RetroPipoca: O Homem de Aço (Man of Steel – 2013)

Quando vamos ao cinema assistir a um filme de herói, o que esperamos no mínimo é sair de lá convencidos de que realmente vimos o “tal herói” retratado nas telonas. Quando isso acontece, a qualidade geral do filme acaba quase sempre não importando na hora de colher os lucros da estrondosa bilheteria mundial, mais ou menos como acontece hoje com Robert Downey jr, conhecido por ai como Iron Man: o 3º filme do herói de ferro foi o pior deles sem dúvida, mas a bilheteria… Explicação simples: o povão paga não para ver o filme, mas para ver o ator interpretar o herói do momento em mais uma película lotada de efeitos especiais, explosões, e no caso desta última, quase nenhuma lógica ou consistência no roteiro. Alguém ligou para isso? Poucos, é verdade, mas sim: aqueles que respeitam as origens do herói, aqueles que sabem a importância do “vilão” do filme que foi jogada no lixo, e principalmente, aqueles que aprenderam a dar valor a um bom roteiro ao presenciarem os trabalhos de Christopher Jonathan James Nolan e seu Cavaleiro das Trevas.

Nolan se tornou um dos principais diretores de Hollywood ao pegar uma série de filmes terríveis de um herói totalmente desacreditado nas telonas para transformá-la naquilo que provavelmente é hoje o manual de “como se fazer um filme decente” nesse segmento.

Entenda decente: um herói com todas as suas características intactas na medida do possível, um roteiro que não ofenda este herói e nem a inteligência do público ao mesmo tempo que o prenda frente a película, e um ator que nos convença de que ele é o herói em questão… Volta Edward Norton, o HULK precisa de vc!

Após três filmes fazendo maravilhas com o morcegão, Nolan decidiu que era hora de resgatar a dignidade cinematográfica de outro herói a muito tempo em baixa, um cara da época em que fazer a terra girar ao contrário para voltar no tempo era algo SUPER legal de se ver, um herói do tempo em que usar cueca vermelha por cima da roupa era SUPER massa, um herói que imortalizou o SUPER Cristopher Reeve (que Deus o tenha) como sendo  a sua cara pela eternidade, e que, após séries televisivas de qualidade duvidosa e um novo filme péssimo que tentava trazer de volta a velha cara de antigamente do SUPER herói, praticamente implorava pela ajuda de alguém que pudesse reerguer o seu nome do limbo em que se encontrava.

O Superman precisava de ajuda, e a ajuda veio.

Anunciado por meio de um curtíssimo taser trailer a alguns anos atrás, O Homem de Aço apareceu como a nova aposta do diretor   Zack Snyder (300 e Watchman) e com o roteiro assinado por Nolan. Mais do que apenas tentar repetir o sucesso estrondoso de seus últimos trabalhos, a dupla tinha um desafio a mais pela frente, por sinal, o mesmo que Nolan enfrentou quando assumiu a bomba que era tentar fazer um filme com o morcegão de Gothan City após a tonelada de aberrações cinematográficas que foram criadas no decorrer dos anos: achar uma cara nova e definitiva para o herói. Com o Batman o negócio foi um pouco mais fácil, pois o herói nunca teve uma cara. O rosto mais marcante que tínhamos vinha dos socs e pows e caproows da série televisiva dos anos 60 com Adam West no comando das ações, que foi seguida de uma lista de heróis genéricos em filmes que iam do regular ao medíocre sem escala. Já com o tal do Clark Kent, o negócio era um pouco mais complicado, pois já existia um rosto imortalizado nos cinemas, um verdadeiro sinônimo de Superman, merecedor de um respeito tamanho que acabou de certa forma sendo a causa do fracasso do último filme que fizeram com o herói quando este quis ser fiel demais às obras do passado.

Talvez isso tenha servido de aprendizado, pois Man os Steel não repete nenhum dos erros do fraco Superman Returns (2006), e nos mostra um super homem que é bem a cara de Nolan, ou seja, mais humano e poderoso do que nunca sem desrespeitar as origens do personagem. Bem, se deu certo uma vez, por que não daria duas?

A escolha de Snyder para o papel de Super foi o ator semi-desconhecido Henry Cavill, que antes de se tornar o Homem de Aço, podia ser encontrado como Theseu no fiasco Imortais (2011). Visualmente uma escolha acertada, uma vez que o rapaz possui cara de bom moço, olhos azuis, cabelo jogadinho de lado e músculos a torto e a direito, ou seja, tudo que é necessário para caracterizar o Super mesclado a um nível de atuação que não compromete. Aliás, nada compromete a película, tudo é no mínimo digerível.

A começar pelo roteiro que como não poderia deixar de ser, trata de mostrar a origem alienígena do herói, o que aconteceu com seu planeta natal, e quem será o vilão do filme. Já neste ponto começamos a notar a mão de Nolan na narrativa do filme: a necessidade de mostrar o que acontece com Kripton, a importância de Kal-el para a sobrevivência da raça, e o principal: por quê diabos ele é SUPER na Terra. Cada poder do herói, da visão de calor ao poder de voo é explicado de uma maneira simples, verdadeira, e que a maioria já nem deve mais se lembrar qual é: o Sol Amarelo. Ou pelo menos deveria ter ficado só nisso, pois a atmosfera da Terra também tem seus efeitos anabolizantes no herói alienígena, o que causa um pouco de dúvida na cabeça dos fãs mais céticos que podem não concordar com esta nova visão acrescentada pelo diretor, mas que indubitavelmente funciona. Clark tem seus “problemas sociais”, que o transformam em um tipo de rejeitado pela sociedade, explicados por meio da diferença de composição na atmosfera dos planetas, um fator que é crucial para o desenvolvimento da trama do filme. Desde criança o pequeno Clark precisava esconder que era diferente, se controlar para não parecer ser o que ele realmente era, o que nos leva ao veterano Kevin Costner no papel de Jonathan Kent, o pai protetor convicto de que a humanidade não estava preparada para saber que existe vida lá fora.

Este é um ponto muito interessante não só no filme, algo que sempre é abordado mas nunca se chega a conclusão alguma: o que aconteceria com a sociedade se fosse confirmada a existência de vida alienígena inteligente em algum planeta longínquo por aí? O que aconteceria com nossos valores, com nossas crenças, com nossa maneira de enxergar o mundinho em que vivemos? A impressão que tive inicialmente ao assistir O Homem de Aço foi a de que este ponto seria muito explorado, pois a bela atuação de Costner nos faz acreditar que o mundo realmente não está preparado para um DEUS ALIENÍGENA entre nós. A pergunta é: nós o seguiríamos, ou teríamos medo dele? Clark foge desta resposta por boa parte do filme, se tornando um desconhecido que vaga pelo mundo ajudando alguém aqui, fazendo um “milagre” ali, mas nunca deixando de ser o “rejeitado” de sempre. Isso até que outros alienígenas chegam ao nosso planeta tratando de por um fim a qualquer parte reflexiva do enredo. A boa premissa é deixada de lado, e a resposta à pergunta universal volta a ficar sem resposta.

As 1 hora e pouco restantes de filme são regadas a muita pancadaria, efeitos especiais de primeira e muito Jor-El tentando se passar por um holograma. Interpretado por Russel Crowe, o Super Pai até aparece bem durante o filme, mas deve ter sido um dos papéis mais fáceis da carreira do ator, e o mesmo podemos dizer de Diane Lane como Martha Kent: aparece pouco e dá para o gasto. Já a nossa eterna Encantada, Amy Adams (que está para estrear Encantada 2) convence como Lois Lane, apesar de mostrar uma repórter que pela primeira vez no cinema, se preocupa mais com as consequências do que com a primeira página do jornal. Seu olho de lince não deixa passar nada, nem um microscópico Clark Kent a quilômetros de distancia andando em uma geleira.

Sim, o filme possui certamente aquelas ceninhas clichês bem forçadas e muitas passagens mal explicadas. A primeira fica por conta do sensacionalismo barato: a repórter andando numa beirada de gelo que ninguém em sã consciência andaria nem que soubesse voar, o herói que salva da morte o pessoal gente boa no último segundo possível, e coisas do tipo. Certamente daria pra fazer o filme sem isso, mas Hollywood CLAMA por este tipo de coisa, fazer o quê? A segunda acontece quando percebemos que por várias vezes, o filme parece ter sofrido cortes. De repente algo vai acontecer ou será explicado e… já se passaram vários minutos, ou horas, e tudo já aconteceu sabe-se lá como, conforme-se. Isso acontece muito,  e a impressão que eu tinha a cada vez que eu percebia o ocorrido era de que o filme estava ficando muito extenso e os produtores foram obrigados a cortar algumas destas cenas explicativas, o que acabou tirando a lógica ou a razão de algumas ações. Eu não me surpreenderia se pintasse por aí em breve uma “versão do diretor” do filme nas lojas…

O Homem de Aço é um ótimo filme. Consegue restaurar com louvor a imagem do herói nos cinemas sem desrespeitar suas origens, apresentando uma história que poderia ser melhor trabalhada mas que, de maneira alguma, deixa de ser muito boa. A nova cara do Super foi sem dúvida aprovada, o seu traje sem cueca por cima da calça agora possui uma lógica para existir (aquilo não é um S… bem, na Terra é um S…), e poucas dúvidas ficam no ar após o término da sessão. Minha maior crítica ao filme fica mesmo por conta da última ação do Herói e o que ele acaba fazendo para em fim, derrotar o vilão, algo pesado e que ao meu modo de ver, não foi tratado com o devido cuidado, e causaria no mínimo sérios danos emocionais ao herói e a quem estivesse ali presenciando tudo de frente. Eu acho que haveriam outras formas… O que o Super acaba fazendo é mais a cara de Jack Bauer ou Jhon McClane, gente calejada e sem remorso. No mais, aguardo a possível Directors Cut ou o anúncio da óbvia continuação, talvez com um DarkSide aparecendo para escravizar a Terra e naturalmente, falando inglês… aliás, por quê diabos o universo inteiro tem que falar inglês? Que coisa!

Agradecimentos ao meu amigo Ataliba, que me lembrou que o diretor do filme não era o Nolan, e sim o Zack Snyder!! E olha que eu sou fã dos 2…

Fim

Sobre Sabat

Editor Chefe do RetroPlayers, Redator e Editor nos Livros e Revistas WarpZone, Podcaster e editor de áudio, Saudosista, e Analista de Informática porque algo tem que dar dinheiro né!
Adicionar a favoritos link permanente.
  • Ataliba_Leonel

    E ai Sabat, muitooo boa a analise e muitoooo bom o filme =D Acho que vale citar que o diretor foi Zack Snyder (mesmo de 300 e Watchman).

    Com relação ao final, achei muito interessante e necessário, até mesmo porque o desfecho é o mesmo nos quadrinhos.

    Por fim, acho que vale citar que a sequencia foi anunciada na Comic Con…. o próximo filme do azulão chega em 2015 e terá a participação de…. BATMAN! *-*

    Abraços meu velho!

    • Opa Liba XD

      Rapaz, eu não tinha lembrado disso não XD sou tão fã do Nolan que achei que ele era o diretor e esqueci do Zack Snyder!! Olha o finalzinho do texto ai ^^

      • Ataliba_Leonel

        =´)

  • Elielson Nascimento

    Gostei da crítica, Sabat, também achei ótimo esse filme, apesar de alguns furos no roteiro. A última ação do Superman eu achei necessária, porque era matar ou ver incocentes morrerem, e ele jamais ficaria parado, depois de ter visto seu próprio pai morrer. Fora que nos quadrinhos ele já fez isso com o próprio Zod, e no início, lá pelos anos 40, o Superman não voava, só pulava, e matava rsrs

    Discordo sobre Homem de Ferro 3, considero o HF2 umas 30 vezes pior rsrs HF3 peca pelo excesso de humor, mas tem um roteiro bem mais ousado do que o HF2, que é bobinho demais.

    Abraço!

    • Fala Elielson, beleza? XD

      Rapaz, ja haviam me falado esse papo do Zod morrer do mesmo jeito nos quadrinhos dos anos das cavernas, mas ainda assim, para a imagem do herói, para a referencia de exemplo que ele retrata ou pelo menos deve retratar, achei desnecessário. Mas é só uma opinião, isso não altera a qualidade do filme em nada!
      Já Homem de ferro 3 pra mim não tem roteiro, tem uma premissa seguida de mais buracos que uma peneira, um final terrivelmente sensacionalista, e RD Jr salvando o que restou do filme. ^^

  • Cesar

    Gostei da crítica.

    • Obrigado Cesar ^^

  • Celio Alves

    A crítica ficou muito legal.
    Este filme despertou a minha curiosidade.

    • Beleza Célio? ^^

      Eu gostei muito do filme cara, poucos ajustes seriam necessários para que ele fosse perfeito.

      Assista, pois acho que você irá gostar muito ^^

  • CODY

    Mto boa a critica do filme Sabat, ainda não assisti vou esperar sair em bluray, estou ancioso para ver o filme que vão fazer com o superman e o batman junto, tomara que mantenha o nível dos atuais filmes;

    • Fala Cody! rapaz, se for esperar o blu-ray, eu acho que seria legal aguardar um pouquinho mais pra ver se não vai sair directors cut viu, por que eu acho INEVITÁVEL cara. O último filme de herói de Zack Snyder foi Watchman, e ele teve directors cut sendo que nem precisava de tão explicadinho e amarradinho que o filme era. Já o super CLAMA por uma versão estendida XD

  • Ramon

    “Volta Edward Norton, o HULK precisa de vc!”

    Meu Deus! Eu achava que era o único que pensava assim!!

    Aproveitando o gancho, fica a dica de analise de “The Death and Return of Superman (2)”, do Mega Drive

    • Nada meu amigo, Norton é o ÚNICO E VERDADEIRO Incrivel Hulk. Aquele Banner absurdamente inseguro e com cara de coitado do Ruffalo é deprimente, povo só gosta por que ele contracenou com Robert D.Jr no Vingadores kkk A MARVEL NUNCA DEVERIA TER TROCADO O ATOR, nada contra Ruffalo, mas ele só serve pra filme de Drama.

  • Leandro alves

    só sei que assisti e achei bem convicente. e nada de Lex Luthor, já é algo diferente, para variar. e as batalhas..nossa, são titânicas, igual os quadrinhos. dinheiro bem gasto esse filme.

    • Opa Leandro ^^ é bem convincente sim! Cara, tem uma hora que a porradaria derruba o topo de um prédio… É A LEXCORP kkkkkk pelo menos tem a placona escrito lá em cima XD

      Mas duvido que tenhamos o vilão no próximo filme… acredito mais em um Dark Side ou Brainiac da vida!

  • elcioch

    se você precisa conquistar a terra você tem que saber inglês é obrigatório!
    vilões que chegam aqui sem conhecimento de inglês são rejeitados. hehe!
    Superman 1 e 2 com Cristopher Reeve é otimo!
    Batman 1 e 2 de Tim burtom também
    mas ja 3 e 4 daquele diretor viadinho é uma bela de uma merda no meu box esses dois filmes são a maçã podre! dá vontade de jogar fora!
    os dois últimos filme de Hulk são uma droga apesar que o segundo foi melhor, mas os antigos com “lou ferrigno” são muito melhores um clássico!
    homem de ferro 3 eu acreditava que seria infernal, já que curti 1 e 2 o 3 ia fechar com chave de ouro! que nada! só tragédia!
    eu ainda num vi esse super, mas há quem critique a falta de percepção do herói! tipo! pó cara não fode com a cidade quando vier tentar salvar faça como no anime D.B.Z!
    não mate um super vilão no primeiro filme deixe ele vivo para um segundo filme!
    mas também pode ser interpretado que o herói na verdade ainda esta aprendendo ele ainda é amador nesta área então é normal que cometa uns errinhos!
    este ator que escolheram esta muito melhor no anterior que achei bem gay! além que o próprio filme é uma merda!
    já que o diretor anunciou que seria uma continuação d ultimo filme com reeve! então deveria ter escolhido melhor todo o elenco para passar a ideia que realmente é uma continuação! achei que todos estavam muito jovens demais pra continuar Superman 4 de reeve! a não ser que Superman 5 na verdade e uma terra paralela de reeve!

    • ahuahuha ingles é idioma universal MESMO, ou melhor, idioma GALÁTICO!!!! Tá loco XD

      Rapaz, a única parte que não concordo foi quando vc disse que Batman 2 prestou: eu achei fraquinho aquele filme kkk mas ainda assim é melhor que os outros 2 subsequentes, então imagina como eu GOSTO deles………..

      O Homem de Aço segue uma linha mais quadrinhos antigos, onde a porradaria comia solta e quem sofre com isso são os prédios da cidade kk é muito foda o quebra pau cara, de tirar o fôlego, inclusive a decisão final do herói que eu de certa forma disse ser “desnecessária” no filme, é algo que o Super fez de verdade nos quadrinhos!

      Já aquele filme antigo, Super Man Returns, é uma droga sem tamanho velho… O diretor realmente quiz continuar a história de Reeve, mas foi só cagada, um dos filmes de herói mais sem nexo que eu já vi, só não é pior que o primeiro filme do Hulk, com o Eric Bana.

      • elcioch

        é meu amigo! tá pensando o que! a concorrência lá no espaço é grande e só os mais preparados podem se destacar neste mercado! então o inglês tem que estar afiado!
        fico imaginado quantas pessoas devem ter morrido neste filme do super! acho que ninguém parou par contar né!
        imagine se na continuação deste filme os caras pegarem justamente esse detalhe para usar como desculpa da fobia e enormes passeatas nas ruas contra o super humanos. podia ser uma ideia interessante assim como foi bom ver nos HQS dos X-man.

        • seria uma ótima, mas eu ainda prefiro um pouco mais de destruição com a chegada de Dark Side kk

  • GF

    Dizem que esse filme é muito ruim.
    Se for pior que Vingadores,não quero o filme Man of Steel nem de graça.

    • Pelo contrário, o filme é muito bom, e só escuto gente falando bem dele ^^ . A primeira pessoa que eu vi que assistiu e não gostou foi o autor do comentário a baixo, mas ele mesmo já admitiu que é rabugento kk

      Sinceramente, ja vi gente falando “dizem que esse filme é ruim…” mas eu nunca vi essas tais pessoas que “disseram isso” kkkkkkk

      Já comparar ao filme dos Vingadores é pretensão demais!!! São estilos diferentes, visões diferentes, seriedade e foco são outros, é uma visão completamente diferente que os diretores tem de um filme de herói, e ambos são muito bons, ótimos filmes, mas cada um em seu estilo.

      • GF

        Acho justo comparar pois de qualquer maneira os dois são filmes,mesmo sendo diferentes,algum dos dois é melhor.E Vingadores ficou muito fraco,não sei como tive coragem pra assistir mais de 2 vezes.
        Não vejo o que tem de mais nele,a história ficou genérica,o Loki por exemplo ficou parecendo um retardado,aquela hora que o Hulk está destransformado aí vem um bicho de todo tamanho,na hora que tá quase enconstando nele ele transforma muito rápido,e já dá um soco que arrebenta o bicho todo,cena totalmente sem sentido,como é que ele fez isso tudo em + ou – 5 segundos?
        Sei que filme “de” Super Herói não tem que ter muito sentido,mas isso já é exagero.

        Tem muito mais,vou tentar assistir de novo pra lembrar dos defeitos.

        Sobre essas pessoas que estão falando mal do filme,eu vi no Rotten Tomatoes,já faz um tempo também,tenho que ler várias críticas de novo e depois assistir o filme pra ter certeza da qualidade dele.

        Mas estou muito desconfiado,igual com o Batman Dark Knight Rises,que todo mundo só fala que é bom/muito bom,na verdade,é só mais um filme normal,que além disso,não tem nada de Batman nele,nunca vi o morcego agindo de manhã e de tarde (só o Bruce Wayne),a Mulher Gato é muito boazinha,o Bane é todo tirado e idiota (“Vamos lutar,sem armas”),o filme não tem violência nenhuma,não tem praticamente nada de interessante,eu digo e repito,a história de Batman Arkham City (o jogo) dá de 100 a 0 nesse DKR,muito mais emocionante,interessante,envolvente,pena que a Warner cometeu uma besteira e vai lançar esse “Arkham Origins”,ao invés de um “Gotham City”.

        • Daria para contestar cada ponto citado como defeito que vc passou, mas levaria tempo demais né XD quando o assunto é FILMES, não dá pra se exigir perfeição e fidelidade total simplesmente por que tem coisas que não funcionariam. E hollywood tem pavor de violência… o filme violento lucra menos, pois restringe o público. Fazer o que né =/

          • GF

            Pois é,poderiam era mudar Hollywood.

  • Gray Fox

    Eu não gostei. Mas eu sou rabugento mesmo, então não conta.

    Não gostei da figura “messiânica” que é dada ao personagem desde o início. Culminanto naquela terrível cena da igreja, visivelmente fazendo um paralelo dele com Jesus.

    A figura do herói não foi construída com o passar do filme, isso me incomodou também. E, eis que de repente, ele tem que salvar só, tão somente, apenas, todo o planeta. Beleza… mas não curto esse “salto” que a trama dá.

    Também achei o filme muito comprido para tão pouca história. Mas valeu a pena ter assistido pelas cenas de ação. Dignas do “Super-Orçamento”.

    O melhor, para mim, ficou com o vilão. Zod é fod (hehe)! Acho que em certas partes – confesso – cheguei a torcer para ele…

    Tirando o que eu falei, até consegui me divertir vendo o filme. Mas eu sempre me pergunto, para saber se realmente gostei, será que eu assistiria de novo?

    Não. É por isso que eu digo que não gostei.

    • Opa Gray Fox ^^

      Rpaz, vc deixou bem explicadinho a sua opinião, respeito, só não concordo, e a vida segue né! kkk

      Pra mim o filme tinha que ter mais uma meia hora pra explicar melhor algumas passagens ainda kk

      Eu? Eu assistiria de novo ^^ mas repito: aguardo uma versão do diretor!

      • Gray Fox

        Discordar é importante! Só assim existe discussão, não é verdade?

        Pois é, também fiquei com a sensação de que algumas partes ficaram mal-explicadas. Como quando, bem no final, o Super “devolve” um míssel para o general lá. Aquela cena não fez o menor sentido…

        • aaa maninho, aquela cena ali, aquele foguete era um daqueles “mísseis de rastreamento” que travam determinado alvo o seguem até que este chegue em seu destino. Aquele estava seguindo o Super ^^ e ele o devolveu para o dono kk