RetroPipoca: Street Fighter IV – the Ties that Bind


Que Street Fighter 4 já nasceu clássico, ninguém duvida. A Capcom se superou neste jogo, artisticamente é uma pérola, tecnicamente é um excelente jogo de luta.

Mas como nada é perfeito neste mundo, tem umas coisitas no game que fizeram alguns fãs ficarem bem descontentes, como por exemplo…QUEM DIABOS É AQUELE CARA ESQUISITO NO FIM DO GAME??? EU QUERO EDUCADAMENTE DEPOSITAR O PEITO DO MEU PÉ NAS NÁDEGAS É DO BISON!! CAI FORA MUTANTE!!

Mas a Capcom ligeira que só, já tinha uma explicação na manga não só para este fato inusitado, como para toda a trama do seu mais novo game de pancadaria arruaceira, e ela seria mostrada para os fãs na forma de um anime especial a ser distribuído junto com o game!

Trata-se do OVA (Original Vídeo Animation) Street Fighter IV: the Ties that Bind, ou em bom português, O laços que ligam.

Já se sabia a muito tempo que tal anime estaria em desenvolvimento, o que não se sabia era se este seria lançado em capítulos ou em um episódio único. Para minha surpresa, o que apareceu foi um ova de 1:05hs de duração com mais cara de filme do que de uma série em poucos capítulos, que é o que define um OVA: séries curtas de animação não destinadas a TV e sim ao lançamento direto em DVD/Blu-Ray ou edições especiais, sempre com qualidade bem superior às séries normais e no máximo 12 ou 13 capítulos (geralmente menos de 5).

E prefiro pensar mesmo que esta animação é um filme único, pois caros amigos retroaventureiros, ficou fuleira pra caramba.

O filme (vou tratar como um filme até que se prove o contrário, ou seja, se resolverem lançar mais capítulos) pra variar, gira em torno do eterno garoto propaganda da série, o carateca andarilho Ryu. Começa com uma investigação militar que mostra Cammy investigando um buraco cheio de corpos humanos (que claramente foi censurado, pois há um corte grotesco quando o local vai ser mostrado) e logo depois, o Guile mais feio que eu já vi trombando uma Chun-li que parece ter uns 15 aninhos em uma investigação policial.

Não, eu não fiz força pra pegar o pior ângulo possível. O negócio é feio desse jeito ai mesmo! Quando vi até assustei, pausei na hora para procurar na internet o estúdio de animação responsável por essa proeza. O Guile até me olhou feio quando eu fiz cara de nhéca:

Quem fez a animação foi o Studio4°C, um estúdio meia-boca que fez por encomenda aquela série animada tosca nova dos Transformers que passava no Cartoon Network, e que tem como seu trabalho mais conhecido no ocidente, um dos OVAs contidos na obra Animatrix. O traço do negócio é incrivelmente sofrível, simples ao extremo e com pouquíssimos frames, ai os caras encheram de sombreados por computador aqui e ali, um brilhinho cá, e o resultado foi mais uma animação com aquela cara de coisa feita às pressas nos sendo apresentada… E foi mesmo feita às pressas, sem nenhuma sombra de dúvida.

O resultado, que deveria ser um filme de briga de primeira qualidade para contar uma história que daria significado a um jogo, acabou por ser um drama fraco com alguns embates sem nenhuma emoção.

Bom, pelo menos ele ainda conseguiu contar a história.

Após as apresentações, vemos o sempre esfarrapado Ryu andando sem destino e ainda lutando contra o seu hadou negro, que teima em tentar dominar o espírito do carateca toda vez que ele se descontrola e o liberta, o que pode transformá-lo em um novo Akuma. E como sempre, tem algum safadinho querendo esse poder oculto do lutador. Adivinha quem é?

Se você disse, Bison, errou: o cara errado nesse filme é o Seth, o lutador mutante e inimigo final no game. Apenas alguns dos muitos personagens da série são mostrados nesse filme, Gouken e Akuma só aparecem nos pensamentos de Ryu, e dos clássicos,Cammy, Chun-lee, Guile, Sakura, Balrog, Vega, Ryu e Ken estão presentes. Os três primeiros investigam o sumiço de lutadores de artes marciais pelo mundo, o que os leva a crer que a Shadaloo ainda está ativa, enquanto Sakura e Ken estão à procura de Ryu, que eles acreditam ser um dos alvos da organização.

De personagem novo, Seth, o responsável pelos sumiços, e sua capanga Crimson Viper, encarregada de achar Ryu antes de Ken e Sakura. Aliás, Ken tem uma partezinha de história dramática bem interessante, mas para por ai e ele não libera nem se quer um hadoukenzinho no filme inteiro. Na verdade, ele não faz nada o filme inteiro! Até o Guile deu um Sonicbow de leve pra se mostrar, e o Ken Masters, o cara do Shouriuken de fogo, NADA… Oh céus!

No final, temos a confirmação de que a Shadaloo está realmente ativa (óbvio, senão por quê o Bison estaria no game?), e fora os capangas Balrog e Vega que aparecem quase que de relance, a história não mostra mais nenhum personagem ou insinuação de por quê eles estariam envolvidos neste novo round do game de porradaria da Capcom. Podemos imaginar que eles foram alguns dos lutadores sequestrados durante o filme, mas a fraca história não deixa nada disso claro.

E não tenho a impressão de que isso vá ficar nem mais claro ou mais escuro do que já está, pois acho que devido à qualidade deste, é  bem improvável que outro filme esteja a caminho.

Pois é, eu se fosse vocês, nem perderia meu tempo baixando, assista pelo YouTube mesmo que vale mais a pena. Até aquele filme Street Fighter Alpha que o Ryu tem irmãozinho brasileiro é melhor que esse, e em tudo.
Queima Jesus!

Fim


Sobre Sabat

Dono, Chefe, Gerente, Cara da Xérox e Tia do Café do RetroPlayers! Meu negócio? Falar sobre games. Como? Escrevendo meus trabalhos, gravando minha voz horrível, ou filmando minhas humildes proezas! Onde? Aqui, ali, ou onde quer que me chamem!
Adicionar a favoritos link permanente.