RetroEspecial Rise from your Grave: Franquias que devem sair da tumba – Parte 2 de 4


Adoro essa onda de lançar remakes e continuações de jogos antigos em que as softhouses estão surfando. Tá sem originalidade? Acabando as ideias? Bora fazer um remake! É Duck Tales pra cá, Castle of Illusion pra lá, já foi Rocket Knight (uma bomba por sinal, tá loco hein Konami!), e teve Double Dragon todo trabalhado no neon… O legal é que, agradem a todos ou não, são obras que tentam respeitar as origens das franquias, tentam ser do agrado daqueles que conhecem o original ao mesmo tempo que apresentam àqueles que não manjam nada do assunto, como era gostar de videogames nos velhos tempos. E Killer Stinct retornando aos palcos da pancadaria só faz mostrar que essa onda não parece ser passageira, e por isso, ficamos na torcida para que muitas mais “novidades do passado” apareçam.

E enquanto aguardamos novas revelações de remakes e continuações de franquias a muito esquecidas, especulamos mais alguns títulos que adoraríamos ver retornando em grande estilo, seja com toda a glória e perfeição da arte 2D atual, seja utilizando da incrível potência gráfica 3D dos consoles novos.

No capítulo anterior, era pra termos falado de 5 jogos e só mandamos 4… Então seguindo a Lei da Troca Equivalente, que reconhecidamente garante sempre uma alquimia perfeita da melhor qualidade, teremos que mandar então neste episódio 6 jogos de uma vez! Estão preparados?

.

Do que se trata? Velocidade simples e sem frescura ao som de uma das trilhas sonoras mais inesquecíveis de todos os tempos.

Morreu quando? Quando deixou de ser simples e sem frescura pra virar Rally e Overdrive.

Por que deve sair da tumba? Porque hoje na categoria “acelere e se divirta”, só presta Burnout, e ele precisa de um rival!

Rise from your Grave: Top Gear não fez tanto sucesso assim fora do Brasil, e o que isso quer dizer? Quer dizer que se existe um povo no mundo apaixonado por velocidade, é o brasileiro! Aqui o piloto já começava a carreira antes de tirar as fraldas descendo ladeira de carrinho de rolimã, cresce e coloca neon no Fiat Uno 89 rebaixado, põe roda 17 e símbolo da Audi no Gol Bolinha 91 filmadão! E quando vai jogar videogame então? Só quer saber de jogo de corrida, e sinônimo de jogo de corrida em um passado não muito distante era um só: Top Gear.

Hoje não existe referência, pensamos em jogo de corrida e tem vários por ai, mas nenhum tão legal e viciante de se jogar o quanto era Top Gear, nenhum capaz de se tornar uma unanimidade, então penso que para o atual mercado de jogos, nada seria melhor do que termos de volta essa referência em velocidade, e ela deveria ter  mais ou menos o jeitão de como é hoje a série Burnout: aperte o botão pra acelerar e solte nitros a torto e a direito!!! Só isso, simples e divertido, competitivo e viciante, e pelo amor de Deus, que não passem nem perto daquelas tranqueiras que foram feitas pós SNES… Cada joguinho mais cretino que o outro… Deem o jogo pra alguém que faça a coisa do jeito certo, dá na mão da Criterion Games que ai é certeza que ficaria Top, Top Gear!!
.

Do que se trata? Turma batuta de outra galáxia que vive impedindo que essa tal galáxia seja destruída por uma tal entidade demoníaca.

Morreu quando? Quando virou On Line.

Por que deve sair da tumba? Porque o mundo precisa de bons JRPGS, e mais do que ninguém, a SEGA precisa mostrar que ainda sabe fazer isso.

Rise from your Grave: Começou no Master System, cresceu no Mega Drive, e morreu nos consoles que vieram depois: isso é Phantasy Star, mais uma vítima da falta de qualidade, originalidade, bom senso e inteligência da Sega, aquela mesma empresa que não cansa de criar e matar franquias.

Alis deixa saudades até hoje na galera jogadora de RPGs fã do velho console 8bits da empresa, pois fazia parte de um jogo que foi criado para a fácil missão de bater de frente só com a série Final Fantasy no rival Nes, coisa que a heroína fez com louvor. E se hoje a Sega resolvesse juntar uma galera boa de ideias, talvez alguns remanescentes dos Sonic Team com uma galera da Overworks, e anuncia um grandioso Phantasy Star V cheio das melhores referências possíveis à série clássica, sem inventar muito, sem querer ser igual aos jogos mais novos da Square, e sim, querendo ser apenas Phantasy Star mesmo, alguém  duvida que seria um grande sucesso? Que tal alguma trama temporal para poder juntar Alis, Rolf, Wren, Alys, Chaz, etc? Vixe…
.

Do que se trata? Blue Bomber do futuro chuta a bunda metálica de robôs renegados do futuro para salvar o futuro da destruição pelas mãos do vilão do futuro, o imortal Sigma (imortal pelo menos até que alguém consiga matá-lo…no futuro).

Morreu quando? Quando a Capcom resolveu que o nome Mega Man é algo antiquado que os gamers radicóres atuais não curtem e não compram.

Por que deve sair da tumba? Porque é MEGA MAN X, e o mundo precisa de um novo Mega Man X horas bolas!

Rise from your Grave: Bom pessoal, sejamos francos: tiremos as franquias de luta da Capcom, o que sobra? Bosta nenhum. A Capcom cada vez mais segue os passos da Sega e manda pra a vala todas as suas franquias do passado sem dó nem piedade, e quando não manda, caga em cima igual anda fazendo com Resident Evil. Com Mega Man ela fez logo barba e cabelo: primeiro matou a franquia quando cancelou um monte de jogoscauso a demissão do criador do Blue Bomber, depois cagou em cima do defunto com um aniversário comemorado com um jogo meia boca feito por fã e uma aberração para celulares que nem pode ser chamada de jogo

Resultado, o mundo clama ou por um novo Mega Man, ou pela cabeça do responsável por essa situação desesperadora do herói. E nada seria melhor que um novo Mega Man X com todo o esplendor e potência que os consoles novos podem oferecer, vide DKC Tropical Freese e seu espetacular gráfico 3D com jogabilidade 2D. Não quer fazer Capcom? Não ligo, contrate algum estúdio Indie ou alguma thirdy competente, provavelmente sairá melhor do que se você mesmo fizer!

.

Do que se trata? Bárbaros descendo o porrete nas forças do mal que querem usar o Machado de Ouro pra tocar o terror na idade média.

Morreu quando? É da Sega

Por que deve sair da tumba? Porque eu adoro Beat em’ Ups, e Dragon’s Crown veio para mostrar que o estilo medieval de pancadaria tem MUITO ainda para mostrar!

Rise from your Grave: Golden Axe 1 foi clássico, 2 nem tanto, 3 foi tão ruim que nem saiu do Japão, e quando a Sega resolve usar o nome da franquia novamente, sai o terrível Beast Riders… Meu, eu realmente torço demais para que a Sega acerte a mão nesses próximos jogos que ela está desenvolvendo viu, por que pelo amor, quanto B.O. essa softhouse já tem registrado… Bem, Golden Axe tem tudo: um enredo, um inimigo, heróis bombados e uma gata “fogosa” no meio deles, precisa mais de quê? De inspiração? Sega, a Wanillaware já mostrou como é a próxima fórmula a ser copiada, na verdade ela vem mostrando desde o PS2, então copie logo antes que ela se torne batida, simples!!! Golden Axe 4/Revival/Ressurrect JÁ!!

É sucesso garantido, só ter visão. E ainda pode encher de extras, finais diferentes, para cada herói ou para cada combinação de heróis no multiplayer, ou para cada caminho alternativo ou decisão tomada durante o jogo, mete logo uns 30 finais possíveis e uma tela de conquistas onde esses finais possam ser vistos que eu garanto: JOGO ATÉ FAZER TODOS, eu e uma legião de fãs que comprarão o jogo sem pensar. E se vierem ainda depois mais um monte de fazes extras e expansões via DLC, melhor ainda, seria épico! VAI SEGA, DEMOROU!!!
.

Do que se trata? Filho do maior mestre ninja de todos os tempos salva a pátria resgatando crianças sequestradas por gangue do mal

Morreu quando? Também é da Sega

Por que deve sair da tumba? Porque nunca foi tão legal mandar o cachorro morder a perna de um meliante!

Rise from your Grave: Hayate é um ninja  filho de um cara mais ninja ainda, que possui um cachorrão branco chamado Yamato que dilacera membros de bandidos enquanto os segura para que eles sejam posteriormente esfaqueados pelo dono, ou seja, Shadow dancer é um jogão da preula, e nem precisa falar mais nada sobre isso! O pior é que neguinho hoje fica ouriçado por que vai ter um pastor alemão genérico no próximo Call Of Duty… Pif… Manjam nada…

Quem manja menos ainda? A Sega, que deixa de lançar um novo Shadow Dancer no estilão Bayonetta com cachorro que seria um sucesso absoluto! Já pensou? Hayate esfaqueando todo mundo num hack and slash dos mais difíceis enquanto dá ordens para o canino imobilizar os mal feitores? Objetivos a mil, muitos mequetrefes bem posicionados, level design perfeito, trilha sonora que respeite a original, e o máximo possível de seriedade deixariam Shadow Dancer 2 imperdível!

Meu Deus, como a Sega tem coisa enterrada no quintal…
.

Do que se trata? Tratores, caminhões, derrapagens destruidoras e demolições.

Morreu quando? Quando a Rare preferiu apostar no mercado em ascensão de games de aventura 3D, e definitivamente encerrou a sua era de criações mais originais.

Por que deve sair da tumba? Porque seria legal pra caramba dar um cavalo de pau com um trator e derrubar um prédio!!

Rise from your Grave: Quando a Rare anunciou que estava trabalhando em um novo título de uma franquia antiga dela, especularam-se vários nomes provenientes das páginas que a empresa criou em seu site. Blast Corps era um deles! O game de demolição não chamou tanto assim a atenção quando foi lançado na década de 90 para N64, mas a verdade é que ele era um jogo legal e viciante pra caramba! Simplesmente devíamos abrir caminho para “algo” passar, e quando digo abrir caminho, quero dizer “derrubar tudo que estiver na frente desse algo” dando derrapadas e porradas de frente com tratores, caminhões, e até robôs!

Imagine então hoje, com as possibilidades mecânicas e o grafismo que se pode alcançar, a gente poder pegar um caminhão basculante enorme e atropelar um edifício derrubando tudo?? dar um drift com um TRATOR bem na quina de uma casa e arrancar ela do lugar?? Nossa senhora, seria legal pra caramba! Só destroços e poeira sobrando pela frente, e o caminho se abrindo. E o momento é mais que propício, tanto por que hoje em dia estão na moda esses jogos de missões curtas e intermináveis. Ninguém nunca mais jogaria Angry Birds!!
.

.

Fim de papo nessa segunda parte do RetroEspecial Rise from your Grave: Franquias que devem sair da tumba. No próximo episódio, serão 5 jogos, e então só faltarão mais cinco para completar os 20 selecionados pela equipe RetroPlayers. O seu jogo predileto ainda não apareceu? Paciência, ele ainda pode aparecer… ou não!!

Não leu a parte 1? Segue:

Franquias que devem sair da tumba – Parte 1 de 4

Continua…


Sobre Sabat

Dono, Chefe, Gerente, Cara da Xérox e Tia do Café do RetroPlayers! Meu negócio? Falar sobre games. Como? Escrevendo meus trabalhos, gravando minha voz horrível, ou filmando minhas humildes proezas! Onde? Aqui, ali, ou onde quer que me chamem!
Adicionar a favoritos link permanente.