Crônicas Gamísticas: Em busca do (novo velho) Sonic perfeito

cronica-sonic-perfeito

Meus caros e minhas caras, como estão? Espero que bem, pois a franquia Sonic the Hedgehog não está nada bem.

Aliás, que ela entrou em um declínio enorme todos já sabem e eu não preciso lembrar ninguém, né? Por mais que eu seja fã do principal mascote da SEGA e de seus jogos, inclusive os que muitos detestam, eu reconheço isso. Desde que saímos da Era de Ouro dos games o mascote alterna entre jogos bons, razoáveis e terríveis.

Os dois primeiros jogos lançados para o Mega Drive foram bombásticos em qualidade e número de vendas, isso é inquestionável. Não podemos esquecer também a incrível junção do 3 com o Sonic & Knuckles. Nunca saberemos o que seria do Megão sem a série, por mais que este tenha inúmeros títulos grandiosos e que fazem com que este seja considerado por muita gente (inclusive pelo velho Caduco aqui) o melhor console de todos os tempos.

00-06-Sonic-Perfeito-HD-Mobile

Mas fiquei me perguntando: por quê de repente a série se apagou? O que foi que aconteceu que fez com que tanta gente largasse a franquia? As respostas para estas e outras perguntas estão mais do que certas na cabeça de muitos jogadores. Pensando nisso resolvi fazer um exercício mental, onde meditei sobre fatores que poderiam fazer com que os jogos do ouriço voltassem a ser respeitados.

Sonic pode ter perdido muito de seu prestígio, mas ainda tem o respeito de muitos que começaram a jogar videogame nas primeiras gerações. Creio que um título bem feito faria com que as pessoas se apaixonassem de volta pela franquia. Querem um exemplo? Desde que a Ubisoft resolveu lançar Rayman Origins, a franquia recuperou o prestígio que tinha e ainda conquistou novos fãs, ainda mais pelo fato de ser raro vermos um jogo plataforma 2D decente que não seja feito por desenvolvedores independentes. Ainda mais utilizando sprites ao invés de um jogo com gráficos 3D e jogabilidade 2D (o vulgo 2.5D). E olha que Rayman nem era um mascote de tanto peso assim, convenhamos.

Outro bom exemplo vem do passado. Vocês se lembram de Donkey Kong 64? O jogo não chega a ser ruim na opinião geral, mas diferentemente de todos os outros jogos da série Donkey Kong Country, acabou afastando muitos jogadores que preferiam a jogabilidade 2D que consagrou a série. Mas estávamos na tal era do 3D, tudo quanto era franquia estava sendo adaptada para universos em 3 dimensões e a Nintendo quis arriscar um título do seu mais novo console desse jeito, já que com Mario tinha dado certo. Só que ela foi esperta o suficiente pra perceber e aceitar que isso não deu tão certo quanto ela esperava e os jogos do macacão engravatado desde então são lançados somente com a jogabilidade clássica.

00-08-Sonic-Perfeito-CD 00-05-Sonic-Perfeito-Master-System

Com Sonic foi quase a mesma coisa, com a diferença que a SEGA não aceitou que colocar seu principal personagem em um mundo 3D não deu certo. E acredito que ela não percebeu ainda que seu mascote não é tão versátil quanto seu eterno rival. Tanto que continua tentando prostituir o personagem em coletâneas, jogo de corrida de kart (embora, na minha humilde opinião, os dois jogos do gênero sejam bastante divertidos), jogos de tennis, entre outras coisas, incluindo um tal jogo de aventura chamado Sonic Boom que nem de longe lembra as principais características que consagraram a franquia.

Não me entendam mal, mas até já defendi alguns jogos lançados após Sonic Adventure 2. Acho Colors e Generations bons jogos, divertidos e que de alguma forma a gente consegue enxergar como um jogo do ouriço. Com muito custo consegui gostar inclusive de Unleashed (que usa a mesma engine dos outros dois). Mas existe um abismo enorme que separa os jogos lançados nas gerações 8 e 16 bits e estes citados, incluindo os jogos de Dreamcast. E quanto à tentativa de voltar às origens em um jogo 2.5D? Sim, estou falando dos dois episódios de Sonic 4. Ambos cheios de problemas de Level Design e física, entre outras coisas. Baixei muito o meu senso crítico pra conseguir me divertir com eles, mas não tenho mais a menor vontade de voltar a jogá-los. Totalmente diferente do que acontece com os jogos de Mega Drive e Master System/Game Gear que eu jogo um pouquinho pelo menos de tempos em tempos.

00-07-Sonic-Perfeito-AdvanceFoi de propósito que deixei de citar os jogos lançados para portáteis, pois estes possuem sim bastante da essência dos primeiros jogos da série. Os três Advance (GBA), os dois Rush (DS), Colors (DS) e Generations (3DS) podem ser considerados sim bons jogos. O problema é que muita gente não curte jogar em portáteis e acaba deixando esses jogos de lado. Prefiro não falar sobre os dois Rivals de PSP, já que possuem uma proposta bem diferente da série clássica (são jogos muito mais voltados para corrida em 2D do que plataforma).

Os últimos jogos lançados para as atuais plataformas da Nintendo me decepcionaram um bocado. E sei que não fui o único. O de Olimpíadas eu nem preciso citar. Lost World conseguiu virar um Mario genérico e não tão bem feito quanto os jogos do encanador, isso sem falar na física esquisita que você percebe nitidamente ao jogar as fases em 2D. E Sonic Boom… bem, eu já fiz um preview aqui no Retroplayers, vocês sabem qual é a minha opinião, quem não viu pode conferir clicando aqui. E mesmo as versões desses dois jogos para 3DS também não agradaram, ou seja, a SEGA-Sammy conseguiu errar até onde estava acertando antes.

Sei que a introdução do texto ficou extensa, mas eu precisava lembrar desses pontos antes de dizer o que eu espero de um jogo da franquia que na minha concepção pode colocar o ouriço de volta entre as franquias mais adoradas pelos jogadores. Vou começar a destrinchar aqui:

Ant1 de 13Prox

01-Sonic-Perfeito-HD-Sprites

Adeus mundo 3D, olá novamente mundo 2D com Sprites

Eu talvez nem precisasse dizer isso, mas é lógico que a franquia deve abandonar o mundo 3D. Agora complemento que deve sumir não somente a jogabilidade 3D, mas a parte gráfica também.

Como disse lá em cima, com Rayman Origins/Legends a ideia deu muito certo, acredito que um Sonic bem feito com sprites grandes e tudo caprichado teria um sucesso ainda maior. Com os hardwares evoluídos como estão hoje, daria pra fazer um trabalho muito bacana.

Ant1 de 13Prox

Sobre Cadu

Velho caduco, fã de Sonic e seus jogos (menos o Boom, credo), viúvo da SEGA assumido e mestre absoluto das piadas ruins. Tem esperança de que algum dia surgirá um Final Fantasy Tactics novo tão bom quanto o primeiro.
Adicionar a favoritos link permanente.
  • Jean

    Excelente texto, Cadu. Eu nunca fui um grande fã do Sonic, (in)felizmente não joguei muita coisa além dos jogos de Mega/Master. Acho que a SEGA tentou de todas as maneiras ganhar dinheiro com a franquia e atualmente ela tá lançando qualquer coisa, afinal, os fãs comprarão na vã esperança de ver o ouriço reviver a glória de outrora. Esperemos que as vendas do Boom abram os olhos da empresa e faça com que tenham mais empenho na hora de desenvolver novos jogos.
    E mais importante que melhorar jogos do Sonic é trazer de volta Alex Kidd e Streets of Rage (se bem que dá até medo de ver isso acontecer rs)

    • Jean, acho que vc trilhou o caminho ótimo! Se jogou os jogos de Master e Mega, não há mais nada que vc “precise” jogar, embora tenha um ou outro jogo divertido.
      Vc acertou em cheio, a SEGA prostituiu a marca Sonic the Hedgehog de todas formas possíveis e imagináveis, mas nunca se preocupou tanto com qualidade. E ela mesmo admitiu isso essa semana, saiu a notícia em alguns sites.
      Concordo plenamente que precisam voltar Alex Kidd e Streets of Rage, aliás, afirmo que Alex Kidd é um personagem muito mais versátil que Sonic e poderia ser usado em algumas ideias que tentaram forçar nos últimos anos com o ouriço. Também tenho receio do que pode sair das mãos da atual SEGA, mas sei lá. Phantasy Star é outro título que gostaria que retornasse (o single player, não os Online da vida). Com a presença da Atlus no “catálogo” da empresa, bem que podia sair algo decente. A gente sempre mantém as esperanças, né? hahaha
      Valeu Jean!

      • Jean

        Acho que não daria muito certo implementar as mecânicas dos novos jogos do Sonic no Alex Kidd. Todos os jogos depois de Miracle World foram ruins e quando a SEGA “tentou” voltar aos moldes antigos saiu aquela porcaria de Enchanted Castle que serviu pra enterrar de vez a série.

        • Putz, eu me expressei mal… rs
          Tava falando mais na parte conceitual dos jogos, por exemplo o Unleashed, que é um Spin Off mal visto. Mas ao mesmo tempo, a maioria das pessoas que são mais “mente aberta” gostaram das fases do dia. Acho que Alex Kidd virando lobisomen seria menos mal visto que o Sonic virando lobouriço numa mistura de hack’n slash e beat’em up bem sem vergonha.
          Mas bem lembrado os jogos toscos do Alex Kidd também, os únicos jogos que realmente prestam são o Miracle e o Shinobi World. O Enchanted Castle me dá urticária até… urgh… que tróço horrível! kkkk

          • Jean

            Entendi… agora quero ver o Alex Kidd virando lobisomen e jogando jo-ken-po rs

          • Seria cômico se não fosse trágico! kkkkk
            Mas acho que não rolaria Jankenpo neste game, da mesma forma como não acontece no Shinobi World.
            Questão deles saberem utilizar, mas se estão perdidos até com Sonic até em jogo de Tennis, imagina só com Alex Kidd… afe… melhor nem pensar… kkk

          • Tony

            Acho o Alex Kidd ótimo, só que eu achava a parte do Jo Ken Po um saco… seria legalzinho um jogo no esquema meio hack’n slash, com fases “lineares”, sabe, com um puzzlezinho aqui e alí, acho que o Alex Kidd tem moral pra isso.

          • ahuahuahuahua
            Tony, conheço mais pessoas que não curtiam a parte do jankenpo, eu particularmente nunca liguei.
            Também acho que Alex Kidd se enquadraria num jogo assim, mas isso infelizmente nunca vai acontecer. Acho que a SEGA matou mesmo o personagem.

  • Rubinho

    Talvez seja hora de jogar os Sonics do mega. Nunca joguei nenhum

    • Rubinho, faça isso! Será um presente incrível que vc dará a si mesmo, pode ter certeza. É raro encontrar alguém que não goste de Sonic nos 16 bits, fora que normalmente as pessoas usam argumentos não tão convincentes pra afirmar isso.
      A liberdade que o jogo te dá de jogar da forma como queira (correndo feito louco, jogando mais calmo, explorando tudo, etc) é sensacional.
      Se possível, jogue na ordem! E jogue os dois primeiros do Master que valem a pena também!
      Valeu Rubinho!

      • Rubinho

        Eu era um dos 7 caras do brasil que tinha um dreamcast. Joguei os dois sonics que saiu para essa plataforma e gostei, mas nunca fui atras dos outros.

        • Sete? Tinha tanta gente assim? kkkk
          Eu gosto dos Adventure, mas tenho minhas ressalvas com eles. Tipo fases de alguns personagens. Mas no geral são jogos bem bacanas!

    • Jean

      Só um conselho: fique longe do Sonic 3D Blast.

  • Secco Sep

    O Generations é da hora.

    • Fala Secco, blz?
      Cara, concordo contigo, sem dúvidas Generations é divertido e um bom jogo, até citei isso no texto. Mas comparar com os jogos do Mega dá uma diferença grande, são títulos imperdíveis pra plataforma, ao mesmo tempo que Generations é só mais um jogo nas plataformas que saiu. Acho que isso é um bom indicador de que ainda podem melhorar os jogos modernos do ouriço, talvez resgatando algumas coisas do passado. Isso foi o que me motivou escrever este texto.
      Tomara que a SEGA pense em coisas assim para a comemoração dos 25 anos em 2016!
      Valeu Secco!

  • Leandro alves

    na minha opinião, bastavam trazer o Sonic “barrigudinho” de volta. metade da fama do Sonic Generations se deu por conta dele, porque não traze-lo de volta duma vez?

    • Isso com certeza já daria bons pontos pra franquia, Leandro, sem dúvidas!
      Vide o Generations que vi muita gente falando bem e citando como ponto alto a presença do Sonic clássico!
      O que mais me frustra é a SEGA dizer que aquela foi a última aparição dele. Espero que voltem atrás. O magricelo tagarela com aquela cara meio que monstruosa dele é complicado…
      Valeu Leandro!

  • Talvez Sonic seja um produto único do seu tempo…
    Talvez Sonic não tenha apelo ao jogador atual…
    Eu lembro que nos tempos de Sonic,todos nós desprezávamos os consoles anteriores,não existia esse respeito e carinho pelos consoles anteriores,até porque não existia essa cultura retrô em 1993/94 obviamente.E o melhor era sempre o mais novo.No caso,o Mega Drive.
    Trazer Sonic para os dias atuais como um fenômeno igual ao de 1991 é impossível.E talvez as mancadas do “porco-espinho”,seja exatamente por isso.Como é possível equalizar retorno financeiro com o estilo de antigamente?
    O que Sonic precisa é ser esquecido pelas empresas e eternamente lembrado por nós,através dos seus melhores jogos.Talvez Sonic seja como um grande artista,que imortalizou clássicos mas está morto.Como os Beatles ou Michael Jackson…
    Só nos resta o que ficou da obra.

    • Não acho que vc esteja falando nenhum absurdo, tem muito fundamento. Mas me nego a acreditar que Sonic já esteja morto. Vide Mario, até hj a Nintendo consegue cuidar muito bem da franquia. Se a SEGA conseguisse reconquistar o público com jogos decentes, a franquia provavelmente veria dias gloriosos novamente. Provavelmente não completamente gloriosos, mas ao menos algo bem visto pela comunidade de jogadores. O retorno financeiro vejo não vai ser o mesmo daquela época, nem se lançarem um Dreamcast 2 e despertar todas as viúvas do mundo (eu inclusive).
      Uma coisa é certa, talvez a empresa devesse deixar a franquia sumida uns anos. Sem sacanagem. Precisa dar saudade na galera. Comparando com uma franquia atual, seria como Assassin’s Creed. A Ubisoft fala que vai lançar um e todo mundo já começa a fazer careta e pensar/falar “Caceta, mais um AC? A Ubisoft não desiste?”. Talvez Sonic esteja meio entalado na garganta de todo mundo também e tá precisando sumir um pouco. Mas matar de vez seria uma sacanagem, já não basta tanta série bacana no cemitério da SEGA.
      Mas ainda assim, sonho com o Sonic mais puxado para algo clássico sendo lançado novamente. Iria agradar todos fãs antigos, de certo!
      Valeu Giovani!

  • Belo texto Cadu, meus parabéns!
    Com exceção dos games para portáteis que ainda não pude jogar, Sonic pra mim parou nos 16 bits. Até gostei do Generations, sério! Não o joguei muito ainda, então não posso dar meu veredito. Mas não sei porque diabos não conseguem fazer um game 2D de verdade nos dias de hoje? Será que venderia tão pouco mesmo?

    • Pô Jeff, valeu pelos elogios, mano!
      Quanto aos 16 bits, a grande verdade é que nessa geração (e na anterior, embora tenham sido lançamentos simultâneos quase) é que tá a verdadeira jóia da franquia. Não dá pra negar isso, quem nega tá no mundo da lua. Generations é realmente bom, trouxe de volta muita coisa que muito fã queria. Mas acabou não sendo um grande sucesso em vendas, e isso meio que pode ser uma prova de que um jogo 2D clássico da série não tenha o mesmo sucesso comercial de outras franquias mais atuais. Infelizmente é coisa para nós, velhos jogadores! hehehe. Nós compraríamos com certeza.
      Agora a SEGA vacila, né? Sonic 4 foi um jogo bem mediano por N razões, se caprichassem em um título nos moldes clássicos e lançassem para o 3DS, eu aposto que seria um estouro. O portátil tem uma base enorme instalada ao redor do planeta e muitos são jogadores clássicos. Estes falariam bem, a mídia provavelmente falaria bem e no fim até outras pessoas acabariam comprando. Ou seja, sucesso!
      Agora não… eles querem lançar mais um Boom. Com um monte de novidades que não queremos e um design de personagens que ninguém curtiu.
      E depois falam que teimosa é a Nintendo…
      Fala sério!
      Enfim, acho que é isso! huahuahua
      Valeu Jeff!

  • Ivo

    Excelente texto Cadu, parabéns pela crítica super construtiva que fez. Uma pena mesmo vermos hoje o Sonic e a Sega desse jeito, imagino como os fãs se sentem hoje em dia com ela.

    Apesar de não ser conhecer e fã da Sega como você, tenho meu carinho por ela e vejo no que ela se transformou e o esquecimento dela sobre suas franquias. Triste!

    Mas fica suas dicas registrar (ótima por sinal) de como fazer o Sonic volta a ser como era.

    E como você sempre diz: – Nintendo? Compra a Sega!!!

    • Ivo, valeu demais pelos elogios!
      Tentei pegar leve e fazer de forma construtiva mesmo, que bom que vc enxergou isso, fico realmente contente. O que mais vejo por aí é gente enfiando a porrada na franquia sem nem saber o que está dizendo ou defendendo de qualquer jeito algo que não presta só pq tem o ouriço estampado no game.
      Tomara que a SEGA bote a mão na consciência (meio que já fez isso, vc viu as notícias também) e coloque de volta a franquia onde ela merece.
      Daí pro Dreamcast 2 é só mais um passo… kkkkk… ok, ok, tô exagerando.
      Não sei se quero que a Nintendo compre a SEGA, apesar de sempre brincar com isso… mas que um Sonic nas mãos da RetroStudios seria algo épico, ahhh se seria, hein? hehehe!
      Valeu Ivo!

  • Matheus Henrique Soares Lima

    Eu devo discordar de você em alguns pontos, as fases 3d ao estilo “corra como se não houvesse amanhã” se encontram entre os estilos de jogabilidade que mais curto no mundo dos games, e casam perfeitamente com o personagem, o mesmo pode ser dito em relação ao homing attack, que mesmo no mundo 2d possui o dom de deixar o jogo mais dinâmico e rápido, característica que sempre prezei nos jogos do ouriço.
    Digo que o enredo nos jogos do Sonic deve ser tratado de uma forma melhor do que você sugere, esse fator é um dos grandes responsáveis por criar uma identidade para o jogo, fazendo assim que não se torne uma piada, como em vários games de um certo encanador.
    Sou contra a presença de seres humanos em jogos do ouriço, penso que a personificação de seres que não sejam nem mesmo reais combina mais com o personagem, como era naquela série animada que tinha a Celi, o tio robô e a coelhinha cyborg.
    Mas devo dizer que já não ligo para os lançamentos dessa franquia, doi dizer isso mas é verdade.

    • Ivo

      “se torne uma piada, como em vários games de um certo encanador.”

      Desculpe, mas não irei ler o resto do seu comentário.

      Sem “nintendismo” em qualquer parte minha. Na verdade nem deveria nem comentar, mas é muito triste ler um comentário assim hoje em dia.

      • Matheus Henrique Soares Lima

        Olha ….. eu vejo os jogos do Mário atuais e do passado e realmente tenho a opinião que são de ótima qualidade e extremamente divertidos, o que critiquei foi apenas o enredo, que é um dos fatores que mais me atrai nos jogos, não consigo fechar os olhos para isso, tanto que comemorei o enredo de Super Mário world 3D, criou uma identidade como falei no comentário anterior. Devo admitir porem que realmente não acompanho a trajetória atual da Nintendo pelo simples fato de não ter um console dela, e quando animei a comprar, os boatos do NX apareceram.
        Obs: em relação a importância que dou para o enredo se deve que atualmente já comecei a me divertir menos com jogos eletrônicos, tanto que parei de jogar na última dificuldade para não passar muita raiva, procurando assim me divertir mais.

        • Rokuman Senpai

          Puxa… Eu sou o contrário…

          Lógico que adoro enredo de qualidade, porém sempre jogo um jogo na dificuldade máxima, principalmente os atuais, onde a maioria não é tão impossível assim… Foi o caso de Bayonetta 2, que já comecei no Hard, abriu o Extreme e eu terminei muito mais de boa no Extreme o Bayonetta 2 do que o 1 no Hard…

          • Senti a mesma coisa em Bayonetta 2, Senps!
            Mas ainda assim me diverti pra caramba com o jogo, achei ele muito mais balanceado do que o primeiro.
            (apesar de eu ter também aquela mania louca de gostar de jogos difíceis e irritantes… kkkkk)

    • Fala Matheus, beleza?
      Cara, curti seu comentário, sempre bom ter um ponto de vista diferente e eu publiquei o texto justamente buscando isso também.
      Até acabei de responder um comentário falando sobre a Cool Edge de Sonic Unleashed, uma das fases que mais curto em todos os jogos do Sonic. Não sei se chegou a jogar, mas é uma fase 3D que se vc parar vc morre afogado, pois vc corre de geleira em geleira por cima d’água. É uma adrenalina louca e me diverte um bocado.
      Agora, se eu comparar isso com fases dos primeiros jogos da franquia, em especial os dois primeiros do Mega, aí eu tenho que dizer que elas ficam a frente. Até mesmo as fases mais truncadas, como a Marble Zone, por exemplo. Pois acho que Sonic não é um jogo de velocidade apenas, mas um jogo que te dá liberdade pra jogar da forma como bem entender, inclusive correndo feito louco. Que é uma sensação ótima!
      O enredo eu entendo, juro, mas sinceramente? Precisa de enredo em jogo de plataforma 2D? Cara, não precisa. É só uma desculpa pra vc passar pelas fases e curtir cada detalhe. Se parar pra ter diálogo, como acontece em alguns jogos lançados pra portáteis, uma hora enche o saco. Que nem aconteceu com Ducktales Remastered, por exemplo. Eu adorei o jogo, mas é tanta parada pra diálogo que chega uma hora que vc bufa sem perceber.
      O que eu queria de “enredo” pra Sonic seria algo mais estilo do Sonic 3 e o & Knuckles, onde no fim da fase depois de contar pontos e o caramba, o jogo mostra alguma coisa sem diálogo nenhum, como por exemplo o Knuckles derrubando o Sonic (e/ou o Tails) ao pressionar um botão, coisas assim. Não precisa ser nenhum negócio complexo pra um jogo que deveria ter o foco em jogabilidade. Pra citar um exemplo mais ou menos recente: Rayman Origins (não joguei o Legends). Tem um enredo sem pé nem cabeça e o que importou no final foi ter passado todas as fases e encontrado todas as coisas que tinha pra encontrar. Claro que gosto de jogos com enredo forte, sou muito fã de RPGs (especialmente orientais), curti jogos como Heavy Rain (que em algum Retrocast eu disse que não ia curtir, mas queimei a língua) e até mesmo Journey, que de jogo mesmo acaba não tendo quase nada. Ou Persona 4 Arena, modo história, que vc fica 20 minutos lendo e encara uma batalha de no máximo 2 minutos. Xenosaga, putz, a lista de jogos com textos, diálogos e história/enredo marcante que gosto é enorme. Mas ainda acho que jogo 2D de plataforma não precisa se preocupar com isso. E, no caso de Sonic, vai ser mais desculpa pra empurrar mais personagens novos e até mesmo humanos.
      E juro que entendo já não ligar mais pra franquia e lançamentos, ela perdeu o prestígio faz tempo. Cagada da SEGA que prostituiu a série mais do que deveria.
      A esperança de que volte a ser relevante e que crie expectativa nos jogadores ainda existe em alguns fãs, eu incluso.
      Cara, desculpe pela Bíblia na resposta, me empolguei aqui, mas queria deixar claro alguns porquês! hehehe
      Valeu Matheus!

  • Rokuman Senpai

    Parabéns pelo artigo, Cadu!

    Mas você é tão suspeito pra falar de Sonic (gostar do Unleashed? O.o) quanto eu sou pra falar de Rockman (adoro Rockman’s Soccer).

    Abraço!

    • auhauhuahuahua
      Valeu pelo elogio e comentário, Senpai!
      Rockman Soccer é divertido, mas joguei tão pouco que esta é a única palavra que posso dizer do jogo.
      Mas Unleashed é um bom jogo nas fases do dia, possui a mesma engine de Colors e Generations, só que uma fase inicial dela. Tem fases muito bem construídas, em especial a Rooftop Run (pra mistura 2D/3D) e a Cool Edge (em Holoska, que é uma fase 3D bem bacana com uma música muito foda). O problema é que pra chegar nelas vc tem que passar por muita coisa lamentável, em especial as fases noturnas que são bem sem graças. Mas no fim as fases diurnas valem a pena. Não tô dizendo que o jogo é bom, ele é bem mediano, mas… enfim… eu gostei! Sou suspeito mesmo… mas precisava me justificar né mano? kkkkk
      Valeu!

  • ElfoGamer

    Muito bom o texto. Um novo jogo da forma que citou seria a forma perfeita de voltar às origens da era 16 bits.

    Acho que o maior problema foi que a Sega quis mudar muito o estilo e enredo dos jogos, se tivesse continuado com aquela idéia do Robotnik transformar os animais em robôs pra dominar o mundo, com poucas mas significativas mudanças de um jogo pro outro, poderia estar até hoje sendo um grande rival do encanador que não cansa de salvar a princesa.

    Na minha opinião, a melhor cutscene é aquela no início da fase Sandopolis (Sonic 3, se não me engano), na qual o Sonic desce a montanha de areia numa prancha e se enterra na areia depois de pular de uma rampa.

    • Fala ElfoGamer, beleza?

      Cara, eu acho exatamente isso, se tivesse continuado o lance de Sonic vs Robotnik sem frescuras adicionais, sem piadas ridículas e sem excesso de atitude e guitarra, muita coisa seria diferente.

      Lembro da cutscene, acho que é da Ice Cap Zone com gelo, não é?
      https://www.youtube.com/watch?v=EUbYI00F87Y
      Pq da Sandopolis não me lembro de prancha, mais dele caindo e se enterrando mesmo. Ou me enganei? kkk
      De qualquer forma, essas cutscenes eram mais que suficientes pra um bom jogo do ouriço, pena que agora tudo virou diálogos desnecessários.

      Valeu Elfo! Tomara que o texto chegue nos executivos da SEGA algum dia… rs

      • ElfoGamer

        É isso mesmo, cara. Essa fase mesmo que queria dizer, na Sandopolis ele também se enterra mas não tem prancha.

        Sim, tomara que a SEGA vejo mesmo esta postagem e comentários. rs

        • Pois é, essas cutscenes fariam uma diferença e tanto.
          Se a SEGA ler tudo isso, Sonic voltará a seus dias de glória… talvez… quem sabe? Pelo menos um jogo bacana sairia!

  • Cara muito bom o texto, concordo um pouco com um dos leitores aqui que disse que Sonic é um produto de época. Não sei, posso estar falando besteira, mas acho que os gamers de hoje não estão mais interessados em jogos de mascote e aí que surge a tentativa que fazem de transformar o personagem para tentar se adequar à uma época a qual ele não pertence, acabam então saindo esses games podres aí que todo fã do porco espinho reclama.

    E se lançar o game da forma como era antigamente, com pouca história, física clássica, mecânica 2d, sprites, Sonic barrigudinho, será mesmo que vai ter público pra isso além dos saudosistas e fãs dos jogos originais? Eu jogaria, mas e a grande maioria dos gamers será que compra essa ideia?

    • Opa João, blz?
      Cara, eu não sei se é produto de época, Mario sobrevive até hj com a mesma fórmula de sempre. Quanta gente não continua salvando a princesa nos jogos do encanador? Além disso, cito novamente o Rayman Origins que fez um baita sucesso e é um jogo de plataforma de mascote. Penso que, mesmo que a época dos mascotes se encerrou há um bom tempo, se o jogo for bom não tem pq ele não ter um certo sucesso.
      Se a empresa fizesse um baita jogo que fosse sucesso de crítica de jogadores e mídia, provavelmente muita gente ia acabar comprando pra ver qual que é a do jogo. Problema que qualquer coisa lançada do ouriço gera desconfiança de todos (os que se importam de alguma forma), então toda notícia sempre começa com um “buzz” negativo e isso pode afastar o público.
      Uma coisa que não pensei ao fazer o texto mas se passou pela minha cabeça agora, o Rayman Origins foi lançado com custo abaixo do padrão de lançamentos, isso até mesmo aqui no Brasil. Talvez uma estratégia dessas e uma demo bacana ajudasse bastante a conquistar um bom público.
      Eu não sei ao certo, mas de toda forma se eu estivesse na empresa, arriscaria. Pelo menos pra tentar recuperar a confiança. Tem que recomeçar com passos curtos.
      Valeu João!

  • Tony

    O fato das cutscenes eu discordo um pouquinho, poderia ter aqueles rápidos eventos quando acaba a zone, tipo no Sonic 3 e Sonic e Knuckles. Fora isso concordo em tudo.

    • Fala Tony! Tudo beleza?
      Então, eu gosto dos eventos rápidos e até respondi isso em alguns comentários, o que me incomoda é um monte de texto ou vídeos que aparecem nos jogos mais recentes, de parar o jogo por muito tempo pra vc ficar lendo coisas.
      Agora as que apareciam em Sonic 3 e no & Knuckles são bem bacanas, dão um sentido da passagem de uma fase pra outra. Não tiro sua razão! 😀
      Valeu Tony!

  • Rogerio Ap Silva de Andrade

    Puxa… dói na alma ver a situação do personagem em jogos mais recentes, mas não vamos perder as esperanças…. Sonic Colors no Wii é excelente e Sonic Generations do 3ds é um jogo muito bacana. Não achei Lost World tão ruim quanto dizem, é um game divertido e com um visual bem bacana, só faltou um pouco mais de criatividade nas lutas contra os chefões de fase e em alguns detalhes da jogabilidade. Sonic Boom realmente foi uma decepção, mas se a Sega olhar com carinho para o trabalho que foi feito com Sonic Colors e Generations poderemos ver novos e bons jogos de Sonic no futuro.

    • Pois é, Rogério, os dois jogos que vc citou são bem divertidos mesmo, mas são bem diferentes do que vimos nas gerações de 8 e 16 bits, mais os jogos lançados para portáteis.
      Eu peguei bronca de Lost World pela tentativa de fazerem um Mario genérico usando Sonic. Joguei a versão de 3DS, não sei se a de Wii U consegue ser mais criativa. Por exemplo, puzzles nas fases quebram muito o ritmo do jogo. Só gostei do modo hard que libera ao terminar, aquilo sim é divertido! E de fato os chefes são bem sem graça.
      Vamos ver se a SEGA larga o mobile e acerta a mão de jeito em um título para consoles de mesa no futuro, é benéfico pra todo mundo que ela consiga isso! 🙂
      Valeu!

  • Matheus Dias

    Me desculpe por dar spam em seu blog…Sei que, assim como eu busco crescer com meu canal, voce deve buscar fazer esse site maior (e esta conseguindo, porque o site é MUUUITO foda)
    Eu tenho que divulgar meu trabalho em algum lugar, achei que seu blog seria o melhor lugar para isso!!
    Agradeço a atenção:
    (Se não gostarem disso, eu retiro o comentario imediatamente)

    https://www.youtube.com/watch?v=4lbeANaZAv4

  • Concordo com tudo, em gênero, número e grau. Mas também foi mancada a Sega me deixar de lado por causa do azulado.

    • Poxa Alex Kidd, que honra tê-lo aqui nos comentários! Saiba que aqui nunca te esquecemos, diferentemente do que fez a SEGA!
      Por isso começo aqui o movimento: VOLTA ALEX KIDD!
      Valeu! 😀

      • Também sou a favor. Aliás, não entendo porque a Sega simplesmente esqueceu me esqueceu. Que tal um remaster, do tipo duck tales e castle of illusion.

        • Jogaria fácil! o/