O Post do Padrim: precisamos da sua ajuda!

banner-padrim-retroplayers-site

Sexta-feira é dia de quê?

Meu maior desejo é poder dizer que sempre será dia de Retrocast, mas ainda não é bem assim, né?

Caros amigos retroaventureiros, estamos aqui vivendo e sobrevivendo nesse ambiente pós-apocalíptico que é a Internet brasileira, onde os poucos sobreviventes fora daquela fortaleza segura e aconchegante conhecida como Facebook, respondem pelo nome de YouTubers. Eu? Eu fazia parte de uma outra comunidade já extinta, que costumava ser muito unida e sempre trabalhava em conjunto para crescer como um organismo autossuficiente. Essa comunidade se chamava “A Blogosfera Retrô”. Saudades… Bem, o seu fim foi trágico: ela foi engolida pela tal fortaleza aconchegante, e acabou, virou cinzas. Lá dentro, é cada um por si.

padrim-retroplayersSim, o RetroPlayers está sozinho na Internet brasileira, sobrevivendo às custas de armas e munição que recolhemos durante o dia para nos defendermos à noite… E foi neste ambiente que meu filho nasceu, uma alminha abençoada e que me enche de alegria, mas que não me deixa mais tempo para poder defender o meu forte, nem procurar munição.

Agora, deixando as analogias de lado, caro amigo retroaventureiro, é verdade, está difícil manter o RetroPlayers. Difícil porque somos antiquados, não nos rendemos às porcarias atuais cheias de polêmica e lixo, nem a textos curtos e sem alma. Tudo que fazemos é com o coração, com vontade de fazer o melhor possível, mas infelizmente, isso não é o que o mainstream quer. Por isso, nosso público não cresce o suficiente para tornar o seu site predileto de velharias gamers algo que compense o investimento.

Preciso, de alguma forma, conseguir patrocínio, achar alguma maneira de monetizar o site, de ganhar com ele o suficiente para que seja possível para mim, reconhecê-lo como uma ferramenta de trabalho que me ajude a manter minha família, e assim, eu poderei trabalhar menos em outras coisas para trabalhar mais no RetroPlayers. Essa é a ideia, é o meu plano de sobrevivência, e ele, se Deus quiser, vai dar certo com o Padrim.

Hoje deveria ter Retrocast, mas não tem porque tive que trabalhar, e muito. Esta semana não tive como terminar a edição do programa que já está gravado, e que, adiantando o assunto pra te deixar com água na boca, fala sobre os 30 anos da Franquia Metroid.

Quero sim — demais — poder editar sempre o Retrocast, de modo a lançar um episódio a cada Sexta-feira, e continuar exercitando minha maior paixão que é escrever sobre games, onde conto minhas histórias de vida, exponho meus pontos de vista e tantas coisas mais que esse site me proporciona. E é por isso que decidi pedir ajuda para os leitores do site na forma do APADRINHAMENTO pelo Padrim.

facebook-is-getting-a-dislike-buttonEu nunca recorreria a isso, se não fosse realmente a única maneira possível de se conseguir sobreviver atualmente. Hoje, não se vive mais com cliques em propagandas, milhares de grandes portais estão passando por dificuldades, devido à falta do público que teima em não sair do Facebook por nada, e que quando sai, é para dar uma passada rápida no Youtube — imaginem então as chances que têm os pequenos. Estou há 7 anos tentando, e realmente, não dá… Não sem se render à marmelada e ao lixo digital. Se for para fazer isso, prefiro encerrar as atividades do site.

Então pergunto: você, caro amigo retroaventureiro, nos ajudaria a sobreviver?

Se felizmente a sua resposta for um entusiasmado SIM, eu lhe explico então o que é o PADRIM.

“O Padrim é uma plataforma de crowdfunding voltada para conectar artistas e produtores de conteúdo com seus fãs. Para os artistas, é a forma de manter sua produção de forma sustentável, oferecer conteúdo exclusivo para os fãs mais fiéis e poder profissionalizar o que antes era apenas um hobby. Para os fãs é a forma de garantir que os seus artistas e produtores favoritos continuem fazendo o que sabem fazer de melhor, de estar ainda mais próximos deles e obter conteúdo exclusivo.”

Essa é a definição que existe na página do projeto, mas explicando melhor: é um local onde você pode nos ajudar financeiramente com valores pré-estabelecidos por mim (que vão de um doce de bar a um combo no McDonald’s), são debitados diretamente do seu cartão de crédito ou pagos via boleto bancário, de forma mensal e passível de ser cancelado a qualquer momento. Os valores estão todos na nossa página do projeto no Padrim, e a nossa grande vitrine é, sem dúvida, o RETROCAST, o principal produto do site a partir de agora.

retrocast-banner-padrimNos ajudando, você vai contribuir para que o RetroCast saia com cada vez mais periodicidade, sem faltas como a de hoje, e estará tornando possível que nossas notícias, textos e afins nunca parem de surgir em nossas páginas. Pois queremos ainda, acima de muitas outras coisas, contribuir para que o público mantenha um bom hábito que está sendo deixado cada vez mais de lado: o hábito de ler.

Caro amigo Retroaventureiro, pedimos encarecidamente a sua ajuda! Quem sabe logo a gente não consiga dar brindes para nossos padrinhos, e recompensas melhores do que as que listamos na página do projeto… Mas por enquanto, nosso objetivo é ficarmos vivos em nosso forte, fazê-lo crescer, e transformá-lo em um lugar seguro para o meu garoto crescer.

Acesse a nossa página no Padrim!! Conto muito com a ajuda de vocês!!

Só clicar: Padrim Retrocast RetroPlayers

Obrigado! ^^

Sobre Sabat

Editor Chefe do RetroPlayers, Redator e Editor nos Livros e Revistas WarpZone, Podcaster e editor de áudio, Saudosista, e Analista de Informática porque algo tem que dar dinheiro né!
Adicionar a favoritos link permanente.
  • Ricardo Montoni

    Eu compreendo perfeitamente! Infelizmente a internet brasileira é assim hoje em dia! Eu mesmo mantenho um blog também, o poligonovivo.com.br, fruto de um trabalho q nasceu em 2001/2 com a RPGLair/RPG-A dentre vários outros sites que caíram no esquecimento. É realmente muito triste o cenário atual, pois parece q se você não for jogador de Minecreft e CoD (nada contra quem curte) e tiver um canal no youtube, cujo se o vizinho da um espirro vc bate na mesa e xinga o cara no vídeo, não tem destaque, não tem lugar! Clássico exemplo é o canal Cosmic Effect, um dos, senão os melhor canal brasileiro do gênero, com um numero irrisório de inscritos em comparação aos “grandes” canais, grande no sentido figurado, pois em conteúdo, pfff… As vezes é melhor focar o trabalho em um nicho, mesmo que pequeno, mas contar com a ajuda dos desse publico do que tentar direcionar o conteúdo à massa…

    • Tudo jóia Ricardo? ^^
      Vc citou o exemplo perfeito: o Cosmic Effect é animal, é arte, é algo que transcende o que o youtuber convencional faz, mas tem um numero pífio de seguidores pq o Eric não fala palavrão, não coloca efeitinhos e perfumarias engraçadas, memes, e nem joga minecraft. Tentando se livrar da dependência do público que prefere isso (e que infelizmente é a maior parcela), ele resolveu focar no Patreon, e assim, os reais fãs puderam ajudar o trabalho do cara. Eu estou tentando a mesma coisa, torço e peço a Deus que dê certo ^^

      • Ricardo Montoni

        Tomara, caro Sabat, pois seria triste ver uma comunidade de tantos anos encerrando as atividades. Mas tenho certeza que quem é fã mesmo e obviamente puder contribuir, não irá te deixar na mão, eu mesmo se estivesse em condições financeiras pra isso, ajudaria com prazer, mas infelizmente não tá fácil pra ninguém. Mas quem sabe daqui uns meses as coisas mudem, né? Quanto ao CFX, cara eu realmente não consigo descrever em palavras a maravilha que é aquele canal! Quantas vezes já não deixei rolar a playlist e assisti como se estivesse vendo um documentário mesmo no Discovery Channel! Sem falar que o Eric Fraga é um artista nato! O cara também é musico, olhem só. Quando eu conheci o Cosmic Effect há uns bons 3/4 anos eu não entendia o motivo do canal ter tão poucos inscritos, aliás, quando eu conheci o canal a primeira coisa que eu pensei foi que o mesmo tivesse milhares de seguidores e para a minha surpresa… mas hoje eu entendo e até acho que é muito melhor assim, vide os comentários dos videos dele, sem haters, sem ísmos, sem palahçadas… é uma verdadeira comunidade!

        Grande abraço Sabat e sucessço cara!

        • Encerrar as atividades eu não vou de jeito algum kkk, mas eu teria que desistir de tratar o site com a seriedade que eu trato hoje XD

          Mas vamo que vamo maninho ^^ Abraço ^^

  • Thiago Diaz

    É complicado cara. Eu mesmo tenho dois projetos: Um é sólido e grande já, e o outro, sobre games, to na luta pra tentar emplacá-lo fazem quase 6 anos. Vocês podem conferi-lo no datagamers.blogspot.com ou no nosso canal do youtube, o Data Gamers TV.

    Eu acho engraçado o rumo que as coisas tomaram. Como o Sabat disse, é MUITO DIFÍCIL você manter um projeto seriamente. É como se no cenário atual, a cada passo pra frente, você dá dois pra trás. Facebook hoje, é um campo superficial e que quer sozinho, fazer o papel da internet toda. E o pior é que tem conseguido.

    O Youtube nem e se fala. Vemos um monte de pessoas vazias e idiotas (como aquela Kéfera) fazendo um sucesso absurdo, YouTubers mediocres lançando livros e etc… e enquanto isso, uma PORRADA de canais bem trabalhados, com conteúdo culto e bem desenvolvido, lá… largados as traças tendo que se matar pra viver.

    Isso quando alguma produtora (como a Nintendo ama fazer), não resolvem bloquear ou prejudicar seu video só porque vocÊ colocou 5 segundos de um audio de terceiros.

    É complicado. A cada dia desanimo mais com o Brasil.

    • Beleza Thiago? ^^

      Cara, eu me sinto assim mesmo às vezes: tentando dar um passo à frente que parece que foi 2 pra trás, é um pé isso! O grande problema do Youtube é o GRANDE PROBLEMA do brasileiro: a mania de inverter os valores. Brasileiro venera muita merda, muita gente superficial, sem talento, sem nada construtivo, criativo ou inteligente pra passar, e nunca dão o devido valor para quem realmente merece. Na internet, gostam dos que fazem baixaria, piadinhas, gritam palavrões, e fingem tomar sustos na internet, por isso é MUITO DIFÍCIL conseguir se manter com trabalho sério no Brasil, tanto que eu estava até pensando em arrumar uma parceria estrangeira pra tentar popularizar o site em alguma língua latina fora do Brasil.
      É desanimador mesmo.
      Mas estou torcendo para o Padrim dar certo ^^
      Vamos ver XD

  • Adriel Muniz

    Já vi muitos blogs excelentes sobre games, retrô ou não, morrerem de forma abrupta e impiedosa pela falta de incentivo. Eu não gostaria de fazer elitismo cultural dizendo que nós somos um público diferenciado, especial e melhor do que os outros, mas certos rumos parecem muito controversos.

    Como citaram, o exemplo do Cosmic Effect, que é um canal que deveria ter uma maior notabilidade de acordo com o profissionalismo da produção e da qualidade com qual cada assunto é abordado.Eu não acompanho o trabalho dos youtubers mais novos então não vou criticar o conteúdo, mas soube que o número de inscritos passa fácil de 1 milhão em alguns casos, e com assuntos totalmente rasos e que o clímax dos vídeos são os excessos de palavrão.

    Em outras palavras, o Cosmic Effect tem uma produção digna de grandes canais de televisão e consigo enxergar muito bem o programa sendo exibido numa grande emissora de tv, enquanto o conteúdo dos youtubers mais jovens me parecem ser programas mais típicos de internet mesmo.

    Jovens de hoje não tem muito costume de assistir Tv, ao contrário de nós, será por isso que o Cosmic Effect ainda não alcançou notoriedade? É só um pensamento que teci nesse momento mas que poderia ser um ponto de partida para pesquisas no futuro.

    Bom pessoal, desculpem se não me fiz claro.

    Um abraço a todos e longa vida ao Retroplayers!

    • Rapaz, eu vivo dizendo isso pro pessoal: o Cosmic Effect parece um programa de TV. Quando eu vou assistir eu encho o copo de 700ml de coca cola com 2 pedras de gelo, estouro uma pipoca no micro-ondas, e me acomodo bem de boa na cadeira semi-reclinada e com os pés em cima de um banquinho com uma almofada, obviamente, com o programa passando a 1080p 60fps na minha TV 42″.
      Não é algo pra sentar no PC e ficar adiantando com o mouse “até a hora que interessa” como acontece com a grande maioria dos gameplays genéricos que povoam o youtube, o CFX é um programa feito pra ser interessante do início ao fim. Tenho certeza que essa proximidade com um programa de TV é o que afasta o assinante, pois o formato do programa se torna extenso e isso é um grande problema quando o objetivo é angariar seguidores no canal: o povo gosta de vídeos de 5 min, não importa o quão arcaicos sejam. Mas isso em contrapartida, também ajuda a deixar o público mais seleto, só quem realmente gosta segue, e quem gosta, vai ajudar. Assim, graças a Deus e aos esforços do Erick, ele consegue viver do CFX. É exatamente a mesma coisa que eu quero do RP ^^ com textos e casts.

  • Colonel

    Poxa Sabat, legal você ter colocado “as cartas na mesa”.

    Por curiosidade, em algum momento na história do Retroplayers você conseguiu monetizar o site? Me refiro à época em que a galera não ficava grudada no Facebook e se dispunha e ler um pouco, não só clicar em “curtir” ou “compartilhar” coisas bestas tipo memes e montagens.

    Pessoalmente, gosto muito do Retrocast e sempre escuto quando uma nova edição é lançada. Porém, ao meu ver, o grande “patrimônio” do site é a gama imensa de resenhas, crônicas e tudo o mais. Em suma, são os textos escritos com visível paixão. Infelizmente parece que cada vez menos as pessoas dão valor pra isso, o que justifica o foco no cast.

    Nessa semana aderi ao Padrim com 10 Temers. Sei que é pouco pelo que o Retroplayers já me proporcionou em momentos de diversão e nostalgia. Mas é um valor que realmente posso contribuir todo mês sem risco de interromper a contribuição com futuros imprevistos.

    Forte abraço!

    • COLONEL!! Tu é Filipe? XD Rapaz, não me toquei kk muito obrigado pela ajuda ^^
      Respondendo à sua pergunta, eu passei muito perto. Não chegou a ser realmente uma monetizada, mas em épocas anteriores ao boom do Face, era fácil conseguir anunciantes. Anunciavam no RP empresas como o Megamamute, Kabum, e isso sem contar agencias internacionais que compravam posts patrocinados. Dava pra tirar de 300 a 400 reais por mês sem muito esforço, era só manter o site movimentado, e o movimento era exatamente o que vc citou como sendo o nosso “grande patrimônio”, os textos. A gente decidiu que vai continuar escrevendo, não podemos parar isso de jeito nenhum, mas não tem como não focar no áudio e no visual a partir de agora (por enquanto, só no áudio kkk).
      Qualquer dúvida que vc tiver, só perguntar!! E mais uma vez, obrigado ^^

      • Colonel

        Huehuehue isso, ele sou eu. Acredito que lá no Padrin por precisar colocar o CPF, se deve colocar nome certinho mesmo.

        Agradeço o esclarecimento e conte sempre com o meu apoio.

  • Bite

    Descobri seu conteúdo hoje, por essa postagem, e quero dizer que compreendo, que sinto muito por isso, que eu ajudaria monetariamente se não fosse uma ~vestibulanda~. Quero dizer que acompanhei os jogos antigos desde que nasci, e que acompanhei também os primeiros vídeos do YouTube, e como todo esse viral massivo começou. Sei que é vergonhoso fazer vídeos de Minecraft (ou não importa o jogo) sem conteúdo algum e principalmente, ganhando dinheiro por falar merda e ser um idiota. rs Mas eu conheci algumas pessoas que fazem vídeos falando sobre jogos, curiosidades e tal, e elas dizem que ganham uma grana com isso, mesmo com não tantas visualizações e as demais coisas. Dá pra gravar gameplay sendo sério. Ou detonado. Eu acho uma boa você tentar usar o YouTube, não da maneira dos famosos, talvez dê pra conseguir fazer algo que você goste e ganhar um dinheiro com isso, não custa tentar. (: Eu espero que tudo dê certo pra você. Eu gostaria de ajudar de alguma forma. Qualquer coisa, é só me chamar. Um abração

    • Jóia Bite? Desculpe pela demora na resposta, é por causa da BGS que estamos cobrindo!
      Nós vamos MESMO tentar algo o youtube, mas confesso: é um terreno totalmente inexplorado pra mim, completamente desconhecido!! E essa própria BGS 2016 é o que tentarei usar para criar esse primeiro trabalho, só espero conseguir fazer tudo direito!
      Muito obrigado pela atenção Bite!! XD

      • entelexia

        Sabat, eu vi alguns canais que, justamente enfrentando os contratempos com a edição complexa de podcasts, adotaram o sistema de fazer gravações com imagens (youtubecast). O resultado é até bacana, um podcast com imagens, que pode agradar tanto aos fãs de vídeos, quanto aos fãs de podcasts (eu mesmo baixo alguns, e converto para audio, para ouvir enquanto estudo, ou antes de dormir!). Acompanhei alguns canais fazendo isso (Diolinux, Rola Dados), e não são videozinhos genéricos, são de fato muito proximos de podcasts clássicos, mas (segundo alguns dos idealizadores) são mais faceis de editar e gravar do que os podcasts “somente audio”.
        Sinceramente, acredito que o Facebook vai ter seu declinio, assim como bbs, irc, orkut, blogs, e (infelizmente) sites pessoais. Mesmo seus usuarios mais radicais percebem o quanto a superficialidade daquilo é maléfico!

        • Opa velho!!!
          Cara, eu torço DEMAIS para que esse declínio venha logo, tipo HOJE kkkkkkkk
          Mas não tenho planos de por o podcast no youtube não, pqp mano, 1:40 de áudio em média pra por imagens? vixe kkkk complicado. Só se eu postasse lá sem imagem nenhuma, só o logo do site, aí pode ser!

          • entelexia

            Justamente, sem edição, sem trilha (direitos autorais), só o bate papo mesmo. A vantagem é justamente evitar o trabalho de edição e hospedagem.