Retro Review: Duck Tales (Nes)


Muitos já imaginam o motivo de eu ter escrito este review, que é daquela empresa que detêm os direitos do meu personagem favorito dos games de todos os tempos. Para aqueles que ainda não entenderam, a CAPCOM anunciou na semana passada “Duck Tales Remastered” para todas as plataformas de consoles possíveis do momento, e foi aproveitando essa deixa que eu desliguei o meu PS3, tirei a poeira do meu Famicom AV, e estou de volta ao Retroplayers após uma longa estadia de férias exatamente para lhes falar de um dos jogos mais divertidos do NES / FAMICOM.

Ah, os anos 90… É sempre essa a década que traz mais saudade e nostalgia para mim… Em 1991 fui com o meu tio na casa do Seu Chico, que era muambeiro, em Sorocaba. Fomos até lá para pegar o meu Micro Gênius junto com algumas fitas de Turbo Game CCE, dentre elas, jogos como o meu favorito de sempre, que é o “Mega Rockman3”, e um tal de “Duck Stories”. Muitas vezes eu me questionava pelo motivo desses nomes alterados nos jogos… Talvez tenha algo a ver com a pirataria ou o não licenciamento do mesmo, mas neste caso eu sempre soube que Duck Stories era o Duck Tales, já que nunca havia deixado de acompanhar um só episódio do Desenho pelo SBT. Bons tempos!

Temos então, Tio Patinhas, em 1989, estreando no NES/FAMICOM para dizer o que todos nós já estamos cansados de saber: que ele está insatisfeito com seu dinheiro e que quer curtir novas aventuras para sempre ter mais e mais grana!

E nada melhor do que levar quase toda a família para ajudar na busca dos valiosos tesouros em torno das cinco fases que são mostradas na tela de seleção, que são: Amazônia, Transilvânia, Minas Africanas, Himalaia e a Lua. E quando eu digo “quase toda a família”, posso lembrar-me de cabeça que o jogo só não colocou o Mordomo Leopoldo e o Asnésio, amigo dos sobrinhos e escoteiro mirim, pois de resto, todo mundo está lá! Falemos então das funções dos personagens disponíveis no jogo:

  • Huguinho, Zezinho e Luizinho: Os sobrinhos do Tio Patinhas são de grande ajuda nas cinco fases do jogo, oferecendo informações valiosíssimas sobre determinada fase e até viajando junto com o tio num vagão de trem em certa parte do game.
  • Patrícia: Tem a mesma função dos sobrinhos, porém ela só aparece no início da fase Transilvânia.
  • Madame Patilda: Está localizada em pontos estratégicos de algumas fases, jogando bolos e sorvetes para o Tio Patinhas recuperar todas as energias.
  • Bubba: O doidinho pré-histórico aparece somente em uma fase, e será de grande ajuda para que o Tio Patinhas ganhe um pouco mais de resistência e HP.
  • Capitão Boeing: No meio dos cenários, o pato voador atrapalhado oferecerá carona de volta para Patópolis.
  • Professor Pardal: Esse está bem escondido mesmo! Se você resolver voltar para Patópolis com o Capitão Boeing e estiver com $17,000 ou $170,000 de dinheiro, o capitão cairá com o avião… Aí Patinhas entrará em uma fase bônus secreta, onde o Professor pardal voando em um avião lhe jogará alguns diamantes.
  • Robô-Pato: Aparece somente em uma fase, mas é um coadjuvante essencial para poder passar pela mesma. Sem ele, só com um glitch sensacional que descobri um dia antes de escrever este review, caro amigo Retroaventuriano.
  • Irmãos Metralha: Os vilões prisioneiros mequetrefes aparecem nos lugares menos imaginados, tentando atrapalhar as aventuras dos bravos patos aventureiros. Mas não se deixe enganar, eles estão mais bobos ainda no jogo do que no desenho, e sempre prontos para serem enganados por quem eles sempre tentam enganar.

Tanto na versão Americana quanto na versão Japonesa, o jogo oferece três níveis de dificuldade: EASY, NORMAL e DIFFICULT. No modo EASY você pode levar dois danos para cada ponto de HP do life de Tio Patinhas, e os baús são mais generosos com itens, aparecendo sempre muitos bolos e moedas M. O nível NORMAL como o próprio nome já diz, equilibra bastante a jogabilidade geral, e no Difficult a coisa complica, pois além de muitos inimigos, os baús passam a ser verdadeiros muquiranas na hora de soltarem algum item que recupere o HP, e você pode morrer fácil. Já os chefes não sofrem alteração alguma, independente da dificuldade selecionada. Mas não é o nível de dificuldade que interfere no final do game, e sim a quantidade de dinheiro acumulada. Se você terminar o game com $0 de dinheiro, aparece um final triste, se terminar com uma grana razoável, o final comum… e se terminar com mais de 10 milhões, aparece então o melhor final (ta parecendo super metroid).

Aqueles que quiserem obter o melhor final, deverão buscar os dois tesouros secretos, que somados aos 5 principais, lhe darão sete milhões de dólares! Eles estão bem escondidos dentro de duas fases do game, então cabe ao jogador despertar o seu lado “caçador de aventuras” para explorar as etapas do jogo até encontrá-los. Aí é só acumular mais três milhões durante a caçada por tesouros menores durante todo o jogo, e o melhor final estará garantido.

Outra coisa que pode assustar um pouco o jogador, é que Duck Tales não possui continue algum, porém, há muitas vidas espalhadas ao longo de todos os cenários, dentro de baús escondidos em locais secretos. Não é possível ganhar vidas por meio de qualquer pontuação alcançada, então se o jogador quiser mesmo aumentar o seu contador de vidas extras, vai ter que explorar! Lembrando também que cada fase tem um TEMPO LIMITE para ser vencida, mas jamais se preocupe com isso, pois se você morreu por tempo, é porque ficou parado mesmo! O negócio é bem generoso, e mesmo explorando a fase toda, o tempo não vai acabar, então fique tranquilo quanto a isso.

Para quem ainda não jogou, vou dar uma pequena explicação dos comandos, ensinando como guiar nosso querido pato milionário. Comandos óbvios: esquerda e direita para andar, baixo para o personagem abaixar, cima e baixo para subir e descer durante a escalada de uma corda, e o botão A para pular. Tirando esses comandos de praxe, temos os dois movimentos principais do game, sendo que o primeiro é o de ataque: durante o pulo aperte para baixo + o botão B para realizar a famosa bengalada, o golpe fulminante que é usado durante a maior parte do game. Mas não é só isso, temos ainda o segundo comando, que é mais estratégico: quando estiver perto de alguma pedra ou tambor, pressione o direcional para o lado desse objeto até tio patinhas travar o passo, e então aperte o botão B. Fazendo isso, ele dará uma bengalada destruindo ou empurrando o objeto. Esse último golpe não é usado para inimigos, mas sim para atirar objetos contra inimigos e principalmente abrir passagens secretas com muitos tesouros!

E já que falei da dificuldade, e dos comandos, que tal uma explicação sobre os itens? É pra já! Diamante Branco Pequeno = 2 mil pratas, Diamante Branco Grande = 10 mil pratas, Diamante Vermelho Grande = 50 mil pratas, Moeda M = Invencibilidade Temporária, Sorvete = Recupera 1 ponto de HP, Bolo = Recupera todo o HP, Boneco do Tio Patinhas = Vida Extra. Além desses itens comuns, temos outros que são especiais como, por exemplo, o que aumenta o HP total em um ponto. Existem dois deles em duas das cinco fases, e se você for um bom explorador, poderá terminar o jogo com cinco pontos de HP ao invés de apenas os três iniciais. Mas além desses itens que fornecem pontos, invencibilidade, recuperação de life e vida extra, existem 3 objetos especiais essenciais para poder seguir no jogo: uma chave para poder abrir as Minas Africanas, uma chave para poder pegar um objeto, e esse objeto em questão, que eu obviamente não vou dizer nem o que é, nem pra que serve, muito menos onde está!

A jogabilidade é boa, os comandos respondem de imediato e nada fica travado. O único problema é que é chato apertar pra baixo + B ao pular para dar a bengalada. No Duck Tales 2, lançado também para NES em 1993, basta pular e apertar o botão B, ficou bem melhor.

Graficamente Duck Tales não fica muito longe e nem muito perto dos jogos que possuem a melhor qualidade gráfica do NES / FAMICOM. Digamos que fica na média, já que em cada fase é possível relembrar perfeitamente de uma aventura ou um episódio do desenho animado, o que torna o game muito mais emocionante e divertido! E já que a diversão está em jogar, vamos para um breve resumo das fases:

THE AMAZON (A AMAZÔNIA): Mato por todos os lados, cavernas subterrâneas e templo inca, em conjunto de um maravilhoso cenário onde inimigos como Gorilas, Abelhas, Plantas Carnívoras, Aranhas, Cobras, Armadilhas, e até acordo de dinheiro com estátuas falantes farão de tudo para impedir que Tio Patinhas chegue ao final do estágio para conseguir o tão sonhado tesouro.

TRANSYLVANIA (TRANSILVÂNIA): Um castelo abandonado e assombrado, onde caveiras, múmias prisioneiras e até fantasmas estão presentes. Há os espelhos que o levam para lugares diferentes, tornando o estágio meio que um labirinto. No final reencontraremos uma velha “amiga” de nosso querido protagonista. Vencendo-a, ele conseguirá o segundo tesouro.

AFRICAN MINES (MINAS AFRICANAS): Um bom local para garimpar ouro! Muitos tesouros e vidas se encontram nesse estágio, que dependendo do caminho, pode ser longo e difícil ou curto e fácil, exatamente isso! Morcegos, bichos rastejantes, mais plantas carnívoras, armadilhas diversas e patos-sapos são os perigos e inimigos das Minas Africanas. No final da fase, um chefe que chamou o dinheiro do Tio Patinhas de lixo no desenho. Enfrente-o para conseguir o terceiro tesouro.

THE HIMALAYAS (O HIMALAIA): Um lugar onde a temperatura fria e congelada predomina. Inimigos bizarros como Coelhos do gelo, Bodes que pulam a todo instante, Esquimós com um visual doidão e armadilhas são os perigos da fase. Jamais caia com a bengala em cima da neve para não ficar preso nela. No final do estágio, o abominável homem das neves o aguarda. Assim como os chefes anteriores, acerte-o cinco vezes, para que o mesmo caia deixando o quarto tesouro.

THE MOON (A LUA): Quinta e última fase, onde uma espaçonave cheia de alienígenas e seres estranhos lhe aguarda. Dentro dessa espaçonave, o jogador procurará primeiramente uma chave para ativar outra sala e pegar um item que dará acesso para prosseguir na fase, e finalmente enfrentar o chefe que lhe dará o último dos cinco tesouros!

Ao terminar todas as fases, Tio Patinhas revisitará uma delas a fim de enfrentar o verdadeiro e final inimigo do jogo, para assim, pegar o último baú do tesouro. É bastante coisa para se fazer, e o jogo pode devido a isso, se tornar bem longo nas primeiras jogadas, onde a exploração irá exigir bastante tempo e dedicação. Mas com o tempo e a prática a coisa muda drasticamente, e a aventura se torna até mesmo curta demais, não exigindo pouco mais de uma hora para ser vencida.

Agora sim, falarei da trilha sonora. Logo que ligamos o jogo no FAMICOM ou no NES, já somos presenteados com uma maravilhosa versão MIDI da Abertura do Desenho animado. Aperte Start para a repetitiva, porém clássica música de seleção de fase. Começando pela Amazônia, temos um som tropicalmente animado e divertido, adequado para o cenário e clima. Seguindo para a Transilvânia, a música, assim como o cenário, é tensa e o som instiga um pouco de ação seguida de medo e calafrios. As Minas Africanas tem um som meio tenso, que se desenvolve aos poucos, com direito até a um mini solo fantástico, ideal para patos dentro de minas subterrâneas (Ah vá!). A fase do Himalaia possui uma das músicas mais animadas e felizes que eu ja vi em um jogo. Não lembra nem um pouco o Desenho Duck Tales quando eles vão para locais de temperatura baixa… Mas quem disse que isso é ruim? Finalizando as músicas de fase, o tema da fase da Lua é uma das músicas mais tocadas e mais remixadas dos games de todos os tempos (basta fazer uma pesquisa no youtube para confirmar o que estou dizendo). É simplesmente uma música perfeita, maravilhosa, não tem muito mais o que comentar dela. E termino falando da minha música favorita, que é o tenso tema de chefe! Apesar de o som ter originalmente 18 segundos apenas, tem um looping incrível, dando aquela emoção de querer derrotar o inimigo a todo o custo!

Duck Tales, O Jogo Perfeito para Rokuman Senpai: “Eu gosto demais de ficar viciado nos jogos, a ponto de querer terminá-los no menor tempo possível. Creio que até posso chamar isso de Speed Run, já que comecei a gostar logo que ia pegando vício nos jogos da série Rockman Clássica e Rockman X. Claro, eu também sou um jogador que explora, mas longe de ser tão demente, digo, tão bom quanto o Sabat, que encontra agulha num palheiro no escuro e sem espetar o dedo nela. Enfim, ao ver o recorde mundial de speed run no difficult, que é 7 minutos e poucos segundos, dei umas boas treinadas no Famicom. Consegui terminar o game em 8 minutos e 34 segundos no nível EASY XD. Claro que para isso, é necessário se explorar alguns glitches do game, que são aqueles defeitos de programação corriqueiros que permitem o jogador “pular” etapas do jogo né, mas não deixa de ser muito legal!”.

Duck Tales, O Jogo Perfeito para Sabat: “Se tem uma coisa que eu adoro fazer nos jogos é explorar, visitar cada cantinho do cenário em busca de itens escondidos, passagens secretas, e possíveis segredos minuciosamente muqueados pelos programadores daquela época de ouro dos games 2D. Isso sempre foi meu forte, alguns dizem que eu tenho até um tipo de 6º sentido para achar essas tralhas escondidas, e muito disso se deve ao 1º jogo que terminei na vida: Castle of Illusion, para Master System, um game com um nível de exploração tão alto que acabou por fazer crescer em mim o gosto pela coisa!! O tempo deixou de ser importante, a pressa e o anseio por terminar logo uma aventura nunca mais me assolou: meu negócio passou a ser terminar os jogos fuçando ao máximo, pois é assim que eu aproveito totalmente um bom game! Demorou um pouco até que eu descobrisse algum game que possuísse um nível de exploração tão alto quanto aquele, ou até maior, e isso aconteceu quando eu aluguei o tal game do Tio Patinhas, ao qual o Senps vos descreve aqui hoje neste RetroReview. Duck Tales é um game quase perfeito para exploradores, pois desperta em quem joga a necessidade de buscar algo mais nas fases, uma surpresa a mais, e em quem se aventura nele hoje, ele desperta o sentimento adormecido de que nunca foi necessário um DLC ou uma conquista para que um achado em um game fosse épico e divertido: bastava algo estar ali para ser encontrado. É um jogo maravilhoso, e espero que o Remastered possa também manter essa escrita.”

É muito legal saber que tanto para o Sabat, que é um explorador nato, quanto para mim, que sou aquele que vai passando a fase com tudo, DuckTales é um jogo que agrada demais, independente do estilo do jogador! É diferente de um Rockman, que é um jogo para passar de fase, e não de exploração, ou de um Zelda, que a maior parte do tempo se passa explorando, senão não dá pra seguir em frente. Duck Tales é como se fosse uma mescla de estilos, que apesar de curto e simples, pode agradar igualmente a nós, dois tipos distintos de jogadores. É o tipo de jogo que faz falta, e que esperamos que faça bonito nesta nova versão que está para ser lançada pela WayForward.

Curiosidades:

  • Existe uma versão protótipo da música da fase Transilvânia que não chegou a ser utilizada no jogo final. Uma pena, ela seria perfeita sendo tocada na última fase. Ouçam: http://www.youtube.com/watch?v=zbadZRzwvOQ
  • A versão brasileira da música de abertura do desenho foi cantada por nada mais nada menos que Luiz Ricardo, que foi um dos atores que interpretaram o Palhaço Bozo no SBT no final da década de 80 e início da década de 90. Hoje ele faz o sorteio da Tele Sena no SBT.
  • A segunda temporada do desenho provavelmente não passou na globo devido a influência do SBT na dublagem de alguns episódios, fazendo algumas situações e nomes serem parecidos com programas e atores da emissora do Silvio Santos.
  • Os 100 episódios do Desenho com a dublagem original da década de 90 estão disponíveis no NETFLIX e também para download pela internet, basta procurar e se emocionar.

Fim


Sobre Rokuman Senpai

Fã assíduo de Rockman / Megaman e também confiante do sucesso futuro de Mighty9. Defensor do Famicom / Nes com todas as armas inimagináveis. Mendorato + Skoll + Jogos Clássicos + Rokuman Senpai = Diversão Garantida! ^^
Adicionar a favoritos link permanente.
  • sapo1900

    esse jogo e foda parabens pelo post otimo texto …….

    • Fernando Tadeu Fabri

      VALEU!!!! ^_^

  • Ivo

    Parabéns pelo Senpai. Estava ansioso em ler o review do DuckTales. Quando eu vi a notícia que a Capcom iria relançar o jogo em HD eu quase surtei. Adorei tudo que falou! Agora que vêm a parte chata do meu comentário….. eu não joguei DuckTales de Nes! Vocês acreditam? Era impossível alugar essa fita na locadora aqui em Santos. Mas sempre li as matérias dele e via o desenho. E algumas vezes o pessoal ficava jogando naquela locadoras que você paga p/ jogar 1 hora e ficava vendo. Mas está na hora de acabar com isso, mas eu quero jogar esse game no NES hahahaha! Ainda vou enrolar um pouco até conseguir ele. Novamente, parabéns Senpai. Adorei o review.

    • Fernando Tadeu Fabri

      NÃO CREIO! JOGUE LOGO POR FAVOR!

      Valeu Ivo! Grande abraço!

  • Rafael

    Me lembro que levei um certo tempo para aprender a utilizar bem os comandos! Atacar esmagando os inimigos com os dois botões era realmente difícil para meus 7 anos de idade! Mas sem dúvidas, é um ótimo game! Parabéns pelo review!

    • Fernando Tadeu Fabri

      Sim! Exatamente 7 anos … ou talvez 8… Quando joguei esse jogaço!

      Obrigado ^_^

  • Baita jogo, apesar de a versão 2 ser, a meu ver, MUITO melhor, o primeiro não fica devendo para nada, e é diversão garantida. Um clássico que deveria ser exemplo para os jogos de hoje.
    Sobre o remaster… não gostei dos gráficos de fundo, espero que melhorem; pois os de NES eram bem mais detalhados e essa versão 3D parece que nem texturas tem, ficou tudo chapado.

    • Fernando Tadeu Fabri

      Apesar de muita coisa diferente e curiosa no segundo jogo, eu prefiro o primeiro pela dificuldade das fases serem maiores e também pelo jogo não ter continues… No segundo tem continues facilmente à venda…

      Eu não curti o remaster quando vi um gameplay… Tem MUITA FALA durante o jogo todo o.o… Não que eu não goste… Mas o jogo original que falei no review é mais jogar… E não ficar papeando com os sobrinhos durante as fases…

  • a musiquinha da fase da lua é muuuito bonita.

    • Fernando Tadeu Fabri

      Maravilhosa!

      Tanto a versão rock, quanto a versão techno, quanto a versão piano, quanto a versão………. BRENTALFLOSS!

      XDDDDD

  • Eu vou dizer, Duck Tales continua um jogo sólido até hoje, mesmo quase 25 anos depois de seu lançamento pro NES. Acho que o mesmo não pode se dizer de mim, jogando, talvez seja meu Gamepad do PC que tá meio zoado (eu consegui quebrar ele fazendo manobras no Tony Hawk’s 4) ou eu sou ruim mesmo.

    • Fernando Tadeu Fabri

      Arruma o controle pow! E joga o Duck Tales em um emulador que seja! Vale a pena!

  • Fernando Tadeu Fabri

    Apesar de muita coisa diferente e curiosa no segundo jogo, eu prefiro o primeiro pela dificuldade das fases serem maiores e também pelo jogo não ter continues… No segundo tem continues facilmente à venda…

    Eu não curti o remaster quando vi um gameplay… Tem MUITA FALA durante o jogo todo o.o… Não que eu não goste… Mas o jogo original que falei no review é mais jogar… E não ficar papeando com os sobrinhos durante as fases…

  • Sempai, seu texto está ótimo. Só faltou minha participação alí também, pois o que mais gosto de fazer nos games e explorá-los ao máximo. E se tratando de Duck Tales, isso fica mais interessante. Eu amo de mais esse game e só pude jogá-lo no emulador. Mas valeu cada minuto.
    Só fiquei com uma dúvida: o game do review não seria o Ducktales II ?

    Abraços meu caro!!

    • Fernando Tadeu Fabri

      Salve Jeff!

      Outro jogador-explorador XDDD

      O review é sobre o primeiro Duck Tales de NES / Famicom.

      Muito obrigado e grande abraço!

      • Vish!! Então eu não joguei esse, joguei o segundo da série.

  • Joguei há menos de 1 mês e fiquei 1 semana com a música da lua na cabeça. Acho que agora fico mais 1. Fiquei com vontade de jogar mais, mas a vida real se colocou no meu caminho.
    No mais, Capcom + NES = perfeição, combinação infalível!

    • Fernando Tadeu Fabri

      Cara… Essa música da Lua é sensacional Jogue mais! E também jogue o 2! Assim que sobrar um tempo … ou até em algum feriado, não deixe de curtir!

      Capcom + Nes + Disney = Combinação infalível!

      Abraço!

  • boa review,joguei pouco ele,mais e muito foda o jogo!

    • Fernando Tadeu Fabri

      Valeu! ^_^

      Então,,,, O problema é não ter continues… Mas pegando o jeito dá pra terminar de boa…

      Abraço!

  • como o exemplo ivo eu tmb nao conseguia alugar esse jogo na epoca do meu turbo game, só tinha 1 locadora na cidade e 1 cartucho do jogo, e ele era bem disputado, em breve posso degustar ele no emulador só de raiva heheheh

    • Fernando Tadeu Fabri

      Poooutz! JOGUE! E venha comentar aqui o que achou…

      Abraço!

  • RafaelP

    Excelente review de um excelente jogo de NES.

    • Fernando Tadeu Fabri

      Valeu ^_^

  • ótimo review!!!
    bem vindo de volta!!! XDD

    • Fernando Tadeu Fabri

      Muito obrigado ^_^

  • FabioGnecco

    Ótimo Review ! Detalhando Todas As Características Do Jogo ! Lembro De Ter Jogado Ele Na Casa De Um Amigo, Mas Faz Teeeeeeeeempo Mesmo haha

    • Fernando Tadeu Fabri

      Faaaala maninho ^^ Logo devo fazer uma visita à Sampa novamente, estou com saudades de lugares como o Bairro da Liberdade…

      Valeu por ter gostado ^^

  • ganon,o destruidor

    o jogo parece bom ,um dia pego pra conferir tanto ele quanto o 2

    • Fernando Tadeu Fabri

      Não parace, é muito bom XD O 2 é um pouco mais fácil …

      Jogue assim que possível! Abraço!

  • Chapolin Colorado

    Não sei porque, mas não consigo gostar desse game… =(

    • Fernando Tadeu Fabri

      Uai… Algum motivo em especial para não ter curtido esse jogo simpático? XD

  • Hely Junqueira

    Adorei o review Senpai, muito bom =D

    Duck Tales é realmente um jogaço: perdi a conta de quantas vezes joguei e rejoguei essa maravilha que eu tinha adquirido por 5 reais numa locadora de uma cidade vizinha a minha em 1994, eles estavam vendendo todas as fitas de Nes e consegui comprar algumas pérolas como Duck Tales, Jackie Chans, Werewolf, Journey to Silius, Tottaly Rad e mais algumas outras que não me lembro agora…..

    As fases que mais gosto são a da Amazônia e das Minas Africanas que ficaram muito legais…..você disse sobre fazer recorde tempo, mas uma vez vi o recorde de pontos numa edição da Videogame e eu o quebrei….XD

    Só que atualmente com a internet nem dá pra confiar muitos em records mais, né? É speedrun com ferramentas pra deixar o jogo em câmera lenta e save state…o legal desses speedruns é que dá pra observar o que um cara faz no speedrun dele e depois acrescentar no nosso modo de jogar.

    Um lugar que tem recordes na moral(sem save state ou TAS) é o speeddemosarchive, não sei se você conhece….

    Finalmente esse remake que vão lançar por melhor que seja não vai superar o original…aliás pra superar o original só se fizessem ele com gráficos de estilo nível de Snes ou Neo Geo, com pixels….e olhe lá se iam conseguir, já que gráficos estilo 8 bits tem um charme todo especial, não sei descrever direito mas parece mais com videogame XD

    E mais uma vez parabéns pelo ótimo review….=D

    • Fernando Tadeu Fabri

      Faaala Hely! Que bom que gostou XD

      Cara… Eu também já perdi a conta de quantas vezes terminei esse jogo (tanto quanto algum rockman hueuhehuehuhue)…

      Pegar fitas em locadoras que fecharam é algo muuuito bacana, já fiz isso algumas vezes, sorte ^^

      Minhas fases favoritas são as Minas Africanas e o Himalaia… Pow… Quebrar recorde de revista é sensacional!

      Sobre os speed runs e tas, eu sim assisto para ganhar novas habilidades no jogo para passar mais rápido as fases e chefes… Depois que já terminei o jogo na raça pela primeira vez, é claro ^^

      Conheço sim o Speed Demos… E é lá que vi esse record de 7 minutos (vídeo no youtube).

      Estou doidão pra jogar o remake… Mas não boto aquela fé nostálgica…

      Valeu maninho ^^

  • elcioch

    jogaço! 1 e 2! o que acho incrivel é a arte do game! bem trabalhada envista de muitos outros para NES!
    O que tu vai guardar segredos do game!! oras seu…seu…seu! tio patinhas! kkkk
    opa sera que ja é possivel encontrar alguma imagens desse remeik!
    Cara isso eu não sabia que havia 3 finais! ja terminei esse game algumas vezes, este game é daqueles que se joga algumas vezes e ja termina! isso que eu sou ruim em jogar!
    mas vou voltar a jogar para ver esses finais!

    • elcioch

      encontrei no youtube dois remeik! um deles lembra muito o estilo 16 bits o outro é a cara desses games novos em 3d!
      e sobre a musica da fase da lua realmente! achei um que era muito foda!

      • Fernando Tadeu Fabri

        Qual é esse que lembra os 16 bits? Fiquei curioso XD

        Mano… A música da fase lua é um épico musical gamístico ^_^

        • elcioch

          a versão 16 bits de alta definição!

          http://www.youtube.com/watch?v=1Z9iqibpQVg

          • Fernando Tadeu Fabri

            Carácoles! Só tem esse vídeo no Youtube, por mais que eu procure por outros…

            Fiquei muito curioso e com vontade de jogar, embora imagine que o projeto não esteja concluído…

            Valeu ^^

    • Fernando Tadeu Fabri

      A arte é muito boa sim, o 2 melhorou bastante em questão de gráficos!

      Opaaaaa! Para fazer o final com $0 de grana, é preciso apertar Select durante o jogo para recuperar energia… Sempre que o fizer, gastará 30k de grana XDDD

      Já tem imagens e até gameplay do remake no youtube…

      Abração!

  • Cadu

    Eu nunca joguei DuckTales (aquela velha máxima de “cresci jogando SEGA”), mas adorava o desenho quando criança e sempre que via imagens em revistas, ficava muito curioso pra jogar. Bem ou mal, tudo que eu jogava da Disney no Master (e posteriormente no Mega) era bacana. E era o jogo do DuckTales, né?
    Agora Duck Stories foi dose! hehehe!
    Legal saber que o jogo é de agradar diferentes tipos de jogadores, eu acho que preciso encarar um dia nas minhas “aulas de NES” (TH, sua responsabilidade, caso vc leia este comentário! kkkk).
    Ou então vou aguardar o Remake, a WayForward costuma ser competente, pelo menos foi nos dois últimos jogos que joguei (O Double Dragon Neon e o BloodRayne: Betrayal). Será que é melhor?
    E… peraí… como assim tem DuckTales no Netflix e eu nunca notei??????? Caçarola, eu não podia saber disso… nunca mais eu durmo, vou querer ficar assistindo! OMG! hahaha
    Senpai, belo post, como sempre! Mesmo que o Sabat tenha tentado estragar com os comentários dele… kkkkkk… sacanagem, ficou legal a participação do líder!
    Abraço

    • Fernando Tadeu Fabri

      SEGUISTA MALDIT… OI CADU PARCEIRO /

      Cara, o desenho é muito bom! Dificilmente a Disney fará outro desenho que prenda tando a atenção quanto Duck Tales!

      Master e Mega tiveram jogos muito legais como Lucky Dime Caper (será que escrevi certo? XDDD) e o perfeito Quack Shot substantivamente.

      Os clássicos Duck Tales 1 e 2 que se joga com o Tio Patinhas são exclusivos de Nes / Famicom e Gameboy Clássico.

      Maninho, é muito engraçado ver o “Donald” na capa do Duck Stories dando pancada em um inimigo que não existe no game, além dos comentários engraçados na parte traseira da caixa do mesmo (o manual deve ser hilário XDDD).

      O NES / FAMICOM possui uma biblioteca invejosa de games bons, e se quiser, eu posso te ajudar nas recomendações parceiro ^^

      Espero que o Remake seja bom, com muita jogabilidade e pouco lenga lenga…

      Assim que descobri que os episódios de Duck Tales estavam disponíveis na net, fui atrás baixando todos, e assisti uns 3 ou 5 episódios por dia (sim, teve finais de semana com maratona de 10 episódios XD).

      Valeu por ter gostado ^_^

      Quando percebi que o jogo é legal tanto explorando quanto jogando rapidamente, logo pedi para o Sabat fazer uma pequena participação… Pedi 1 parágrafo pequeno para comentar e olha no que deu XD

      Abração!

    • TH

      Opa, com prazer mano!

      Só precisa alinhar os magos. kkkkkkk

      E esse game é muito bom mesmo mano, vc com certeza iria curtir!

  • CODY

    Eu tive esse cartucho, e me lembro que na época do nes, como os jogos eram relativamente curtos em relação aos de hoje que demoram até meses para serem terminados, acabavamos decorando cada fase, cada item e macete, e terminar o jogo era questão de minutos. Para mim o ducktales era um desses jogos, como jogava só final de semana, pelo menos terminava ele uma vez por semana, pois era um jogo mto divertido. Hoje em dia não tenho a mesma paciência que tinha na época para jogar e pode ser que se for jogar novamente não aproveite toda a magia que esse jogo tinha na época. Ótimo post, Sempai;

    • Fernando Tadeu Fabri

      Sim Cody, jogos curtos e na maioria difíceis. Agora são logos e na maioria fáceis (lembrando que eu tenho dificuldade com jogos 3D, foi um pouco difícil terminar o Ninja Gaiden Sigma 2 no PS3 XD). Já Bayonetta foi um aquecimento, que jogaço!

      Eu jogava sempre, e terminava bastante! Divertido demais ^^

      Hoje eu perdi a paciência meio que para jogos de RPG (é estranho dizer isso, já que mês passado terminei Trinity Universe para PS3 com todos os finais hueuhehueuhhue). Mas no geral tenho me divertido com jogos de fase, puzzle e jogos musicais de ritmo (logo logo chega meu Hatsune Miku Project Diva F para PS3 *_*)

      Valeu por ter gostado ^_^

  • Sirlon Hayate

    Baita de jogo bom de Nes. Na época em que eu joguei.. fiquei apaixonado por esse game..
    ahhh.. saudades 🙂

    • Fernando Tadeu Fabri

      Grande Sirlon ^^

      Mata a saudade jogando de novo, nem que seja no emulador XD

      Abraço!

  • ZEMO

    Belíssimo artigo, Sempai. Duck Tales merece.
    Na verdade DuckTales (e Duck Tales 2 também!) é um jogo tão legal, mas tão casado com a plataforma original para qual foi lançado (NES/Famicom), que merecia o lançamento de um DuckTales 3 pela WayForward, que ficaria lindíssimo, se lançado com a apresentação gráfica do Shantae lançado pouco tempo atrás para DSiWare, por exemplo. Uma vergonha e uma tristeza essa PATACOADA de fazerem remakes HD. Jamais comprarei, jamais jogarei.

    • Fernando Tadeu Fabri

      Saaaalve Zemo! Valeu por ter gostado XD

      Cara… Duck Tales 3 daria tão certo quanto Double Dragon Neon!

      Eu dou uma chance SEMPRE para os Remakes, mas nunca passei por um caso em que superasse o original.

      Abraço!

  • Caverox

    Cara, Duck Tales 2 pra mim é um dos melhores, dá uma sensação de nostalgia incrivel quando jogo, o 1 fui jogar só no emulador, mas é fantástico, pena não ter sido uma trilogia, e a trilha sonora é de chorar, por falar nisso uma sugestão: que tal uma matéria especial sobre as musicas de NES.Confesso que quando vi o review, peguei meu fone de ouvido e fui pro youtube relembrar essas canções, foi emocionante, ótimo artigo, valeu!

    • Fernando Tadeu Fabri

      E aí ^^

      O 2 pode até ser melhor e muitos aspectos, mas para mim fica atrás devido a dificuldade ser menor que o primeiro… De resto acho que o 2 supera em praticamente tudo…

      Coincidentemente o Zemo comentou há 5 horas que queria que o Duck Tales fosse uma trilogia… Mas o zemo disse no caso do terceiro jogo ser lançado nos dias de hoje, que nem no caso do Contra 4… Mas você está se referindo se fosse uma trilogia na época (anos 90).

      A trilha sonora dos dois jogos é muito boa sim, e eu gostei bastante da sua ideia sobre a matéria. Vamos ver se consigo fazer no estilo especial em várias partes, já que em 1 só seria impossível XD

      Obrigado por ter gostado, abraço!

  • Saudades de Duck Tales, deixei de fazer milhares de liçoes de casa pra ficar jogando isso sahuasuhsa

    • Fernando Tadeu Fabri

      Não seja por isso XD Assim que possível pegue um bom emulador de NES com a rom do jogo e divirta-se matando a saudade ^^

      Eu também deixei não só de fazer lição de casa, quanto também matar aulas para jogar jogos de nes (e outros ^^)

      Abraço!

  • TH

    Ótimo texto Senpai, está de parabéns, muito completo!

    Eu não cheguei a terminar esse game, não tinha para alugar em locadora nenhuma perto da minha casa… Só joguei raras vezes na casa do meu primo e da minha prima. Mais adorava. Sentia muita falta de não poder alugar, foi o mesmo problema com Castlevania III….

    Para vc ter ideia de como nunca tinha para alugar, eu nunca tinha visto uma versão pirata desse game, nem essa brasileirada aí que vc tem. Achei muito loka. Eu coleciono as versões de jogos que tinha nas locadoras e que eu alugava, acho muito nostálgico! E com manual então! Bem raro.

    Agora é só esperar pela nova versão remasterizada, que com certeza vai ficar incrível, afinal é a WayForward!

    Falow mano! Show!

    • Fernando Tadeu Fabri

      PORRA TH! É muito gratificante VOCÊ, que adora escrever artigos LONGOS e SUPER DETALHADOS, dizer que o meu está muito completo! Valeu mesmo maninho!

      Se for pensar direito, além da versão Turbo Game que tive o prazer de conhecer na infância junto com a Castlevania JR (Boku Drakula-kun), não cheguei a ver FITA ALGUMA SEQUER de algum Duck Tales pirata… seja 60 ou 72 pinos O.O

      JOGUE CARA! Jogue que é muito divertido!

      Abração!

  • E eu estava aqui de bobs quando o senpai me chama no skype me perguntando o que eu achava de Duck Tales para NES kkk e quando vi, ele tava colocando no texto dele XD ehuehueh Achei legal pacas isso XD mais de uma opinião sobre um jogo é sempre bom ^^

    Quem sabe a gente não faz isso mais vezes XD

    • Fernando Tadeu Fabri

      É bom saber que essa atitude agradou o Boss XD

      Abraço aí Sabazera e vamo que vamo!

  • JC

    Joguei pouco esse jogo, eu nunca simpatizei com o Tio Patinhas, hehe, mas na verdade, acho que é porque só tinha em locadora longe de casa..

    Mas vou aproveitar o remix do Xbox pra me redimir!

    • Fernando Tadeu Fabri

      Pooooooutz, mais um que perdeu um pequeno pedaço de infância nos anos 90 xddddd…

      Não me recordo se tinha esse jogo nas Look Game, acho que não… Por sorte peguei a versão Turbo Game (valeu tio!)

      Jogue o novo, jogue o clássico!

      Abração!

  • Sirlon Hayate

    É rapaz.. Senpai sempre mandando bem com maravilhosos clássicos. DuckTales foi um tesouro, uma maravilhoso game que curte bem na época.. ohh saudades ^^

    • Fernando Tadeu Fabri

      Salve Sirlão!

      Muito obrigado XD

      Ducktales foi e sempre será um tesouro no mundo do incrível Nes / Famicom, um presentaço de 89/90!

      Mate as saudades sempre que puder com a rom do jogo em um bom emulador…

      Grande abraço!

  • a fase da lua alem de emocionante tem uma trilha maravilhosa

    • Fernando Tadeu Fabri

      Nem me fale, talvez uma das músicas de jogos de fase mais remixadas de todos os tempos ^^

      Valeu XD

  • DaN_Mestre

    Yooo Senpai, adorei seu review, li, reli o que posso dizer e que foi demais muito emocionante, os detalhes me encantaram, continue assim com esses posts fantásticos. Obrigado!

    Att. DaN!

  • ISAK

    TEM ESSE JOGO ONLINE ?

  • Não achei os episódios no Netflix, uma pena. Devem ter tirado IVO!!