Mario Kart 8 Direct: a Nintendo fazendo as pazes com a comunicação


Mais um Nintendo Direct especial temático se foi, e o jogo da vez foi o aguardadíssimo Super Mario Kart 8. O programa de quase 40 minutos de duração chamou a atenção por vários motivos que, em sua maioria, fazem menção ao grande jogo que está por vir, mas um deles vai um pouco além disso: a Nintendo parece que está reencontrando o caminho da comunicação com os fãs.

Não é novidade que eu sou crítico ferrenho das decisões políticas praticadas por esta que é uma das mais clássicas das empresas de videogame do mundo, vivo citando sempre que posso os motivos que me fazem acreditar que a Nintendo cada vez mais se afunda num buraco que ela mesma está cavando, que o caminho que ela trilha é longe de ser o certo, e uma dos pontos mais criticados não só por mim, era a sua falta de comunicação para com o seu fã. A empresa lança um console e o público mal sabe que ele existe, lança jogos e nós não sabemos nada a respeito deles, deixa de participar de eventos de visibilidade mundial, e só oferece ao público um canal de vídeo em japonês para demonstrar suas poucas novidades de um jeito que pouca gente aguentava assistir acordado.

Pessoal, Sonic Lost World, DCK Tropical Freeze, Wonderful 101, e vários outros games saíram e eu não sei absolutamente NADA a respeito deles, NADA. A Nintendo se esconde não faz propaganda de seus jogos, a mídia não se interessa, e o resultado é que eu hoje entendo muito mais de The Last of Us e Castlevania Lords of Shadows do que de qualquer coisa lançada para Wii U. A culpa é minha? De jeito nenhum, se ela se comunicasse melhor comigo e me dissesse “Sabat, pode comprar o Wii U que é garantido que lançaremos os games que você quer jogar por que nós somos a NINTENDO” eu já teria comprado, mas até este novo Nintendo Direct, ela ainda não havia feito isso.

Parece que só agora a coisa está mudando.

Não que o Nintendo Direct fosse algo abominável… Não, ele era até muito informativo, só que em um formato extremamente maçante, sem sal, chato, e a Nintendo chegar na mídia ano passado e dizer que o programa naquele formato fracassado seria a opção da empresa à fazer uma coletiva de imprensa na E3 foi uma tremenda de uma cagada, uma de muitas na verdade que a BigN cultivou desde o lançamento precoce do Wii U. Mas é tudo passado, aproxima-se a data de uma nova E3 e… a Nintendo mais uma vez dá a notícia de que não realizará a tradicional conferência de imprensa e estará presente na feira abordando seus jogos de maneira diferente e pelo tal Nintendo Direct… Estaríamos todos completamente desacreditados se não fosse a apresentação magnífica do Mario Kart 8 Direct.

Confesso, deu medo quando o excelentíssimo Sr Iwata San deu o ar de sua graça logo no início do vídeo. Aquela sensação terrível de “Deus, que não sejam mais 40 minutos de Zacharias Live Action” voltou forte, era difícil acreditar que a Nintendo estava dando um passo atrás após a exibição do satisfatório último episódio da série de vídeos, o SmashBros Direct, mas felizmente, o excelentíssimo senhor presidente veio só pra dizer oi mesmo, e depois ele só aparece no final pra dar um tchau.  Não se sinta mau Sr Iwata San, nós adoramos você, só que longe das câmeras!

Mario Kart 8 Direct, pasmem, havia sido feito no formato novo, ou ainda melhor, no formato novo e com upgrades de qualidade. Entenda o principal deles: muita gente falando pouco e de várias maneiras. Fica dinâmico, o que corrige a maior deficiência que o programa tinha. O novo padrão ficou ótimo, muito bem humorado, cheio de boas ideias e tiradas bem sacadas, ai a gente pensa “nada melhor do que por a coisa na mão de quem sabe né?”. É nítido que assim como o vídeo do anúncio dos planos da Nintendo para a E3, aquele com Reggie fazendo papel de androide que foi produzido pelo pessoal do Mega 64 e ficou hilário, este também não deve ter sido produzido pela turminha de olhos puxados que fazia os programas iniciais, e o mundo agradece.

Desse jeito fica até mais digerível a Nintendo não fazer conferência, pois uma dúzia de vídeos nesse formato fazem muito bem o serviço de apresentação do que for necessário, e um desses tamanho G faz com méritos as vezes da própria conferência, tanto por que nós não estamos lá mesmo pra ver nada ao vivo… esse privilégio é de poucos. Mas chega de elogiar o novo formato do Nintendo Direct, adoramos sim, mas que tal falar do assunto principal do vídeo?

Mario Kart 8 parece ótimo. Todas as características do jogo parecem ter sido feitas para balancear a peleja, que no Wii havia perdido de certa forma a competitividade, ou pelo menos não existia no mesmo nível dos games antigos. Motos > Carro em pistas off-road ou com muitas curvas, Carros > Motos no asfalto ou pistas mais retas, e a nova opção de customização dos veículos deixa isso bem evidente (confira no vídeo da apresentação, que disponibilizamos no final do texto). Competitividade sempre foi o forte da franquia desde seu nascimento no Super Nintendo, e deixar de vencer uma corrida ou mesmo uma copa devido a um casco azul assassino atirado pelo computador na última volta não é lá algo que o perdedor possa aceitar sem reclamar da falta de sorte, um fator que deveria na verdade interferir o mínimo possível no resultado final de uma partida seja lá de que for, e para que a sorte não prevaleça, itens novos foram desenvolvidos para deixar o negócio mais embolado, ou melhor, mais justo. Boomerang Flower e Piranha Plant são dois destes, mas o principal é mesmo uma tal buzina que pode ser usada tanto para ataque quanto para defesa: se usar a buzina perto de outros carros, eles rodam e perdem moedas, e se usar quando algum item for te acertar, seja um casco vermelho, verde, e até mesmo o azul, ele explode! Ótimo para que o primeiro colocado possa se livrar de um possível (e injusto) casco azul! Sim, eu tenho ódio desse item, eu sou um verdadeiro para-raio dessa desgraça no Mario Kart Wii!

Adorei os gráficos, adorei a trilha sonora, adorei as pistas, o sistema de colisão magnético que aumenta a velocidade ao invés de diminuí-la, adorei a lista inicial de personagens que agora conta com os 7 filhos do Bowser (quem jogou Super Mario Bros 3 conhece todos), e ainda é quase certo que essa lista aumentará mais ainda com os tradicionais personagens destraváveis que todo Mario Kart tem. Já são 30, mas chuto que algumas caras familiares ainda vão aparecer com o decorrer da jogatina, como Diddy Kong, Bowser Jr, King Boo, e outros. Quem sabe Dixie Kong, Link e a princesa Zelda com versões normal e baby? Sonhar ainda pode né?

O bundle americano com o jogo também foi confirmado, custará 329 Obamas, e vem com o Wii U preto 32gb, o tablet, um Wii Mote customizado, um volante para o Wii Mote, e algo que considero uma GRANDE SACADA da Nintendo: um código promocional que permite baixar um game de graça, EXCEPCIONAL isso!! Parece até que soltaram o departamento de marketing na mão de gente de fora da empresa de tanto que está diferente. Os jogos que podem ser baixados são os da imagem a baixo, e é só cadastrar o código que vem junto de MK8 e baixar. Nem precisa comprar o bundle para isso, o jogo só já é suficiente. Alguém tem dúvida sobre qual deles eu baixaria?

Uma simples maneira diferente de abordar as coisas: foi só isso que a Nintendo fez. Por quê tudo tinha que ser tão cretino? Será que ninguém havia percebido que o Nintendo Direct era tão maçante quanto reprise de novela? Será que ela não percebia que o mundo todo adorava ver que o programa era destinado só ao público japonês? Agora com dublagem em inglês da pra entender muita coisa, o programa se torna universal, a Nintendo passa a direcionar seu foco para o mundo todo ao invés de se isolar no seu país de origem. Não participar efetivamente da E3 ainda é um erro, uma conferência para demonstrar seus jogos seria muito bem vinda pois é sempre legal pacas ver Miyamoto entrando triunfalmente balançando uma Master Sword como se fosse uma criança de 10 anos com um toco de madeira nas mãos. Sentimos falta disso, daquela surpresa de ver um The Legend of Zelda novo e do povo gritando de euforia, daquele jogo que ninguém esperava e que de repente aparece fazendo todos arregalarem os olhos como foi com Kid Ikarus UpRising, sentimos falta da Nintendo de antigamente, aquela que verdadeiramente se preocupava com os fãs no mundo, e não só com o público japonês. Não realizar a conferência é privar o mundo da sua presença, é como se faltasse algo ali no evento, algo importante… Mas se a empresa não estará lá para esse fim, pelo menos o seu programa digital de informações diretas está melhor do que nunca, e isso representa para mim, mais que uma luz no fim do túnel.

MK8Bundle_Front_1

A Nintendo precisa mostrar ao mundo que se preocupa com o fã, precisa mostrar que ela pode divertir a qualquer um, precisa fazer com que sua imagem não seja vista com desafeto, e essa melhoria no Nintendo Direct é só um passo para isso. Certamente que o Wii U vai vender DEMAIS com com esse bundle e com esse código promocional, mas será imprescindível que a BigN não deixe a onda passar. Tem que surfar até o final, aproveitar a onda ao máximo, e quando ela acabar, pular imediatamente em outra pois nesse mar, ela ainda está virtualmente sozinha. Seus jogos tem que aparecer e tem que ser suficientes, pois a única chance que ela tem de impedir a morte precoce deste console é convencer o público de que vale a pena tê-lo, e para isso, ainda falta muito.

Como bom retroaventureiro que sou, espero ainda ver a Nintendo figurando novamente perto do topo, num lugar respeitável e admirável, e se isso ainda está longe de acontecer, pelo menos agora eu sei que ela está preocupada, está se mexendo, e de certo modo, está acordando. Continuarei esperando e torcendo para que as mudanças  se tornem cada vez maiores e significantes, e enquanto a BigN não acorda de vez, aguardarei ansioso pelo próximo Nintendo Direct. Finalmente eu posso dizer que vale a pena assistir o programa… Bem, desde que ele continue assim, ok Sr Iwata San?

Não assistiu? Confira então o Mario Kart Direct!

Fim


Sobre Sabat

Dono, Chefe, Gerente, Cara da Xérox e Tia do Café do RetroPlayers! Meu negócio? Falar sobre games. Como? Escrevendo meus trabalhos, gravando minha voz horrível, ou filmando minhas humildes proezas! Onde? Aqui, ali, ou onde quer que me chamem!
Adicionar a favoritos link permanente.