RetroFast: Qual o game mais difícil que você já terminou? Hum?


Chega de falar de controles por enquanto, não é pessoal? Vamos então tratar agora daquilo para o qual estes essenciais acessórios vem sendo utilizados desde tempos imemoriáveis, desde épocas onde matar aula para jogar mais uma partidinha era uma lei cósmica: vamos falar de jogos, pois é para isso que eles foram criados, correto? Então, caros amigos retroaventureiros, vamos partir para a primeira pergunta do RetroFast diretamente relativa à nossa jogatina sagrada! 

E esta pergunta é simples: você já jogou o controle no chão de raiva? Já deu soco na parede? Já deu tapa na própria perna? Esperneou todo chiliquento  por não conseguir avançar naquele jogo desgraçado, mas por fim, em um belo dia de inspiração, de força de vontade e de, por que não, muita sorte, você em fim conseguiu terminar este jogo? Sim? então nos diga qual é este título! Qual o game mais difícil que você já terminou? Hum?

.

Eu costumava fazer uns milagres quando era garoto. Realizei façanhas como espancar o chefe “unha encravada do dedão do pé do monstro gigante” de Shadow of the Beast, matei o cérebro revoltado de Contra III no hard, alcancei a maledita sala 99 de Gauntlet jogando em um Phantom System, mesmo palco onde terminei Yo!Noid na frente do dono da fita, que por sinal, nunca havia conseguido tal façanha… Eu realmente fazia coisas que hoje em dia eu não conseguiria repetir de jeito nenhum… os reflexos atuais não deixariam! E antigamente eu achava que o game mais difícil que eu havia conseguido terminar era o próprio Yo!Noid, só que essa mística desapareceu no momento em que eu passei a terminar este game hoje em dia sem qualquer dificuldade. Saem os reflexos, entra a experiência.
Percebi então que a tarefa mais árdua que eu tive na vida para terminar um game se deu recentemente, um game que certamente eu nunca conseguiria terminar na minha infância/pré-adolescência, que quase me fez desistir em vários momentos de desespero, e que só foi possível vencer depois de muitas semanas de dedicação, repetição, intuição, anotações, consultas ao manual do game (nada de sites ou mapas extras), e centenas de mortes miseráveis: The Legend of Zelda.

.

Tão difícil quanto os games que já terminei é escolher qual deles foi o mais difícil. Por isso, vou citar mais de um.
Nem todos os jogos trazem dificuldade do início ao fim. Pode acontecer de só um chefe ou fase específica ser mais difícil que todo o restante, como por exemplo o game Batman do NES. O Curinga pode estragar toda a sua jogatina, mas eu consegui acabar com ele. Outro dos mais difíceis de forma geral, já finalizado por mim, foi sem dúvida o Ninja Gaiden 1 também do NES. A primeira fase engana, mas as seguintes podem te levar a destruir o gamepad. A forma como os inimigos reaparecem é uma coisa de maluco, e vencer Ashtar no final é um glória.
Terminei também o Battletoads in Battlemaníacs do Super Nintendo, e este por várias vezes, pois sou amarradão no game.
E pra finalizar, Ghosts’n Goblins Arcade. Nem preciso dizer muito deste último não é? Confesso que utilizei alguns save states, mas bem pouco mesmo.

.

Pergunta difícil. Nessa minha pequena grande vida de gamer já foram tantos jogos, tantos desafios, tantas vontades de jogar o controle na parede que decidir por um único jogo é sacrilégio. Mas se tem que ser feito, vamos fazer.
Como todos bem sabem, eu sempre fui o cara do Master System, então basicamente os jogos difíceis pra mim são do SMS. Imaginem uma pequena criança, que estava acostumada com Sonic, Chuck Rock, jogos da Disney (O ReiLeão, Aladdin e por aí vai…) e diversos jogos de aventura, quando ganhei o cartucho do Phantasy Star achei que seria mais um adventure, mas quando vi aquela interface de RPG, não sabia o que fazer. A primeira vista, achei o jogo chato e larguei ele, mas tempos depois resolvi dar uma chance e quando me vi estava perdido em algum labirinto com o enredo cravado na minha cabeça e eu querendo acabar com o diacho daquela Medusa. Foi difícil, foi meu primeiro RPG, mas eu terminei, depois de estragar 2 controles, eu terminei.
Então o game que eu posso dizer que foi o mais difícil foi Phantasy Star. Não só porque o jogo era difícil, mas pelas condições que eu tinha para terminá-lo, era apenas uma criança jogando seu primeiro RPG e com aqueles três vastos mundos para explorar e sem saber aonde ir primeiro pra mim foi um grande desafio chegar no final.

.

Eu tenho vários jogos difíceis em mente que terminei, mas tenho 1 em especial justamente por uma historinha que vou contar para vocês. Talvez para muitos esse jogo nem seja difícil, mas na época quando tinha Master System, foi uma das tarefas mais árduas. Alex Kidd in Miracle World é o nome – eu passei 1 ano inteiro tentando fechar esse jogo e não conseguia, me lembro que sempre morria na fase do helicóptero com aquelas bolinhas vermelhas. Até que desisti, mas infelizmente recebi a notícia que minha mãe iria vender meu Master System (épocas difíceis em casa – e até concordei para ajudar) e então resolvi tentar terminar ele. Passei a última semana inteira focado no jogo e finalmente consegui passar a fase do helicóptero e chegar no castelo do “Janken o Grande” e no último dia antes de vender o Master eu fechei Alex Kidd in Miracle World! Me senti como tive-se completado realmente uma missão. Então esse é um dos jogos que mais lembro sobre ser “difícil“. Tenho vários outros, mas isso é para outras histórias.

.

Como a pergunta é “O jogo mais difícil que você já terminou” (e não completou “no vídeo game”, sem save states, etc), eu digo que foi Battletoads!
Sim amigos, depois de ver o TH jogando no NES eu fiquei com vontade de terminar ele (que estava na penúltima fase!). Lógico que foi com Save State, rodando no PSP e diminuindo a velocidade… mas mesmo assim o jogo é difícil, e sou um daqueles que pode dizer: EU TERMINEI BATTLETOADS (com save state, mas terminei!)

.

Phantasy Star II foi infernal nas primeiras partidas. Eu andava um pouco, encontrava um inimigo e morria. Quando eu finalmente consegui comprar os equipamentos necessários para encarar o primeiro labirinto, morri vergonhosamente na entrada. Esse é o terror de Phantasy Star II: O mundo é cruel e feroz, e só os mais fortes sobrevivem, mesmo que seja por meio da “apelação máxima”. Todavia, o pior desafio estava contido em seus labirintos, onde era muito fácil se perder. Por isso, fui obrigado a desenhar cada labirinto em um caderno, e mesmo assim eu ainda me perdi inúmeras vezes.
Dezóris também foi outro problemão: Nesse planeta a dificuldade aumenta absurdamente, e a morte se torna um fator constante demais. Fui obrigado várias vezes a recomeçar um labirinto por ter esquecido de reabastecer o grupo.
Mortes rápidas, a sensação de insegurança… Phantasy Star II é um jogo TERRÍVEL!”

.

Vice: Project Doom. Não é a toa que o nome do jogo é Projeto da Perdição, ou do Capeta mesmo. Meu videogame ficou ligado alguns dias, por várias vezes. Nunca senti tanta falta de um save. O pior é que este é um daqueles jogos viciantes. E o que tem de difícil tem de cativante, com uma trilha sonora envolvente. Este merece um Detonado.
E eu (Ingênuo) acreditei que nunca mais fosse vê-lo, que imaginei que estava livre deste demônio, acabei prometendo um detonado pro Sabat. “Gautama estúpido!”  <- Mas nem pagando que eu vou deixar de usar um save state, viu! Vou cometer essa heresia sim, depois eu pago penitência pixelada. Droga! -_-“

Maldito Jogo Bom e difícil que vicia a gente! xD

.

Apesar de ter sido muito prazeroso e de hoje não o achar mais um jogo tão difícil, preciso dizer Battletoads, senão eu iria manchar sua reputação ou talvez até não ser justo com o game, e até mesmo insultar algumas pessoas que tentaram realmente terminar esse game e não conseguiram (Sabat, hahaha). Mas sempre que lembro de dificuldade em se terminar um game me vem na mente o Dr. Wily final do Mega Man 7.  Meu primo é testemunha de como foi difícil derrotar esse grande inimigo ainda naquela época. Chorei de raiva, literalmente, e se o controle não fosse dele com certeza eu o teria jogado na parede. O game não é muito difícil, apenas o Dr. Wily em sua cápsula que é exageradamente apelão e desbalanceado com o resto do game. Como se não bastasse isso, a cada derrota é necessário enfrentar a Wily’s Machine novamente antes da cápsula, e a cada continue é necessário enfrentar todos os inimigos do jogo novamente na revanche, ou seja, não é fácil!  Mas como sempre valeu a pena!

.

Agora queremos saber quais foram os jogos que mais lhes deram dores cabeça na hora de enfrentar aquele chefão final, e mais sensação de conquista ao ver aquele trabalhoso árduo final. Obrigado a todos vocês caros amigos retroaventureiros, e aguardamos as suas revelações!!

Continua


Sobre Sabat

Dono, Chefe, Gerente, Cara da Xérox e Tia do Café do RetroPlayers! Meu negócio? Falar sobre games. Como? Escrevendo meus trabalhos, gravando minha voz horrível, ou filmando minhas humildes proezas! Onde? Aqui, ali, ou onde quer que me chamem!
Adicionar a favoritos link permanente.