Tutô Retrô #01: trocando a sequência dos botões do seu Phantom System

Ouve uma época em que não existia NES no Brasil. A gente mal sabia que merda era um cartucho de 72 pinos, não entendíamos nada de sistema isso e sistema aquilo, tinha nego tão leigo que chegávamos ao ponto de  presenciar pessoas comprando jogo de Master System ou Phantom System pra depois perguntar se dava pra encaixar no Atari! Assim era na época dos clones de nintendinho no Brasil, o início da geração 8bits cá pra nossas bandas, cheia de dúvidas, acertos, imitações grandiosas e obviamente, algumas cagadas bem feias!

Em meados do final dos anos 80, a BigN lançava seu Nintendo Entertainment System, vulgo NES, em território ocidental, mais precisamente na América do Norte e na Europa. Como o Brasil estava fora dos planos de conquista mundial  da gigante nipônica, algumas grandes empresas da época enraizadas no país como a Gradiente, Dismac e CCE (sim, a CCE é grande apesar de tudo) resolveram seguir por conta própria a tendência internacional do ressurgimento da febre dos videogames,  e foi assim que uma enxurrada de consoles clones do aparelho da Nintendo começou a pipocar nas lojas de todo país.

E esse assunto dá muito pano pra manga, é verdade, então antes que eu me perca ou me empolgue e resolva contar as histórias de todos os clones que pintaram por aqui, eu vou é perguntar logo: o que se entende por clone?

Pra mim, entende-se algo igual, idêntico, e em se tratando de videogames, que possua as mesmas funcionalidades ainda que com aparência diferente. Então por que diabos foi que a GRADIENTE, criadora do clone de Nes mais bonito, simpático, e de maior sucesso do Brasil, inverteu a porcaria dos botões A e B  do controlpad do aparelho em questão, o Phantom System?

É bem verdade que naquela época nós não tínhamos do que nos queixar: a gente acostumou com a sequência A B e tudo funcionava perfeitamente, bom, pelo menos até o momento em que a gente ia na casa de um amiguinho possuidor de algum outro clone e se deparava com um controle onde a sequência de botões era a correta, B e A.

Mas passados tantos e tantos anos, caros amigos retroaventureiros, anos que nos deixaram acostumados a apertar os botões em sua ordem correta em diversos consoles que foram se sucedendo geração após geração, essa grande cagada da Gradiente agora se mostra tão cristalina quanto pinga na hora em que o velho dono de um Phantom System resolve tirar a poeira do seu console pra fazer aquela jogatina: se tornou impossível, simplesmente impossível jogar com aqueles botões trocados do controlpad!

Sim, caros amigos retroaventureiros, eu sou um destes velhos donos de Phantom System que se sentiram impossibilitados de jogar uma mísera partidinha de Super Irmãos (o Mario Bros da Gradiente, lembra?) simplesmente por que o botão de pulo não estava no lugar certo! Assim, resolvi pedir a ajuda dos universitários no intuito de conseguir alguma fórmula mágica que me permitisse inverter os botões do controle, e fui atendido logo pelo primeira cara que me veio à cabeça, o grande Eric Fraga, vulgo Cosmonal, o cabeça por trás do excelente Cosmic Effect.

Claro, sou fã do trabalho que o cara faz lá no Cosmic, e foi assistindo a um dos vídeos, mais especificamente um onde o Eric tenta ressuscitar um Tele Jogo levando-o para um amigo dele técnico em eletrônica, que eu tive a ideia de pedir para que ele perguntasse pro cara se existia algum esquema que pudesse ser feito, e prontamente fui atendido!

E é com essa deixa que o Retroplayers inaugura a sessão RetroTutô, onde tentaremos postar eventualmente alguns tutoriais que possam ser de ajuda para a rapaziada retrogamer, que sempre nos manda pedidos de explicações disso e daquilo e a gente nunca tem tempo de responder né!! Mas sem maiores delongas, vamos ao que me foi passado, e boa sorte na hore de meter a mão na massa!

.

TUTORIAL: ALTERAR A ORDEM DOS BOTÕES A E B DO PHANTOM SYSTEM

Nível: INTERMEDIÁRIO

Material Necessário: FERRO DE SOLDA, PASTA DE SOLDA, UM PEDAÇO DE CABO DE REDE, ESTILETE, LIXA FINA

Esta é a placa do controle do Phantom System, bem robusta por sinal. os botões estão marcados pelas letras em laranja. O procedimento consiste em interromper as trilhas referentes aos botões A e B, e depois, soldar fios na placa de modo a inverter o caminho da resposta aos botões.

O primeiro passo é interromper as trilhas, que são os caminhos em VERDE CLARO. Para isso, utilize o estilete e raspe a placa nos locais mostrados abaixo até que o cobre seja eliminado da placa.

Com isso, as trilhas estão interrompidas, e resta agora, fazer a inversão delas.

Ainda com o estilete, raspe cuidadosamente então um pedaço da camada verde das duas trilhas e em seguida, limpe-as com a lixa fina, como mostrado abaixo: este é o lugar que receberá as soldas!

Um pouco de lógica: se as trilhas seguissem normalmente, elas chegariam a 2 pontos de solda distintos, não é mesmo? Esses pontos são os que reconhecem o aperto dos botões. Logo, o que devemos fazer, é cuidar para que esses pontos recebam as informações da OUTRA trilha, como mostra o diagrama a baixo:

Agora entra o CABO DE REDE: ele é composto de 4 pares de cabinhos menores, e estes cabinhos menores são excelentes para este tipo de trabalho. Se você não tiver um pedaço de cabo de rede que possa ser usado para isso, utilize um cabo de sua preferência, mas que seja fino o suficiente para que a solda não fique muito grande a fim de evitar problemas com contatos indesejados. Corte e descasque a ponta dos fios, eles serão agora soldados à placa.

Nessa parte é necessário algum conhecimento no manuseio de um ferro de soldar, e melecar o arame de solda na pasta para solda é imprescindível para que a solda grude com eficácia na placa. Na falta de um equipamento apropriado, eu utilizei um durex para prender o fio à placa enquanto realizava a solda! Jeitinho brasileiro né hehe!

Não importa por onde você vai passar os fios, aqui cabe o bom senso: o importante é cuidar para que eles não fiquem por sobre algum buraco ou atrapalhem algum encaixe do controle, e muito mais importante que isso é cuidar para que as soldas não alcancem outros pontos de contato para que não haja problemas no controle! No meu caso, preferi passar os 2 fios por baixo, dando a volta no buraco do pino central. Segue a solda já feita:

Solda feita, é hora de fechar o controle e testar! Aproveite para dar aquela limpada nos contatos do controle, álcool isopropílico ou spray limpa-contatos são os itens que você deve ter OBRIGATORIAMENTE em casa para isso (ambos são encontrados em casas de material elétrico), e não esqueça de já trocar os botões de plástico na carcaça, pois eles cabem um no lugar do outro sem problemas (ainda bem)!

E como é bom jogar no Phantom System apertando o botão certo no lugar certo!!!

Fechado, o controle fica com aspecto totalmente original, a não ser pelo mode interno realizado. Eu fiz em meus 3 controles, todos funcionaram perfeitamente, ou seja, se o procedimento for feito corretamente, é 100% de chance tudo funcionar às mil maravilhas.

Galera, eu sei que colecionadores de plantão abominam esse tipo de mudança interna em um console, então se você planeja vender seu aparelho com o tempo, NÃO FAÇA ESSA ADAPTAÇÃO a não ser que você tenha controles de reserva. Eu não sou colecionador e eu quero mais é jogar, então que se dane!!!
.

AGRADECIMENTOS

Eric Cosmonal Fraga, do Cosmic Effect,  pela rapidez com que me ajudou a conseguir essas informações.

Arnaldo Diniz, do Y T Board, amigão de conhecimento apurado que prontamente me mandou um diagrama completo de como realizar essa mudança. Sem ele, nada feito, e eu ainda estaria tendo convulsões na hora de pular em cima de uma tartaruga qualquer!

Ricardo Guinther, que me doou um Phantom System tão lindo que me fez esquecer a velha mágoa que eu sentia quando me lembrava de ter vendido meu antigo console a troco de banana.

Valeu pessoal ^^ Espero que essa sessão seja muito útil a todo mundo, e qualquer dia eu posto mais tutoriais. E estejam à vontade para pedir!

Fim

Sobre Sabat

Editor Chefe do RetroPlayers, Redator e Editor nos Livros e Revistas WarpZone, Podcaster e editor de áudio, Saudosista, e Analista de Informática porque algo tem que dar dinheiro né!
Adicionar a favoritos link permanente.
  • luiz felipe mitterofhe

     Mandou bem no tutorial Sabat. Agora só falta vc postar como trocar o maldito cabo da fonte do Phantom System. Ô coisa vagabunda. To tendo que usar a fonte do Mega Drive 1 pra ligar o Phantom aqui de casa rsrs. Flw !!!

    •  kkkk não é difícil não mano, foda é descolar um cabo novo pra por no lugar. O resto é 2 pingo de solda XD

  • Beto Sa
  • TH

    Era foda mesmo, não só a posição dos botões mas tb esse direcional horrível, o negócio tinha 2 km de distância entre a direção esquerda e direita, além do botão não fazer click e apenas afundar…. Esse controle é horrível.

    Eu nunca entendi, se era para ser clone, pq não tentaram fazer o mais próximo possível, será que se achavam melhor que a própria Nintendo? Acharam que só pq o Mega era o video game da nova geração então o controle dele seria melhor e ainda por cima seria melhor para os jogar os jogos que forma feitos para jogar no controle do Nes. Para mim uma porcaria de trabalho por partes de engenheiros e pesquisadores da época…

    Eu felizmente tive um Bit System que era o que mais assemelhava ao Nes, porém mesmo assim estava longe de ser igual e a qualidade do video game não era muito boa já que quebrava muito fácil, diferente do Phantom que dura muito.

    Mas o pior era meu primo que tinha Phantom e comprou primeiro que eu, chegava na minha casa e reclama do meu Bit system pq tinha os botões trocados, eu eu como não sabia ficava quieto, kkkkkkkkkk. Mal sabia eu que apesar das letras estarem invertidas o meu que estava certo….

    Mas tb é culpa da Nintendo.. pq raios o B antes do A??? E isso continua até hj em todos os video games que usam a e b.

    Parabéns pelo Tutorial e pela coragem de fazer isso em um controle tão raro e zerado cm o que vc tinha… Eu não tenho coragem não, nem ferrando….

    •  ahuHAUh pior é que a gente que tinha Phantom achávamos mesmo que nossos controles estavam certos né mano kkkk
      Mas po, a gente não conhecia o controle oficial, eu por muito tempo fiquei sem saber qual era a cara do NES de verdade, mas concordo com você: apesar da gente não reclamar do controle na época, quando pegamos na mão um controle de NES de verdade a gente percebe como o do Phantom era ruim, duro e desproporcionalmente grande. Mas beleza, na época ele era ótimo XD

  • bom tutorial, vai ser util para quem entende

    •  assim espero ^^

  • Grande Sabat, valeu pelas simpáticas menções meu velho. Somos retro-fãs-recíprocos, precisa nem dizer! E o Arnaldo é o “professor Pardal oficial do Cosmic Effect Team” (que negócio enorme, rsrs), conto conosco pra qualquer contribuição que faça os pixels ficarem mais retrôs! 🙂 — Agora seu Phantom deveria se chamar “O Retro-Phantom”, modelo exclusivo do RetroPlayers! 🙂 Grande abraço, meu amigo!

    • Retro Phantom é uma boa heim kkkkkkk gostei kkkkk
      E eu é que agradeço mais uma vez maninho, ficou jóia a mudança ^^

  • Moisés

    Sabat, desculpa, mas não vi como e onde fazer isso, queria deixar aqui o endereço do meu blog pra quem quiser dar uma olhada  
    http://feelgames.blog.com/ é bem início e eu não manjo das coisas então o visual pode não ser tão personalizado assim xD  mas uma forcinha cairia bem.

    desde já agradeço.

    •  Na verdade não tem onde fazer isso, por isso que vc não achou kk O que vc pode fazer é mandar o link na página de CONTATO e solicitar parceria ^^ Mas vou deixar ai pq vc foi muito educado XD e boa sorte com o blog ^^

      • Moisés

        Estou aceitando dicas para melhorar la xD 

        Valeu meu veio o

  • Renan

    Sabat, se lembra do empurrão que sua irmã deu no videogame e deixou o batman do nintendinho invencível ? Isso aconteceu comigo também por acidente, depois de muita pesquisa, eu e meu irmão descobrimos que foi mal contato no encaixe do controle.  Me lembro que era colocar-tirar, colocar-tirar o plug do controle no videogame até se não me engano os pauzinhos de energia do batman mudavam levemente de tom de cor, Era o sinal que deu certo. Agora era só bater em todos, inclusive o koringa, e ver o final. Verdadeiro game genie de pobre. Tenho um Top Game VG9000, mas infelizmente não tenho o cartucho do batman. Esse é um dos mistérios dos 8 bits que me lembro vagamente, e algum dia com certeza terei um cartucho do batman, mesmo pirata, para fazer este experimento.

    •  Renam meu amigo, eu vou tentar fazer isso cara, quero arrumar um cartucho do Batman agora kkkk
      E se der certo eu vou até filmar!!!

  • Tiago Steel

    Opa, Sabat então conseguiu fazer a gambiarra? XD
    Lembro de ter me contado pelo MSN que tava querendo fazer isso ai…sério eu sou meio cagão ia levar em algum conhecido pra ele me ajudar hahaha, mas bacana velho, tu conseguiu o que queria…eu preferia me adaptar ao controle “trocado” mesmo…mais desafio oras! hahahaha
    E outra…se eu já me acostumei a usar até mesmo o joystick do PS…acostumo com qualquer um…nunca joguei o Phantom, tive o NES original mesmo pouco antes de pegar um SNES…o máximo destes clones que joguei se me recordo foi um CCE…mas nem lembro como era o console XD

    •  Consegui sim mano ^^ ficou jóia XD

      E os clones CCE tinham 2 tipos de controle: um quadradinho com botões azul, e outro que pareciam com o de Mega Drive ao contrário kkk

  • Renan

     Essa filmagem será um “eu tinha razão, não sou mentiroso” para os incrédulos na invencíbilidade do batman do nes.
    Coloquei este comentário sobre o batman do nes porque vi que agora você tem um phantom system, e não é possível tentar fazer este experimento nos emuladores. E mesmo que fosse possível colocar-tirar um controle virtual no emulador, mesmo que o batman ficasse invencível, isso não provaria nada. Já que poderia ser um bug de emulação. Isso tem que ser feito num hardware real da época, para não dar margem para duvidas.
    Eu acredito que muitos retroplayers além de nós dois acidentalmente ficaram invencíveis no batman, contaram pros amigos, que obviamente não acreditaram, e ficaram com uma pontinha de lembrança depois de tantos anos do dia em que zeraram, na trapaça, este jogo.
    Portanto esta filmagem esclarecerá o mistério do que ocorreu naquele dia tão distante, e quase apagado da memória.

    •  Vamos tentar quebrar esse mito kkk assim que eu arrumar um jogo do Batman (acho que o TH tem) a gente ja tenta XD

  • Jeff

    Será que sou o único a discordar? Não me machuquem galera!!!
    Não acho desconfortável jogar com layout original. O problema é que existiam outros consoles no mercado e sempre tinha um amigo que não usava um Phanton System. Aí , às vezes, na hora da jogatina, tinha de ficar justificando as cagadas, tentando provar ao amigo que o layout dos botões é que atrapalhava e não que sou um péssimo jogador …kkkkkkkkkk!!
    Como só haviam mesmo 2 botoes pra usar, na infinita maioria dos jogos, eu não tinha tanto problema assim. Era instinto, se estava usando um botão, a outra ação logicamente era pra ser feita no outro botão…E Mário é o melhor game pra treinar isso!

    •  Não meu amigo, Super Mario Bros não era o melhor jogo pra treinar a troca de botões não: esse era o jogo pra SE ESTRESSAR COM OS BOTÕES TROCADOS aUHAUhaHAHua

      Mano, mas eu disse isso mesmo que vc falou XD na época a gente não reclamava não, pra gente tava até certo ^^ só complicava na hora que a gente ia na casa dos amigos mesmo kkkk

  • Muito bom Sabat! Isso me fez lembrar da epoca  de fliperama onde os caras sempre trocavam os botoes do K.O.F 97 .. agente quase quebrava os dedos tentando fazer uma esquiva rsrs .. good times!

    • É rapaz, em cada lugar que a gente ia jogar, os botão tava de um jeito kkkkkk era DOSE!!!

  • RetroGambiarra kkkk
    Ótimo tutorial, vai ajudar bastante o pessoal que ainda reclama do layout do controle do Phantom. A minha única bronca com 96% dos controles de NES e seus clones é que a disposição dos botões B e A é feita no esquema ” X e O “, ao invés de “X e []” , e isso infelizmente não dá pra resolver com modificações(não com uma que seja fácil) ^^

    • Rapaz, mas a disposição X O  e X [ ]  é DIAGONAL, no NES o negócio é reto ^^ Claro, se desse pra por tipo a disposição X [ ] nos controles eu não reclamaria de jeito nenhum kkkkkk mas não reclamo de não ter não XD

      E pô James, RetroGambiarra? Ae vc desmerece meu conhecimento po kkkk Isso deveria se chamar RetroEngenhariaGamerAvançada  kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • wikirafa

    Belo tutorial, Sabat.

    Só uma dica: arruma a imagem da chamada. No sentido dado pelo texto, é “conSertando” (com S) e não “conCertando” (com C).

    •  Xiii mano, é mesmo né! Mas vai ficar assim mesmo, a próxima eu escrevo certo XD acho que vou ter várias oportunidades de escrever essa palavra aqui no TutôRetrô XD

      • Ricardo Cérbero

        Pensei que estava errado de propósito, para encaixar no contexto da chamada, como o clássico “Herrar é umano”.

        • É, humm, PO É ISSO MESMO o/ kkk

  • Felp001

    Muito bom cara XD Hm que tal um tutorial de um arcade de mega drive ?? =D Tenho 1 aki em casa e nao sei o que fazer jogo as vezes mas queria algo legal pra fazer com ele =D Abrass

    •  Vixe mano, calma lá XD eu não tenho capacidade de fazer isso não kkkkkkkkkkkkkkkkkk vamos começar com coisas mais simples ^^

      • Felp001

        XD Vish acho que falei uma coisa complicada mesmo mais da uma olha aki fiquei babando XD http://i297.photobucket.com/albums/mm234/pocket_lucho/SANY4136.jpg http://i297.photobucket.com/albums/mm234/pocket_lucho/SANY4163.jpg

        •  Po maninho, que negócio legal XD show de bola!!!!

  • Darknesscrow

    Não seria mais fácil seguir as trilhas até onde estão soldados os fios do cabo do controle, remover as soldas e inverter os cabos?

    • Não ^^
      As trilhas não levam até os cabos do controle: elas vão até um chip central que recolhe e processa todos os dados recebidos para só depois repassá-los para os cabinhos, que por sinal, são em número bem menor do que a quantidade de botões e comandos!

      Logo, não dá pra fazer dessa maneira, creio eu que em controle algum.

  • JC

    Vou defender meu velho Phantom nessa!

    Posso estar enganado, mas pelo que estudei na escola, A vem antes de B no alfabeto moderno. Hahaha!

    Não sei o que deu na cabeça da Nintendo de inverter as letras, eu sempre ficava incorformado ao jogar no Bit System do TH, imagina a raiva de você estar acostumado a jogar com A e B e morria por causa dos botões trocados… Dessa vez a culpa era do controle!

    Mesmo assim, muito interessante o texto sobre essa maluquice de abrir o controle p / trocar os botôes!

    •  JC meu amigo, vou lhe dar uma explicação que poderá destruir sua infância heim: no japão, se escreve da direita para a esquerda o/ por isso a sequencia  [B]  [A], sacou XD?

      • JC

        Hmmmm Sabat, sei não, será que a ordem do alfabeto japonês é a mesma do nosso? Seria bom alguém que fala japonês p/ tirar essa dúvida

        Se for isso mesmo, parabéns, xeque-mate…

        • Então velho, originalmente, em japa se escreve da direita para a esquerda em colunas, inicia-se a leitura em cima e vai se lendo pra baixo, e depois pula-se para a próxima coluna à esquerda. Assim são os textos em muitos mangás, livros, tanto que a paginação segue essa regra: viramos ao pagina ao contrário da direção que fazemos aqui, como se estivéssemos indo para o inicio e não para o fim.
          Existe a escrita também em linhas e da esq para a dir, vista por exemplo, em legendas de filmes.

          • JC

            Sim, Sabat, disso eu sei. Minha dúvida é se o alfabeto japonês tem essa mesma ordem do nosso (a, b, c, d…).
            Porque lá eles tem 3 alfabetos diferentes se não me engano, e as letras e a fonética são diferentes das nossas.
            Mas enfim, o motivo dos botôes trocados deve ser esse mesmo, não vejo outra explicação…

  • Ricardo Cérbero

    Boa iniciativa.

    Vi este post depois do post do Kage, lá deixei o comentário e uma pergunta sobre o quanto o controle de NES “brasileiros” eram horríveis.

    Não tenho X360, mas quando tenho oportunidade de jogar, sou traído pelo nome dos botões, que são iguais do SNES, porém invertidos.

    Abraço.

    • Rapaz, o controle do BitSystem era o melhor viu, e mesmo assim a dismac cometeu a cagada de colocar o fio do controle saindo da lateral dele…. ou seja, o cara tem que ter um furo na mão pra poder segurar o controlinho! Era cada coisa…

  • Excelente tutorial! Espero ver mais gambiarras retrogamer! =D

    Fiquei com muita vontade de comprar um novo velho clone de NES. Você recomenda o Phantom System ou o Dynavision 4? Queria até comprar o NES original mas o pessoal cobra muito caro nele, e a vantagem de um Dynavision 4 ou Turbo Game é o dual slot deles.

    • Rapaz, eu recomendaria o BIT SYSTEM apesar de um dos controles ter o fio saindo da lateral, oq ue é uma merda, ele é o mais fiel dos clones. Só que encontrar um desses é dificil demais…

      O Phantom é o mais bonitão, mas o controle num é lá essas coisas… Se é só pra jogar, eu procuraria um NES original mesmo loose, ou um TopGame CCE, controlinho quadradinho, dual slot, saída de audio e vídeo… bem melhor que os bagulhos da Dynacom kkk

      E é foda esse negócio de vender vg antigo a preços altos, é sem nexo. Tem gente vendendo NES na caixa no mercado livre a 4 mil reais… é um absurdo mano, loose a 600 reais, da vontade de comentar lá tipo PASSA UMA VASELINA E ENFIA NO RABO ESSA PORRA COM CAIXA E TUDO!!!

      • Mano vc me convenceu, vou correr atrás de top game vg9000 ou turbo game. Li que a entrada de 60 pinos é frágil mas parece a melhor opção entre os clones.
        E de fato, dá vontade de mandar tomar naquele lugar esses espertalhões vendendo videogame antigo a preços maiores que os consoles de nova geração. É muita cara de pau mesmo.
        Valeu, abraços!

  • Dirley

    Tem como adaptar um controle de Dynavision ou um de Mega para que sirva no Phantom? (tem como alterar a pinagem da placa pra fazer funcionar?)

    • Não faço a menor idéa mano!!!

      • Dirley

        Obs.: troquei a pinagem do controle de 3 botões do mega e não funcionou. Agora, vi na net que o TPC 1 da Dynacom funciona no Phantom: no meu não funciona…

  • Não tenho idéia mano, mas aposto que não dá…..

  • Thiago

    Os botões do controller de Phantom System seguiam a ordem dos botões do controller do Nes original. Primeiro vem o B e depois o A. Não entendi ainda o motivo (e o trabalho) que vc teve em mexer em algo que era original em sua concepção. O charme tá é aí.

    • Estás equivocado, caro padawan: Phantom System e TopGame CCE vinham com os botões A depois B. A mudança foi justamente para colocá-los na ordem correta ^^