Crônicas Gamísticas: Socorro! Eu não consigo jogar!!


Saudações caros amigos retroaventureiros!! Há quanto tempo, não?? Hoje gostaria de compartilhar com vocês algo que por diversos motivos anda fazendo parte da minha realidade atual: o grande problema da falta de tempo/desânimo/preguiça para conseguir jogar.
Mas afinal de contas, o que diabos acontece com a gente vez ou outra que acaba dando umas boas sumidelas da cena gamística?? Claro que aqui não estou me referindo 100% a todos, visto que existe aquela parcela que não importa se vai explodir a próxima bomba atômica: o pessoal representa a classe e não deixa a jogatina de lado por mais tensa ou difícil que a situação esteja. A vocês, grandes guerreiros, já deixo aqui os meus mais sinceros parabéns!!
Mas enfim, o tópico que pretendo abordar neste texto é direcionado para aqueles que mantém a paixão viva, porém latente – seja lá por “N” motivos…
Sei lá que bicho nos morde… tem hora que a gente chega cansado do trampo, olha pro game, dá vontade de jogar, mas acaba perdendo o gás porque sentou no sofá e deu preguiça de levantar para ligar o console. Normalmente essa postura vem acompanhada de uma zapeada no que está passando na TV e, consequentemente, é precedida de umas boas horas de sono, com direito até a babada no sofá…kkk

Nem o Homer escapa… o_o

Existe também a ocasião em que você simplesmente para em frente a sua estante de jogos e não consegue escolher nenhum para jogar. Nada apetece…
Ou ainda: fica trocando de jogo mais do que patricinha escolhendo roupa para ir a uma festa… Experimenta um, troca pra outro, depois outro…e outro… até chegar ao ponto de acabar não jogando nada, e assim, terminar o dia indo fazer outra coisa (que normalmente é a situação retratada no final do primeiro relato…rsrs)
O grande problema desse desleixo com a jogatina é que não tem como não bater no peito uma sensação bem ruim. É muito desagradável se chegar a um ponto onde não conseguimos sequer desfrutar de uma coisa que realmente gostamos bastante. A questão que pipoca nessas horas costuma ser: O que fazer??

Mãe, tô sem nada pra jogar… =/ (kkk)

Por experiência própria, percebi que o melhor caminho é não parar de jogar, nem que seja coisas mais corriqueiras. Tá travado naquele super RPG f*da pra c%$@#? Dá desânimo só de pensar em ligar o console pra ficar andando sem rumo porque travou no jogo e acabou largando mão por falta de tempo e paciência? Quem nunca, né? O pior é quando o desânimo não afeta somente o jogo em particular, mas a jogatina em geral. O ideal mesmo é não perder o foco e insistir, ainda que a coisa esteja difícil; mas caso não seja possível (ou esteja realmente de saco bem cheio…), dê um tempo à sua mente com um game que não seja tão exigente. O gás da jogatina permanece aceso e, quem sabe, depois de uma abstraída a sua mente não volta com mais força pra sair do entrave?
Outra alternativa que boa também é marcar encontros de jogatina com os amigos.
Embora encontros acabem sendo uma situação cada vez mais difícil de acontecer, não há como negar que jogar com mais gente do lado dá uma animada e tanto pra tirar de vez a poeira do console e mandar a “bad” pras cucuias! Convide os manos pra curtir um happy hour com jogatina depois do trabalho! Tire o PlayStation do armário e jogue umas boas partidas de Winning Eleven, regadas a brejas e tiradas de sarro, por duas horinhas que seja. Garanto que ao ir se deitar nessa noite, a sensação será ótima!

Só não vale jogar com a argentina, hein?? rsrsrs (#brinks ;))

E vocês caros amigos? Já passaram por algo similar? Não deixe de compartilhar suas experiências aqui nos comentários.
Por enquanto é só pessoal. Beijinhos da Cherry e até a próxima!! 😉
@-}–


Sobre Cherry Pie

Apenas uma singela torta de cerejas que apareceu aqui na porta da redação, e como nós adoramos cerejas, resolvemos deixar ela entrar ^^

Adicionar a favoritos link permanente.
  • Mario

    Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe.
    Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente.
    Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar!
    Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar.
    Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!!
    Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo.
    “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!).
    Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!!
    Valeeu!!!

  • aki é rock

    Qlha já passei por isso viu Cherry tenho alguns jogos de ps2 e xbox360 tem dias que voce olha pra eles e nao está afim mesmo viu e bem normal o jeito é se ocupar com jogos simples como os de celulares para se descontrair.

    • Cherry Pie

      Dói, né?? kkkk
      Mano, comprei uma pancadinha de jogos há um tempinho atrás…
      Tá tudo encostado… Pra você ter uma noção, comprei New Super Mario Bros 2 do 3DS no evento do Canal 3 que foi em abril. Jogo lacrado. Sabe quando eu consegui abrir o jogo?? No feriado que teve agora, dois meses depois. PRA ABRIR O JOGO!!! kkkk
      Espero que algum dia consigamos reverter essa realidade, mas, enquanto esse dia não chega, vamos indo de Bowling King na veia, pq é o q tem pra hj…hehehehe
      Obrigada mais uma vez pela presença e comentário. Grande abraço!! =)

  • Eu estou nesse dilema diariamente… quer dizer… atualmente me dei ao luxo de ficar viciado em The Legend of Gnomo Loiro: Bafo de Catuaba (adorei esse nome Cadu!!), e estou jogando essa praga todo dia. Mas antes desse jogo pintar aqui, eu não sabia o que jogar, ficava tanto tempo escolhendo algo que quando eu finalmente escolhia, já estava a hora de deixar queto e ir fazer outra coisa, e dificilmente me sentia apetecido por algum título. E eu sabia que era mais preguiça e vontade de dormir que outra coisa… É, filho cansa!

    • Cherry Pie

      É chefinho… não tá fácil pra ninguém, nem mesmo pro todo poderoso dono do RP, né?? kkkk
      Mas taí uma tremenda realidade… Parece que quando acabamos tendo um “imprinting” com algum jogo, conseguimos nos esforçar mais e deixar aquela moleza de lado. Mas sem dúvidas, a rotina às vezes acaba tendo um peso maior do que gostaríamos e o sono, dentre outras coisas, acaba sendo priorizado em detrimento da jogatina. Fico pensando que se sem filhos já está difícil pra mim, pra quem tem uma prole neste mundo deve estar quase impossível… kkk
      (Mas calma, isso é só até o Pequeno Príncipe crescer um pouco… Logo você já estará perdendo de Perfect pra ele no Street Fighter…hahahahaha)

      Valeu pelo incentivo Chefinho!!

      PS: comprar o Note foi a melhor coisa que eu fiz!! To respondendo os comments diretamente da minha cama, debaixo das cobertas!! Agora ficou bem mais fácil rebater a lesera!! Espero poder retornar com uma boa regularidade, sem mais hiatos (espero)… XD

    • De nada! huahua

  • Colonel

    Ótimo tema!

    Primeira coisa que tenho que lidar é com cansaço do trabalho diário. Chego em casa e to morrendo já, é deitar olhar o noticiário e ler duas páginas de algo pra “desmaiar” na cama. Muito difícil botar algo pra jogar.

    E segundo que além de estar com a namorada (sempre prioridade) tenho que tento dividir o tempo entre meus hobbies por livros, HQs, filmes e games e sempre algo fica de lado. As vezes são os games. 🙁

    Por fim, assino embaixo a sua dica de encontro pra jogatina com amigos. Fiz isso nesse último feriado com dois brothers e jogamos o novo Mega Drive da Tectoy e faltou tempo pra tantas opções de jogos. E depois dessas jogatinas sem dúvida fico com ânimo renovado continuar jogando.

    • Cherry Pie

      Fala Colonel, blz??
      Cara, eu confesso que fiquei um pouco receosa em lançar um texto sobre, mas o fato é que já fazia um tempão que eu não conseguia produzir nada, justamente por causa desse problema… (Quase levei ‘bilhetinho azul’ do Chefinho aqui…rs) e daí pensei: “Por que não expressar isso?” Afinal de contas, como estava comentando internamente com a galera, ao que parece, isto acaba sendo um fato mais comum do que se imagina. Fiquei com medo do texto ficar parecendo um pouco “Deprê” e acabar afugentando a galera, mas em contrapartida, vejo que até o mais assíduo dos gamers pode sim acabar entrando em um hiato por causa de duas simples palavrinhas: VIDA ADULTA, né??
      Sobre os encontros, cara, eu vou falar pra vc: vai por mim, eles operam verdadeiros milagres!! Tive a oportunidade de participar de um agora no último feriado e maaaano… tirei a barriga da miséria!! Joguei como se não houvesse amanhã!! Foi muito bom!!!
      Bem, então é isso. No mais, só tenho a agradecer imensamente por ter colado aqui na grade!! Continue sempre com a gente!! É a presença de vcs que faz esse trem andar!!
      Valeu mano! Grande abraço!!

  • Mario

    Cherry e Sabat, por algum motivo o Disqus considerou meu comentário como spam. Se não tiver problema estou repostando. Desculpe se teve algo inapropriado (mas não teve pô). Só pq eu tinha sido o primeiro…sacanagem! Bem lá vai de novo:

    Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe.
    Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente.
    Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar!
    Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar.
    Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!!
    Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo.
    “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!).
    Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!!
    Obs: Aproveitando que repostei o comentário, não rolou o Cadillacs and Dinosaurs, Mas tudo bem. Mas na manhã seguinte jogamos MK3 até tomar um sacode na segunda luta.
    Abraço à toda equipe do Retroplayers!

  • Quando você diz. “seja lá por “N” motivos…” eu logo pensei em um trocadilho com a Nintendo. Bom, talvez não seja isso, mas foi o que eu pensei. ^_^
    Eu faço o sistema de rodízio, e sempre alterno e jogo ora um game longo (tipo Playstation) ora um game curto (tipo Atari, Master System ou PC Engine). Claro todo console tem seus jogos longos e curtos mas é evidente que a geração do CD pra frente tem os jogos mais longos e isso pode desanimar caso a gente já esteja sem tempo.
    Eu disse isso num comment que fiz agora a pouco no Blog do Cadu. A dica suprema é. Divirta-se! Comece a jogar, tá chato? Troca. Põe outro, tá chato? Troca… um jogo sempre acaba sendo o jogo do dia. ^_^

    • Cherry Pie

      Fala Ulisses, beleza??
      Cara, que o meu coração sempre ira pender pro lado azul da força, isso é fato. Mas apesar disso, o ‘N’ não foi zueira com a empresa do Encanador Bigodudo não, pois afinal, é graças a eles e seus grandes investimentos na indústria dos portáteis que eu tenho conseguido jogar uma coisa aqui ou acolá ultimamente…
      (Obrigada 3DS! Você é o melhor presente que eu poderia ter me dado de aniversário!!!)
      Sobre o rodízio, cara, eu vou confessar: pra mim tá difícil conseguir jogar alguma coisa que esteja demorando mais de 1h pra fechar…
      Não ando tendo fôlego pra encarar jogos que necessitem mais do que “uma sentada” pra fechar, mas espero que essa realidade possa mudar o quanto antes.
      Acho que a pegada é mais ou menos isso mesmo… Uma hora a gente sempre acaba achando o jogo do dia. O importante é continuar tentando.

      Valeu mano. grande abraço e até a próxima!!

  • Mario

    Pô gente, que budega! Comentei aqui duas vezes e o Disqus considerou como spam. Vou rever o que escrevi e mandar de novo.
    Foi um ótimo post, tudo a ver com os últimos anos de minha vida…eheheh.

    • Mano, coloquei seu nome na lista branca, vamo ve se o Disqus para com a frescura!!

      • Mario

        Cara…muito obrigado!!!! Desculpa se realmente tinha algo inadequado no comentário que fez com que parecesse spam! Eu devo ter feito mais umas duas tentativas, pode desconsiderar as demais.
        Vida longa ao Retroplayers!!!
        Abração!

  • Mario Luiz

    Cherry e Sabat, por algum motivo o Disqus considerou meu comentário como spam. Se não tiver problema estou repostando. Desculpe se teve algo inapropriado (mas não teve pô). Só pq eu tinha sido o primeiro…sacanagem! Bem lá vai de novo:
    Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe.
    Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente.
    Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar!
    Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar.
    Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!!
    Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo.
    “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!).
    Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!!
    Obs: Aproveitando que repostei o comentário, não rolou o Cadillacs and Dinosaurs, Mas tudo bem. Mas na manhã seguinte jogamos MK3 até tomar um sacode na segunda luta. Todo mundo perdeu o jeito.
    Abraço à toda equipe do Retroplayers!

    • aprove

      De: Disqus [mailto:notifications@disqus.net]
      Enviada em: segunda-feira, 19 de junho de 2017 09:39
      Para: nsabat64@gmail.com
      Assunto: Re: Comment on Crônicas Gamísticas: Socorro! Eu não consigo jogar!!

      “Cherry e Sabat, por algum motivo o Disqus considerou meu comentário como spam. Se não tiver problema estou repostando. Desculpe se teve algo inapropriado (mas não teve pô). Só pq eu tinha sido o primeiro…sacanagem! Bem lá vai de novo: Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe. Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente. Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar! Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar. Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!! Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo. “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!). Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!! Obs: Aproveitando que repostei o comentário, não rolou o Cadillacs and Dinosaurs, Mas tudo bem. Mas na manhã seguinte jogamos MK3 até tomar um sacode na segunda luta. Todo mundo perdeu o jeito. Abraço à toda equipe do Retroplayers!”

      Disqus

      Settings

      A new comment was posted on RETROPLAYERS

      _____

      Mario Luiz

      Cherry e Sabat, por algum motivo o Disqus considerou meu comentário como spam. Se não tiver problema estou repostando. Desculpe se teve algo inapropriado (mas não teve pô). Só pq eu tinha sido o primeiro…sacanagem! Bem lá vai de novo: Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama ) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe. Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente. Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar! Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar. Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!! Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo. “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!). Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!! Obs: Aproveitando que repostei o comentário, não rolou o Cadillacs and Dinosaurs, Mas tudo bem. Mas na manhã seguinte jogamos MK3 até tomar um sacode na segunda luta. Todo mundo perdeu o jeito. Abraço à toda equipe do Retroplayers!
      8:38 a.m., Monday June 19 | Other comments by Mario Luiz

      Reply to Mario Luiz

      Moderate this comment by email

      Email address: marioandradepires@gmail.com | IP address: 187.67.3.67
      Reply to this email with “Delete”, “Approve”, or “Spam”, or moderate from the Disqus moderation panel.

      _____

      You’re receiving this message because you’re signed up to receive notifications about activity on threads authored by sabat.
      You can unsubscribe from emails about activity on threads authored by sabat by replying to this email with “unsubscribe” or reduce the rate with which these emails are sent by adjusting your notification settings.

      Disqus

    • Cherry Pie

      Poxa Mario, que zica hein?? Mas se isso te conforta, saiba que isso não ocorre somente contigo. As vezes o Disqus costuma trollar geral e tem hora que nem o pessoal da equipe escapa de comentários ou respostas que passam por um portal místico secreto e vão parar direto lá no mundo do Hades. Fala sério, ninguém merece retrabalho pra comentar/responder, né?? Mas enfim, agora que está tudo resolvido, vamos à parte que importa =)
      Cara, sinceramente, fazia muuuuuito tempo que eu já não sabia mais o que era jogar videogame por um dia inteiro. Não fosse um encontro gamer que eu tive a honra de prestigiar no último feriado, ainda continuaria sem relembrar essa sensação sabe-se lá até quando…
      Poxa… ao que parece vc era bem masoquista mesmo XD
      E o que falar de Donkey Kong e os eternos contras e rachões e games de luta? A pessoa que nunca fez isso não sabe o que está perdendo nessa vida!!! E o mesmo digo para todos esses RPG´s.
      Pois é cara. Dá até saudade do tempo em que os únicos problemas que a gente tinha eram os de matemática pra resolver na escola. Sinceramente, de todos os vilões que eu já enfrentei nos games, nenhum deles foi tão poderoso quanto o cansaço que temos na vida real e a desmotivação para fazer outra coisa senão ficar de bobeira ou dormir. Me causa um grande incômodo interno eu ver que tem gente que consegue se manter firme apesar de tudo, termina coisas e coisas e ainda consegue registrar tudo pra ver, e eu aqui, nessa realidade. Porém confesso que sinceramente não ando conseguindo abrir mão do sono. Sempre gostei de jogar por vontade, nunca por obrigação (não somente jogos, mas tudo na vida, onde eu posso ter poder de escolha para tal). Isso sem falar que se eu não estiver bem descansada, é certeza que meu dia seguinte no trampo será um verdadeiro desastre, pois onde trabalho é naturalmente um ambiente negativo e imperativo e, infelizmente, a “Cacique” da tribo onde eu estou não é nem um pouco maleável (só pensa ser…XD). Diria até que chega ao ponto dela ser uma verdadeira ‘workaholic’ e, por causa desse comportamento, acaba cobrando a tudo e todos que se encontram abaixo da hierarquia dela, então já viu né?? kk. Mas graças a Deus ainda posso erguer as mãos ao alto e agradecer por uma benção chamada “fins de semana e feriados”. Cara, essas duas datas tem absolutamente um poder incrível de mudar certas situações… rsrs.
      Sabe, durante muito tempo essa nomenclatura “casual” me incomodou muito… (bem, não vou mentir: ainda me incomoda bastante, na vdd rsrs)
      Mas daí eu me toquei de algo importante: ninguém é melhor do que ninguém. Apenas uns tem mais tempo e disposição pra conseguir investir mais nos games do que outros. Tem gente que vai me zoar, pela minha ferrugem, mas talvez se eu conseguisse jogar e treinar como aquela pessoa, poderia ser tão boa quanto ela, ou até melhor!! No meu caso, em particular, não é só falta de tempo ou indisposição; infelizmente os anos que se passaram acabando minando bastante a minha paciência também. O resultado? Não diria que foi de tudo ruim, pois eu que antes adorava uma competição (que muitas vezes não era uma coisa saudável) na eterna busca da vitória (e somente a vitória), ou então, a eterna busca pelo desempenho “perfeito” acabei desencanando dessas coisas. E sabe o que aconteceu?? Eu passei a me divertir muito mais, porque fiquei mais… digamos… seletiva no que tenho jogado. Como o tempo agora é menor, somente gasto ele com o que realmente me interessa. (O F*d@ é quando vc acaba viciando no jogo e tem que esperar o próximo FDS chegar pra poder dar continuidade, igual os desenhos do Sábado Animado de antigamente…kkkk)
      Sobre dar um “pause” na jogatina pra voltar depois (nos casos de RPG’s, por exemplo), costuma dar super certo pra mim, exceto naqueles casos onde o hiato ficou muito grande e eu terminei esquecendo tudo oq já fiz (aconteceu comigo em Kingdom Hearts 2, o que me fez estacionar o jogo de vez). Até porque, parece que quanto mais preocupado vc estiver em “resolver o problema”, menos avanço vc consegue ter no jogo. Já depois do tempo dado para a mente descansar, pra mim também costuma ser “pá pum”, como vc disse.
      Sobre o seu Wii, parece que estou lendo minha própria experiência também…kkkk
      Normalmente só tenho tirado ele da sacola quando o Senpai vem me visitar uma vez ou outra. Sei lá, tem sido difícil me animar de instalar ele pra jogar sozinha. Tô quase no fim do Super Mario Galaxy. Jogaço!! Faltam poucas estrelas pra pegar. Não quis enfrentar o chefão antes de coletar tudo. Mas como esse é um título que me faz passar tanto alegria quanto um certo nervoso (xinguei horrores no período em que estava jogando ele regularmente. Domingo era o dia das jogatinas – estipulei até “meta”: 5 horas de jogo ou 10 estrelas, o que viesse primeiro…kkk) o coitado ficou ali, quietinho no canto, esperando o dia que vou me animar a pegá-lo outra vez. Acho até que já fez aniversário da última data que eu o joguei… U_U
      Enfim, é a vida.
      Pois é cara. acho que estou ficando beeeem tiazona também… XD
      Tudo isso que vc descreveu tem sido um belo retrato de como anda minha vida atualmente (ainda mais porque games atuais DEFINITIVAMENTE não são minha praia…kkk). Eu gosto mesmo é de jogo véio… XD
      O pior é que no fim não tem ido nem os novos e nem os “velhos”. Chego em casa e só quero me esparramar e ouvir música, ou então “YouTubar” pra ver se acho algum vídeo interessante pra dar umas risadas e baixar um pouco o cortizol. Mas calma, que algum dia essa realidade ainda vai mudar e voltaremos a ser felizes jogadores, como nos tempos áureos… (quer dizer, isso se os putos do Governo não acabarem cortando nossa aposentadoria, né) Bem, eu ainda espero poder voltar a jogar direito antes disso, enquanto ainda tenho bons reflexos e tal… kkk
      Pô mano, pena que não conseguiu jogar o Cadillacs. Não me canso dele. Pode me chamar 10 vezes pra jogar que eu vou as 10 vezes…hehehe
      Mas pelo menos foi de MK3, que não tem como não ser divertido quando rola uma jogatina com mais gente. Quanto ao jeito, acho que é que nem andar de bicicleta: vc pode até ficar um pouco capenga depois de muito tempo sem praticar, mas nunca esquece!! hahaha
      Valeu pela participação mano!! Foi um prazer ler o seu comentário!!
      Grande abraço!!!! =D

  • Dizer “já passei por isso” talvez seja meio óbvio, pq todo mundo já teve essa fase na vida. É tão difícil quanto as fases de água e gelo.
    Bom, eu meio que consegui sair dela fazendo duas coisas, uma delas eu recomendo e a outra não. A que recomendo é parar de zapear canais na TV, desliga essa bodega e só liga para jogar videogame (eu odeio TV! huauhauha).
    A que eu não recomendo é trocar as noites de sono por videogame. Tá difícil viver, mas tá ótimo jogar Zelda Bafo da Catuaba até duas da manhã todos os dias! kkkk
    Vc mencionou RPG e eu descobri uma coisa que achei legal: alternar jogos curtos e compridos ao longo da semana. Tenho alternado o Zelda com jogos que dá pra terminar em 5 horas em média, assim não canso do Zelda e não fico com a sensação que não estou terminando nada. Outro ponto interessante é que a hora que vc tiver tempo e vontade de jogar, vc tem duas opções pra escolher e não fica “zapeando” jogos também igual vc disse que nada te cativa. As vezes vc pode estar numa fase corrida que não quer nenhum desafio que te irrite depois de um longo e cansativo dia de trabalho, eu entendo muito bem como é isso. Talvez procurar jogos menos desafiadores durante essa fase te desperte o interesse de volta, comigo já funcionou. Mas eu também já tive a fase de só jogar futebol no videogame pq não tinha paciência pra mais nada. E eu tinha vários argentinos no meu time, era obrigatório manter o Tevez nele! huahuahuahua
    Outra coisa tem a ver com o que o Ulisses comentou, eu ia dizer isso já (tinha anotado pra dizer) e antes de escrever li o comentário dele: encheu o saco? Troca o jogo! Dane-se! Vc não tem obrigação de terminar nada que não esteja te divertindo, vc joga por lazer e não por trabalho. Não tem como jogar sem se divertir, na boa.
    Acho que é só tudo isso! hehe
    Força aí, Cherry! Partiu jogatinas infinitas no SEGA Forever agora!

    • Cherry Pie

      Pois é maninho… Quem nunca, né?? O pior é que passar por isso é ainda mais difícil do que encarar qualquer fase de água, gelo ou aquelas que as plataformas caem; ou ainda aquelas que o encanador bigodudo fica com a retaguarda toda chamuscada no Super Mario Galaxy…
      (Abrindo um parêntesis aqui, eu só jogo fases de agua aos sábados, precise ou não precise… kkkk)
      Cara, pra falar bem a verdade, mal dá tempo de zapear canais na TV. Muitas vezes eu “paro pra assistir TV” mas no fim é a TV que acaba me assistindo dormir. Pergunta só pro Senpai como é. Ele vai te confirmar… XD
      Noites de sono por game então?? Nem pensar!! Chega essa época de inverno eu não sei o que rola comigo. O sono fica ainda mais incontrolável. Minha disposição vai pro espaço nas épocas frias… =/
      Bem, ultimamente eu tenho alternado entre jogos curtos ou curtíssimos mesmo, ou então até os famosos ‘endless’ do Atari, só pra dar aquela relaxada.
      Há uns dias atrás me peguei jogando “Snoopy and the Red Baron”, por pura falta de ânimo pra encarar qualquer coisa que tivesse “começo, meio e fim” naquele dia. Eu só queria jogar, descompromissadamente. Daí eu pensei comigo mesma: “Caramba, a coisa ta ruim mesmo pro meu lado, hein??”. Mas depois desencanei. Afinal, aqueles minutinhos jogando daquela forma me deixaram muito feliz. =)
      Por falar em Zelda, um que me deixou saudades quando fiz aquele rolo com o meu 3DS foi o Ocarina. Estava gostando muito de jogá-lo, porém, ele foi-se com o branquinho, pois eram europeus. Tô pesquisando pra pegar outro. No evento que fui, um cara me mostrou um que estava bem em conta pelo Submarino.com. Talvez ele me acenda novamente o ânimo para retornar aos RPG’s. Persona 4 eu nem falo mais nada. Tenho vontade de me bater!! Movi céus e terra pra achar aquele bendito CD e ainda não consegui tirar ele pra jogar direito. Mas, como disse, apesar dele ser um ótimo jogo (como muitos realmente dizem…), não quero me obrigar a jogá-lo forçosamente. Quero jogar como ele merece, de forma livre e espontânea. Algum dia ele vai ter que sair do meu porta CD’s. Cedo ou tarde.
      “As vezes vc pode estar numa fase corrida que não quer nenhum desafio que te irrite depois de um longo e cansativo dia de trabalho”. Onii Sama, você realmente conseguiu me definir em uma frase. Não tem como eu me expressar melhor…
      Tenho feito realmente isso. Parei de me importar tanto com as “críticas” e resolvi me permitir uma jogatina mais ‘água com açúcar’, ao menos até isso passar. Tinha deixado tanta coisa boa de lado por causa dessa “cobrança”…
      Shinobi do 3DS mesmo… tinha deixado lá encostado, porque sem dúvidas não ia ter o menor pique pra jogar ele a fim de conquistar notas boas e pontuações altas. Até que no sábado, procurando algo pra jogar por alguns minutinhos antes de deitar, me deparei com ele…
      Resolvi ligar o F*d@-se. Fiz de conta que não tinha nota nenhuma no fim da fase. Joguei “slashando” todo mundo com a katana, sem me importar em tomar dano ou não. Apenas joguei e fui feliz. O resultado?? Melhor do que eu esperava!! Eu que achei que ia terminar com notas D, E, F, Z, -1.000.000.000, fechei as fases com nota “C”. É, meu pai não teria orgulho do meu boletim, mas pelo menos eu não iria “repetir de ano”…kkkkkk. “Tá bom”, eu pensava…
      Sobre jogar futebol com o Tevez no seu time, err… bem… eu não vou nem perguntar, pra não confirmar de fato o que eu estou com medo do que seja a resposta. Pois é, ninguém é perfeito. Todo mundo tem que ter um defeito na vida, não é mesmo?? E se a pessoa não tem, acaba dando um jeito de arrumar, não é? É a vida. Faz parte…kkkkkkk
      Mas é isso aí. Jogatina mais do que conquista e congratulação pessoal TEM que ser diversão! Acima de tudo! E é por essas e outras que nunca mais jogo Street Fighter V na vida, nem que me paguem!! (Bem, posso até pensar no caso, mas vai muito do valor que esteja sendo discutido…rsrsrs).
      Bom, então tá então. Sobre o SEGA no 4evis, ainda não sei quando irei baixar. Meu celular não para de dar alerta de memória cheia. Eu precisaria, no caso, comprar um aparelho novo pra baixar o aplicativo, mas eu simplesmente não consigo fazer isso. Sou muquirana demais!! Não consigo trocar de celular só pra “pegar um mais novo”. Pra eu trocar, só por necessidade mesmo. Mas como o Senpai vai trocar o dele, já que ele esta usando um provisório que ele detesta, uma vez que o antigo dele acabou indo embora naquele fatídico dia, eu já dei um ultimato que ele VAI BAIXAR O SEGA FOREVER SIM!!! Daí eu confiro o App no celular dele. Tá vendo só como eu sou legal?? Pergunta se a Nintendo vai fazer um negócio desses algum dia, pergunta…kkkk
      Bom, é isso aí. Um grande abraço e obrigada por tudo. Inteh!!
      =D

  • Jorgin Júnior
  • Pedro Henrique Oliveira

    Esperamos que você volte a jogar muitos jogos =D

    • Cherry Pie

      Eu também!!! Não vejo a hora!! kkkk

      Valeu!! 😉

  • Welton Machado

    Hoje o dilema da gente que cresceu é esse. Temos os jogos que sempre sonhamos na infância, mas não temos tempo para apreciá-los. Eu sempre que posso, reúno meus amigos aqui em casa para uns contras, e quando eles não podem vir, eu levo minha tv de tubo na casa do “felizardo” e jogamos a tarde toda. Depois de quase 03 anos juntando grana, em maio deste ano comprei uma Neo Geo MVS, e todos os dias eu jogo uma ficha, cada mês eu escolho um jogo e tento zerar com todos os personagens possíveis. Este mês estou jogando KoF 95, estou aqui na luta em conseguir terminar com os trios já montados, mas as vezes é um pouco impossível, o Rugal não perdoa xD.

    Em relação ao “vamos combinar”, isso já aconteceu um monte! Desculpas é o que não faltam, por isso eu decidi ir na casa da pessoa e levar o console até ela, desta forma, acabam-se as desculpas xD.

    Aqui perto de casa eu também sempre jogo com meu cunhado, minha irmã, meus sobrinhos, e jogo Mario Kart com minha esposa no Game Boy Advance. Quando eu era jovem, sempre joguei video game com minha irmã, e ela ensinou isso para o filho dela, assim a tradição não termina xD

    Nesses anos, da infância até a fase adulta, sempre surgiram momentos em que você chega tão cansado em casa, que a cama e uma boa noite de sono é o que você mais precisa naquele momento. Mesmo com toda a correria das rotinas estafantes que passamos, devemos nos permitir separar um tempo para fazer o que gostamos, mesmo que o tempo seja curto, devemos nos permitir, afinal de contas, nossas vidas não se resumem apenas ao trabalho, mas também ao nosso lazer e boas companhias, e isso, os jogos sempre nos proporciona.

    Abaixo alguns momentos de jogatina, e o bônus, é o presente de casamento que eu dei a minha esposa xD.

    https://uploads.disquscdn.com/images/bff96685be483caede6e12a9a8549bf11ea40e6de7ba72be8fed7e6d1a535d62.png

    https://uploads.disquscdn.com/images/aeffe5b0c3e85b7ba64051729abcab7ef8b8148032a03b972e8518000e4ce505.png

    https://uploads.disquscdn.com/images/060856d23056e5c556b2f94c04cdc639550b5c5212b2aec816b68d8175714fa4.png

    https://uploads.disquscdn.com/images/6aad11e987a2a0d90be3797dcb19eaf9bff9e7015629c26b24f96160ace400b6.png

    https://uploads.disquscdn.com/images/41c769cdb4d379592ce7ddd3589ff630808142da946056f2038e3238fe15cc36.png

    https://uploads.disquscdn.com/images/a6ee880213322f2b539349dcf9104d8904f982958b1746c340735e2199efae4b.png

    https://uploads.disquscdn.com/images/aa6c66a62a1b926e8a6c184725e170c642b5eb8a56d1d88bb823b99427f40620.jpg

    https://uploads.disquscdn.com/images/c7c726ba5e407d370754e599bcee508005cc772aa9b1943dacb81582727ccd35.png

    https://uploads.disquscdn.com/images/cc912ec6c2d110f8a517eee3a49acbcca030c05646f0e16e628c5fb2ed3f9dda.png

    • Cherry Pie

      Pois é meu caro. E pensar que quando a gente é moleque, reclama da vida porque tem que fazer trabalho da escola. Mal sabíamos o que estava por vir, não é?? rs
      Poxa, isso é que é paixão pela jogatina em equipe, hein?? É quase um ultimato: ou você joga, ou você joga!!! kkkk
      Deve ser dureza ficar levando e trazendo os aparatos, mas se a montanha não vem a Maomé… Bacana cara!! Muito bacana saber desse seu relato e da sua disposição em continuar na ativa, não importa se na sua casa ou na dos amigos!! Genial!!!
      É cara. Rugal é uma verdadeira desgraaaaaaaça!!!! kkkk
      Fico na torcida pra que vc possa alcançar seu objetivo aí, ok?? Depois vc compartilha como foi n_n
      Realmente cara, estou boquiaberta!! Você CONSEGUIU solucionar de vez o problema do “vamos marcar/combinar”!!! Pena que as pessoas com quem eu costumo jogar morem mais longe e necessitem de viagens para que eu as possa visitar (o que necessita de bagagem, fato esse que impossibilita de eu conseguir levar muita coisa – leia-se, consoles – já que costumo fazer esses percursos de ônibus e fica difícil ficar carregando um monte de trambolho pra cima e pra baixo sozinha). Mas enfim, são soluções como a que você proporcionou que enchem a cena gamística de orgulho, pode acreditar!! Estou absolutamente sem palavras!!! XD
      E é isso mesmo!! Tem que manter a tradição viva!!
      Recentemente eu me tornei tia da minha primeira sobrinha. A primeira coisa que disse é que eu vou ensinar ela a jogar videogame e não quero nem saber!! E não vai ser nada de tablet, que as mulekadas jogam nas febrinhas de hoje em dia; vai ser na raça! Console, controle, TV e sofá!! hehe
      Poxa meu, nem sei mais o que dizer. Vendo um comentário igual ao seu, não tem como não ficar motivado para não deixar a jogatina morrer.
      Confesso que ainda não estou conseguindo jogar com regularidade, mas já tive uma boa melhora desde a época que escrevi o post. É que dia de semana pra mim ainda é bastante complicado pra conseguir jogar, mas ao menos nos finais de semana eu me forço a não deixar a peteca cair e jogar, nem que seja ao menos um pouquinho. É bom e faz bem.
      E cara, depois que descobri o universo maravilhoso dos portáteis, eu absolutamente não vou querer me desapegar deles tão cedo!! Fico muito feliz que você e sua esposa/família possam desfrutar desses momentos juntos! Como eu sempre falo, “família que joga unida, permanece unida”. Parabéns a todos vocês!! Curti muuuuuuito as fotos e fiquei muito feliz em vê-las!!
      Um forte abraço e até a próxima!! Apareça mais vezes!!
      Falow!!! =D

      • Welton Machado

        Essa tv de tubo menor que eu sempre levo comigo. Ai levo também, ou o Supe Famicom, ou Mega ou o PS1. No seu caso, imagino que não dê mesmo pra levar, porque sua cidade deve ser grande, ai corre mais risco também xD, carrega muita coisa por ai chama atenção. Em relação aos portáteis, eu também gosto demais viu! Sempre estou jogando alguma coisa no GBA ou no PSP. Ainda não tenho um 3DS, mas agora com o lançamento do remake do Metroid 2, é compra certa! Em relação ao KoF 95, peguei um macete pra vencer o Rugal, em compensação, pra vencer o Saisyu Kusangi ainda não xD. E não deixei de jogar! Nem que seja uma partida despretensiosa, vale a pena. Abraço ai também, e parabéns pelo ótimo trabalho.

        • Cherry Pie

          Cara, pra vc ter uma noção, eu, (particularmente) evito até andar com o meu portátil na rua, com medo dele acabar não voltando pra casa comigo… >_<
          É, o negócio é triste; e quem perde com isso são as nossas preciosas horas de jogatina, já que não é possível aproveitar sequer uma diversãozinha enquanto se espera pelo busão e talz. Por isso que atitudes como a sua são louváveis, ao meu ver…
          Mas vai por mim, arranje logo um 3DS pra chamar de seu!! É satisfação garantida!!
          Mas enfim, mesmo não dando pra levar o bichinho pra todo canto, ainda da pra aproveitar ele superbem debaixo do edredom, naqueles dias em que a preguiça pra jogar "tradicionalmente" estiver batendo forte… XD
          Valeu novamente pela presença. Abraços 😉