RetroReview Especial: Chuva de Tiros no Mega Drive #13 – Gaiares


Gaiares-Review-Retroplayers

Tá sem nada pra fazer essa semana? Que tal salvar o nosso querido planeta da completa extinção?
Essa difícil e prazerosa missão pode ser vivida por você ao terminar Gaiares, façanha que acabei de realizar em mais um game de navinha. Apesar dos xingamentos e da tremenda surra que levei, a missão foi cumprida e as impressões sobre o game estão registradas a seguir, no review de nº 13 do Especial Chuva de tiros no Mega Drive.

Gaiares é mais um ótimo e bem sucedido shmup espacial de scroll lateral, fruto dos criativos estúdios da Telenet. O game é exclusivo para o Mega Drive/Genesis e foi lançado inicialmente no Japão, no final de 1990. Logo os demais continentes receberam a versão “americanizada” do produto por meio da Renovation, a subdivisão ocidental da Telenet responsável direta pela localização dos games da empresa nos continentes americano e europeu, e ele passou a aparecer com regularidade nas game locadoras paulistanas. E se me lembro bem, esse eu joguei pela primeira vez através de um empréstimo de cartuchos, como tantos outros que me ocorreram na época de ouro dos 16 bits. Um amigo que não se dava muito bem com games deste tipo acabou me oferecendo o cartucho por dois dias, que infelizmente foram poucos para finalizar este clássico.

Gaiares-MD-Retroplayers-Logo

Apesar de ser considerado um ótimo game de forma geral, que trouxe um interessante e inovador sistema de combate, Gaiares se tornou mais conhecido por sua dificuldade “exagerada” que por qualquer outro adjetivo. Sabe-se lá por qual motivo os games de navinha precisam exigir tanto de nossas mãos e cérebros mas, esse detalhe quase que unânime no gênero, não foi suficiente para impedir que muitos presenciassem o seu merecido e suado final, fato que só veio a ocorrer comigo na elaboração deste review. Um pouco de dedicação contudo, revelou que Gaiares não é tão difícil como antigamente, quando eu penava pra passar a segunda fase.

Capinhas Japonesa e Euro-americana

Tentar “zerar” games das antigas é coisa muito comum para nós retro-aventureiros, principalmente entre aqueles que não foram hábeis o suficiente para fazê-lo nos primeiros anos de existência de tais títulos. Ainda bem que hoje agente pode escolher e jogar praticamente tudo através dos emuladores, desde que o tempo esteja a nosso favor. E Gaiares é mesmo um destes títulos que muita gente pouco aproveitou no passado. Na época de seu lançamento, o game acabou sendo ofuscado pela concorrência e tal fato foi muito mais expressivo fora do Japão. Os Shmups eram muito populares nos anos 90 e quando lançado, Gaiares teve de disputar a preferência da galera juntamente com diversos nomes de peso, alguns deles no próprio console da Sega. A oferta de títulos do gênero e a sensível dificuldade em prosseguir no game fez deste aqui um shmup pra ser jogado depois, já que muitos preferiam investir nas séries Gradius, Thunder Force, e algumas outras de igual prestígio.

Reza a lenda que o nome Gaiares veio da mistura das palavras GAIA (mãe Terra) e REScue. E a ideia é justamente essa: você precisa resgatar o planeta Terra, já que foi escolhido como piloto de um novo caça experimental munido de um poderoso sistema de combate. O game traz uma estória interessante e boa parte dela é narrada em sua longa e bonita apresentação. Os acontecimentos se dão no ano 3008, quando a Terra se tornou inabitável. O descaso da humanidade fez de nosso planeta um completo depósito de lixo e os poucos humanos que restaram, habitam em colonias espaciais. Ainda assim, a esperança de reviver nosso planeta permanece no coração de algumas destas pessoas. O problema é que um bando de terroristas espaciais, conhecidos como Gulfer estão dispostos a estragar tudo. Liderados pela bela e maléfica ZZ Badnusty (ela é linda!), essa corja de bandidos deseja criar armas de destruição em massa utilizando o material tóxico presente em nosso planeta natal. Tentar salvar a Terra significa colocar todas as pessoas bem intencionadas na mira de ZZ e isso inclui você, obviamente. Para piorar a situação, a União Estelar Leezaluth, responsável pela ordem entre as federações, soube dos planos inimigos e enviou um alerta a todos os humanos, informando que, se não conseguirem impedir Gulfer, serão obrigados a explodir o nosso Sol, acabando de vez com toda a esperança. Destruir Gulfer e trazer de volta a possibilidade de reviver o outrora planeta azul é o que você precisa fazer nessa jornada.

 

 

Visualmente Gaiares fica na mesma linha de seus concorrentes e no quesito som ele também não faz feio. Mas sem dúvida alguma o que o difere dos demais shmups é o seu criativo sistema de armas. Você começa com apenas um tiro padrão e não existem armamaentos adicionais disponíveis para coletar. Ao invés disso, sua nave é capaz de “roubar” a arma das naves inimigas, tornando a brincadeira mais interessante. Coletar mais de uma vez a mesma arma torna seu poder de fogo mais destrutivo, e até mesmo os tiros mais simples podem ser melhorados. Este sistema de combate acabou sendo utilizados em alguns poucos títulos do gênero ao longo da história, mas para a época de Gaiares era algo totalmente incomum e funcionava maravilhosamente bem!

A brincadeira funciona da seguinte forma: o tempo inteiro sua nave é acompanhada pelo TOZ System, que além de ser o responsável pela clonagem das armas inimigas, funciona também como canhão auxiliar, podendo disparar para outras direções enquanto você cuida da dianteira. Para que a clonagem aconteça, o TOZ precisa acertar o inimigo exatamente de frente. Mas se o tiro não for certeiro, pode ainda causar danos apenas pelo impacto.

Gaiares prende pela originalidade. Não é tão explosivo, mas cumpre bem a sua proposta. O visual é bacana e alguns chefes de fase são bem avantajados, para a alegria dos amantes do gênero. Seus comandos são simples, fazendo uso dos três botões do controle, onde um deles modifica a velocidade da nave em até três níveis. Os demais botões são obviamente utilizados para atirar e tragar a arma inimiga respectivamente. Para ter acesso às configurações do game, o menu de opções pode ser acessado ao pressionar A+Start quando estiver na tela título. Lá você poderá aumentar o número de vidas e a dificuldade do game.
Pesquisando na internet, é possível encontrar versões traduzidas da Rom ou o arquivo IPS de tradução para o idioma português brasileiro. Os créditos vão para o nosso amigo Orakio, do Gagá Games.

Você pode com toda a certeza gostar mais de outras franquias e concordar que terminar Gaiares não é de fato uma tarefa fácil. Como é comum em shmups, um único tiro inimigo abate a sua nave, mas o TOZ transforma toda a trabalheira em grande diversão, fazendo deste título uma ótima opção para uma tarde chuvosa de final de semana. A cada novo inimigo que aparece, fica a vontade curiosa de saber o quão poderosa ficará nossa nave, de posse do novo armamento. E esse é o segredo do sucesso de Gaiares. Sei que muitos que não o conhecem vão gostar de jogá-lo. A dica foi dada.

E quanto a você? Jogou? Gosta do game? Terminou ou levou uma surra dele no passado? Quer nos contar como foi? Então fique à vontade para deixar seu comentário.

Até o próximo review!

.

Confira todas as partes deste especial:

#1 – Thunder Force II 

#2 – Gley Lancer

#3 – Musha

#4 – Elemental Master

#5 – Battle Mania

#6 – Arrow Flash

#7 – Battle Mania Daiginjou

#8 – Thunder Force III

#9 – Eliminate Down

#10 – Air Buster

#11 – Burning Force

#12 – The Steel Empire

#13 – Gaiares (este review)

#14 – Sol-Deace/Feace

#15 – Truxton

#16 – Hellfire

#17 – Gadget Twins

#18 – Gynoug

Continua…


Sobre Jeff

O Jeff é veterano que começou a jogar games com um Bit System. Ele ama jogos 2D. Criterioso e saudosista, adora os jogos de Nintendinho. Atualmente sua plataforma principal é um PCgamer, Mas jogar é com ele, não importa se num console da Sega, Sony e assim vai!

Adicionar a favoritos link permanente.
  • Fernando Tadeu Fabri

    Sou um dos que apanha nesse jogo e que sequer chegou na segunda fase… Não tenho vergonha disso, e um dia ainda terminarei esse game fantástico!

    A dificuldade é tremenda e a música da primeira fase é sensacional!

    Parabéns Jeff!

    • Eita manolo…Tenha vergonha não. Eu tomei um saraivada de Game Overs neste. Uma hora a perseverança mudas as coisas…

  • ganon ,o destruidor

    e uma pena que o estilo“jogo de navinha ´´ nao seja mais como foi um dia .
    e um estilo que tende a levar o mesmo caminho de jogos de “luta na rua´´ ,cair no esquecimento…….

    • Ganon, de fato os shmups estão extintos nas gerações mais novas, assim como os Beat’em Ups. Se me permite uma sugestão, que tal encarar um título chamado Sine Mora. Creio que você vai gostar, se não o conhece ainda.
      Valeu pela participação brô!

      • ganon,o destruidor

        sine mora ?ja ouvi falar dele em algum lugar nao me lembro aonde agora ,mas ,lembro que falram bem dele.valeu pela dica jeff .

  • EulerVicente

    êita jogo difícil esse… lembro que na época não consegui terminar, apesar de tentar bastante. Parabéns pela proeza!

    abs

    • Obrigado pelo seu comentário Euler.
      Cara, o game é realmente difícil. Só mesmo jogando bastante pra pegar o espírito da coisa.

  • aki é rrock

    Ai sim viu ja´ tinha ouvido falar muito desse jogo e pelas imagens ai acima me parece ser bem interesante e vendo esse lance de roubar armas me veio a cabeça o Einhander da Square que é um jogo muito bom também.Vou dar uma conferida nele e aproveitar o maximo do jogo ele me lembra aqueles animes com mechas olhando bem .

    • Rock,
      Eu joguei um pouco de Einhander na época de PSX e achei o máximo. Lembrei de Gaiares com certeza.

  • Qnd eu joguei Gaiares eu achei bem bacana,mas o negócio é tão difícil que se só chegei até a fase 2.
    Parabéns pelo review Jeff

    • Fala Vini, como vai?
      Toda vez que eu jogava Gaiares, só alcançava justamente a segunda fase. na época eu desisti e só agora eu consegui a façanha. Fique tranquilo. A coisa é difícil mesmo e você não é o único.

  • Cadu

    Fala Jeff!

    Parabéns, vc acaba de entrar no Hall de Ídolos da minha pessoa.

    Vc terminou Gaiares, não tem como não ir pro Hall! huahuahuahu

    Tava comentando esses dias que eu aluguei e/ou peguei emprestado esse jogo umas 2x e peguei uma bronca enorme dele, logicamente por não ter a menor competência pra vencer sua dificuldade! hehehehe

    Mas resgatar o planeta Terra nunca foi algo fácil mesmo, então faz sentido a dificuldade exagerada do jogo!

    Esse eu garanto que não vai pra lista de jogos pra terminar, já entreguei os pontos! kkk

    Muito bom o review!

    Abraço

    • Obrigado pelo comentário Cadu.
      Moço, deu um trabalho isso, mas é coisa do estilo de game mesmo…Entendo sua renúncia perfeitamente. Mas esse eu quis terminar pois a coisa tava braba pra Terra maninho!

      Valeu!

  • elcioch

    salvar o nosso mundinho denovo? ainda mais justo quando acabamos de nos salvar de um possivel fim de mundo! hehe
    jogos fodas de nave são figura carimbada! alguns seja um tremendo depre de tão foda!
    mas este game como o de custume eu apelei para um truque de invencivel na epoca do cartucho! hoje no emulador um chet!
    alem do mais é frustante ficar horas dias semans meses tentando fechar na raça!
    e hoje em dia eu uso ainda mais as trapaças por falta de tempo pra jogar por horas afio ate aprender as manhas!
    eu quero terminar agora ja neste instante e não amanha!
    e tambem
    porque jogo é que não falta, eu jogo um, jogo outro fica dificil ficar
    so em um game ate pegar o nivel de jogar viciado, ate gostaria de me
    tornar um expert!
    no youtube tem uns videos de causar inveja da maneira como o cara joga um determinado game!
    neste game é empolgante ver a nave sair da base junto com uma boa trilha sonora!
    o jogo tem boas ideias! mas acho que faltou um certo chame e desing para tornar este game animal!
    os chefes impressiona mas tambem acho que faltou mais
    alguma ideia pra detonar geral!

    • Fala Elcio. Como estão as coisas maninho?

      Cara, Tem alguns games que eu acabo metendo uns save states de vez em quando e Gaiares bem que merecia. ha ha ha !

      Mas eu me empolguei com o lance da troca de armas que acabei não levando isso em conta, mandei ver.

      Sobre o fato do game poder ser melhor, eu até concordo, mas para a época, ele até que foi longe cara.

      Valeu pelo comentário!!

  • rapaz! pense num jogo bom e apelão. zerei ele aqui há 2 anos atrás. e cara, eu comecei de meio dia e só fui acabar com o game lá pelas 8 da noite. mas o game é…INACREDITAVEL E FODÁSTICO!!! só a animação do inicio da aventura é de cair o queixo. quem diria que o MEGADRIVE era capaz daquilo. a telenet devia fazer inúmeros games com aqueles gráficos de animação, mas já li aqui o que houve com ela e a sua decadência (pobre Valis).

    voltando ao assunto, demorei muito para passar de cada nível, e é cada um mais impressionante do que o outro. o que eu mais gostei foi o nível que tinha que havia uns buracos negros que “puxavam” a nave, sem falar do penúltimo nível, onde se pega a cauda de um cometa..eu embasbaquei quando vi aquilo. nem em gradius vi algo parecido.

    e os chefões são impressionantes. a valquiria do 5 estágio era muito apelona..levei 3 horas para passar dessa fase e rezava de pé junto para conseguir vence-la. até que resolvi ir ”literalmente” para cima dela com escudo e tudo…num é que funcionou? matei rapidinho. e o ultimo chefão do game também foi um bom desafio, mas acho que a valquiria apelou mais.. e ele tinha umas duas TOZ gigantes ao seu lado, mas no final venci! recomendo a todo mundo a jogar Gaiares.

    • Valeu pela participação mais uma vez Leandro.

      Cara, cê num sabe como perdi pra esses chefes apelões. Quando Terminei o game, fiquei imaginando como seria se eu tivesse tentado terminar esse trem no passado. Será que eu teria ido tão longe?

      E quanto a Telenet, só temos a lamentar, infelizmente!

      Até a próxima Leandro

  • celsoaffini

    Poh Jeff… Gaiares dificil aonde? hahaha. Bem, tirando a brincadeira esse e um jogo que me marcou muito, ainda mais nas minhas locações aonde não tinha como prever se o jogo era bom ou não. E só ver a capa japonesa, vc vê uma mulher quase nua e uma nave na frente… E na parte traseira da caixinha só havia 3 minusculas imagens… hahaha.

    Voltando ao que importa, o jogo não decepcionou, trilha sonora muito bem feita, graficos coloridos e naves grandes, chefes nem se fala… ENORMES!!! E para a época jogar algo desse nivel era preciso andar um pouco e ir no antro da perdição dos gamers do passado…. O FLIPERAMA!!!

    Muito bom seu review Jeff, depois confere o meu lá no site da
    Comunidade Mega Drive, acredito que no final batemos no mesmo tema da originalidade do jogo. Pois seu sistema de roubar os tiros inimigos era algo que nunca havia sido feito.

    Até meu velho!!!

    • Fala Celso, como vai meu velho?
      Brother, foi uma das coisas que mais me prendeu em Gaiares: a originalidade! Clonar as armas inimigas, achei o máximo!
      Vou conferir o seu review.
      Grande abraço meu caro e obrigado por aparecer novamente!!

  • Rapaz, eu lembro de quando joguei Gaiares ainda muleque… affe maria, que CÔRO esse jogo me deu, não passei da segunda fase. Alias, o tanto de gente ai relatando que não passou da segunda fase é alto heim kkkkk não estou sozinho XD

    Mas esses dias, terminei Sol Deace para escrever mais uma parte aqui do especial, e quis aproveitar que os reflexos estavam afiados para tentar terminar outro game: HELLFIRE… Mano, na boa, é MUITO MAIS DIFÍCIL QUE GAIARES cara, afe maria!!! Queria ver esse povo tentar kkkk o sofrimento alheio seria bem engraçado XD

    • Homi, eu nem joguei Hellfire ainda. Vou ter de experimentar nem que seja só pela curiosidade. E pode acreditar, Gaiares foi pauleira, mas acho que tem muito mais games piores que eles nesse quesito!

      Abraço Boss

      • ganon,o destruidor

        hellfire e um jogo dificil pra caramba mesmo o genero de jogos de nave sendo o que eu jogo melhor, eu lembro que chegei nao ultima fase (nao lembro do jogo em si so ate onde eu fui)dele e morri ae eu desiti um dia ainda tento denovo ,tenha em mente que se tu jogar vai xingar pra caramba

    • Hellfire é como o nome do jogo mesmo ja diz… Acho que é o jogo de nave MAIS DIFICIL do Megão…

      • Até que algum outro jogo me prove o contrário kkkk

  • Eis ai um shooter que consegue combinar gráficos, trilha sonora, jogabilidade e desafio de uma maneira única. A cada fase passada, o desafio só aumenta! E terminar esse game no Very Hard é dose pra leão!

    Passar por uma fase já é algo tenso nesse jogo. E vencer o Boss da mesma é tão tenso quanto passar pelo resto da fase (principalmente as últimas fases.)

    Na época do Mega Drive, eu conseguia chegar até a quinta fase, mas somente duas vezes consegui passar por ela (graças àquele subchefe e àquele dragão maledeto), que conseguiam tirar a minha compostura com as derrotas sucessivas. Agora aquele gigante rosado da sexta fase… deve ter sido um dos grandes responsáveis e motivadores de arremesso de joystick em paredes da época 16 bit.

    Como dá pra notar, praticamente TODOS que jogaram esse game já passaram por maus bocados só pra passar da segunda fase. Claro que eu também tive meus momentos críticos nessas horas.

    Quanto ao game em sí, é um grande game sem dúvida, que marca o jogador principalmente pela dificuldade que oferece ao player.

    Até mais!!

    • Sr. Belmont, obrigado pela sua participação.
      Seu comentário me fez lembrar que a primeira vez que dei umas porradas no gamepad, foi justamente jogando um game de navinha, que na ocasião, não foi Gaiares. Eu sempre fui cuidadoso com meus consoles, mas neste dia eu tive que desabafar…kkkkkk!
      Agora, terminar Gaiares no Very Hard deve ser para gente de outro planeta, porque eu não vou nem experimentar.
      Apareça mais vezes meu caro.
      Valeu!!

  • Hawk Silver

    É difícil , mas é da hora ! Até melhor se for comparar os games de hoje que é muito easy core ,muito fácil fica muito chato !

    • Easycore , kkkkkkkkkkkk muito engraçado Halk!
      Dificuldade é uma coisa de louco nesses games das antigas. Mas é da hora passar de fases assim. Sensação de vencedor incrível!!

  • final no maior estilo anime da vida!!!! jogo não é tão atrativo como thunder force 3…mas tem os seus bons adjetivos da vida…gosto muito do jogo em termos de gráficos e músicas…o final anime fica como destaque para o jogo. A arte gráfica do cartucho versão japonesa é bonita!!!!valeu!!!!

    • Sabias palávras meu jovem!