RetroFast: Qual foi a maior loucura já feita por você em sua vida Gamer??


Curto e grosso: de gênio e louco todo mundo tem um pouco, e é por isso que todos nós já devemos ter realizado alguma proeza amalucada em nossas vidas gamers. E pra que ter vergonha disso? O negócio é soltar o verbo e contar pra todo mundo como anda ou andou no passado o seu teor de maluquice!

Alguns membros da equipe não quiseram da o braço a torcer de que já haviam realizado algumas peripécias deveras insanas em seus passados gloriosos, já alguns adoraram a ideia, e desembestaram a falar imediatamente. Sobrou pra mim reunir as histórias e colocá-las aqui para que vocês, amigos retroaventureiros, possam entrar no clima para contarem também as suas!

.
 

Como já dizia o Luciano Huck: Loucura, Loucura, Loucura!! Eu cometi algumas sim senhor, como passar 29 horas ininterruptas jogando Ragnarok e ainda ficar bravo com a família que queria me internar… Mal sabiam eles como era super mega foda o prêmio para o primeiro personagem a atingir lv 99 no novo servidor que eu… não ganhei… Um cara conseguiu 1 hora antes de mim… DESGRAÇADO, AINDA ODEIO AQUELE FDP, ROUBOU MEU LORD KAHO HORN!! Em fim…

Bem, a mais memorável foi uma vez que eu fui na casa de um cara da escola jogar videogame, e o fulano era tipo, GRANDE, MAU ENCARADO. A gente estava jogando Double Dragon 2 do Phantom System justamente por que eu tinha fama de conseguir terminar aquele jogo com uma mão amarrada e vendado, e obviamente, o cara duvidou de mim perante a escola toda… Olha, se ele tivesse ofendido minha mãe, me xingado de tampinha medroso, me roubado a merenda, tudo bem… mas DIZER PERANTE A ESCOLA TODA QUE EU NÃO TERMINAVA O JOGO? PÉRA LÁ, AGORA A COISA FICOU SÉRIA! CHALLENGE ACCEPTED!

E lá fui eu pra dentro do terreno inimigo com minha altura de pigmeu, uns 30 quilos, nenhuma coragem, e um  orgulho do tamanho do mundo que não poderia ser manchado por uma desistência acovardada, muito menos por negligência de minhas pernas que se recusavam a se mover pela rua. Jogamos de 2, ele morreu logo cedo, eu fui e terminei o jogo. Obviamente que eu não disse aquele “chupa mané, quero ver duvidar de mim de novo” que eu estava louco pra dizer, pois o risco de ter um braço separado do tronco era alto, mas o problema foi que logo depois, antes que eu pudesse se quer soltar o controle, e ele me soltou uma “se você contar pra alguém que terminou aqui e me zoarem, eu vou te arrebentar!”

Olha… … … … se ele tivesse ofendido minha mãe… … me xingado de tampinha medroso, me roubado a merenda… … … TUDO BEM… mas DIZER QUE EU NÃO PODIA CONTAR QUE TINHA TERMINADO O JOGO PARA LIMPAR MINHA HONRA, PÉRA LÁ, AGORA A COISA FICOU SÉRIA DE NOVO!! CHALLENGE 2 ACCEPTED! Olhei pro cara, saquei meu controle do aparelho dele, enrolei, pus no bolso, fechei o olho e disse “pode bater, e começa agora pra acabar rápido!” LOUCURA OU NÃO É? O CARA TINHA O TRIPLO DO MEU TAMANHO PRA QUALQUER LADO QUE VOCÊ FOSSE MEDIR, MEU AMIGO!!

Resultado? Senti um 2 tapinhas nas costas, e escutei o cara rindo dizendo “brincadeeeeeeira beiço, se joga muito, mânu!”. Se vocês não sabem verdadeiramente o que é alívio, está então aqui registrada a mais perfeita definição disso! Ah, e beiço era meu apelido de escola…

.

Bom pessoal, eu não lembro de nenhuma loucura, sério, tenho tentado lembrar desde que recebi o tema para este fast, mas não lembro. Acho que loucura era quando eu deixava de jogar para fazer outra coisa, rs!  

Ah, não sei se esconder as caixinhas das fitas da locadora no meio dos sacos de feijão do mercado pra ninguém achar até eu alugar chega a ser loucura… rs.
.
.

Em 1993, ao receber o meu primeiro salário, do meu primeiro emprego, torrei 90% da grana num cartucho de Mega Drive. Meu pai quase teve um troço! 
A segunda atitude contestável, foi quando quase apanhei de um casal de chineses de uma lojinha do shopping, que vendia eletrônicos de procedência duvidosa. Lá eu adquiri o game Mortal Kombat para Mega, sensação do momento. Só que, esperando ver uma qualidade parecida com o game nos arcades, acreditei se tratar de uma versão do game para Master System, adaptada para o Mega. No dia seguinte fui bater boca com o logista que mal arranhava o português. Dei uma de “zé mané”, dizendo que o game não funcionou no meu aparelho. Mas na loja foi testado e voltei pra casa bravo. Inconformado, no dia seguinte voltei com a mesma desculpa. O casal já sem muita paciência, me dizia: “esse ser poblema seu máquina!!” Mas eu estava decidido a levar qualquer outra coisa, quando bati os olhos num lindo par de controles de 6 botões que estava na vitrine. Na hora invoquei o espírito de consumidor boca dura e falei que queria meu dinheiro de volta, senão chamaria a polícia. O casal discutia muito entre si, mas no final das contas aceitaram que eu pegasse qualquer coisa no valor do game que correspondia justamente ao valor dos dois controles desejados. Enquanto eu saía da loja fingindo estar frustrado, o chinês resmungando dizia: “…Não vender mais pla você, não voltar mais em loja!”

A outra loucura eu fiz, aconteceu quando me desentendi com um chinês mal encarado de cabelos longos e cinzas (parecia o Shang Tsung), com uma verruga enorme no queixo. Aconteceu na Galeria Pagé. Comprei lá um Playstation One + um gamepad extra e, segundo o china, acompanhava controles originais, já que paguei mais caro por isso. Chegando em casa, percebi uma qualidade de imagem pior que no modelo anterior (tijolão), além de constatar que os controles eram “quaaaase” originais. No dia seguinte voltei à loja e bati boca com o cara, já que ele jurava de pé juntos que as peças eram autênticas. O que me deu raiva é que na TV do cara o console funcionava perfeitamente. O chinês me olhava feio e comentava algo em outro idioma com outros dois mal encarados, falavam alto e apontavam pra mim. Depois de muita insistência minha, devolveram meu dinheiro, mas confesso que fiquei com medo de tomar uma sova na saída. Centro de São paulo, a coisa é tensa!!
Bem, eu estou vivo então, acho que valeu a pena!!
.
.
A maior loucura que fiz na minha vida Gamer, nem é algo tão maluco assim. Apesar que alguns amigos dizerem que foi um façanha no sentido do impossível, afinal poucos conseguiram fazer isso. Foi abrir todos os CHEATS do GoldenEye 007 do N64. Inclusive aquele da fase “Facility” que tinha que terminar a fase em menos de 2 minutos. O engraçado que o jogo era emprestado e quando esses amigos viram que abri todos os CHEATS eles ficaram “malucos”. Então acho que na verdade a maior “maluquice” que fiz foi deixar eles “malucos”. Isso faz mais de 10 anos e até hoje eles comentam.
Ps: Eu fiquei praticamente 2 semanas jogando a mesma fase para abrir esse CHEAT da “Facility”. E você, qual foi sua maior loucura na sua vida Gamer? Aposto que foi maior que a minha. Grande Abraços pessoal.
.
.
Dúvida cruel, afinal já fiz tantas coisas que muitos não-gamers poderia considerar loucura. Muitas dessas coisas “loucas” que fiz foram na minha infância e na minha adolescência, visto que hoje em dia estudo e trabalho deixam a barra de HP naturalmente na metade. Mas vamos lá, temos que escolher uma, então fico com a vez em que eu fui ao show do Iron Maiden. Sim, uma loucura num show de Heavy Metal da melhor banda of all time! Lembro que eu fui sozinho, alguns amigos iriam, mas eu era o único que arrumei um ingresso na tal da Pista VIP (aquele setor que fica na boca do palco). Era meu primeiro show de alto nível que eu ia e pensava que conseguiria fazer aquelas loucuras que acontecem nos filmes. Bom, no final das contas o show rolou, consegui uma palheta do Dave Murray e o jogo Ed Hunter, que estava na minha cintura e eu desejava que fosse autografado na hora em que eu pulasse no palco.
Bem, não deu… Ficou como esta até hoje, com a capa lisa. Mas ao menos eu consegui que o Nicko olhasse pra mim, mostrei o jogo pra ele, fiz o sinalzinho da caneta mas ele sorriu e fez apenas um gesto de como se estivesse com um controle na mão, deu um joinha e foi embora. Ao menos quando cheguei em casa deu pra curtir o jogo, e na cabeça ficou aquela louca história de um menino que levou um jogo de computador pro show de rock!
.
.
.
Mais maluco que esse RetroFast, só aquele cara do comercial das Casas Bahia!
E vocês, caros amigos retroaventureiros? Já estão no clima das maluquices? Estou pressentindo que virão histórias BEM engraçadas ai pela frente!
Continua…

Sobre Sabat

Dono, Chefe, Gerente, Cara da Xérox e Tia do Café do RetroPlayers! Meu negócio? Falar sobre games. Como? Escrevendo meus trabalhos, gravando minha voz horrível, ou filmando minhas humildes proezas! Onde? Aqui, ali, ou onde quer que me chamem!
Adicionar a favoritos link permanente.