RetroEspecial Rise from your Grave: Franquias que devem sair da tumba – Parte 3 de 4


Até que não demorou muito, né pessoal? Mais cinco joguetes merecedores de continuações super estilizadas acabam de aterrissar aqui no seu site predileto de velharias gamers nesta que é a terceira parte do special mais nostálgico da blogesfera retrô, ou melhor, do que restou dela!

Pois é, caro amigo retroaventureiro. Os tempos mudam… Até bem pouco tempo atrás, os blogs que falavam sobre jogos antigos poderiam mudar o mundo, mas alguém roubou a coragem deles e puff, poucos remanescentes sobraram para contar a história. Claro que o Retroplayers é um destes fortes sobreviventes, e como não tem nem como fazer um meme decente mais, a gente vai lascando especiais em cima de especiais aqui em nossas páginas. Este já passou da metade, mas ainda vai render muito assunto heim! Quer saber por que? É só conferir mais estes 5 merecedores de continuações que separamos para vocês. Boa leitura!!

.

Do que se trata? Policial machão intergaláctico começa a participar de corridas espaciais para pegar bandidão enrustido em pele de piloto.

Morreu quando? Foi enterrado vivo, portanto, deve estar se debatendo na tumba, lutando para sair!

Por que deve sair da tumba? Porque a fórmula para um novo game de sucesso da franquia já está pronta: F-Zero GX + Gráficos + velocidade + fãs loucos por uma continuação!

Rise from your Grave: Um dia, Metroid ficou de fora de uma geração de consoles da Nintendo, e o resultado disso foi o retorno da franquia em um jogo tão espetacular quanto inesquecível. Por que não pode ser a mesma coisa com F-Zero?

A franquia é querida demais pelos jogadores fãs da alta velocidade futurista, mas apesar do último capítulo ter sido um grande jogo, e desenvolvido pela SEGA por sinal, uma possível e aguardada continuação nunca apareceu, e a franquia passou batido da geração passada. Então por que não aproveitar o potencial gráfico do WiiU para reparar o erro? Soltem a franquia na mão da SEGA novamente que ela já mostrou que sabe trabalhar com essa franquia e vamos ver o que sai! Eu aposto que viria coisa boa, MUITO boa!

.

.

Do que se trata? Demônio coadjuvante ex-inimigo irritante quer mostrar que é o maior capeta da quebrada infernal.

Morreu quando? Quando a Capcom decidiu que seus personagens antigos só servem para aparecer em seus jogos de luta multi-mundos.

Por que deve sair da tumba? Porque é legal pra caramba controlar um ser demoníaco que espanca outros seres demoníacos episódio 1.

Rise from your Grave: Firebrand nasceu inimigo de todos, por sinal, inimigo chato e irritante pra caramba! Depois se tornou protagonista de seus próprios jogos, chegou ao ápice da fama quando Demon’s Crest surgiu como um dos melhores games que o Super Nintendo viu, e depois, foi reduzido a coadjuvante nos games de luta da fabricante, que mais parecem com uma versão gamística do Retiro dos Artistas.

Tá, eu sei, é legal ver que a Capcom coloca seus personagens ali para que a gente possa escolhê-los na hora de descer a porrada em alguém, mas pra quem não liga para jogos de luta, tanto faz tanto fez: o que faz falta mesmo é um novo game macabro, cheio de exploração, finais alternativos, poderes a dar com pau, e um monte de demônios vingativos mau humorados querendo fazer purê com o Firebrand. Mas não, pensar em fórmulas para que isso dê certo dá muito trabalho né Capcom… Melhor continuar usando todo mundo nos jogos de luta tanto por que a gente só sabe fazer isso mesmo agora né… Maldita.

.

.

Do que se trata? Cartunista bombado é sugado para dentro de sua própria criação, e tem que descer a porrada em todo mundo para conseguir sair de lá… de preferência acompanhado por uma bela fêmea!

Morreu quando?  SEEEEEEGAAAAAAA!

Por que deve sair da tumba? Porque um dos games mais originais de todos os tempos simplesmente não pode ficar sem uma continuação!

Rise from your Grave: Comix Zone chegou às prateleiras muito tarde, em uma época em que a próxima geração de consoles já começava a se firmar e a ganhar espaço, porém, era uma época em que tanto no Mega quanto no Snes, as produtoras lançavam games tão avançados que sugavam até a alma dos consoles! Comix Zone é um destes, e é impressionante o que conseguiram extrair do Mega Drive nesse jogo: gráficos, trilha sonora, efeitos, vozes, tudo é digno de um game de 32X!

Então não só eu como todos os fãs da SEGA do mundo se perguntam: PORRA SEGA, POR QUÊ? Não dá pra entender como a mãe do Sonic consegue ter tanta franquia morta no seu porão, é revoltante! E se pensarmos em uma continuação, qualquer estúdio Indie competente poderia criar um jogo tão bom, difícil e original quanto o primeiro, pois as possibilidades são enormes, o limite da criação é nada mais nada menos que “tudo que pode acontecer em uma história em quadrinhos!”. Será que a SEGA não enxerga o potencial? Bem, óbvio que não, pois mesmo o Saturn possuindo um potencial 2D enorme, Comix Zone morreu no Mega…

.

.

Do que se trata? Aventura, aventura, aventura, e mais aventura!

Morreu quando? Foi dado como morto após ter recebido 3 jogos para PS2 e nenhum na geração seguinte, mas o corpo ainda não foi encontrado.

Por que deve sair da tumba? Porque os JRPGs precisam demais de um jogo com uma boa e funcional Action Bar… Mané Grid… Meu ovo!

Rise from your Grave: Justin (favor não confundir com o baitolinha metrossexual cantor) foi um carinha que tinha o cabelo todo bagunçado e usava um “Google” por cima do chapéu, manejava uma espada como ninguém, era carismático como poucos conseguiam ser, bagunçava tudo por onde passava, e acima de tudo, possuía um genuíno coração aventureiro, e foi devido a isso que ele nos proporcionou uma das maiores e mais inesquecíveis aventuras que um jogador de RPG poderia querer vivenciar. E por que será que hoje o RPG japonês anda tão em baixa que precisa até ser separado da parte ocidental que é a que anda prestando? Porque nada mais hoje em dia é como Grandia: descomplicado, divertido e cativante.

A Game Arts fez um trabalho de mestre no primeiro Grandia, alcançou um nível de qualidade que não se repetiu nos demais títulos, mas engana-se quem acha que as sequências eram ruins: Grandia Extreme, II e III eram bons jogos, só não podem ser comparados com a obra de arte que é o original! Então por que diabos a Game Arts não  surpreende o mundo fazendo uma continuação direta do primeiro game? Por que porcaria esses japoneses tem essa mania idiota de achar que RPGs nunca podem ter continuações com os mesmos personagens, tudo tem que ser eras depois, e blá blá blá? Seria massa demais encarnar novamente Justin em suas aventuras vindouras ao lado de Feena, por que parados eu garanto que esse casal não ficou! Sim, casal, o Justin era tão firmeza que… bem, jogue e veja!!

.

.

Do que se trata? Espadachim fodão desafia a própria Morte em busca da vida eterna, vence, é enganado, e agora vai atravessar o inferno em busca de vingança!

Morreu quando? Não morreu, por que Chakan é imortal! Ele só está esperando o momento certo para surgir das trevas e chutar novamente a bunda da Morte.

Por que deve sair da tumba? Porque é legal pra caramba controlar um ser demoníaco que espanca outros seres demoníacos episódio 2.

Rise from your Grave: Chakan  foi desenvolvido pela Extended Play Productions, um extinto time de desenvolvimento canadense subsidiário da Eletronic Arts que só não continuou a história do guerreiro imortal demoníaco por que ficou incumbido de criar games da franquia FIFA até o final da vida útil do Mega Drive… Convenhamos, ô desperdício de tempo!!!

Chakan é um game de mecânica incomum para a época: longo, difícil pra caramba, cheio de exploração, macabro ao extremo, e o mais peculiar de tudo, sem game over (lembram-se que o personagem é imortal?), ou seja, pelo menos neste último ponto, é a cara do pessoal de hoje em dia! A franquia deve ser ainda da Eletronic Arts, e seria legal pacas se a gigante americana lançasse uma nova aventura do espadachim bem aos moldes de Demon’s Souls: com locais distintos interligados a partir de uma área central, recomeçando desta área central sempre que o HP acaba (lembrem-se, Chakan não morre, só para pra descansar), e obviamente, mantendo o negócio difícil pra cacete! EU JOGARIA COM GOSTO!!

.

.

Próxima e última parte do Retro Especial Rise from your Grave: Franquias que devem sair da tumba chegará assim que eu resolver que é melhor parar de esperar a Sega se manifestar com suas franquias antigas, ou seja, muito em breve pessoal!

Continua…


Sobre Sabat

Dono, Chefe, Gerente, Cara da Xérox e Tia do Café do RetroPlayers! Meu negócio? Falar sobre games. Como? Escrevendo meus trabalhos, gravando minha voz horrível, ou filmando minhas humildes proezas! Onde? Aqui, ali, ou onde quer que me chamem!
Adicionar a favoritos link permanente.