RetroReview: Altered Beast


“RISE FROM YOUR GRAVE!”, esta foi a ordem que muitos jovens seguiram ao ganhar seu Mega Drive e experimentar Altered Beast, o jogo que vinha junto do console e que chamava a atenção por ser um título até então encontrado apenas em fliperamas. Seus gráficos eram muito chamativos para o final dos anos 80, e a sua temática inspirada na mitologia grega deixava os jogadores curiosos. Altered Beast com certeza foi um título que ajudou a reforçar a idéia de que o Mega Drive era um verdadeiro “Fliperama em casa”!

Diferente das maioria dos segamaníacos, meu primeiro contato com Altered Beast não aconteceu no início da década de 90, mas sim em um emulador de Mega Drive chamado PGEN, que consegue a “façanha” de executar grande parte da vasta lista de jogos do Mega no PlayStation 2 com uma excelente taxa de quadros. Minha primeira partidinha foi frustrante: eu não consegui me adaptar aos controles excêntricos de Altered Beast e ganhei uma tela de Game Over antes mesmo de saber sobre o que o jogo se tratava. Insisti mais algumas vezes no dia seguinte e fiquei deslumbrado com o “climão” sombrio do jogo, que usa e abusa da Mitologia Grega, mas não cheguei nem a saber que o personagem sofria transformações.

Entretanto, após dois meses de muitas tentativas e frustrações, na trigésima sétima tentativa, consegui finalmente vencer o último mestre (Sim, eu chamo os “Chefes” de “Mestres“) em sua forma de Rinoceronte e saí gritando de felicidade enquanto uma amiga olhava para mim assustada. Pois é,  acho que é por essas e outras que a mulherada não anda me dando muita bola, rs…

A tarefa de chegar no último estágio foi árdua e cansativa, principalmente pelo fato da tela possuir uma movimentação fixa em todas as fases e pela jogabilidade “pesada“, o que torna a missão de acertar um inimigo muito mais difícil.

 “Mas então Macho Gamer, pra que é que você está recomendando um jogo TÃO Arcaíco assim?” Bem, o engraçado é que embora o desafio de Altered Beast consista em decorar o momento em que cada inimigo irá surgir na tela, eu estava me divertindo muito enquanto apanhava e recomeçava o jogo desde o renascimento do herói! E não, eu não sou masoquista: o “lance” é que a graça de Altered Beast está justamente em INSISTIR, INSISTIR E INSISTIR MAIS UM POUCO! Isso é que é JOGO PRA MACHO!

E mesmo sendo um jogo originalmente lançado para Arcades, a Sega conseguiu converter o game de maneira quase perfeita para o seu console de 16 Bits, e embora o Mega Drive não conseguisse reproduzir efeitos de ‘Zoom” da versão original, a empresa de Alex Kidd já possuía uma vasta experiência com conversões difíceis, e por isso compensou colocando um efeito de Parallax fulminante nos cenários da versão doméstica (efeito que se tornou muito comum, e que consiste em imagens sobrepostas que se movimentam em velocidades diferentes usadas para criar sensação de profundidade nas telas. Sabe aquele fundo bonito que se move separadamente do plano em que o personagem anda? É aquilo!), além de ter tornado a dificuldade do game mais balanceada, permitindo ao jogador concluir o desafio contido em Altered Beast com um único continue, fato que era quase impossível na versão “come fichas” dos fliperamas. Tudo aquilo que fazia de Altered Beast um clássico estava nessa versão, como os cenários belíssimos e as transformações bestiais. Aliás, melhor eu comentar logo o enredo do jogo!

Basicamente um soldado é ressuscitado por Zeus e recebe a ordem de salvar Perséfone das garras de Hades, o Suco Deus dos mortos imperador do submundo (e não do crime). Com esse enredo bem parecido com o da série de animes “Cavaleiros do Zodíaco” (Saint Seya – 1986), a Sega teve a brilhante ideia de colocar metamorfoses bestiais no protagonista, fazendo jus ao nome do game.  Ao destruir um lobo branco de duas cabeças, o soldado toma uns esteroides gregos coleta um Power-up que o deixa mais forte, e ao se coletar três destes, o herói transforma-se numa besta horrenda, aniquilando todos os inimigos e ganhando força suficiente para, ahm, como diz o grande Gil Brother, “DEITAR HADES NA PORRADA“!

Os cinco estágios (Cemitério; Zona Abissal/Subterrânea; Caverna/Gruta; Templo; Mundo dos Mortos/Inferno) possuem músicas muito marcantes, e embora não sejam muito “ousadas“, são daquelas que a gente sai assoviando duas décadas depois. Elas cumprem o seu papel de maneira épica, proporcionando ao jogador várias emoções e sensações como medo e tensão até o encontro derradeiro com Hades. Graficamente, Altered Beast saltava aos olhos do jogador: Era maravilho poder jogar um game que só era encontrado em fliperamas no conforto do sofá. Os cenários são riquíssimos de detalhes, com várias referências artísticas, o que colabora ainda mais com o mistério presente no game. As vozes digitalizadas eram um espetáculo à parte: Ouvir frases como “RISE FROM YOUR GRAVE!” e “WELCOME TO YOUR DOOM!” em um tempo onde os jogadores estavam acostumados com sons mais simples só reforçava o poder do console de 16 bits da Sega.

Altered Beast pode não ser um jogo tão “convidativo” como outros do console de 16 bits da Sega, mas as suas peculiaridades fazem dele um título quase obrigatório, mesmo para aqueles que, como eu, não tiveram a oportunidade de jogá-lo no próprio Mega Drive. Uma coisa muito comum hoje em dia é o jogador torcer o nariz para a jogabilidade lenta e arcáica que ele encontrará pela frente ao jogar este título, mas os mais velhos garantem: o charme e a diversão que transformam Altered Beast em um grande clássico, está lá no final da década de 80, a época de ouro em que estes barbados rabugentos costumavam dizer que o Mega Drive era um verdadeiro… fliperama em casa, sim senhor.

“RAIS FONORGREI!”

END

PUSH ANY KEY TO START THE NEXT ROUNDS. GOOD LUCK!


Adicionar a favoritos link permanente.
  • Clássico, gráficos fodíssimos, história simples e boa. Pena que era curto.

    • Depende do ponto de vista… Para mim o jogo me rendeu vários dias de tentativas! 🙂

  • Eddie66683

    Daora o Alterde Beast, tem uma versão pro Gba também, só que não é identica a do mega drive.

    • Jeff

      Eddie,
      a versão de GBA não é nem um pouco parecida  com a original mas, diferente do que dizem por aí, eu gostei bastante.

      • Na verdade ela é bem diferente da versão do Mega, Eddie. Mesmo assim,  chegou a me divertir um pouco, embora os gráficos sejam um tanto estranhos.

  • acho que só quem jogou na epoca do lançamento ou viveu nessa epoca entende o quanto foirevolucionario este jogo assim como o golden axe no mega drive, compararia eles hj ao ps3 ou xbox facil em termos graficos, jogao divertido e dificil, me rendeu horas de diversao e frustraçoes tanto no mega quanto no master e no fliperama (prefiro chamar fliperama do que arcade) resumindo jogao mesmo, este seria um jogo que daria pra fazer uma versao nos consoles atuais facil facil

  • Jeff

    Grande Jorge, grande game!
    Este é um sucesso! É claro que outros games de mesma época, mesmo no arcade  possuía gráficos muito melhores. Mas nem por isso o game perdeu seu valor. Continua um clássico divertido e está presente em diversas plataformas, tamanha a euforia que causou.
    Me lembro das propagandas que eram exibidas na TV, poucos meses após a minha aquisição de um NES. Que inveja!
    Mandou bem Lucas!

  • Gustavo

    Eu gostava de Altered Beast. Meu 1o contato com o game foi de um vizinho meu, que ganhou o mega-drive bundle, que acompanhava tal cartucho. A caixa do console por si só já chamava a atenção com aquele lobo na frente e o cenário em chamas atrás. Que criança/adolescente não pirava com aquilo na época?

    Altered Beast foi um jogo diferente de tudo na época com uma jogabilidade rústica e uma história diferente, já que mitologia grega não era comum para a época.

    De maneira geral é um jogo bem interessante e único.

  • Gosto muito do jogo. Segundo chefe nunca entendi direito o esquema de acertar ele, com aqueles mais de oito mil zóios vindo em nossa direção. Só uma vez passei dele #vergonhaalheia

    • O Lance é ficar dando aquelas rajadas de energia com o corpo inteiro. Se você perceber que um olho está indo em sua direção, desvie e volte a dar as rajadas! 😉

  • Starbearer

    gogoboy do Olimpo

  • Leonardo Soler

    terminar algum game na frente de alguma amiga e ainda sair correndo comemorando na frente dela (FURADA) 

    ASSUAHSUAHSUAHSHAS

    por isso eu pesso licensa… me tranco no quarto e começo a comemorar e depois volto como se não tivesse acontecido nada HUSAHUHAS’

    Fik DIka

    xD

    gogoboy do olimpo [2]

  • Anônimo

    PUTAQUEPARIU! eu amo esse jogo! 😀

  • Kanonclint

    Altered Beast esta de graça na PSN para quem é Plus, só que a versão é a original dos Arcades, não a do Mega. Existem sutis deferenças, que só quem jogou MUITO a versão dos consoles ( eu sou um deles XD) vai perceber.
    Meu primeiro contato com o game foi no Master System, o game tinha 4 mega ( NOOOOOSSSSAAAA) , e apesar de não contar com um modo para dois jogadores era muito divertido, e bem mais dificil que a versão do Mega, JOGAÇO !!!

    • Pois é, a Sega era a rainha das conversões. A Konami também não se saia mal, mas a Capcom… putz, ela nunca foi muito boa nisso.

  • Femt

    Cara  Altered Beast é lendário, é épico e grandioso.

    Vou falar a verdade que eu tinha um pouco de medo do jogo na época, mas um belo
    dia fui em um aniversário de uma criança( filho de uma colega da minha mãe) e
    revi o jogo na hora subiu uma nostalgia me lembrando que eu ainda não tinha
    zerado este jogo, o menino tinha acabado de ganhar o Mega Driver( uma daquelas
    versões da TEC TOY de milhões de jogos na memória). Bem só sei que jogamos por
    muito tempo e apesar do esforço não Zeramos o jogo, mas uma coisa que marcou
    foi às pessoas na festa falando ‘nossa olha que jogo do demônio’ (mencionando o
    Chefe da primeira fase), não preciso nem falar que no fundo eu estava era com
    uma vontade de rir, esse povo vê demônio em qualquer coisa.

    Valeu Jorge Lucas por me lembrar que ainda não Zerei esta pérola gamer!!!

    • TH

      Femt, tenho q confessar, esse game me dava medo tb, rs. Não pela temática, mas pelo jeitão travado, o jeito que as sprites se movem, sei lá…. Me passavam uma sensação meio estranha…

      Ah, a quem quero enganar, ainda passa, ainda tenho medo, kkkkkkkkkkkkkkk

      • O jogo tem “climão do capeta” mesmo. Homem sofrendo transformações horrendas, criaturas abissais, Hades rindo da sua cara….

  • Jogaço!!
    Só joguei a versão do Mega anos depois de ter jogado a versão do NES, que também era çegaçzinha e tinha transformações inéditas.

    • A versão do Nintendinho é um barato. Pena que seja tão simples visualmente.

  • Putz tirou do Baú !! Cara como eu joguei esse jogo, quando comprei meu idolatrado Mega Driver esse foi o jogo que veio junto. Realmente era de babar de quase chorar ver as transformações. Pena que como era o meu unico jogo de mega eu joguei ele tanto, mas tanto mesmo que já terminava o jogo atravez de poder mental sem nem encostar no controle ( brincadeira…ou não `-`) Resultado, enjoei desse jogo de tal forma a nunca mais chegar perto dele. Mas é um jogão e sempre sera ! Obs: existem o de GBA (dificilimo) e o ps2 (nada a ver com nada) que eu saiba versões mais novas do classico só essas mesmo.
    Um abraço galera Retro!

    • Jeff

      Seja bem vindo, senhor Bruno!
      Gostei de seu comentário. Gosto também da versão do GBA, apesar de bem diferente, um bom game!
      Agora, vamos combinar que a versão de PS2 é um trem esquisito!

      • Opa ! Vlw pelas boas vindas Jeff ! Já fiz uns comentarios aqui, é que dessa vez deixei pelo facebook, mas sou o Leckard. Conheci o site a um tempim ai virei cliente assiduo, venho tds os dias entornar umas doses retro goela abaixo kk.
        Parabens a vcs pelo bom trabalho, principalmente as historias gamer ! (putz ri litros com a da casa assombrada kkk)
        Um abraço

  • Ivo_ornelas

    A primeira vez que vi esse jogo ele estava passando em uma Tv que vendia MegaDrive nas lojas Americanas! Me lembro bem como a fila estava para poder jogar este game. Infelizmente não tive a oportunidade de terminar o game, mas joguei várias vezes e me impressionava pela dificuldade – talvez porque eu não conseguia me adaptar aos controles ou porque era realmente difícil. Mas no final era um grande jogo.

  • Serio mesmo cara a versão do arcade é muito melhor que a do poderoso Mega Drive! eu jogava tanto no arcade quando no Mega em 1991 quando ganhei o meu video game do meu pai, a arcade tem detalhes que do console nao tem, jogue pelo mame depois jogue pelo emulador do mega e veras a diferença, entretanto como vc disse era a unica maneira de jogar sentado no sofá da sua casa essa adaptação na minha opnião não ficou boa pois era o inicio da sega, adaptações posteriores ficaram bem melhor que esta, ma nem por isso não joguei, passei madrugadas e mais madrugadas jogando Alterd Beast que não deixa mesmo de ser um dos maiores classicos do bom e velho Mega Drive!

    • Eu parabenizo a Sega pelo excelente trabalho que fez ao converter o título. Tudo que faz dele um “clássico” está contido na versão do Mega Drive.

  • Olha convenhamos, Altered Beast nunca foi essas “coca-colas” toda, é um jogo razoável e só! Muito curto e muito fácil! (se for jogado por duas pessoas)

    Sei o que o jogo representa, principalmente por vir junto com a primeira versão do Mega, mas chamar de jogaço, ae é forçar a barra.

    • Não é um game fácil Dario ^^ convenhamos também né kkk Eu também terminava em 20 minutos, e rejogava e terminava denovo, e colocava macete pra ficar com 1 quadradinho só de vida e terminava denovo, mas não foi da primeira vez que eu joguei que eu fiz isso XD Por exemplo, Hoje eu termino YoNoid sem usar continues, morrendo uma ou duas vezes no máximo (vou até gravar um video), é a mesma coisa que foi com Altered Beast: treino! O cartucho vinha com o console, um port de um arcade que provavelmente vc não chegou a jogar, e para quem frequentava fliperamas, ver aquilo rodando na TV de casa era algo espetacular, e a gente jogava tanto mas TANTO que acabava ficando viciado kkkkkkk Ae ficava facil mesmo, mas de o controle na mão de outra pessoa que não não tinha experiência no jogo e fala PASSA AE A SEGUNDA FASE!  kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Eu diria que é um jogo de mediano pra difícil!

      • Jogando sozinho não é fácil mesmo, mas de dois é ridiculamente fácil. Tem chefão que não dura 5 segundos (aquele dos olhos por exemplo)

        • Aquele ali é uma piada até sozinho kkkk só encostar ali em cima e ficar dando choque kkkkkkkk

      • Beno

        Olá Sabat esse é meu primeiro comentário no blog, muito bom por sinal!!!
        Eu teminava ele em 10 minutos cara hehehehehe e me lembro que tinha um macete que você fazia na tela de apresentação onde podia trocar as bestas nas fazes, me lembro de ter tentado matar todos os mestres com bestas diferentes matar o mestre dos olhos com o lobo era muito chato hehehehehe porém matar o último usando o dragão era moleza.
        E muito boa a lembrança do jorge Altered Beast é um classico que deve ser jogado.

  • Excelente post Jorginho ^^ Como já falei o que eu queria por email, vou me ater ao jogo: adoro Altered Beast.
    Abrir o Mega Drive novinho, desempacotar o cartucho, plugar no videogame e se deparar com aquele jogo famoso dos fliperamas em que o protagonista se transformava em um monte de feras destruidoras ali na nossa TV da sala, cara, foi algo imcomparável, algo que junto de Golden Axe, causou um impacto tamanho que nunca mais aconteceu e acontecerá novamente.
    Pra mim, inesquecível ^^

  • Tem outro “Beast” que eu adoro e esse sim, era difícil, Shadow of the Beast, jogo hipnótico da psicopata psynosis.

    Pense num jogo ruim (e bizarro) que eu adorava…

  • Quanto ao áudio, a faixa título (e 1ª fase) é bem marcantee ficou excelente nas mãos da Banda Mega Driver

  • Kleber

    Caraca meu que jogão esse Altered Beast viu foi o primeiro jogo que joguei num Mega Drive na minha vida olha que eu não manjava nada mas vendo meu amigo jogar me deu uma vontade doido de querer aprender.Depois de pegar a manhã não parei mais de jogar esse jogo e os outros jogos que vierão nessa geração de 16 bits.Bons tempos viu erão esses hein .

  • Altered Beast é tido meio como jogo maldito, porque hoje parece meio arcaico e todo mundo adora malhar. E é verdade que ele é meio “quadradão” em termos de gameplay e cansa rápido. Mas o fato é que na época era até bem impressionante, ilustrava bem o poder do Mega Drive.

    Eu conheci o jogo pela versão de Master System, o primeiro jogo que comprei para o console, e fiquei doido. Achava o máximo o lance das transformações. O manual vinha com os nomes dos inimigos, e lembro que na época eu decorei todos. Era o cúmulo da nerdice, o bichinho aparecia na tela e eu dizia “vai morrer, Round Leech!” ^_^

    • TH

      HAUHAUAHUAHHAUAHU, muito bom! A gente adorava dar um de sabidão né?

    • Rs… Depois daquela de jogar F-Zero de cabeça para baixo, eu não duvido de mais nada! 🙂

  • TH

    Excelente texto Jorginho! Parabéns!

    Esse game é um dos grandes clássicos e deve ser tratado com tal!

    Apenas olhar para ele traz muita nostalgia difícil até para mim que não teve Mega na época.

    Aquela caixa do Mega com Altered Beast é incrível, m uito chamativa, muito nostálgica!

    Esse game eu coloco co mesmo patamar que GnG, pois é um game que tem muitas falhas mas a gente gosta muito. Acho que por causa da temática, eu não sei ainda… até hj jogo o GnG do nes.

    E falando em Nes, eu não sabia e tem pouca gente que sabe, mas existe a versão desse game para o Nes! Não joguei muito mas tem um charme que só um nintendinho pode ter.

    “RAIS FONORGREI!” foi foda! hauhauhauhauahaa era bem por aí mesmo!

  • Carloscarara

    exelente jogo, mas eu considero o desafio dele bom, apesar de ser bem curto ate mesmo para a epoca.
    mas era engraçado, no 1 power up o cara so perdia a camisa, huhuhuhuhu nao valia de quase nada.
    mas as transformações eram maneiras, e sempre agradavam.
    ja a versao do ps2, cancela…..

  • ja joguei muito Altered Beast.

    aquele RISE FROM YOUR GRAVE me assusta muito.

  • JC

    Esse jogo a Sega fez p/ lançar junto com o Mega e mostrar do que ele era capaz… Lembro dos comerciais de TV, fotos na revistas, (aquele chefe gigantesco que atirava cabeças) tudo impressionava…
    Aquela tela de lobo que aparece quando você se transforma então é uma marca da geração 16 bits, muito foda, um capricho da Sega.

    Mas fui jogar muito mais p/ frente quando o MD já estava soterrado de bons títulos e achei apenas regular. Esse jogo é um daqueles que pagam o preço de ser um dos primeiros feitos p/ o console (mesmo ele vindo do arcade) as fabricantes ainda estão conhecendo o sistema e vão engrenar mesmo só um tempo depois, isso acontece em todos os videogames…

    Mas não deixa de ser um clássico dos clássicos!

  • Daniel Gomes

    Este jogo é classico, do começo ao fim.

  • Piga

    Altered Beast foi o primeiro jogo de Mega Drive que eu terminei, justo que ele vinha com o console. Devo dizer que não achei muito difícil não, bastou uma tarde para eu terminá-lo. O engaçado é que eu terminei ele pela primeira vez numa TV preto-e-branco na casa da minha avó, que não deixou eu ligar na TV colorida! rss….

    Falow!

    • Meu problema mesmo é que minha vida de estudante está super corrida, e por isso eu dediquei UMA HORA DIARIAMENTE em tentativas do Altered  Beast. Se eu tivesse dez anos e pudesse jogar cinco ou seis horas, creio que eu teria terminado mais rápido… Mas você é fera Piga, eu sou só uma besta! 🙂

      • TH

        huhauahuahuahauhauhau “Mas você é fera Piga, eu sou só uma besta”, muito bom! kkkkkkkkkkk

  • Sirlon Hayate

    Perdoe-me amigos,, Altered Beast é um fiasco . :X. 

    • Pô Sirlon, Assim você me decepciona XD kkkkk

      • Sirlon Hayate

        me perdoe amigo.. nunca gostei de jogo. Me perdoe.

  • RAAAAAAAAAAAAIS FOOOONORGREEEEI!
    Gostei do texto, bem descontraído!O Altered Beast fui conhecer primeiro no Master System, pra depois descobrir que num boteco aqui perto da minha casa havia um arcade que na verdade era um Mega Drive adaptado. O primeiro jogo que joguei nele foi justamente este que foi devidamente analisado no post.
    Sempre adorei esse jogo e o adoro até hoje. Inclusive recentemente saiu na PSN a versão Arcade dele e eu não pensei duas vezes antes de baixá-lo. Com continue infinito o jogo fica “terminável”. Mas essa versão é realmente como vc disse, um grande “papa fichas”.
    Suco Deus dos mortos foi foda… kkkkkkkkkkkkkk

  • Rodolfo Teixiera

    Esse jogo contem frases clássicas tipo:

    “Rise from your grave!”

    “Power UP”

    Efeitos sonoros realmente inovadores e avançados para a época!