Crônicas Gamísticas: Socorro! Eu não consigo jogar!!

Saudações caros amigos retroaventureiros!! Há quanto tempo, não?? Hoje gostaria de compartilhar com vocês algo que por diversos motivos anda fazendo parte da minha realidade atual: o grande problema da falta de tempo/desânimo/preguiça para conseguir jogar.
Mas afinal de contas, o que diabos acontece com a gente vez ou outra que acaba dando umas boas sumidelas da cena gamística?? Claro que aqui não estou me referindo 100% a todos, visto que existe aquela parcela que não importa se vai explodir a próxima bomba atômica: o pessoal representa a classe e não deixa a jogatina de lado por mais tensa ou difícil que a situação esteja. A vocês, grandes guerreiros, já deixo aqui os meus mais sinceros parabéns!!
Mas enfim, o tópico que pretendo abordar neste texto é direcionado para aqueles que mantém a paixão viva, porém latente – seja lá por “N” motivos…
Sei lá que bicho nos morde… tem hora que a gente chega cansado do trampo, olha pro game, dá vontade de jogar, mas acaba perdendo o gás porque sentou no sofá e deu preguiça de levantar para ligar o console. Normalmente essa postura vem acompanhada de uma zapeada no que está passando na TV e, consequentemente, é precedida de umas boas horas de sono, com direito até a babada no sofá…kkk

Nem o Homer escapa… o_o

Existe também a ocasião em que você simplesmente para em frente a sua estante de jogos e não consegue escolher nenhum para jogar. Nada apetece…
Ou ainda: fica trocando de jogo mais do que patricinha escolhendo roupa para ir a uma festa… Experimenta um, troca pra outro, depois outro…e outro… até chegar ao ponto de acabar não jogando nada, e assim, terminar o dia indo fazer outra coisa (que normalmente é a situação retratada no final do primeiro relato…rsrs)
O grande problema desse desleixo com a jogatina é que não tem como não bater no peito uma sensação bem ruim. É muito desagradável se chegar a um ponto onde não conseguimos sequer desfrutar de uma coisa que realmente gostamos bastante. A questão que pipoca nessas horas costuma ser: O que fazer??

Mãe, tô sem nada pra jogar… =/ (kkk)

Por experiência própria, percebi que o melhor caminho é não parar de jogar, nem que seja coisas mais corriqueiras. Tá travado naquele super RPG f*da pra c%$@#? Dá desânimo só de pensar em ligar o console pra ficar andando sem rumo porque travou no jogo e acabou largando mão por falta de tempo e paciência? Quem nunca, né? O pior é quando o desânimo não afeta somente o jogo em particular, mas a jogatina em geral. O ideal mesmo é não perder o foco e insistir, ainda que a coisa esteja difícil; mas caso não seja possível (ou esteja realmente de saco bem cheio…), dê um tempo à sua mente com um game que não seja tão exigente. O gás da jogatina permanece aceso e, quem sabe, depois de uma abstraída a sua mente não volta com mais força pra sair do entrave?
Outra alternativa que boa também é marcar encontros de jogatina com os amigos.
Embora encontros acabem sendo uma situação cada vez mais difícil de acontecer, não há como negar que jogar com mais gente do lado dá uma animada e tanto pra tirar de vez a poeira do console e mandar a “bad” pras cucuias! Convide os manos pra curtir um happy hour com jogatina depois do trabalho! Tire o PlayStation do armário e jogue umas boas partidas de Winning Eleven, regadas a brejas e tiradas de sarro, por duas horinhas que seja. Garanto que ao ir se deitar nessa noite, a sensação será ótima!

Só não vale jogar com a argentina, hein?? rsrsrs (#brinks ;))

E vocês caros amigos? Já passaram por algo similar? Não deixe de compartilhar suas experiências aqui nos comentários.
Por enquanto é só pessoal. Beijinhos da Cherry e até a próxima!! 😉
@-}–

Sobre Cherry Pie

Apenas uma singela torta de cerejas que apareceu aqui na porta da redação, e como nós adoramos cerejas, resolvemos deixar ela entrar ^^
Adicionar a favoritos link permanente.
  • Mario

    Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe.
    Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente.
    Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar!
    Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar.
    Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!!
    Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo.
    “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!).
    Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!!
    Valeeu!!!

  • aki é rock

    Qlha já passei por isso viu Cherry tenho alguns jogos de ps2 e xbox360 tem dias que voce olha pra eles e nao está afim mesmo viu e bem normal o jeito é se ocupar com jogos simples como os de celulares para se descontrair.

    • Cherry Pie

      Dói, né?? kkkk
      Mano, comprei uma pancadinha de jogos há um tempinho atrás…
      Tá tudo encostado… Pra você ter uma noção, comprei New Super Mario Bros 2 do 3DS no evento do Canal 3 que foi em abril. Jogo lacrado. Sabe quando eu consegui abrir o jogo?? No feriado que teve agora, dois meses depois. PRA ABRIR O JOGO!!! kkkk
      Espero que algum dia consigamos reverter essa realidade, mas, enquanto esse dia não chega, vamos indo de Bowling King na veia, pq é o q tem pra hj…hehehehe
      Obrigada mais uma vez pela presença e comentário. Grande abraço!! =)

  • Eu estou nesse dilema diariamente… quer dizer… atualmente me dei ao luxo de ficar viciado em The Legend of Gnomo Loiro: Bafo de Catuaba (adorei esse nome Cadu!!), e estou jogando essa praga todo dia. Mas antes desse jogo pintar aqui, eu não sabia o que jogar, ficava tanto tempo escolhendo algo que quando eu finalmente escolhia, já estava a hora de deixar queto e ir fazer outra coisa, e dificilmente me sentia apetecido por algum título. E eu sabia que era mais preguiça e vontade de dormir que outra coisa… É, filho cansa!

    • Cherry Pie

      É chefinho… não tá fácil pra ninguém, nem mesmo pro todo poderoso dono do RP, né?? kkkk
      Mas taí uma tremenda realidade… Parece que quando acabamos tendo um “imprinting” com algum jogo, conseguimos nos esforçar mais e deixar aquela moleza de lado. Mas sem dúvidas, a rotina às vezes acaba tendo um peso maior do que gostaríamos e o sono, dentre outras coisas, acaba sendo priorizado em detrimento da jogatina. Fico pensando que se sem filhos já está difícil pra mim, pra quem tem uma prole neste mundo deve estar quase impossível… kkk
      (Mas calma, isso é só até o Pequeno Príncipe crescer um pouco… Logo você já estará perdendo de Perfect pra ele no Street Fighter…hahahahaha)

      Valeu pelo incentivo Chefinho!!

      PS: comprar o Note foi a melhor coisa que eu fiz!! To respondendo os comments diretamente da minha cama, debaixo das cobertas!! Agora ficou bem mais fácil rebater a lesera!! Espero poder retornar com uma boa regularidade, sem mais hiatos (espero)… XD

  • Colonel

    Ótimo tema!

    Primeira coisa que tenho que lidar é com cansaço do trabalho diário. Chego em casa e to morrendo já, é deitar olhar o noticiário e ler duas páginas de algo pra “desmaiar” na cama. Muito difícil botar algo pra jogar.

    E segundo que além de estar com a namorada (sempre prioridade) tenho que tento dividir o tempo entre meus hobbies por livros, HQs, filmes e games e sempre algo fica de lado. As vezes são os games. 🙁

    Por fim, assino embaixo a sua dica de encontro pra jogatina com amigos. Fiz isso nesse último feriado com dois brothers e jogamos o novo Mega Drive da Tectoy e faltou tempo pra tantas opções de jogos. E depois dessas jogatinas sem dúvida fico com ânimo renovado continuar jogando.

    • Cherry Pie

      Fala Colonel, blz??
      Cara, eu confesso que fiquei um pouco receosa em lançar um texto sobre, mas o fato é que já fazia um tempão que eu não conseguia produzir nada, justamente por causa desse problema… (Quase levei ‘bilhetinho azul’ do Chefinho aqui…rs) e daí pensei: “Por que não expressar isso?” Afinal de contas, como estava comentando internamente com a galera, ao que parece, isto acaba sendo um fato mais comum do que se imagina. Fiquei com medo do texto ficar parecendo um pouco “Deprê” e acabar afugentando a galera, mas em contrapartida, vejo que até o mais assíduo dos gamers pode sim acabar entrando em um hiato por causa de duas simples palavrinhas: VIDA ADULTA, né??
      Sobre os encontros, cara, eu vou falar pra vc: vai por mim, eles operam verdadeiros milagres!! Tive a oportunidade de participar de um agora no último feriado e maaaano… tirei a barriga da miséria!! Joguei como se não houvesse amanhã!! Foi muito bom!!!
      Bem, então é isso. No mais, só tenho a agradecer imensamente por ter colado aqui na grade!! Continue sempre com a gente!! É a presença de vcs que faz esse trem andar!!
      Valeu mano! Grande abraço!!

  • Mario

    Cherry e Sabat, por algum motivo o Disqus considerou meu comentário como spam. Se não tiver problema estou repostando. Desculpe se teve algo inapropriado (mas não teve pô). Só pq eu tinha sido o primeiro…sacanagem! Bem lá vai de novo:

    Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe.
    Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente.
    Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar!
    Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar.
    Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!!
    Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo.
    “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!).
    Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!!
    Obs: Aproveitando que repostei o comentário, não rolou o Cadillacs and Dinosaurs, Mas tudo bem. Mas na manhã seguinte jogamos MK3 até tomar um sacode na segunda luta.
    Abraço à toda equipe do Retroplayers!

  • Quando você diz. “seja lá por “N” motivos…” eu logo pensei em um trocadilho com a Nintendo. Bom, talvez não seja isso, mas foi o que eu pensei. ^_^
    Eu faço o sistema de rodízio, e sempre alterno e jogo ora um game longo (tipo Playstation) ora um game curto (tipo Atari, Master System ou PC Engine). Claro todo console tem seus jogos longos e curtos mas é evidente que a geração do CD pra frente tem os jogos mais longos e isso pode desanimar caso a gente já esteja sem tempo.
    Eu disse isso num comment que fiz agora a pouco no Blog do Cadu. A dica suprema é. Divirta-se! Comece a jogar, tá chato? Troca. Põe outro, tá chato? Troca… um jogo sempre acaba sendo o jogo do dia. ^_^

    • Cherry Pie

      Fala Ulisses, beleza??
      Cara, que o meu coração sempre ira pender pro lado azul da força, isso é fato. Mas apesar disso, o ‘N’ não foi zueira com a empresa do Encanador Bigodudo não, pois afinal, é graças a eles e seus grandes investimentos na indústria dos portáteis que eu tenho conseguido jogar uma coisa aqui ou acolá ultimamente…
      (Obrigada 3DS! Você é o melhor presente que eu poderia ter me dado de aniversário!!!)
      Sobre o rodízio, cara, eu vou confessar: pra mim tá difícil conseguir jogar alguma coisa que esteja demorando mais de 1h pra fechar…
      Não ando tendo fôlego pra encarar jogos que necessitem mais do que “uma sentada” pra fechar, mas espero que essa realidade possa mudar o quanto antes.
      Acho que a pegada é mais ou menos isso mesmo… Uma hora a gente sempre acaba achando o jogo do dia. O importante é continuar tentando.

      Valeu mano. grande abraço e até a próxima!!

  • Mario

    Pô gente, que budega! Comentei aqui duas vezes e o Disqus considerou como spam. Vou rever o que escrevi e mandar de novo.
    Foi um ótimo post, tudo a ver com os últimos anos de minha vida…eheheh.

    • Mano, coloquei seu nome na lista branca, vamo ve se o Disqus para com a frescura!!

      • Mario

        Cara…muito obrigado!!!! Desculpa se realmente tinha algo inadequado no comentário que fez com que parecesse spam! Eu devo ter feito mais umas duas tentativas, pode desconsiderar as demais.
        Vida longa ao Retroplayers!!!
        Abração!

  • Mario Luiz

    Cherry e Sabat, por algum motivo o Disqus considerou meu comentário como spam. Se não tiver problema estou repostando. Desculpe se teve algo inapropriado (mas não teve pô). Só pq eu tinha sido o primeiro…sacanagem! Bem lá vai de novo:
    Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe.
    Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente.
    Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar!
    Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar.
    Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!!
    Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo.
    “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!).
    Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!!
    Obs: Aproveitando que repostei o comentário, não rolou o Cadillacs and Dinosaurs, Mas tudo bem. Mas na manhã seguinte jogamos MK3 até tomar um sacode na segunda luta. Todo mundo perdeu o jeito.
    Abraço à toda equipe do Retroplayers!

    • aprove

      De: Disqus [mailto:notifications@disqus.net]
      Enviada em: segunda-feira, 19 de junho de 2017 09:39
      Para: nsabat64@gmail.com
      Assunto: Re: Comment on Crônicas Gamísticas: Socorro! Eu não consigo jogar!!

      “Cherry e Sabat, por algum motivo o Disqus considerou meu comentário como spam. Se não tiver problema estou repostando. Desculpe se teve algo inapropriado (mas não teve pô). Só pq eu tinha sido o primeiro…sacanagem! Bem lá vai de novo: Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe. Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente. Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar! Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar. Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!! Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo. “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!). Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!! Obs: Aproveitando que repostei o comentário, não rolou o Cadillacs and Dinosaurs, Mas tudo bem. Mas na manhã seguinte jogamos MK3 até tomar um sacode na segunda luta. Todo mundo perdeu o jeito. Abraço à toda equipe do Retroplayers!”

      Disqus

      Settings

      A new comment was posted on RETROPLAYERS

      _____

      Mario Luiz

      Cherry e Sabat, por algum motivo o Disqus considerou meu comentário como spam. Se não tiver problema estou repostando. Desculpe se teve algo inapropriado (mas não teve pô). Só pq eu tinha sido o primeiro…sacanagem! Bem lá vai de novo: Entendo perfeitamente o que você descreveu no post Cherry! Tenho passado por isso…a alguns anos! Desde a época de meu Phantom System, passando pelo Snes e o Ps1 eu era o típico jogador viciado! Jogava o dia inteiro e me dedicava ao jogo até zerá-lo. Muito tempo no Phantom System investindo em Super Mario, Contra e Ghostbusters (tá sou masoquista). No Snes eu tinha Donkey Kong Country 1, 2 e 3 e não sosseguei até zerar com a porcentagem máxima de cada jogo. Fora os “contras” (versus, multiplayer , não sei como vc chama ) no Street Fighter e Mortal Kombat. E os dias e semanas pra zerar Chrono Trigger, Mana ou Evermore? Ah bons tempos! Quando comprei meu ps1 usado a coisa elevou pra outro nível, quase derreti ele de tanto jogar! Era Resident Evil no jogo A e B e de trás pra frente, Metal Gear e agora os rpg’s tomavam quase dois meses na primeira jogada. Era uma sensação muito boa tentar,errar, insistir e descobrir como passar daquela fase ou chefe. Mas o tempo passou, crescemos e nos tornamos pessoas responsáveis e trabalhadoras. E com isso veio ele…o cansaço! Trabalhar o dia todo, se estressar e ter que estudar…cadê o tempo pros jogos que eu gostava tanto? É frustrante já que sou um entusiasta de games, antigos principalmente. Com um certo atraso comprei meu ps2, mas tudo já tinha mudado. Não tinha mais paciência pra jogar sem parar e quebrar minha cabeça com puzzles complicados. Acabei virando um jogador casual. Quando tinha tempo livre gostava muito de jogar Need for Speed. Por mais que um ou outro jogo da série fosse realmente difícil e trabalhoso, era algo relativamente mais simples do que enfrentar o Sephiroth. Também curtia God of War, era só sair rasgando geral e nos puzzles era só empurrar umas pedras. Rpg? Final Fantasy 10? Nem pensar! Engraçado que eu fazia justamente o que vc falou, ao empacar em alguma fase ou trecho, dava uma raiva que eu largava de mão e ficava dias sem jogar. Aí quando jogava de novo era pá pum…passava rapidinho. Acho que esse descanso ajudava a focar. Aconteceu esse lance de empacar em um rpg no Final Fantasy 8. Já estava no 3º ou 4º cd com umas 100 horas de jogo, e parei por aproximadamente um mês para estudar para um concurso. Quando voltei a jogar não sabia mais o que fazer, pra onde ir, fiquei perdido e não joguei mais…até hoje!!! Até o meu Wii eu deixei largado, um console com uma bela parcela de divertidos jogos casuais. Só zerei com a patroa o New Super Mario Bros e nada mais. Agora até tô usando ele, mas pra emuladores. Ainda assim, eu fico passando aquela lista enorme de roms, escolho um jogo, dou uma jogada até morrer e desligo. “Vamos marcar! ”, estou à anos “marcando” com um colega pra vir à minha casa e jogarmos Mario Kart Wii , tomar cerveja e comer bolovo. Mas não sei, nada ocorre. É horário de um, escala de outro, compromissos com a suas respectivas patroas e etc. É difícil manter a jogatina nessa vida de adulto Cherry. Já a alguns anos tenho trabalhado 12 horas por dia, então quando folgo, eu quero ou preciso fazer um monte de outras coisas ou não quero fazer absolutamente nada…só ficar esparramado no sofá ouvindo música, vendo séries ou coisas no youtube como o Retroplayers Tube (rá!). A vontade de jogar está lá…no fundo, mas o cansaço ou obrigações são mais fortes. Sinto que incorporei aquele espírito de tio. Aquele tio barrigudo que não saca de games (no meu caso dos atuais) e fica falando que os jogos “da época dele” que eram bons (e eram mesmo!). Mas hoje será diferente! Enquanto trabalho, minha família estará fazendo um churrasco em casa, e quando eu chegar vou jogar com minha cunhada Cadillacs and Dinosaurs na tv da sala , com o som bem alto e tomando uma cerveja! Hoje é noite de beat’em up com coop! Uhuh!!! Depois falo como foi Cherry!!! Obs: Aproveitando que repostei o comentário, não rolou o Cadillacs and Dinosaurs, Mas tudo bem. Mas na manhã seguinte jogamos MK3 até tomar um sacode na segunda luta. Todo mundo perdeu o jeito. Abraço à toda equipe do Retroplayers!
      8:38 a.m., Monday June 19 | Other comments by Mario Luiz

      Reply to Mario Luiz

      Moderate this comment by email

      Email address: marioandradepires@gmail.com | IP address: 187.67.3.67
      Reply to this email with “Delete”, “Approve”, or “Spam”, or moderate from the Disqus moderation panel.

      _____

      You’re receiving this message because you’re signed up to receive notifications about activity on threads authored by sabat.
      You can unsubscribe from emails about activity on threads authored by sabat by replying to this email with “unsubscribe” or reduce the rate with which these emails are sent by adjusting your notification settings.

      Disqus