RetroEspecial: Programa StarGame “É HORA DE DEBULHAR!”


É HORA DE DEBULHARRRRRRRR! Se você conhece essa frase, então deve ter assistido ao melhor programa televisivo sobre games que o Brasil já teve. Estou falando do saudoso Stargame! E se você não conhece vai conhecer agora. Vamos relembrar alguns dos melhores momentos, os games da época e curiosidades sobre esse programa que alegrava nossos sábados e dias da semana na TV. Então prepare a sua antena parabólica, a TV, e pegue o caderninho de anotações de dicas porque está na hora do RetroReview Especial: Programa Stargame “É HORA DE DEBULHARRR!”

Stargame foi um programa televisivo que tratava exclusivamente do mundo dos games. Iniciado no ano de 1995 e transmitido pelo canal pago Multishow, mas que tinha seu sinal aberto para antenas parabólicas, assim funcionando como canal aberto (para alegria de muitos na época, afinal, TV paga não era comum ainda). O conceito do programa foi idealizado pela Ângela Patrícia Reiniger (diretora do programa) que por coincidência, estudava inglês com o Cristiano Gualda e o convidou para trabalhar inicialmente em matérias externas (entrevistas), e no final acabou virando o clássico apresentador do programa. Informação explicada na entrevista com o Cristiano Gualda para a galera do site Hadouken e aqui você encontra outra entrevista do Cristiano Gualda feita pela galera do Passagem Secreta (dica do Marcus no Facebook Do Retroplayers. Valeu Marcus!). Também devemos lembrar o famoso garoto que “detonava” os jogos, chamado de Deco Cruel, interpretado por André Cardona, que era amigo do Cristiano Gualda e foi convidado para trabalhar com ele.

O programa durou praticamente cinco anos e meio e trazia dicas, reportagens, detonados, notícias, entrevistas etc, tudo voltado ao mundo dos games. O fim do programa foi em 2000, após o canal Multishow decidir tornar a programação do canal mais adulta, e como o Stargame era voltado predominantemente ao público jovem, acabou tendo seu fim decretado naquele ano (azar da Multishow porque depois disso eu nunca mais assisti a esse canal e aposto que muitos fizeram isso). Vale lembrar que o Stargame foi o primeiro programa de TV a cobrir a E3, e isso foi algo que “abalou os pilares” da galera gamer no Brasil, afinal só estávamos acostumados a acompanhar a E3 por meio de revistas. Lembro-me bem de assistir ao Stargame na E3 com alguns amigos no lançamento do N64 com Mario 64 e nem preciso dizer que foi aquele silêncio absoluto na hora. Para um programa de apenas 25 minutos, o Stargame era bem diversificado, carismático e com uma dose de humor na medida certa (vou comentar mais sobre esse aspecto do humor abaixo), características que fizeram com que o programa entrasse para a história dos games no Brasil.

linha2

Clique Para Ampliar!

Cristiano Gualda Era o apresentador do programa. Um cara carismático e sem dúvida o grande responsável pelo sucesso do programa. Sempre bem humorado e por diversas vezes “feliz” em apresentar para a garotada da época as matérias sobre games. Até hoje em suas entrevistas percebemos que ele realmente entende de games, apesar de ser um péssimo jogador e perder sempre para os entrevistados do StarGame. Hoje ele é ator e trabalha em peças teatrais pelo Brasil.

Deco Cruel (André Cardona) Era o garoto que “detonava” os jogos (encarregado de passar todas as dicas de como fechá-los) e tinha o trabalho dos sonhos da galera gamer (jogar videogame). Ele apareceu diversas vezes no programa, principalmente em especiais de fim do ano. Eu nunca esqueço a dica do Daytona USA para conseguir créditos de graça. O paradeiro dele depois do programa ninguém nunca mais soube.

Ângela Patrícia Reiniger Era a produtora do programa. Ela apareceu em diversos finais fazendo brincadeiras com o Cristiano Gualda. Em um desses finais, inclusive, ela virou uma fada e mandou o Cristiano para outro mundo (toscão!). Ela continua como produtora de programas e alguns dos seus últimos trabalhos foi um documentário chamado “Três Irmãos de Sangue”, como diretora e com o roteiro escrito por ela juntamente com o Cristiano Gualda e também um programa televisivo chamado “Programa Especial”, do canal TV Brasil.

Mãozinha Como o próprio nome diz, era uma mão que pegava as cartas que eram lidas ao final do programa. Ela sempre aprontava “pegadinhas” com o Cristiano no fim do programa (mandava o apresentador para outros mundos, o explodia, fazia com que ele voasse e cia) e acabou se tornando o verdadeiro mascote do programa. Recebia inúmeras cartas de vários espectadores querendo conhecê-la e pedindo para não fazer “piadinhas” com o Cristiano. O mistério é que nunca ninguém soube quem fazia essa “mãozinha”. Um dos momentos mais toscos-engraçados do programa foi quando ela jogou um fio com tomada e o Cristiano achou que era o arpão do Scorpion (Mortal Kombat). Alguém se lembra disso?

Sgum Mascote que foi criado pelo telespectador Bruno Trevisam Zacharias, vencedor do concurso “Crie o mascote para o Stargame”. Sgum quer dizer “Star Game Ultra Maníaco“. Ele foi muito pouco utilizado pelo programa, aparecia apenas em alguns quadros e a maioria das pessoas não se lembra de sua existência.

Essa foi uma das características principais do programa como mencionei no começo do texto. O humor um pouco escrachado ou bobo tornava o programa mais leve e divertido. Isso se deve também pela liberdade que eles tinham em criar o programa, afinal, hoje em dia você dificilmente vê um apresentador fazendo entrevista de bermuda na casa do convidado (eu ri muito quando vi o Stargame esses dias e o Cristiano estava de bermuda na casa do Luigi Baricelli). E me diga se você não ficava esperando até o finalzinho do programa para ver o que iria acontecer com o Cristiano Gualda? Eu e meus amigos quase tínhamos um infarto com esses finais trágicos para o apresentador, que eles achavam horríveis, mas que no fundo faziam todos rirem e nunca deixávamos de ver. Outra parte engraçada era quando o Cristiano apresentava algum lançamento utilizando o cenário do jogo em um “croma key”, onde por diversas vezes ele interagiu com o cenário ou personagens dos games fazendo a gente rir ou chorar (você escolhe!).


Dicas Essa era umas das principais atrações do programa. O Stargame trazia muitas dicas (cheats) dos jogos, alguns apresentados por eles mesmos e outros a pedido dos telespectadores. Para todos nós, acostumados a ver dicas somente em revistas, esse foi um quadro de grande ajuda. Como comentei anteriormente, uma das dicas que me lembro bem foi para Daytona USA de Arcade, de como ganhar créditos. Vale lembrar que eles também davam dicas para consoles antigos para a época (Super Nintendo, Mega Drive e cia).

Lançamentos São os famosos “reviews” que apresentavam os lançamentos de jogos. Clássicos como: Resident Evil, Mario 64, Zelda Ocarina Of Time, Street Fighter Alpha, King Of Fighters, Sonic Adventure, Toshiden e vários outros apareceram no programa assim que chegaram às lojas! Algo muito legal era que esse quadro dos lançamentos não ficava só fechado a jogos, mas também incluía os consoles: Dreamcast, N64, Saturno, Playstation 2.., Enfim, várias novidades sobre jogos e consoles que muitos viram pela primeira vez no programa. Meu momento épico foi ver o N64 pela primeira vez no StarGame em plena E3, como falei anteriormente.

Game News Esse era o quadro em que o Cristiano comentava sobre os rumores, lançamentos e mudanças no mercado de games. Era como uma “previsão do futuro” no mundo dos games. Notícias como Ultra64 (que seria o N64 no futuro – obrigado pela correção Jeff), tecnologia 3DO, filme do Mortal Kombat entre outros assuntos fizeram parte desde quadro.

Computador Pode parecer estranho, mas nessa época do Stargame, em meados de 95, os computadores estavam começando a se tornar comuns no Brasil. Como a utilização desse novo meio de comunicação estava se tornando comum, os jogos para computadores começaram também a ficar em evidência. E esse foi o principal tema do quadro, eles falavam sobre jogos de computador, lançamentos e dicas de como jogá-los.

Debulhação É HORA DE DEBULHAR era o jargão utilizado para esse quadro que ficou famoso em todo Brasil. Era um quadro que mostrava como fechar um jogo passo a passo. Jogos clássicos como: Tomb Raider, Mario 64 e Final Fantasy VII entre outros foram “debulhados” no programa. Era o principal atrativo do StarGame, até mais que as entrevistas

Baú do Game Esse era o quadro ao estilo Retroplayers: eles apresentavam jogos de gerações anteriores e relembravam clássicos de Super Nintendo, Mega Drive, Master System e cia. Achava super interessante esse quadro por lembrar sempre que mesmo nas gerações atuais (naquela época) os retrogames ainda tinham um carinho especial por grande parte dos jogadores.

Golpe de Mestre Um quadro voltado aos jogos de luta que ensinava golpes e especiais de um determinado personagem.

Entrevistas – Neste quadro eram entrevistados os “famosos” da TV brasileira(geralmente atores e atrizes da Globo, principalmente da Malhação), bandas, esportistas, entre outros. Uma das entrevistas mais marcantes foi com Christopher Lambert, que fez o personagem Raiden no filme do Mortal Kombat. Eu particularmente não gostava desse quadro, porque dificilmente algum ator sabia algo sobre games e sempre ficavam com aquela cara de “o que estou fazendo aqui?”.

Matéria Especial Era justamente quando o programa cobria um evento como a E3 ou mesmo feiras de eletrônicos aqui no Brasil. Era o momento mais aguardado para quem assistia ao programa. O StarGame abria vários programas seguidos comentando e falando dos eventos que estavam acontecendo, o que só nos deixava cada vez mais ansiosos pelo próximo programa. Quando se tratava de um grande acontecimento como a E3, a matéria chegava a durar 6 ou 7 programas!

Encerramento Era o final do programa, onde geralmente o Cristiano lia alguma carta ou e-mail (e-mails eram raros) enviado para o Stargame. E não podemos esquecer os finais “engraçados” que aconteciam após ele ler a carta e finalizar o programa. Havia também outros quadros, mas que poucas vezes apareceram no programa.

  • Password – Um quadro que passava dicas e logo foi substituído pelo quadro “Dicas” (dãããã!).
  • Glossário – Explicava algum termo relacionado a games.
  • Documento Secreto – Apresentava a ficha de um personagem, falando coisas como sua idade, altura, história e outras características.
  • Eu Sei!- uma charada era apresentada no início do programa cuja resposta seria dada no final e, obviamente, sempre tinha relação com games.

Na longa história do “mundo gamer” aqui no Brasil, existiram sim outros programas televisivos voltado aos games: Play Tv, G4 ou Mar Games (aqui na Baixada Santista) e que representavam bem o “mundo gamer”, mas em minha opinião nenhum deles chegou a apresentar tudo de forma tão divertida, informativa, surpreendente e carismática como o Stargame. Em uma época cheia de novidades, em que o videogame foi incorporado como entretenimento na família brasileira com os lançamentos de consoles como o Playstation, o Saturno, Dreamcast, Nintendo 64, e outros, o Stargame demonstrou que videogame não era coisa somente de criança, e sim, um meio também de entretenimento e cultura importantíssimo para todos, jovens e adultos. É uma pena que hoje os canais de TV não tenham um espaço dedicado para games, isso só demonstra sua derradeira falta de ideias, qualidade, novidades e originalidade para criar algo como foi o Stargame. Sempre quando comento sobre um programa de TV dedicado aos games nos dias atuais, acabo encontrando opiniões contrárias. A facilidade das informações, vídeos no YouTube, sites e demais ferramentas acaba fazendo pensar que seria uma “furada” criar um programa de games na atualidade, mas eu discordo plenamente. Claro que se fosse pra fazer seguindo o molde do  “apenas trazer informações” então a chance do programa ser algo banal seria altíssima, afinal, temos milhares de sites informativos em tempo real sobre games. Mas acredito que com algo diversificado e ideias novas, algo muito interessante poderia ser feito, como por exemplo: abranger a iniciativa dos desenvolvedores brasileiros de jogos (indies), cobertura de eventos que estão nascendo e crescendo aqui no Brasil, contar um pouco da história dos games e como eles surgiram por aqui, e diversas outras coisas… Acredito que seria possível fazer um programa de TV “vingar” novamente, tanto por que o público casual que gosta de games não costuma abrir a internet para procurar informações sobre este mercado… Qual a sua opinião sobre isso? Comente aqui no Retroplayers meu filho!

Algum tempo atrás eu descobri um usuário no YouTubeque simplesmente colocou praticamente todos os episódios (deve faltar somente um ou dois) do Stargame para assistir. Segue o link com os episódios: YouTube Stargame Sabe o que é mais engraçado em assistir aos episódios do programa? Além, obviamente, de tudo que falei acima, você se sente em uma “revista televisiva retrogamer”. Você terá a oportunidade de lembrar aquele joguinho clássico como se estivesse sentado em frente à TV nos anos 90. Pense que é como um RETROPLAYERS na TV hahahaha XD. Aliás, Sabat, quem sabe um dia a gente não lance um programa de TV do Retroplayers, hein? Quem seria o apresentador? Eu escolheria o Cadu e o primeiro game que iríamos abordar seria ROAD RASH (para irritar o chefe hehehe).

Algumas curiosidades sobre o Stargame que achei pela internet:

Encontrei um filme de 2012 em que Cristiano Gualda faz parte do elenco:
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-202570/

O site com o nome de todos os episódios do Stargame:
http://www.ogat.com.br/stargame_capitulos.php

Deco Cruel no Xbox. (Não sei se realmente é ele!):
https://live.xbox.com/en-US/Profile?GamerTag=deco%20crue

Entrevista com o Cristiano Gualda (de cabelos brancos!) no Techtudo em 2011:
http://www.techtudo.com.br/jogos/noticia/2011/05/entrevista-com-cristiano-gualda-ex-apresentador-do-stargame.html

Bom pessoal, espero que tenham gostado do nosso RetroEspecial – Stargame. E tomara que muitos aqui comentem sobre esse programa, afinal, ele faz parte da história de muitos gamers brasileiros. E para quem nunca ouviu falar nele, fica a dica de conhecer um pouco sobre o mesmo. Grande Abraço do seu amigo Ivo. E um presentinho para vocês! Abaixo um episódio com aquela musiquinha clássica da abertura.

Agradecimento especial estilo “mãozinha do Stargame” para Cris pela ajuda no texto e orientação nos detalhes. Você faz parte do texto e sempre vou agradecer. Obrigado! =)

Fim

Dica do leitor Christian (Valeuuuu!) aqui do Retroplayers. Existe um programa televisivo de games na atualidade, mas que infelizmente só passa no Paraná e proximidades, mas é possível ver pelo Youtube todos os episódios. Programa se chama GAME OVERhttp://www.youtube.com/user/tvgameover
Se você tiver uma dica de programa, não deixe de enviar nos comentários. 


Sobre Ivoornelas - Ex Membro

“Amante de Mario Kart, retrogamer assumido, contador de histórias gamers e sonha ter uma lojinha de Games e Retrogames.”

Adicionar a favoritos link permanente.
  • Airton Busselli

    Parabéns pela matéria Ivoornelas, o único programa que tinha haver com games que conhecia era o do Gugu na época do Sonic….rsrs, ou se não quando na “Porta de Esperança” do Silvio Santos algum garoto pedia um vidogame e alguns jogos, acho que mandei umas 10 cartas pedido a mesma coisa…
    Como vim de família humilde, e morava no interior de Sampa essas cosias era só pra rico, mas graças a internet e a você hoje poderei conhece-lo.

    • Ivo

      Obrigado pelo comentário Airton! Esse do Gugu é um clássico e tem no Youtube também hahahaha! Que você jogava na fase do Alex Kidd né?! Me lembro sim disso hahahahaha XD Agora porta da esperança pedindo videogame? Tá zoando? Putz, eu deveria ter feito isso também =/

      Não deixa de conferir os vídeos não! É como disse no texto, uma revista-televisa-retrogamer e muito legal.

      Grande Abraço Airton e obrigado pelo comentário.

  • Alessandro

    “E se você não conhece (é a mesma coisa que nunca ter jogado Super Mario Bros) vai conhecer agora. ”
    Tenho 36 anos, joguei todos os Marios antigos mas nunca vi esse programa, pois na época não tinha parabólica e muito menos TV à cabo. Mas parecia ser um programa legal! 🙂

    • Ivo

      Alessandro! Esse programa é o SUPER MARIO BROS dos programas de GAMES na TV Brasileira. Não deixa de conferir lá os vídeos, você vai curtir muito =)
      Valeu pelo comentário e continue visitando o site!

  • Jeff Sousa

    Matéria interessante, não acompanhei o programa porque aqui no ABC, tv por assinatura custava um rim no mercado negro e o sinal da TV aberta não era lá essas coisas, nem com parabólica. (Por um bom tempo, apenas Globo, SBT e Shoptime funcionavam aqui. Record passou a funcionar direito com o lançamento de Pokemon na época).

    Não querendo ser chato, mas já sendo: “Notícias como Dolphin (que seria o N64 no futuro)”. O codinome do N64 era Ultra64, Dolphin é do GameCube.

    • Ivo

      Olá Jeff! Já vou corrigir isso agora mesmo! Eu fiquei mexendo no emulador Dolphin e fiquei com isso na cabeça! É claro que é ULTRA64 hahahaha XD Valeu mesmo pela observação!

      Uma pena mesmo você não ter assistido! Aqui em Santos/Sp (onde moro) era novidade a TV a cabo e chegou com preços legais para a época e aqui em casa acabamos pegando uma assinatura simples, Mas meus parentes de outras cidades comentam isso mesmo…. o preço ser praticamente um RIM p/ assinar.

      Mas dá um olhada no Youtube que vale a pena conferir os episódios.

      Valeu pelo comentário e correção Jeff. Grande Abraço.

  • Leandro alves

    ah, passava no Multishow? por isso que nunca ouvi falar nesse programa, mas boa saber da existência

    • Ivo

      Passava sim Leandro, no auge do Multishow, quando era um canal maneiro de assistir sempre. Uma pena não ter assistido, mas dá um olhada nos vídeos… você vai adorar. Valeu pelo comentário, grande abraço.

  • Julio Soares

    Meus parabéns pela matéria Ivo, não perdia um, valeu mesmo por relembrar essa belezinha!!

    • Ivo

      Olá Julio, maneiro esse programa né? Eu não perdiu um, só comecei a parar em 98 alguns episódios por causa do horário, mas descobri depois que passava na semana. Fico feliz que tenha gostado da matéria. Grande abraço e continue visitando o site.

  • Christian

    Visito esse site a um bom tempo mas essa é a primeira vez comentando(ja que tenho algo que acho interessante a acrescentar).

    Na verdade nem lembrava desse programa, mas atualmente tem o programa GAME OVER, apresentado pelos irmãos Arthur e Thiago, é um programa bem bacana, divertido e tudo mais e pelo que sei ele é exibido no paraná e localidades próximas pela Band(bem que poderia ser exibido para todo Brasil), apesar de não ver pela tv tem todas as materias no youtube…

    http://www.band.com.br/gameover

    http://www.youtube.com/watch?v=tMJIZFXCcGA

    • Ivo

      Christina, tudo bom? Eu não sabia desse programa GAME OVER e vi aqui a chamada e gostei bastante da diversidade que ele aparenta ter. Vou colocar no final do texto como dica do leitor e seu nome. Posso fazer? Valeu pelo comentário e a dica. Grande Abraço e continue visitando o site.

      PS: Uma pena o programa não passar no resto do país.

      • Christian

        Opa, claro, pode colocar como dica, poucas pessoas sabem que o programa existe, seria bem legal. =D

        pois é, é uma pena.. aqui tambem nao passa e eu tenho que ve-lo pela conta do programa no youtube, que como eu disse acima, todos os programas sao postados no youtube, o que ajuda bastante quem nao pode assistir pela tv. =)

        Vou continuar visitando sempre, o site está nos meus favoritos e sempre leio tudo…

        abraço, valeu

        obs, no comentario acima eu postei apenas o url do video de apresentação do canal, esse é o link certinho da conta no youtube, onde sempre é postado as materias e tal:

        http://www.youtube.com/user/tvgameover

        • Ivo

          Valeu Christian, já postei nos final do texto sua dica e com seu devido nome, Brigadão =)

  • Renan Pinheiro

    Materia sensacional e fiquei em choque ao ressucitar o finado Mar Games, que particularmente perdeu toda a graça quando se voltou 98% ao PS2 e morreu 🙁

    • Ivo

      Fala Renan, tudo bom? Muito legal que você tenha conhecido o Mar Games. Era um programa de Games maneiro aqu.i na Baixada. Lembra dos campeonatos gigantes que eles faziam aqui na cidade? Pena que nunca participei deles. Ah sim, e você tem toda razão… ele acabou quando só falava de PS2 e não tinha mais diversidade. Valeu pelo comentário Renan e quem sabe no futuro eu não fale do Mar Games =0

  • Cadu

    O QUE? EU APRESENTADOR DO RETROPLAYERS TV?

    HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHU

    Tudo bem, depois eu entendi a piada, era pra zuar o Sabat por causa do Road Rash. O que eu concordo plenamente! huahuauhauhahua
    Mas tomei um susto, inicialmente, eu não tenho nada de apresentador! kkkkkk

    Cara, posso te assustar? EU NUNCA JOGUEI MARIO… err… digo… EU NUNCA ASSISTI STARGAME! Tá certo que eu tenho a memória prejudicada e pode ser que eu tenha visto algum dia na vida, mas a verdade é que eu nunca fui muito apegado à televisão depois de certa idade. Eu ia usar a desculpa de que em 95 eu tive meu primeiro PC e eu só jogava ele, mas nem funciona, pq eles também falavam de jogos de PC pelo que vc falou.

    Vou assistir algum episódio, gosto de humor na medida certa. Diferentemente do meu péssimo senso de humor com piadinhas toscas e trocadilhos infames.

    Mas muito bom o post, debulhou o programa de debulhar! o/

    Abraço

    • Ivo

      Hahhahahaha! Sabia que você iria comentar sobre isso! hahahahahaha! *rindo aqui*

      Pensa pelo lado bom Cadu, só iriamos colocar os jogos que o Sabat não gosta para passar e ROAD RASH seria o primeiro né?

      Agora, como assim você não jogou Mario? Stargame eu até entendo, mas MARIO? Sabat, cadê você nessa hora com o chicote hein!!

      Eu tive meu primeiro PC em 96 e foi um Pentium 100 mega lero e bugado hahahaha! E fiz milagre com ele por muito tempo. Mas não dava para jogar muita coisa de videogame não.

      Assisti o episódio sim Cadu, o que tem lá é o da E3 =)
      Valeu pelo comentário! Grande Abraço.

      Apresentador hahahahahaha!

      • Cadu

        uhahuahuauha… eu falei por causa da sua comparação com nunca ter jogado Mario e nunca ter visto o programa, claro que já joguei Mario, pô! É quase tão legal quanto Sonic! huahuauhauhahuahuauha

        Vou assistir o da E3, vai ser legal relembrar coisas também! 😀

  • Me chamem de extraterrestre, mas eu nunca ouvi falar desse finado programa.
    Caraka!!
    Belo achado em IVO!

    • Ivo

      Jura Jeff? Putz, uma pena você não ter ouvida falar! O Pior que ele é famosão pelo Brasil. Valeu pelo comentário! o/

  • é, acho que o Ivo pegou um pouco pesado na comparação com Mario ehuehuehue eu diria que é tipo… igual nunca ter jogado Yo!Noid XD Mario é muita pretensão kkk

    Eu assisti, mas pouco. Foi logo que a TV a cabo chegou na minha rua, eu fui o primeiro morador dela a ter instalado o decoder o/ (eu ligava na NET toda semana cobrando quando é que iriam disponibilizar na minha rua kkk).

    Gostava do programa kkk lembro que o apresentador tentava falar os termos com inglês correto e isso soava engraçado demais por que a gente aqui era acostumado a falar tudo “abrasileirado”, tipo, o normal por aqui era falar M BISON (do jeito que eu escrevi) e ele fala M BÁIZON kkk soava engraçado mas foi o que começou a me mostrar que muita coisa que a gente falava por aqui estava com a pronuncia errada, e foi quando eu comecei a me preocupar com os termos corretos em inglês XD Chrono Trigger por exemplo, que muita gente (quase todo mundo) fala erroneamente CHRONO TRÁIGGER kkk

    • Ivo

      Ah, peguei nada Sabat! >.< Assim eu obrigo todo mundo a ver o programa mesmo que não conheça. Todos pensando: "Ivo é maluco, como ele fez essa comparação e nunca vi esse programa? Vou ver agora!" Hahahahahhaha XD

      Pior que é verdade! O Cristiano falava o inglês todo "pimpão" hahahaha XD Deve ter relação com as aulas de inglês que ele encontrou a Ângela. Mas aprendi a falar bastante coisa direitinho com ele também.

      Já bastava aquelas pérolas clássicas – Tiger Robocop, Alex Full, Tus Cuí e cia hahahaha!

  • TH

    Sou da mesma opinião do Sabat… Comparar não conhecer esse programinha com não conhecer Super Mario é forçar a barra até as galaxias do universo cósmico estrelar, kkkkkk. Tá loko Ivo.

    E o programa é bem ruizinho, não gosto desse molde de programa Cultura, tipo castelo ra tim bum e muito menos ouvir de pessoas que na cara não gostam e não jogam video game falando de video game para mim…

    O único programa que eu gostava e olhe lá, era o que tinha o ator que fazia o Luas Sila e Silva, pq ele tá na cara que é viciado em video game desde a época Nes.

    Mas entendo sua nostalgia, só não força mais a barra assim, huahuahauhauhaua

    Mas ótimo texto sobre o programa, muito bem estruturado e afundo nos bastidores.

    • Ivo

      Olha TH. Ver com os olhos um programa dos anos 90 com tom de critica “de hoje” é estranho mesmo (se foi que percebi pelo seu comentário). Iniciar a ideia que eles tiveram em um molde-estrutura como o deles em um época que não tínhamos poucas ferramentas tem todo seu mérito e isso que me impressiona até hoje.

      Se olharmos pela estrutura com os “olhos” de hoje é óbvio que vamos achar ruim (aquele degradê é vergonhoso hahaha), mas devemos pensar pelas ideias inovadoras (que foram seguido por outros programas . Ex: Mar Games aqui na baixada santista que fazia um sucesso estrondoso por aqui), pelo que eles trouxeram (trazer um E3 em meados dos anos 90 é/era fantástico), as novidades com rapidez (ao invés de esperamos revistas em mês em mês) e demais outras coisas.

      Não é minha nostalgia somente, pelo contrário, eu vejo por um lado de importância na linha do tempo dos games do Brasil sim e isso que fez escrever muito sobre os programa.

      Um exemplo, tem episódios que eles falam sobre os primeiros desenvolvedores de games no Brasil (eles foram entrevistar eles) e que muito galera que “abre a boca” para dizer que faz jogos “indies, desenvolve, vive” nem conhece direito.

      Eu acho isso de suma importância e mostra que no fundo apesar das bizarrices (que eu acho engraçado) eles entendiam sim sobre o assunto. Ps: Tira a parte dos atores da Globo nas entrevistas hahahahaha!

      E por último! Você e o Sabat é ferro ou fogo. A comparação do Mario Bros era em tom de brincadeira – OUVIU GALERA!. Claro que não vou comparar firmemente de Mario Bros com o Stargame, mas o interesse é ver todo mundo comentando disso hahahahhahahahaha! Como falei para o Sabat: O Ivo é maluco! Como ele fez essa comparação! Vou ver agora esse programa! Ele vai ver só ¬¬

      Brigadão pelo comentário TH. Grande Abraço.

      • TH

        Não Ivo, vc entendeu errado, eu no comentário digo que nunca gostei, e não que não gosto. Eu naquela época já não gostava de programa assim, nem critiquei os efeitos especiais, o que eu não gosto desde criança é ouvir algo sobre video game de alguém que não sabe do que está falando, que não é um jogador, que não gosta de video game e isso acontecia até com os donos de locadoras, não aguentava eles falarem de jogos para mim. Tinha vontade de mandar calar a boca.

        E não, eles irem entrevistar quem gostava ou fazia game naquela época não prova que entendiam do assunto da forma que eu gostaria, ou seja, que além de entender do mercado, que jogassem e gostassem doas games assim como a gente gostava.

        Myamotto não joga video game, apesar de ser um gênio em designer de games, toda vez que ele abriu a boca para criticar um game só saiu merda e em entrevista ele deixa claro que conta com uma equipe para acompanhar o desenvolvimento dos games para dizer para ele se aquilo é divertido ou não.

        Conhecer o mercado como jornalista é uma coisa, como player é outra. E eu sempre gostei de ouvir players falando sobre os games e por isso não gostava desses programas que passavam e que passam na TV.

        Na entrevista mesmo que o cara deu dá para perceber que ele nunca gostou de jogar video game como a gente gostava e que nem tem video game mais a muito tempo, ele disse que seu jogo favorito é o MK e que achou muito legal o novo que saoi agora, mas que não jogou…. A vá pra merda né amigão…

        E era isso que mais me incomodava, um cara desses ter uma oportunidade dessas na TV… Alguém me explica o pq? Pq é dose ouvir que o cara apresentava só pq estudava co a diretora do programa…. putz

        Fico até feliz por naquela época já perceber esse tipo de coisa que vem a confirmar tão mais tarde. rs.

        Para finalizar, queria deixar claro que eu já naquela época não gostava desses programas e não foi uma opinião formada agora, até pq eu nem assisti nenhum vídeo no youtube ou que vc postou, eu lembro muito bem dessa época, e esses programas é uma coisa que não sinto falta nenhuma.

        Por isso gosto tanto do retroplayers, pois são análises ou textos de pessoas que adoram jogar video game, não textos de jornalistas.

        E Ivo, por favor não leve por mal, não estou criticando vc ou quem gosta, estou apenas expressando minha opinião quase que retroneurose por esses programas, XD

        Abraço Ivo

        • Ivo

          Entendi sua visão na crítica agora TH. E claro que não vou levar mal sua opinião aqui né?! Assim como você qualquer um pode opinião aqui e com certeza não vou levar a mal.

          Entendo essa questão sua… de pessoas que querem comentar sobre games e não gostarem e principalmente com gente que ama isso até hoje.

          Mas vejo isso totalmente diferente com o Cristiano Gualda, era um cara que por mais que não soubesse se tudo de games, ele se interava completamente, falava as coisas em um contexto certo e com certeza se tornou “alguém para falar sobre games” e não alguém “somente para falar de games”.

          Claro que ele não tinha/tem o conhecimento de games que temos, mas o cara levava bem sim tudo aquilo e esse foi o mérito dele.

          Eu vi as reportagens dele sobre os games atuais que foi chamado e posso dizer que falou muito melhor que uns “marmajos” que vemos hoje em dia. E ele comentou do MK e isso é verdade… mas o ramo dele não é mais esse né! E sinceramente eu não consigo ter essa visão “Nunca Gostou de Games” e como comentei no texto o cara sempre me pareceu “feliz” (até demais as vezes) e falar sobre games e não algo robótico.

          E sobre jornalistas e cia. Eu acho que que o Stargame fugia bastante e adorava, até no aspecto de babaquice isso era diferente. Apresentar um entrevista de bermuda era f¨%$#!

          Na minha faculdade tinha um programa de games que passava na Tv. Se chamava Santa Cecília Games e era uma bosta! Isso sim era “jornalismo” puro e chato, eles não tinha a visão que o games são voltados para pessoas gamers e não para jornalistas.

          E claro que você tem sua opinião retroneurose né >.<

          Abraço meu velho =)

          • TH

            Essa é a diferença Ivo, vc mesmo escreveu por mim, “Esse nem é mas o ramo dele mesmo”, kkkkkkkk

            Exatamente o que sempre achei, o cara que jogava pq era o ramo dele, ou seja, não jogava pq gostava e sim pq fazia parte do seu trabalho.

            Não suporto isso…. rs

          • Ivo

            Ele é ator e isso é bem claro. Mas aqui ninguém tem o “ramo” de games como primeira coisa. Cara, acho que sua “bira” pelo cara e o programa,,, e pelo fato e oportunidade de ter um trampo de apresentador sem ser gamer (apesar de ele conhecer o mundo de games com isso) e não propriamente o cara não entender de games, acredito que ele esteja bem longe de não entender de games, não gostar e não ter vocação para falar sobre isso. Mas isso é uma visão minha e dúvido que alguém mude a sua também.

  • Hyper Emerson

    Pela Santa Maria das Bicicletas, eu não conhecia isso. Só me lembro do programa do Hugo e do G4 quando o assunto é jogos na TV brasileira e este StarGame parece tão divertido quanto o Game Center CX. É interessante como já tivemos algo desse nível na tv brasileira, mas não temos mais.

    Mas corrijam aí o link do Youtube StarGame que tá indo pra um post do Retroplayers. =P

    • Ivo

      Olá Emerson, tudo bom? Eu me lembro do HUGO e do jogo dele por sinal hahahaha! Agora sobre esse Game Center GX eu não conheço.

      Tem algo dele? Posta aqui para gente.

      Já ajustei o link direitinho. Obrigado pela correção e continue visitando site =)

      • Hyper Emerson

        O Game Center CX é um programa japonês que tem passado desde 2003 em que um comediante chamado Arino é colocado para terminar retrogames difíceis num único dia, como nós quando alugávamos jogos. Mesmo não sendo tão habilidoso, o Arino é determinado e capaz de milagres emocionantes nas fases finais.

        Além desses desafios eles também visitam e recomendam locais com arcades e entrevistam alguns gamedevs. Um punhado de episódios foram traduzidos por fãs. Tem uma lista deles no fórum Something Awful: http://forums.somethingawful.com/showthread.php?threadid=3452856

        • Ivo

          Que legal isso Emerson, muito maneiro mesmo! Estou baixando aqui o episódio do F-zero. Adoro ver as pessoas tentando terminar jogos impossíveis. Muito maneiro mesmo! Valeu pela dica Emerson =) Vou lá ver!

  • Elielson Nascimento

    Ótima matéria!

    Eu lembro desse programa, comecei a ver em 1998. A mãozinha era inesquecível kkkkkkk, e o Cristiano era carismático mesmo, ficou marcado pelo Stargame.

    Mas não foi meu programa preferido de games. Game Tv, da TV Gazeta e apresentado pela linda Elisabeth de Carvalho, era o meu preferido.

    E ainda teve outro programa de games que passou no Multishow até 2009: CYBERNET. Na verdade, esse era um programa europeu que durou uns 12 anos!!!!!!!, que o canal brasileiro dublava ou colocava legendas:

    http://www.youtube.com/watch?v=5e2ePw0beJo

    Eu assistia sempre Cybernet, desde 1998 num canal a cabo chamado Superstation. O problema é que não tinha legendas, mas o programa inteiro era de videos, não apareciam os apresentadores, e isso era legal.

    • Ivo

      Fala Elieson, tudo bom meu velho? Bom saber que curtia o programa =) O mãozinho era sacanagem hahahaha e o pior que dou risada até hoje com isso.

      Cybernet eu conhecia sim, mas não gostava muito não. As reportagens eram atrasadonas em comparação ao que já tinha lançado e colocavam como fossem novas e isso me deixava fulo da vida.

      Agora esse Game TV eu não conhecia não, se tiver vídeos, manda para gente dar uma olhadinha ae.

      Grande Abraço Elieson e continue visitando o site.

      • Elielson Nascimento

        Ivo, tem esse video no youtube do Game TV. Ele passava todo sábado em 1992/1993, eu e meu amigo gravamos vários programas e eu ficava revendo, só que perdi as fitas 🙁

        https://www.youtube.com/watch?v=ebLRu1AYpRw

        Abraço!

        • Ivo

          Show´s de bola Elielson, muito maneiro esse vídeo. Vou colocar ele junto do tópico como dica sua =) Valeu mesmo!

  • Gle Jogador

    Meus caros… pensei que este programa fosse uma lenda urbana. Como NUNCA tive tv por assinatura e nem colegas na época, logo, ninguém comprovou se realmente existia ou não.
    Sempre é legal saber de programas de tv que fala do tema que curtimos, mas, é chato demais ver um ator fingir que entende de games e falar besteiras… ai ai, nas revistas de games já era chato.
    Mas obrigado por quebrar esta lenda urbana, vou compartilhar isto.
    Que a força esteja com RETROPLAYERS!

    • Ivo

      Fala Gle? Blz? Uma pena você não ter assistido esse programa, era fantástico… mas o único porém eram os entrevistados, mas nem ligávamos para isso. E obrigado por comentar e compartilhar =) Continue visitando o site. Grande Abraço.

  • Jean Carlos

    Ótima matéria! Não conhecia esse programa. Da época só me
    lembro mesmo das revistas (Ação Games Super Game Power e etc.). Aliás, tenho navegado
    pelo site e ainda não encontrei (pelo menos eu não vi) uma matéria sobre as
    clássicas revistas de games. Abraço!

    • Ivo

      Olá Jean, obrigado pelo elogio. Uma ótima ideia seria falar sobre elas né? Mas falar sobre isso teria que ser algo super completo, quem sabe não fazemos? Eu entendo mais da SuperGamePower pelo menos. Mas vamo anotar as sugestões =) Obrigado Jean e um grande Abraço.

  • Wesley

    Parabéns pela matéria!
    O Stargame é um programa que ainda deixa saudades, pois quem assistiu nos anos 90, sabe o que era bom e acredito que nunca mais esqueceu.
    Contribuí com 2 episódios para o projeto digi-stargame, a qual o objetivo foi digitalizar todos os episódios que estavam em formato VHS e fiquei muito feliz em poder contribuir de alguma forma para um projeto retrogamer.
    Gosto do programa japonês Game Center CX que é mais voltado para um público otaku no Japão, mas nenhum chega aos pés do Stargame, justamente porque era muito diversificado e agradável, então por essas razões, abrangia um público maior.
    ps. Fui uma dessas pessoas que nunca mais assistiu o Multishow devido a reforma íntegra do canal 🙂

    • Ivo

      Fala Wesley! Sério que ajudou lá no Digi-Stargame? Muito maneiro isso. Eu fiquei muito feliz em alguém ter colocado todos os episódios e ainda mais feliz por ver que você tb sente saudades de um programa ótimo como o Stargame. Mas infelizmente a TV de hoje em dia segue outros padrões e GAMES é algo não se encaixa né? Valeu pelo seu comentário Wesley e continue visitando o site =)

      • Wesley

        Naquela época, tínhamos muita sede de informação e as revistas e o stargame eram o que havia. Ninguém sabia que o Cristiano Gualda se interessava mais pelo lado de teatro do que de games, e pelo fato do empenho dele com o programa é que tudo deu certo, o stargame era divertido pois havia um humor inocente dos anos 90, era diversificado e até hoje não encontro algo similar em canais do youtube, pois o stargame foi trabalho em equipe. Eu também era uma das pessoas que detestava as entrevistas no final do programa, porém isso era regra da globosat. Valorizo muito o trabalho deles pois naquela época era complicado até de gravar as imagens dos jogos para reproduzir então aos telespectadores, era necessário um aparelho chamado VT a qual era conectado ao console e a um VHS, somente as produtoras de tv é que tinham tal recurso.
        Mesmo o Cristiano Gualda não sendo um viciado em games, o programa deu oportunidade a ele para conhecer vários clássicos e raridades, e pelo que li em entrevistas, ele nunca se esqueceu disso, pode-se notar que ele é uma pessoa que deu muito valor ao programa e que conhece mais jogos do que muitas pessoas de hoje em dia.
        Muitas pessoas não sabem mas as informações que entravam nas revistas brasileiras de jogos e no stargame, eram informações traduzidas das respectivas americanas e japonesa (Electronic Gaming Monthly, GamePro, Famitsu). Muitas pessoas na época perguntavam sobre dicas ao Cristiano e coisas do tipo, nem imaginavam que ele não entendia tanto de games, isso conclui o fato de que ele era um bom apresentador pois se passava como um gamemaníaco (termo anterior ao gamer, difundido pela revista Gamers). Acho que seria gerar muita energia negativa criticar um programa como esse, pois tudo foi feito com muito carinho.

        • Ivo

          Exatamente Wesley, concordo com seu comentário! As informações que Stargame trazia, nenhum outro lugar trazia, vide E3. Não tinha nenhum lugar naquela época que fazia reportagem na própria E3. Só sabiamos de algo por revistas. Eu acredito que ele era 90% do programa, o carisma dele levava o programa longe e o que você disse sobre “Humor Inocente” algo que dificilmente vemos ou vamos ver hoje.
          Se acredita que vejo os programa até hoje? As vezes quando estou sem nada para fazer vejo os episódios. Alias está vindo episódios novos lá no Youtube do canal Digi-Stargame, essa semana um fã está subindo os episódios. E com concordo que críticas para um programa dos anos 90´s é algo negativo demais. Valeu pelo comentário Wesley e grande abraço.

  • Marcelo Luiz

    Olá Ivo, parabéns pela matéria, ficou bem legal. Só queria fazer algumas observações para completar ainda mais o artigo: (1) “…interpretado por André Cardona, que era amigo do Cristiano Gualda e foi convidado para trabalhar com ele.”. Essa afirmação não está certa não. Sei que o André não conhecia o Cristiano antes do Stargame. A informação que eu tenho, que surgiu na comunidade do Orkut do programa, é que ele entrou depois dos primeiros episódios (tinha um outro cara antes). Não sei quem indicou ele, mas o que foi discutido na época do Orkut é que o pessoal da direção conversou com ele e gostou muito do que viu (o cara tinha uma mega coleção de revistas de games e vários consoles/jogos…. isso com seus 14 (ou 15) anos).

    (2) O paradeiro dele não é tão desconhecido não. O cara tinha um site de games (Decos Games Page – deco.com.br) que ficou no ar até o final do Stargame (2000?). Acho que foi um dos primeiros (ou talvez o primeiro) site de games do Brasil. Dá para dar uma olhada pelo site Wayback Machine. Depois virou figurinha conhecida no site Unidev, onde respondia muitos posts no forum sobre desenvolvimento de games (foi lá que eu tive contato com ele). Cheguei a conversar com ele na época, e a última coisa que sei é que ele era colecionador de games, tinha grande interesse em programação de jogos e estava desenvolvendo um tipo de enciclopedia/mecanismo de busca de jogos. Depois disso, perdi o contato e não sei mais. Mas eu diria que ele deve estar por aí trabalhando com games.

    Valeu rapaz, novamente parabéns pela matéria!

    abs! Marcelo

    • Fernanda

      Olá! Hoje em dia Deco cruel trabalha na ubisoft montreal. Podemos ver seu nome no final de uns 9 jogos. Mas lá o nome dele é Andre Machado. Ele tb tem um canal chamado gamezine e uma pagina chamada sos blogueiro;)