía os estilhaços (acho que era isso) espalhava pela tela e te pegava, e é aqui também que tem aquelas navinhas verdes com suas formações sacanas e ataques pelas costas constantes.
    Muito bom o post valeu pela lembrança, vou arrumar um tempinho pra jogar ele denovo. 🙂

    • Rapaz, essa parte das lâmpadas, pqp, cara é daquelas que fazem a gente torcer para que não haja nada parecido depois com aquilo de tão irritante que é!!! As formações das navinhas verdes também é algo irritante de difícil, tem horas que elas vem das laterais TÃO RETO que simplesmente não dá pra acertá-las!! Prepare-se pra passar raiva de novo maninho XD

  • taelesym

    Pra mim o jogo de nave mais famoso do mega vai morrer sendo R-Type

    • Impossível meu amigo ^^ IMPOSSIBRU!!

      E sabe por que? Porque R-Type é só para Master System e Snes kkk não existe R-Type no Mega, ou seja, Truxton continua sendo o mais famoso ^^

  • Excelente análise desse clássico, mas para mim o shmup mais famoso de todos os tempos é a serie Thunder Force, em especial o fodástico Thunder Force IV!

    • Opa Marcio, beleza? ^^

      Olha, a série Thunder Force é sem dúvida a mais famosa do Mega Drive, e também a MELHOR DELAS!! Thunder Force 3 e 4 são obras de arte XD o 3 já foi detonado no especial, o link está na lista ao final do texto ^^ Já o 4, vai demorar um pouquinho XD provavelmente ele vai FECHAR o especial pra acabar com chave de ouro!

      • William

        Thuder Force 3 é muito bom, mas se compararmos, graficamente ele fica muito atrás de Truxton. No restante os jogos são muito difertentes.

        • Não fica não Willian, que é isso XD Thunder Force 3 vai aos limites conhecidos do aparelho na época, cheio de efeitos de explosões diferentes, múltiplas camadas de fundo, muito mais cores simultâneas na tela, variedade de inimigos diferentes nem se compara… eu já considero Truxton simplório demais, se comparar com Thunder Force 3 então… ai NOSSA kkkk Truxton está no mesmo patamar gráfico de Thunder Force 2.

          • William

            Quanto a Thunder Force 3 ser mais moderno, ter mais inovações, mais efeitos, concordo com você. Mas quanto à beleza dos gráficos, continuo discordando. Os gráficos em truxton são mais bem acabados, mais caprichados, tanto que supera o arcade. O jogo em si é simples sim, mas acho Thunder force 3 feio comparado a Truxton.

  • Nunca fui muito fã de jogos de navinha, aluguei bem poucos, e nunca aluguei Truxton. Só fui jogar no emulador, e realmente o jogo é muito difícil e muito divertido!

    • Esse é difícil demais cara, como todos da Taoplan. É apelação MESMO!

  • Wanderson Tranquilino

    Kara!Esse jogo era demais.Eu era o feliz dono dessa adorável desgraça,que,aliás,só pude chegar no final depois de muito tempo vendo alguns mulekes jogando freneticamente na locadora perto do meu antigo colégio.O lance todo era começar com o tiro vermelho e depois trocar pro raio azul quando o tiro estivesse no máximo com os drones e escudo de energia,lá pela terceira fase e depois,só decorar alguns momentos de perigo.

    • Cara…. o problema é DECORAR OS MOMENTOS DE PERIGO HAUHAUUAHAHUAHU

      Tá doido, mas veja só… eu terminei o game 2 vezes seguidas para conferir essa parada dos finais diferentes, e da segunda vez, eu terminei muito , mas muito mais rápido. Acho que da terceira eu ja o terminaria bem rapidinho, mas ainda assim, morrendo pra caceta!!

  • marcgarden

    Truxton é um clássico ABSOLUTO do Mega Drive. E eu me achando que, naquela época dos 90, consegui zerar o jogo 2 vezes e achava que ele tinha um loop infinito… Vou ligar meu megão e sofrer pra ver esses 5 finais hehehehehe. Ótimo texto Sabat!

    • Do capeta esse jogo!! Não consegui terminar na época não, aliás eu sou bem ruim em jogos de navinha kkkkkkkkkkkkk Só terminei ele hoje usando milhares de continues cara!!! XD

  • FSousa Carvalho

    POXA CARA QUE LEGAL LEMBRAR DESSES JOGOS. MAS EU TO PROCURANDO UM PARECIDO COM ESSE DE NAVE NA VERTICAL MAS ELE ERA ANTIGO LEMBRO QUE JOGAVA NOS ANOS 90 . A UNICA COISA QUE LEMBRO É DO MESTRE DA PRIMEIRA FASE QUE ERA UM ASTEROIDE GRANDE LARANJADO COM UM OLHO NO MEIO …. EU TINHA MUITO MEDO DELE. SERA QUE VC SE LEMBRA DELE? ABRAÇO

    • Poxa Souza, fica difícil cara…. Era de mega mesmo ou arcade? Consegue lembrar se a nave tinha algum tiro especial, se ele rolava no espaço ou na terra?

      • FSousa Carvalho

        era arcade , jogava naquelas maquinas antigas era parecido com esse mas eu acho que as fases eram todas no espaço. Era muito dificil de se jogar.

        • FSousa Carvalho

          a nave tinha uns superpoderes massa tb…o primeiro mestre era um asteroide grande que ficava em cima da tela e tinha um olho nao lembro direito ou dois cara era massa…

          • Rapaz, é tanto jogo que fica impossível descobrir qual é viu XD Só mesmo consultando alguma database por ai com fotos ^^