Retro Fast: Você usa Save State? Sim? Não? Por quê??


Eu uso, tu usas, ele não usa: é só uma parte do que ouvimos por aí quando o papo é sobre emuladores e suas maravilhosas ferramentas de automação, automatização e facilitação, e dentre elas, o polêmico Save State. Fato é que o famigerado recurso permite muitas possibilidades que podem ser entendidas ou julgadas de varias maneiras diferentes, cabe ao jogador decidir quando e onde usar, ou mesmo se vai usar.

Chegue aos trancos e barrancos na sala onde se encontra o último chefe, lute, perca vergonhosamente, e descubra que você vai ter que voltar lá no início da fase para repetir aquele caminho desgraçado todinho. Mas você é perseverante pra caramba e repete o caminho 10 vezes, e na décima primeira você vence o chefe e… descobre que ele tem mais uma forma pior ainda que a primeira, e bem vindo novamente ao início da fase.

Bem, se você já viu isso em algum lugar, é por que certamente tu és um jogador das antigas, e por muitas vezes quis arremessar controles de videogame na parede devido a situações semelhantes a esta. Mas e se você pudesse, ao aperto de um botão, criar um CHECK POINT no exato local que antecede a entrada para a sala do chefão? Parece tentador não é? E se você pudesse então apertar esse botão milagroso novamente no momento em que você vencesse o primeiro ataque do safado para criar um novo check point acessível? Maravilha!! E se você pudesse apertar esse botão a cada porrada desferida? Ou a cada segundo passado? Também pode, e é ai que entra a polêmica: até que ponto o uso desta ferramenta pode ser considerado válido ou viável? Até que ponto o uso dela estraga a experiência da jogatina? Até que ponto o uso indiscriminado deste recurso nos torna reféns da facilidade por ele proporcionada?

Foi o que perguntei para a equipe do Retroplayers, e cá estão as respostas:

.

Se eu usei? Se eu uso? Claro que sim e sim, e atire primeira pedra aquele que nunca apertou o F5! Agora serei menos sensacionalista, deixo essa parte para o jornalismo da Record e do SBT.
Bom, caros amigos retroaventureiros, não escondo de ninguém a minha preferência por jogar games antigos em seus próprios consoles e em uma TV de tubo, nada substitui a experiência original, nada! Porém, não sou colecionador, não tenho nenhuma vasta gama de cartuchos à minha disposição, e nem aquele monte de consoles variados, e isso foi que me levou a se tornar um adepto incondicional dos emuladores. Então, já que a ferramenta existe e funciona excepcionalmente bem, por que não usá-la?
Considero o recurso do save state muito melhor e mais prático, por exemplo, do que ter que anotar um password, e mais confiável do que usar a opção de save do próprio jogo. E quando o jogo tem continues infinitos mas chega a hora de parar de jogar? Quando eu era pré-adolescente eu deixava o aparelho ligado fritando na tomada, hoje eu posso dar um save state e continuar  no outro dia como se fosse a mesma situação.
Pois é pessoal, não condeno o uso do Save State desde que ele não estrague a experiência de jogo, pois grande parte dessa experiência está diretamente ligada à dificuldade do mesmo: ficou fácil, ficou chato.

.

Sim, eu uso.

Conforme o tempo foi passando e a vida acumulando coisas, não tenho mais tempo de ficar horas e horas em frente o computador jogando emuladores (até porque eu jogaria PS3 ou algum RTPS), então uso save states como um arquivo save.

Em alguns casos, de jogos que eu realmente não terminei ou quero ver o final, uso aquele save state roubado, no qual dou load quando morro e volto 3 segundos antes.

.

Eu não vou mentir que utilizei muito Save State, principalmente nos jogos de Snes, mas a justificativa era que eu gostava de terminar os jogos no último nível e ver se existia algum final especial. E para minha surpresa existiam vários jogos com finais especiais, terminando no nível Expert ou Hard, são os casos de Contra 3, F-Zero e Cia. Ultimamente eu tenho parado de usar SAVE STATE para ter grandes desafios (sem a facilidade de morrer e voltar) em jogos como Battletoads, R-Type, Kid Chameleon. Afinal os jogos de hoje de uma certa forma não tem apresentado dificuldade alguma e possuem um “SAVE STATE” se você pensar bem.

.

Não costumo utilizar, embora considere uma excelente forma de treinamento. Através do Save State o jogador poderá descobrir seus erros mais rapidamente, aumentando a velocidade de seus progressos. Eu por exemplo utilizei ele no último estágio do primeiro Ninja Gaiden, decorando o padrão de movimentação dos inimigos. Posteriormente joguei o jogo inteiro sem Save State e consegui terminá-lo, o que comprova a idéia de que você pode tanto assassinar alguém com uma faca quanto utilizá-la para passar manteiga no pão. Sei o quanto isso não foi poético, mas, bem, dane-se, quem se importa?

Use Save States com moderação!

 .

Vivendo em tempos em que os jogos usam o auto save a cada 5 segundos sem nem mesmo termos a opção de desabilitá-lo, usar save state para nossos clássicos seria ridículo, já que a grande diversão dos games eram seu desafio. E claro, jogar do jeitinho que o game foi feito para ser jogado, já que naquela época os desenvolvedores nem faziam idéia que chegaríamos a ter isso.

A única vantagem do Save State seria para quando estamos jogando em um portátil e precisarmos parar, e para não perder todo o avanço, é interessante usar o Save State para simular um video game não sendo desligado. Mas usar o mesmo load duas vezes é trapassear e tenho dito.

 .

Alguém aí já terminou Contra III do Snes no nível Hard e o finalizou sem qualquer “ajudinha” (Konami Code vale?)? Alguém já finalizou Ninja Gaiden, Battletoads ou Batman do NES sem ao menos usar um “savezinho” alí perto do chefe final? Que tentação heim?

Eu não costumo usar qualquer tipo de cheat na maioria das vezes em que jogo. Também detesto acompanhar detonados de revistas ou internet. Em se tratando de retro-games, creio que faz parte da nostalgia e da experiência tentar terminar os jogos da forma como foram criados, principalmente quando se gosta muito do título. Mas vamos ser sinceros né? Tem horas que não dá pra abolir o save não. Agora que somos adultos e cheios de responsabilidades, o nosso tempo se tornou escasso. Nem sempre é possível jogar um game do início ao fim numa mesma jogatina. Então, eu prefiro usar save state quando:

-O game for muito longo e não permitir continuação após o desligue do mesmo, exemplo, Kid Chameleon;
-Substituindo o password, save automático e continues infinitos;
-Se o game parecer ter sido mal programado, te fazendo morrer por causa de bugs.
-O game tiver mais de 7 longas fases e não permitir password, save automático ou continues infinitos;
-Quando estou muito longe na jogatina e sou obrigado a desligar o game por motivos urgentes (raiva do chefe final não vale não né?).

De qualquer forma, eu não gosto de usar save state em meio às fases ou no meio de uma batalha contra aquele chefe maldito, desgraçado, Ahhhhhh, que raiva desse…Ops! Desculpa aí galera, eu estava apenas me desabafando!!!

.

Já usei save state BASTANTE na época em que os emuladores eram novidade, para ver o que dava para fazer em certos jogos com pontuação máxima ou tempo recorde… Para citar um exemplo de cada tema, no Maximum Carnage eu finalmente pude terminar o jogo e fazer coisas absurdas como detonar o Carnage sem perder vida alguma… Ou no primeiro Top Gear eu tentava fazer o tempo mais perfeito possível nas pistas sem falha alguma e derrapando o mínimo possível.

Também usava muito com RPG’s, afinal no emulador Zsnes o save state eu considero muito mais seguro que um save comum do jogo.  Já cheguei a perder o save ao maior estilo de como se eu tivesse batido no cartucho com o videogame ligado, apagando todos os saves. Resumindo, as teclas F2 e F4 foram muito úteis para eu poder terminar jogos como Crono Trigger, Final Fantasy III e Seiken Densetsu III entre outros.

Como ultimamente eu só tenho jogado famicom no console e tinha até o mês passado evitado jogar emuladores, save state estava bem distante de ser acionado. Hoje em dia tenho brincado com meu notebook plugado na TV e um controle plugado no note para desfrutar de joguinhos como Final Fantasy III em português e Top Gear 3000 no modo Hard, esse último jogado desde o início até quase o final sem gravar nem passwords… Após dizer isso, ainda preciso comentar se utilizo ou não save state atualmente?
.

Dificilmente eu uso. Preferia até desconhecer tal função, pois ela tira a grande vantagem que os retro games tem dos games atuais: a dificuldade. Muitos dos jogos para Master, Mega e outros consoles são curtos e a dificuldade era o que dava a longevidade ao game, tirar a dificuldade usando esse truque dos emuladores é molezinha demais. Claro, não sou 100% e muitas vezes caio na tentação, principalmente quando é um jogo como Contra ou Battletoads. Mas esses são casos específicos.

Também acho válido ressaltar que eu quase não jogo em emuladores, prefiro o console mesmo. Quando eu jogo em emulador, das duas uma: ou eu não encontrei o jogo a venda no Mercado Livre ou eBay, ou então eu não tenho o console, que é o que acontece no caso de aparelhos como Neo Geo ou mais “modernos” como Saturn e Dreamcast.

.

.

Podemos ver que o assunto gerou muitas opiniões diferentes mas que sempre  giraram em torno de um fator único: a dificuldade. E você, caro amigo Retroaventureiro, usa save state? Sim, Não? Quando? Conte agora para nós, e nos diga também o que você achou de nossas opiniões heim! ^^

Continua…


Sobre Sabat

Editor Chefe do RetroPlayers, Redator e Editor nos Livros e Revistas WarpZone, Podcaster e editor de áudio, Saudosista, e Analista de Informática porque algo tem que dar dinheiro né!
Adicionar a favoritos link permanente.
  • eu uso o save states, mas como jogo RPGS em maioria, só uso na porta de algum chefe, assim se eu morrer, voltarei rapidamente para ele. mas tem jogos que sinceramente não precisa, como Super Mario World, DKC 1,2 e 3, Final Fight 1(esse aí é questionável) e outros.

    Deus salve o cara que inventou essa função maravilhosa e quase divina.

    •  O saco de perder a porradaria pro chefe do RPG é voltar horas atrás no último save que a gente se lembrou de fazer… Mas a grande maioria dos rpgs são bem generosos né!! Geralmente eles tem o “local de save” em um lugar bem pertinho de cada desafio. Para esses outros jogos ae eu dispenso kkkkk

  • bruno bruno

    eu uso pra substituir  passworld,por exemplo,ao inves de anotar eu so dou um load e pronto

    de resto nao curto muito nao

    •  Substituir o password pelo state é lei pra mim… mas nem ferrando que eu vou ficra anotando código a essa altura do campeonato!

  • Hely

    A resposta é não e as vezes pode ser sim:

    Se
    for para ficar salvando e carregando toda hora a resposta é não,
    por exemplo se você chegar no chefe ou alguma
    parte dificil da fase e dar save state e carregar toda hora que perder
    está neutralizando a dificuldade e a durabilidade do jogo…sim,
    durabilidade pois antigamente não tinha como fazer um jogo durar 10-20
    horas, então aumentavam a dificuldade por isso…outra coisa: você perde aquela sensação de conquista ao terminar o jogo na moral:

    Tipo terminar o Battletoads na moral e depois dar aquele berro de CHUPAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Agora terminar o jogo com save é praticamente como assistir a um filme, você sabe que vai chegar ao final e é só ter paciência para isso…

    E de mais a mais se eu estiver jogando no console não existe esse recurso e quando jogo
    tento pelo menos fazer o mais próximo possível do que eu fazia
    antes…wii na TV tubão rodando os emuladores e sem save…..XD

    A resposta é sim só quando o jogo oferece save nativo ou password entre uma fase ou outra, desde que eu o carregue só uma vez para continuar de onde eu estava…=D

     

    • A grande polêmica dos save states né hely: até que ponto eles detonam a durabilidade e a sensação de conquista do jogo? Pra mim eles quando mau utilizados, detonam com 100% mesmo =/ A grande sacada é terminar na raça, a repetição em busca da perfeição de antigamente era que criava a durabilidade do jogo, e o save state detona totalmente com isso.

  • Herbert Gustavo

    Sinceramente já usei para tentar zerar Adventure Island mais não deu muito certo na pressa de salvar acabava sempre apertando o botão errado e enves de retornar ao ultimo save eu salva sem querer e de vida em vida isso foi acontecendo depois dessa traumatizante tentativa que deu errado,eu decidi zerar na garra e deu mais certo…enfim agora só zero na raça que gamer que é gamer supera todaa as dificuldades de um jogo no Hard.

    •  Isso por que Adventure Island já é hard de nascensa cara… eu até sei onde foi que vc perdeu todas as suas vidas: aquela sequencia de pulo lazarenta que depois que acaba ainda tem uma fogueirinha bem na beirada do precipício, pertinho do final do jogo… Ô LUGARZINHO DO INFERNO!

  • Save States. Claro que uso e sou a favor. Mas entendo que existe um limite. Hoje em dia, como todos somos velhos barbados com mais de 30 anos, tempo ficou complicado. Jogar divide tempo com filme, namorada, filho, faculdade, etc. Logo o Save State se tornou o recurso da hora para quem tem pouco tempo disponível e não quer perder a oportunidade de jogar um clássico no emulador. Jogos antigos sempre foram grandes e recheados de desafios, mas voltados para outra época em que não existia internet e os jogadores não era multi-tarefas. Pensando bem sobre isso, os games eram voltados para crianças (nós no caso) que tínhamos a nossa disposição tardes e tardes infindáveis de diversão na frente de um console.

    Sou a favor, uso e acho um recurso válido como uma password ou mesmo a bateria de um jogo.

    Um abraço, gostei do tema e estou no aguardo do próximo retrocast!

    • assino embaixo Marcel, eu não vou bancar o machão dizendo que NUNCA usei esse recurso. a gente com namorada, trabalho,filhos para cuidar,cachorro, vó doente e o escambau , eu vou não vou perder o meu tempo e Juízo tentando por exemplo passar da fase do Jet Ski do Battletoads…mesmo porque no meu caso,mesmo se resolvesse passar da fase sem save states, basta chegar na fase do rato corredor para desarmar a bomba para o game ficar injogável.

      só se vocês baixaram uma ISO melhor do que a minha…

      ou na fases do Yo Noid, onde apenas pisar um milimetro fora da plataforma é suficiente para o Noid ir para o além. sem falar nas lutas de pizzas que são simplesmente injustas.

      e nem vou falar da odisséia do Ghost N Ghouls, um game que foi feito para arrancar o máximo de fichas, ou no nosso caso,vidas ou continues. eu tenho uma vida, e não quero perde-la devido a um game ultra difícil programado pelo Louis Cypher em pessoa.

       foi a mesma coisa num site de games que entrei e tinha a enquete: você joga na dificuldade Hard ou mais difícil?

      Praticamente todo mundo que postou disse que vai nessa dificuldade ou até maior…

      e logo nessa geração Nescau a pêra com Ovomaltine que reclama horrores com Ghost in Ghouls Ultimate…eu olhei aquilo com uma cara….

      enfim, eu USO SAVE STATES E TENHO CULHÕES PARA ADMITIR ISSO.

      oras.

      • É Leandro, também conheço desses que diz que só termina jogo no Very Hard e não consegue passar da primeira fase de Sonic 1 do Mega… hehe

    • Kanonclint

      Concordo em gênero, numero , e grau.Os tempos mudaram, não tem como comparar.

      •  Eu concordo em partes! A colocação do Marcel pra mim é perfeita: tempo é escasso, eu vou jogar até a hora que der e vou dormir = save state pra não perder meu avanço. Dia seguinte = load state pra continuar de onde parei ^^ Precisou anotar um password? SAVE STATE, que mané password o quê kkk mesma coisa com DCK: acho mais seguro e viável o Save State do que o save nativo do jogo. De resto? É NA RAÇA KKK nada de save state no turbo tunnel não e nem no Yo!Noid, a não ser que seja pra evitar tipo “desligar o videogame pra ir dormir” kkkkkk
        No caso do Battletoads, que é um jogo injusto a ponto de ter só 3 continues, ainda admito para mim mesmo usar save state a cada fase completa para evitar o game over né… nada mais justo!!! Essa desgraça desse jogo era pra ter no mínimo continues infinitos!!

  • Iuri Fiedoruk

    “Alguém já finalizou Ninja Gaiden, Battletoads ou Batman do NES sem ao menos usar um “savezinho” alí perto do chefe final?”

    Bah, três jogos que eu tive a felicidade (ou insanidade) de acabar no próprio NES, sem save-games!

    • edwazah

      Sim. Em um retrotube, o TH mostra que é possível terminar battletoads NO NES… então…. 😉

    • Jeff

      Mandou bem Iuri. Tem que ser macho gamer mesmo…

    • Fernando Tadeu Fabri

      Bah, legal ^^

      Ontem mesmo eu terminei o Battletoads jogando no Nes… O ninja gaiden 1 alguns meses atrás… e o batman ainda não comecei a jogatina…

      Mas jogar no console é tudo de bom ^^

  • Admito a “mea culpa, mea maxima culpa”. Uso savestates, sim . Infelizmente, não mais como conciliar minha rotina como tempo necessário para “a experiência real”…infelizmente.

    •  É complicado, o tempo muitas vezes é nosso pior inimigo kkkkkkkkkk

  • Marvox

    Eu acho que vale a pena criar-se uma regra pessoal para o uso do Save State não importa qual seja a regra, enquanto a regra seja lá qual for estiver divertindo a pessoa é isso que vale. Se for um jogo para matar o tempo, ou para reparar em detalhes, ou até para escrever matérias para capturar a imagem de um ângulo único.

    Eu por exemplo, uso quando começo a ficar cansado e preciso desligar para dormir e trabalhar no dia seguinte. Quando quero usar aqueles 30 minutos que faltam pra eu sair de casa com algum jogo na tentativa de uma fase que lembrei e não sai da minha cabeça. Quando pego um jogo que para mim é novo de SNES, Mega ou qualquer outro e não quero terminar em 1 dia só, quero jogar pouco a pouco para entender do que se trata.

    E de resto é bem o que já foi falado sobre ter tempo. Na época em que master system, nes, mega drive e super nintendo eram novidade e top de linha, décadas de 80 e 90 quando eu tinha entre 8 a 15 anos era bem mais fácil ficar na frente da TV com o videogame rodando horas e horas pra gente passar das fases uma mais difícil que a outra, aprender a passar da fase da mina abandonada em Donkey Kong Country 1 ou detonar Mega Man 4, descobrir a combinação do Janken-Po em Alex Kidd in Miracle World e até o entender o vai e vem no game QuackShot. E claro, quando eu ficava na adrenalina de terminar algum jogo, deixava ligado enquanto ía almoçar e jantar, isso não tenha dúvidas que acontecia.

    Se vermos bem, o Save State já existia desde o Wolfenstein 3D, apertava F2, dava um nome pro save e pronto, você podia salvar antes de qualquer porta, não sei mas, a primeira lembrança de salvar em qualquer canto é nos jogos FPS, muito antes de aparecer emuladores de videogames, isso em 1993, eu jogava num 486 dx2 66mhz.

    Mas enfim, emuladores são sensacionais porque eu por exemplo nunca tive na época um Mega Drive, tudo que joguei foi através de emulador porque lembro que vía a galera jogando na locadora e vía nas revistas Videogame e GamePower. E ainda é bom para rodar vídeogames que nem sequer existia a possibilidade de eu ter um, tipo Sega CD, Atari Jaguar, 3DO e outros videogames cheios de jogos diferentes que valem mais pela curiosidade.

    A matéria ficou muito legal!

    •  PÔ SHIGUEROOOOO!!!!!

      E ae mano XD como andas?
      Eu crio regras pra mim também cara, pra me policiar no uso dos states, por que eu uso sim, claro. Não da mais pra sentar o rabo na sala, ligar o aparelho e jogar tudo do inicio ao fim, tanto por que eu não sou lá nenhum grande e exímio jogador de games capaz de terminar tudo que apareça na frente independente da dificuldade.
      O tempo conta demais, então julguei necessário criar tais regras, como usar save no lugar do save do próprio jogo, ou quando for parar de jogar pra não perder o avanço.

      E emuladores são foda cara, é graças a eles que eu conheço hoje em dia muitos consoles que eu nunca se quer pensei que um dia chegaria perto de um mpisero joguete deles.

      Obrigado pela postagem maninho ^^

      • Emuladores? Eu que o diga! Só conheço Nitendinho graças a Emuladores. Me diverti a bessa com Kirby’s Adventure (ó o link: http://marcelnapraia2.blogspot.com.br/2011/10/kirbys-adventure-nes.html ) e sei que tem muita coisa bacana dessa plataforma que vale a pena jogar. Aliás, eis aqui minha sugestão de tema para um próximo Retrocast: Os melhores jogos para Nintendinho.

        Um abraço!

        •  Nós gravamos um Retrocast com os 10 melhores games de NES e MASTER, o ED perdeu o arquivo de audio e não tinhamos backup ………

    • Compartilho da mesma opinião Marvox. Não dá mais para ficar o dia inteiro em frente a tv jogando videogame (bons tempos que não voltam mais). O Save State, e os emuladores, são uma mão na roda que nos permite (ainda que a curtas doses) jogar aquele game que temos curiosidade, que é muito extenso e que não tivemos oportunidade de jogar nos áureos tempos de criança. Um abraço!

  • uso pq eu quero ver o final que nunca pude ver quando era moleque. 

    •  Vai no Youtube po kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Save State e Havaianas: todo mundo usa!
    Sério, na boa, quem fala que não usa e já está na fase onde falta tempo livre, é um tremendo mentiroso. Pelo que vi, esse não é o caso de todos os Retroplayers, que possuem sim suas responsabilidades e precisam utilizar deste recurso como se fosse o equivalente a deixar o videogame ligado “fritando”, como foi dito pelo Sabat.
    Sincera e honestamente eu não tenho nada contra quem queira usar o Save State para meios que facilitem a jogatina. É mais ou menos como pirataria, eu venho tentanto evitar ao máximo ela, mas as vezes acabo recorrendo por falta de grana. E não tenho nada contra quem adquire jogos apenas com pirataria, provavelmente a pessoa tem um motivo para isto. O mesmo acontece com Save State, mas o que falta pra mim é tempo mesmo. Só que jogos retrô realmente perdem o seus grandes baratos que é a dificuldade e a evolução pela repetição. E, da mesma forma, nada contra quem termina os jogos apenas usando os saves, só não admito que se vangloriem por terminar estes jogos.
    Também prefiro jogar os jogos retrô nos próprios consoles, mas também não estou nadando em dinheiro. Ultimamente tenho usado um Dingoo para emulação e raramente ando usando os Save State. Mas já “roubei” um bocado.
    Na época em que os emuladores foram ficando mais populares, estava na faculdade. Todo mundo que fez ou tá fazendo faculdade sabe que é ali que o tempo livre começa a desaparecer, com um monte de trabalhos, tarefas, estudos, etc. Eu nunca tinha jogado a combinação Sonic 3 & Knuckles e tinha ouvido falar que se terminar o jogo com as 14 (!) esmeraldas, abria uma nova fase e o final “verdadeiro”. Pois bem, resolvi encarar o desafio. Mas percebi que eu era uma piada nas fases bônus, aquelas das Blue Spheres. Não tive dúvidas, era save state na cara da argola gigante que dá acesso ao Special Stage e load a cada tentativa frustrada. Não me arrependo nada disso, faria de novo se fosse necessário! hahaha. Já terminei esse jogo sem save state, mas não com todas esmeraldas.
    Domingo mesmo acabei fazendo algo que pode ser considerado “roubo”, mas eu não acho que seja. Jogando Sonic 1 de Mega Drive no PS3, queria conquistar um troféu que era terminar a Marble Zone Act 1 em 80 segundos. Bom, não daria tempo de encarar todos os atos da Greel Hill Zone a cada tentativa, então usei o esquema de Save/Load na beira da fase em questão e fiz minhas 4 ou 5 tentativas até conseguir o que queria. Mas aí foi com um objetivo bem específico, não acredito que tenha sido um save state “roubado”. Roubado seria se eu salvasse a cada fase e desse load cada vez que morresse, pra conseguir o outro troféu que é terminar o jogo sem morrer. Esse eu me nego a fazer!
    Resumindo esse texto gigante que de “fast” não tem nada: uso saves states sim dependendo da situação, não tenho nada contra quem usa de maneira “ilícita”, acho que ficar criticando quem faz isso é bobagem (a não ser que a pessoa fique se achando por ter terminado o jogo) e tenho plena certeza de quem diz que NUNCA usou é um grande mentiroso ou não conhece o recurso (o que também pode ser uma bela de uma mentira).
    Abraços à todos
     

    • Caduco, cê é o cara, teve coragem de falar aquilo que não quis dizer. quem diz que  NUNCA usou, está mentindo na cara dura. todo mundo usa os saves. entre muitas e poucas vezes, mas dizer que não usa para o jogo não perder a graça…bem, ficar morrendo a todo momento é divertido para alguns e quando era nos consoles. mas se nos emuladores tem essa função, para que vou mentir dizendo que não uso?

      e acabei de zerar Castlevania 2 Simon Quest. e não teria conseguido sem essa função.

      •  Aí vai de cada um ^^ Eu não terminei Simon’s Quest por falta de mulador pra save state: foi por causa do maledito DEBORAH CLIFF (vc deve saber do que eu estou falando)!!! Pois bem, não é pra todo mundo que o jogo perde a graça quando se morre muito, generalizar isso é meio errado ^^ eu mesmo morro bagarai e nem penso em usar save por isso, eu penso sim em conseguir avançar e vencer aquela parte que me detonou. Mas se o tempo pra isso começar a se tornar escasso, ae é save state na cabeça pra ir dormir e continuar tentando depois kkkk

        •  Então, senhores, é aí que eu acho que é um Save State “justo”. Não temos mais tanto tempo livre pra ficar horas e horas em um mesmo jogo tentando passar as partes mais complexas inúmeras vezes.
          Concordo que morrer a todo momento vai muito de cada um mesmo, e isso pode depender também da fase da vida da pessoa. Eu mesmo já adorei jogos difíceis em que morria toda hora, hj em dia sou um pouco menos paciente, mas tento me forçar a me acostumar pra não ficar sacaneando. Mas, como o Leandro falou, nos emuladores fica complicado de não querer usar, já que o recurso tá disponível. As vezes acaba sendo o melhor pra conhecermos um jogo.

    • É rapaz, é bem por ai mesmo, usar por necessidade real e não para se vangloriar disso. O que tem de gente hoje em dia dizendo que detonou Battletoads por ae não é brincadeira, o que tem de gente que não admite o uso de save state para tal facanha é maior ainda…

      Eu ri quando vc disse que ja roubou pra caraio ahuhauauhauhuahua normal né XD eu mesmo ja roubei em meu passado de meliante!!!

      •  Sem vídeo FILMADO comprovando, pra mim não terminou. Ainda acho que devemos montar o fã-clube do TH! kkkkkkkkkkkk
        E todos são ou já foram bastante ladrões com emuladores e save states, só que nem todos admitem.

        • TH

          kkkkkkkkkkkkk

          mas só entra para o clube quem passar pelo menos pelo turbo tunnel, rs

      • Uma vez vi um cara terminar o battletoads no console… fiquei impressionado, nunca passei da fase dos jetskis

  • Ricardocrush

    eu uso sim mais geralmente pra ficar naquela parte onde parei de jogar sem precisar voltar da parte que o load original do game tem que geralmente volta pro comeco da fase.

    •  É uma regra válida! Cada pessoa costuma criar uma regra própria pra uso né… acho que é a melhor maneira de se sentir bem com o uso da ferramenta no jogo!!

  • É unânime. Todo mundo adulto,muitos jogos, mas sem tempo. Se fôssemos muleques, com a única obrigação de ir pra escola, e o resto do tempo livre, aí sim. E ainda tem o fator da disponibilidade dos jogos. Você tinha lá seu NES com 1 único jogo, e ficava dependendo do pai pra alugar ou comprar outros. Daí cada um vira mestre do jogo que tem, por falta de opção mesmo.

    Zerei Mega Man 1 e Castlevania 1 na base do save state, porque simplesmente não tenho horas disponíveis pra ficar decorando o jogo inteiro(só assim pra bater esses jogos dificílimos).

    • É rapaz, esse ponto que vc citou é muito válido: geralmente éramos MESTRES naquele jogo único que possuíamos. É a repetição somada à sobra de tempo né: eu terminava Megaman 2 e Gradius 2 sem morrer… hoje não faço isso de jeito nenhum!

  • Fernando Tadeu Fabri

    Mais dois jogos que termino no famicom… o primeiro sempre em menos de meia hora… já o segundo pode levar umas 3 o 4 horas xdddddddddddd

  • PRStacker

    O André Breder fez essa mesma pergunta no Gagagames e eu respondi  “sim”, mas com uma ressalva: Somente quando o jogo NÃO POSSUI save
    próprio. Em jogos como Super Mario World ou Donkey Kong Country eu não
    faço uso dos save states.

    • Nossa cara, é mesmo!!
      E postou no mesmo dia, pqp kkkkkkkkkk se a gente tivesse combinado não sairia assim kkkkkk

  • Sirlon Hayate

    Eu utilizo save-state sim ! Até porque como disse a maioria, não temos mais todo tempo do Mundo como outrora !
    Uma pena é claro ! mas sempre estou jogando algo, a emoção não pode parar ! U.u

    • Pena que a emoção com save state não é igual a sem save state maninho, mas o importante é se divertir XD

  • Vinicius

    Ja usei save state em alguns momentos dificeis de alguns jogos,como na ultima fase do shinobi III,nas fase bonus de sonic e de ristar,e na tela de gelo de Valis III(essa nao tem como nao usar quando voce o joga pela primeira vez).Mas depois que eu ja havia aprendido os truques de cada fase de cada jogo,eu consegui termina-los sem o save state,e acabei aproveitando mais do jogo.

    •  Esses tres ae eu venci TÚTÔ na raça, e posso afirmar que a pedreira maior é a faze de gelo de Valis 3 mesmo… nossa! Essa eu confeço que se exsitisse save state na época, eu teria usado viu…. PQP

      • Vinicius

        O pior era quando voce morria e perdia todos os seus upgrades.

        Eu citei 4 jogos,Shinobi III,sonic,ristar:the sooting star,e Valis III.

        Joga o ristar sabat,uma perola underrated do megadrive.

        •  O Ristar eu terminei na época! ^^ è um belo jogo, muito bonito!!

  • bubuzuke

    Hoje em dia até os jogos pra 3DS que são antigos, como o primeiro Metroid estão vindo com save state! É oficial a parada. Acho que não tem nenhum kao em usar. Desde que, nao estrague a experiencia!

    • Meu amigo Bubu, o sr por aqui XD
      Os saves nativos dos games de hoje estão bem mais generosos mesmo né, mas não sabia que estavam facilitando assim para os antigos relançados também não kkk Espero que realmente não atrapalhe a experiência ^^

  • Ricardo Cérbero

    O meu uso do save state é o equivalente a antiga fritura do hardware, ou seja, quando preciso parar de jogar (por motivos diversos), salvo e continuo depois. E, cá entre nós, o save state era o que boa parte dos gamers idealizavam naqueles tempos (claro, hoje sabemos que isto era impraticável naqueles tempos).

    Acho que o único uso condenável (mas é apenas uma opinião) do save state é aquele uso “quadro a quadro”, quando o sujeito salva a cada 30 segundos. Se for pra fazer isso, é mais simples procurar um speedrun ou video walkthrough no Youtube.

    Estamos falando de consoles, mas save state para quem joga em PCs antigos eram indispensáveis, como um leitor citou em um post anterior sobre o Wolfenstein 3D. O jogo era extenso, não tinha nada parecido até então e não tinha nenhuma bússola/mapa! Mas isso já é uma outra história.

    •  É Ricardo, quem nunca fritou o seu consolinho por noites a fora pra não perder aquele avanço suado? Se existisse um meio de desligar o console sem perder isso naquele tempo, seria o paraiso para as tomadas e fontes!
      Eu também condeno o uso do save state nesse esquema vaca louca maninho… não acho justo para com o próprio jogo, por mais injusto que ele seja… deu pra entender? kkk

      • Quando você fala esse lance de desligar o console e não perder o avanço eu me lembro do espanto que tive quando usei um PSP pela primeira vez. Desliguei e fui dormir, no outro dia ao ligar encontrei meu jogo pausado. Fiquei numa alegria, hehe. Esse sim é um recurso bacana e respeita o tempo livre do gamer – e eu não considero um “roubo”. Pra mim, muito pior é quem usa código (cheat) para desbloquear itens secretos e outras coisas porque não tem paciência de jogar. E como tem desses fulaninhos por aí… ¬¬

        • Teeeeem, pra caramba! Conheço um monte de gente que prefere procurar códigos e truques antes mesmo de jogar, e isso não se aplica só a jogos antigos não!! XD

      • Ricardo Cérbero

        Entendi sim [rs]. É aquele ditado: não é ilegal, mas é imoral.

      • Jeff

        “Avanço Suado”: Propaganda de desodorante?

        •  Vá se ferrá po!!
          kkkkkkkkkkkkk

    • Vinicius

      Isso e verdade cara. Muitos jogos sao extensos demais para termina-los em um dia.Eu usei muito save state jogando Doom.

      • Ricardo Cérbero

        Pois é, devido a idéia de imersão na maioria dos jogos de PC desde os anos 80 (dentro das limitações da época), save state em jogos de PC tem um conceito bem distinto.

  • Jeff


    … não acho justo para com o próprio jogo, por mais injusto que ele seja… ” 
    Gostei do trocadilho!!!

    •  Sou foda, tiquidim, tiquidim, tiquidim!!
      kkkkkkkkkkkk

  • Chapolin Colorado

    Já usei MUITO save state, mas hoje só uso em jogos que não tem save nem password e são muito longos ou difíceis, como o primeiro Sonic. Mas quando tem password, eu anoto. Sim, talvez eu seja masoquista, mas tento usar o mínimo possível de save state, pra ter uma experiência mais próxima de jogar no console.

    E por falar em save state, como eu já tinha prometido pra mim mesmo, esses dias zerei Megaman e Megaman II sem usar os saves! Agora posso morrer em paz!!

    • ahUAHUha Megaman 1 e 2 são pauleira XD mas não morra ainda não maninho, disperdice sua vida com mais alguns jogos antes heim!!!

  • Uia, não conhecia esse site. Fico feliz de tê-lo encontrado pra relembrar a era dourada dos games. Enfim, eu comecei a usar essa opção há pouco no PS2. Honestamente, tenho usado razoavelmente sob um pretexto que não me envergonho, na época não tinha grana pro console, e msm curtindo clássicos, gosto dos games atuais, então para poder jogar ambos sem deixar pra trás nenhum, uso o save state para não perder tempo.

    • Beleza Daniel?
      Sinta-se à vontade enquanto lê nossas materias amigo, a casa é sua e tem cerveja na geladeira ^^

      A falta de tempo é broca mesmo cara! Eu mesmo comecei a jogar Pitfall the Mayan Adventure (mega) a quase um mês e não encontro tempo para prosseguir na jogatina, o mesmo aocntece com Blaster Master (nes), que eu cheguei até a fase 5 e tive que parar por motivo de forças maiores, e acabei não continuando. Nestes casos, o save state ajuda muito… pelo menos no Blaster Master, que é bem apelão e não tem password!!

  • kaco

    Parei de jogar com save state a algum tempo, so uso quando tenho que parar e não perder o avanço, hoje tenho mais paciência posso retornar o jogo inumeras vezes , da pra pirar, as vezes levo semanas pra terminar,  mas prefiro manter a proposta original do game!E mais recompensador.Eu acho RSRsrs . abraço!

    •  É mais recompensador sim maninho, sem duvida ^^ Acho que o ponto saudável de se usar o save state está em parar de usar no momento em que a gente sentir que estamos roubando no jogo kkkk Usar para uma pausa noturna não causa esse sentimento não ^^

  • Uso SEMPRE!!!

  • GothicG

    Não tenho nada contra os save state, mas odeio eles nos meus emuladores, o que eu apoiaria é que o save state fosse gerado atravéz de um plugin para que eu pudesse manda-lo para o limbo definitivamente ,assim agradaria a quem gosta e quem não gosta deles, é que nem game shark, eu sei que existe, mas eu não preciso ter ele em casa, por que com save state não poderia ser a mesma coisa, nas versoes de android você pode escolher se quer compra-lo ou não com os de pc deveria ser a mesma coisa, ou seja, ter um link onde pudesse baixar o plugin de save state separadamente para quem quizesse, como acontece com as bios

    • Og Ghotic, tudo em paz!?
      Entendo sua colocação. Mas mesmo sendo implementado gratuitamente nos emuladores, não precisa utilizar o recurso do savestate. Ignore e seja feliz brother!
      Obrigado pela participação.

  • Sidney Stelzer

    Acabei achando esse link no Google com esse assunto porque estava procurando opiniões sobre quem usava ou não save state. Eu sou gamer das antigas, geração Atari/NES e zerei muitos jogos hardcore na época e tenho atualmente os consoles atuais. E de vez em quando jogo algum game clássico pra relembrar. Eu nunca fui de usar save state em emuladores. Mas conforme foi passando o tempo, com a falta de tempo, o costume com games modernos, saves e checkpoints me deixou mal acostumado e quando pego um jogo clássico é impossível não sentir falta dessa comodidade. Então eu não tenho mais aquela paciência e perseverança de antigamente.

    Igual semana passada eu peguei pra rejogar Gargoyles Quest II do NES e não lembrava como esse game era difícil. Na época eu havia zerado num final de semana, mas dessa vez eu acabei usando save state. Não me senti muito bem com isso mas fazer o que.

    E agora faz uns dois dias que eu peguei pra rejogar outro clássico: Secret of Mana do Snes. Não tem fama de ser difícil, mas eu nem lembrava que não tinha save dentro das dungeons. Morreu no chefe volta lá da vila. Isso não deixa de frustrar. Eu ainda não comecei a usar o save, mas estou pensando seriamente em começar a usar amanhã.

    Mas eu gostei de várias opiniões daqui. Se é um recurso do emulador, por que não usar né? Se os próprios ports pros consoles ou remakes eles adicionam esse recurso, vou é utilizar logo. Deixo pra jogar na raça no console original se for o caso.

    • Olá Sidney, como vai?
      Meu caro, como você mesmo pode ver, as opiniões dos leitores são diversas. Mas a maioria não tem mais tempo pra se dedicar aos jogos antigos como antes. Apesar de curtos, continuam sendo difíceis e exigêntes.

      Outrora adolescentes, agora somos adultos e com responsabilidades. Sendo assim, o tempo tornou-se muito valioso para todos nós. Com isso, o Savestate passou a ser levado em consideração por muita gente.

      Temos de aceitar que os tempos mudaram e a forma como lidávamos com a dificuldade dos jogos de antes não se aplica mais aos dias atuais. Hoje, muitos games possuem tutoriais embutidos neles e o fator desafio não é tão exigente também. Ou seja, os produtores precisaram mudar a fórmula, porque jogo difícil demais costuma não durar muito. Há algumas exceções, como Darksouls, por exemplo, mas esse faz parte da minoria.

      Se usado com sabedoria, o Savestate pode sim ser utilizado sem culpa alguma. Quer um exemplo? O Virtual Console do Wii salva o game automaticamente quando o jogo é fechado. Simples assim.

      No mais, agradecemos sua participação no Retroplayers Sidney. Aparece sempre que puder.
      Abraço!

      • Sidney Stelzer

        Olá Jeff, tudo bem por aqui.

        Realmente antigamente eram outros tempos em que a gente tinha tempo pra se dedicar. Eu mesmo zerei pérolas como Battletoads, a trilogia Ninja Gaiden, Contra e Super Contra no NES. Eu sentia prazer em terminar jogos difíceis, sempre superar meus limites. Mas hoje meus gostos mudaram, o estilo de jogar mudou. Mas o que importa é continuar gostando de games e se divertindo não importa como, seja os clássicos ou atuais.

        E vou continuar frequentando sim aqui no blog com certeza.

        Abraço.

  • lucas

    usei save state para capturar pokemon RAROS no pokemon gold kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk